proposta evolu o funcional n o acad mica n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Proposta: Evolução funcional não acadêmica PowerPoint Presentation
Download Presentation
Proposta: Evolução funcional não acadêmica

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 19

Proposta: Evolução funcional não acadêmica - PowerPoint PPT Presentation


  • 77 Views
  • Uploaded on

Grupo de trabalho 2:. Proposta: Evolução funcional não acadêmica. Apresentação à Comissão Paritária – 26/03. Objetivos. Repensar os critérios para evolução funcional que valorize fatores que tenham mais impacto na atuação do profissional em seu locus de atuação. Lei Complementar 836/1997.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Proposta: Evolução funcional não acadêmica' - isolde


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
proposta evolu o funcional n o acad mica

Grupo de trabalho 2:

Proposta:Evolução funcional não acadêmica

Apresentação à Comissão Paritária – 26/03

objetivos
Objetivos
  • Repensar os critérios para evolução funcional que valorize fatores que tenham mais impacto na atuação do profissional em seu locus de atuação
lei complementar 836 1997
Lei Complementar 836/1997

“Artigo 21 - A Evolução Funcional pela via não-acadêmica ocorrerá através do Fator Atualização, do Fator Aperfeiçoamento e do Fator Produção Profissional, que são considerados, para efeitos desta lei complementar, indicadores do crescimento da capacidade, da qualidade e da produtividade do trabalho do profissional do magistério.

§ 1º - Aos fatores de que trata o "caput" deste artigo serão atribuídos pesos, calculados a partir de itens componentes de cada fator, aos quais serão conferidos pontos, segundo critérios a serem estabelecidos em regulamento, no prazo máximo de 120 (cento e vinte) dias, a contar da data da publicação desta lei complementar.

§ 2º. - Nos níveis iniciais das classes dos profissionais do magistério, o Fator Aperfeiçoamento e o Fator Atualização terão maior ponderação do que o Fator Produção Profissional, invertendo-se a relação nos níveis finais.

§ 3 º. - Consideram-se componentes do Fator Atualização e do Fator Aperfeiçoamento todos os estágios e cursos de formação complementar, no respectivo campo de atuação, de duração igual ou superior a 30 (trinta) horas, realizados pela Secretaria da Educação, através de seus órgãos competentes, ou por outras instituições reconhecidas, aos quais serão atribuídos pontos, conforme sua especificidade. § 4º. - Consideram-se componentes do Fator Produção Profissional as produções individuais e coletivas realizadas pelo profissional do magistério, em seu campo de atuação, às quais serão atribuídos pontos, conforme suas características e especificidades.

§ 5º. - Os cursos previstos neste artigo, bem como os itens da produção profissional, serão considerados uma única vez, vedada sua acumulação.”

lei complementar 836 19971
Lei Complementar 836/1997

“Artigo 21 - A Evolução Funcional pela via não-acadêmica ocorrerá através do Fator Atualização, do Fator Aperfeiçoamento e do Fator Produção Profissional, que são considerados, para efeitos desta lei complementar, indicadores do crescimento da capacidade, da qualidade e da produtividade do trabalho do profissional do magistério.

“Artigo 21 - A Evolução Funcional pela via não-acadêmica ocorrerá através do Fator Atualização, do Fator Aperfeiçoamento e do Fator Produção Profissional, que são considerados, para efeitos desta lei complementar, indicadores do crescimento da capacidade, da qualidade e da produtividade do trabalho do profissional do magistério.

§ 1º - Aos fatores de que trata o "caput" deste artigo serão atribuídos pesos, calculados a partir de itens componentes de cada fator, aos quais serão conferidos pontos, segundo critérios a serem estabelecidos em regulamento, no prazo máximo de 120 (cento e vinte) dias, a contar da data da publicação desta lei complementar.

§ 2º. - Nos níveis iniciais das classes dos profissionais do magistério, o Fator Aperfeiçoamento e o Fator Atualização terão maior ponderação do que o Fator Produção Profissional, invertendo-se a relação nos níveis finais.

§ 3 º. - Consideram-se componentes do Fator Atualização e do Fator Aperfeiçoamento todos os estágios e cursos de formação complementar, no respectivo campo de atuação, de duração igual ou superior a 30 (trinta) horas, realizados pela Secretaria da Educação, através de seus órgãos competentes, ou por outras instituições reconhecidas, aos quais serão atribuídos pontos, conforme sua especificidade. § 4º. - Consideram-se componentes do Fator Produção Profissional as produções individuais e coletivas realizadas pelo profissional do magistério, em seu campo de atuação, às quais serão atribuídos pontos, conforme suas características e especificidades.

§ 5º. - Os cursos previstos neste artigo, bem como os itens da produção profissional, serão considerados uma única vez, vedada sua acumulação.”

lei complementar 836 19972
Lei Complementar 836/1997

“Artigo 21 - A Evolução Funcional pela via não-acadêmica ocorrerá através do Fator Atualização, do Fator Aperfeiçoamento e do Fator Produção Profissional, que são considerados, para efeitos desta lei complementar, indicadores do crescimento da capacidade, da qualidade e da produtividade do trabalho do profissional do magistério.

§ 1º - Aos fatores de que trata o "caput" deste artigo serão atribuídos pesos, calculados a partir de itens componentes de cada fator, aos quais serão conferidos pontos, segundo critérios a serem estabelecidos em regulamento, no prazo máximo de 120 (cento e vinte) dias, a contar da data da publicação desta lei complementar.

§ 2º. - Nos níveis iniciais das classes dos profissionais do magistério, o Fator Aperfeiçoamento e o Fator Atualização terão maior ponderação do que o Fator Produção Profissional, invertendo-se a relação nos níveis finais.

§ 3 º. - Consideram-se componentes do Fator Atualização e do Fator Aperfeiçoamento todos os estágios e cursos de formação complementar, no respectivo campo de atuação, de duração igual ou superior a 30 (trinta) horas, realizados pela Secretaria da Educação, através de seus órgãos competentes, ou por outras instituições reconhecidas, aos quais serão atribuídos pontos, conforme sua especificidade.

§ 4º. - Consideram-se componentes do Fator Produção Profissional as produções individuais e coletivas realizadas pelo profissional do magistério, em seu campo de atuação, às quais serão atribuídos pontos, conforme suas características e especificidades.

§ 5º. - Os cursos previstos neste artigo, bem como os itens da produção profissional, serão considerados uma única vez, vedada sua acumulação.”

§ 3 º. - Consideram-se componentes do Fator Atualização e do Fator Aperfeiçoamento todos os estágios e cursos de formação complementar, no respectivo campo de atuação, de duração igual ou superior a 30 (trinta) horas, realizados pela Secretaria da Educação, através de seus órgãos competentes, ou por outras instituições reconhecidas, aos quais serão atribuídos pontos, conforme sua especificidade.

lei complementar 836 19973
Lei Complementar 836/1997

“Artigo 21 - A Evolução Funcional pela via não-acadêmica ocorrerá através do Fator Atualização, do Fator Aperfeiçoamento e do Fator Produção Profissional, que são considerados, para efeitos desta lei complementar, indicadores do crescimento da capacidade, da qualidade e da produtividade do trabalho do profissional do magistério.

§ 1º - Aos fatores de que trata o "caput" deste artigo serão atribuídos pesos, calculados a partir de itens componentes de cada fator, aos quais serão conferidos pontos, segundo critérios a serem estabelecidos em regulamento, no prazo máximo de 120 (cento e vinte) dias, a contar da data da publicação desta lei complementar.

§ 2º. - Nos níveis iniciais das classes dos profissionais do magistério, o Fator Aperfeiçoamento e o Fator Atualização terão maior ponderação do que o Fator Produção Profissional, invertendo-se a relação nos níveis finais.

§ 3 º. - Consideram-se componentes do Fator Atualização e do Fator Aperfeiçoamento todos os estágios e cursos de formação complementar, no respectivo campo de atuação, de duração igual ou superior a 30 (trinta) horas, realizados pela Secretaria da Educação, através de seus órgãos competentes, ou por outras instituições reconhecidas, aos quais serão atribuídos pontos, conforme sua especificidade.

§ 4º. - Consideram-se componentes do Fator Produção Profissional as produções individuais e coletivas realizadas pelo profissional do magistério, em seu campo de atuação, às quais serão atribuídos pontos, conforme suas características e especificidades.

§ 5º. - Os cursos previstos neste artigo, bem como os itens da produção profissional, serão considerados uma única vez, vedada sua acumulação.”

§ 4º. - Consideram-se componentes do Fator Produção Profissionalas produções individuais e coletivasrealizadas pelo profissional do magistério, em seu campo de atuação, às quais serão atribuídos pontos, conforme suas características e especificidades.

produ o profissional
Produção profissional

Premissas para o Memorial como instrumento de avaliação do profissional:

  • Deve contemplar atividades e ações do cotidiano do profissional na escola;
  • Existência de registro: a ação ou a avaliação da ação;
  • Vinculação ao Projeto Pedagógico da escola;
  • Objetividade.

Memorial

Consolidação dos materiais de trabalho – planejamento, organização, avaliação etc – produzidos pelo profissional e suas estratégias de formação utilizados no cotidiano de sua atuação.

memorial dimens es avaliadas
Memorial: dimensões avaliadas

Avaliação do professor

Para os demais profissionais do Quadro do Magistério, serão estendidas as premissas e as ideias utilizadas na construção da Matriz de Avaliação do docente.

memorial atividade docente
Memorial: atividade docente

1 Planejamento e preparo de aulas

2 Avaliação e acompanhamento dos alunos

3 Conhecimento/ conteúdo

Dimensões

Análise do(s) plano(s) de aula

Análise das avaliações aplicadas e do plano de acompanhamento

Análise do(s) plano(s) de aula

Indicadores

Roteiro específico para cada item

Instrumentos

Conselho de Escola

Avaliadores

Comissão do Quadro do Magistério

Validadores

memorial atividade docente1
Memorial: atividade docente

1 Planejamento e preparo de aulas

2 Avaliação e acompanhamento dos alunos

3 Conhecimento/ conteúdo

Dimensões

Comissão do Quadro do Magistério:

Grupo de profissionais do Quadro do Magistério da rede estadual, com experiência e formação específica para avaliar os Memoriais, com base em rubricas de comportamento bem definidas.

Atuará sob orientações de uma Comissão de Acompanhamento do Processo de Avaliação do Quadro do Magistério.

Análise do(s) plano(s) de aula

Análise das avaliações aplicadas e do plano de acompanhamento

Análise do(s) plano(s) de aula

Indicadores

Roteiro específico para cada item

Instrumentos

Conselho de Escola

Avaliadores

Comissão do Quadro do Magistério

Validadores

memorial profissional no ambiente de trabalho
Memorial: profissional no ambiente de trabalho

1 Comprometimento e responsabilidade

2 Formação continuada

3 Participação em colegiados e conselhos

Dimensões

  • Assiduidade
  • Permanência na mesma unidade

Projeto de Ensino Médio para a unidade

Análise do Itinerário Formativo

Trabalho colaborativo (iniciativa, participação e mobilização) na unidade escolar

Indicadores

Cadastro funcional

Roteiro específico para cada item

Instrumentos

CGRH

Conselho de Escola

EFAP

Conselho de Escola

Avaliadores

Comissão do Quadro do Magistério

Validadores

memorial profissional no ambiente de trabalho1
Memorial: profissional no ambiente de trabalho

1 Comprometimento e responsabilidade

2 Formação continuada

3 Participação em colegiados e conselhos

Dimensões

  • Assiduidade
  • Permanência na mesma unidade

Projeto de Ensino Médio para a unidade

Análise do Itinerário Formativo

Trabalho colaborativo (iniciativa, participação e mobilização) na unidade escolar

Indicadores

Itinerário formativo:

Parte da auto-avaliação do docente apoiado pela equipe gestora da escola, pela Oficina Pedagógica e equipe de supervisão.

Cadastro funcional

Roteiro específico para cada item

Instrumentos

Auto-avaliação

(necessidade de aperfeiçoamento e foco)

Ações de formação

Reflexão

CGRH

Conselho de Escola

EFAP

Conselho de Escola

Avaliadores

Comissão do Quadro do Magistério

Feedback

Validadores

memorial profissional no ambiente de trabalho2
Memorial: profissional no ambiente de trabalho

1 Comprometimento e responsabilidade

2 Formação continuada

3 Participação em colegiados e conselhos

Dimensões

  • Assiduidade
  • Permanência na mesma unidade

Projeto curricular de médio prazo

Análise do Itinerário Formativo

Trabalho colaborativo (iniciativa, participação e mobilização) na unidade escolar

Indicadores

Cadastro funcional

Roteiro específico para cada item

Instrumentos

CGRH

Conselho de Escola

EFAP

Conselho de Escola

Avaliadores

Comissão do Quadro do Magistério

Validadores

memorial atua o em outras fun es
Memorial: atuação em outras funções

1 Professor Coordenador

2 Vice Diretor

3 Mediador

4 Atuação como Readaptado

5 PCNP (PCOP)

6 Atuação em áreas pedagógicas (CGEB/EFAP)

Dimensões

Articulação na implementação do currículo e do projeto políco pedagógico

Participante na elaboração e na implementação do projeto técnico administrativo pedagógico da escola

Atuação transformadora junto à comunidade escolar

Atuação dentro do rol de atividades didáticas e pedagógicas

Articulação entre DE e escola na função de capacitação

Atuação técnico pedagógica junto aos órgãos centrais

Indicadores

Registro documentado de sua atuação/Roteiro específico

Instrumentos

Conselho de Escola

Dirigente e Comissão de Supervisores

Comissão da Coordenadoria

Avaliadores

Comissão do Quadro do Magistério

Validadores

memorial digital
Memorial digital
  • Sistema de cadastramento de Memoriais digitais:
    • Registro online para avaliação “cega” dos memoriais, direcionados a profissionais do Quadro do Magistério com formação e experiência compatível;
    • Roteiros específicos para cada item avaliado;
    • Agilizar o processo de avaliação;
    • Constituição de um “banco de memoriais” e de um registro formativo e de materiais para cada docente avaliado sob esses critérios.
tabela de pesos
Tabela de pesos

LC 836/1997:

“Art. 21 (...) § 2º. - Nos níveis iniciais das classes dos profissionais do magistério, o Fator Aperfeiçoamento e o Fator Atualização terão maior ponderação do que o Fator Produção Profissional, invertendo-se a relação nos níveis finais. (...)”

fator produ o memorial pontua o dos itens
Fator produção: Memorial - pontuação dos itens
  • Premissas:
    • Pontuação para o Memorial como um item do fator de produção profissional;
    • Pontuação anual – até 20 pontos por ano;
    • Alto valor de pontos para incetivar profissionais a optarem pelo Memorial como produção individual para evolução; possibilidade de evolução “apenas” pelo memorial;
    • Todas as dimensões do Memorial devem respeitar uma pontuação mínima para reforçar a avaliação holística do profissional (nenhuma dimensão deve pontuar de forma independente).
fator produ o pontua o dos itens
Fator produção: pontuação dos itens
  • Premissas:
    • Pontuação anual – até 20 pontos por ano;