cirurgia parendod ntica prof a cristina braga xavier l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Cirurgia Parendodôntica Prof a . Cristina Braga Xavier PowerPoint Presentation
Download Presentation
Cirurgia Parendodôntica Prof a . Cristina Braga Xavier

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 27

Cirurgia Parendodôntica Prof a . Cristina Braga Xavier - PowerPoint PPT Presentation


  • 987 Views
  • Uploaded on

Cirurgia Parendodôntica Prof a . Cristina Braga Xavier. “Apicectomia é a cirurgia dos mil detalhes!” Ries-centeno, 1957. Modalidades Cirúrgicas. Curetagem periapical Apicectomia Apicectomia com retrobturação Retroinstrumentação com obturação retrógrada. sucesso. Seleção dos Casos;

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Cirurgia Parendodôntica Prof a . Cristina Braga Xavier' - irisa


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
modalidades cir rgicas
Modalidades Cirúrgicas
  • Curetagem periapical
  • Apicectomia
  • Apicectomia com retrobturação
  • Retroinstrumentação com obturação retrógrada
slide4

sucesso

  • Seleção dos Casos;
  • Seqüência Cirúrgica;
  • Acompanhamento Pós-Operatório.
indica es
Indicações
  • Sustar processos de reabsorção apical;
  • Perfurações radiculares;
  • Obstruções mecânicas intra-canal;
  • Fragmentos de instrumentos no terço apical;
  • Sobre-obturação do conduto;
  • Quando não responde à terapia endodôntica convencional;
  • Economia de tempo;
  • Fraturas no terço apical;
  • Deltas e dilacerações apicais;
  • Presença de cistos.
contra indica es
Contra-indicações
  • Gerais
    • Contra-indicações a qualquer ato cirúrgico;
  • Locais
    • Processo infeccioso agudo;
    • Perda óssea extensa;
    • Oclusão traumática;
    • Ápice inacessível;
    • Reabsorção apical muito extensa;
    • Proximidade com acidentes anatômicos.
pr operat rio
Pré-operatório
  • Exame clínico
    • Oportunidade de obturação do conduto radicular
    • Avaliação da oclusão
    • Medicação pré-operatória
  • Exame radiográfico
    • Processo periapical
    • Raiz
    • Periodonto
    • Qualidade da endodontia
modalidades cir rgicas8
Modalidades Cirúrgicas
  • Curetagem periapical
  • Apicectomia
  • Obturação retrógrada
slide9

Modalidades Cirúrgicas

  • Curetagem periapical
  • Apicectomia
  • Obturação retrógrada
slide10

Modalidades Cirúrgicas

Modalidades Cirúrgicas

  • Curetagem periapical
  • Apicectomia
  • Obturação retrógrada
resultado biol gico desejado
Resultado Biológico Desejado
  • Fechamento do ápice;
  • Reinserção do ligamento periodontal;
  • Regeneração do osso alveolar.
t cnica cirurgica

Técnica Cirurgica

Anti-sepsia

Anestesia

Incisão

incis es
Incisões
  • Neumann
  • Novak-Peter
  • Partsch
  • Wassmund
  • Ochsenbein-Luebke
slide14

Incisão de Neumann

Incisão de Partsch

Incisão de Novak-Peter

slide15

Incisão de Wassmund

Incisão de Ochsenbein-Luebke

apicectomia18
Apicectomia
  • Tradicionalmente realizada em bisel de 30o ou 45o;
    • Vantagens:
      • Facilidade de visualização do extremo apical;
      • Acesso direto ao forame;
    • Desvantagens:
      • Aumento do número de túbulos dentinários seccionados e expostos (aumenta chance de microinfiltração apical);
      • Requer maior profundidade da cavidade retrógrada.
apicectomia tend ncia atual
Apicectomia – Tendência Atual
  • Tendência atual - ressecção apical em 90o com o longo eixo dentário;
    • Vantagens:
      • Redução da microinfiltração apical;
      • Remoção de menor quantidade de tecido dentário;
    • Desvantagem:
      • Dificuldade de acesso e visualização do conduto radicular.
cavidade retr grada preparo com ultra som
Cavidade retrógrada Preparo com Ultra-som
  • RICHMAN (1957)
    • Primeiros relatos do US em cirurgia parendodôntica;
  • BERTRAND, FESTAL & BARAILLY (1973)
    • Primeiro preparo de retro-cavidades com US;
  • GORMAN, STEIMAN & GARTNER (1998)
    • Produção comercial de retro-pontas específicas para cirurgias a partir da década de 90 do século XX;
ultra som
Ultra-som
  • Vantagens do preparo:
    • acesso direto à raiz;
    • menor remoção de tecidos ósseo e dentário;
    • paredes cavitárias paralelas ao canal radicular;
    • realização de apicectomia em 90o;
    • facilidade de irrigação;
    • menor quantidade de smear layer e detritos;
    • menos chance de provocar perfurações radiculares.
caracter sticas ideais

Materiais Retrobturadores

Características ideais
  • Adesão às paredes cavitárias;
  • Selamento do sistema de canais radiculares;
  • Atóxico;
  • Bem tolerado pelos tecidos periapicais (biocompatível);
  • Proporcionar reparo;
  • Fácil manipulação e inserção na cavidade;
  • Não ser corrosivo ou eletroquimicamente ativo;
  • Não manchar os tecidos;
  • Não ser reabsorvível ou afetado pela umidade;
  • Visível radiograficamente.
materiais retrobturadores25
Materiais retrobturadores
  • Amálgama de prata;
  • Guta-percha;
  • Cimentos de óxido de zinco eugenol;
    • IRM;
    • SuperEBA;
  • Cimentos de ionômero de vidro;
  • Cimentos endodônticos;
  • Agregado Trióxido Mineral (MTA).
p s operat rio
Pós-operatório
  • Imediato
    • Medicação
    • Recomendações gerais
    • Controle do edema
  • Mediato
    • Acompanhamento clínico
    • Acompanhamento radiográfico
      • 1 mês
      • 3 meses
      • 6 meses
      • anual