Softwares - PowerPoint PPT Presentation

softwares n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Softwares PowerPoint Presentation
play fullscreen
1 / 30
Softwares
228 Views
Download Presentation
henry
Download Presentation

Softwares

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Softwares Conceitos Tipos Processos Prof. Kelsei Conceito 01

  2. Softwares – Conceitos • Podemos dizer que os softwares são a alma de um computador, eles são responsáveis pelo seu funcionamento e aproveitamento. • De uma forma geral os softwares se desenvolvem através de uma configuração aproximada ao esquema a seguir. Conceito 02

  3. Processamento Softwares • Idéias • Dados • Ordenação • Lógica • Rotina de Instruções • Informações Esquema do Software Conceito 03

  4. Softwares – Conceitos • Os softwares originam-se de idéias do elemento humano, que após serem ordenadas de forma lógica e transcritas na forma de rotinas de instruções são registradas sobre um suporte do elemento de hardware. • Tipos de Softwares. • Sistemas Desenvolvedores; • Sistemas Utilitários/Aplicativos; • Sistemas Operacionais Conceito 04

  5. Softwares – Conceitos • Sistemas Desenvolvedores – São Softwares usados no desenvolvimento de programas para o usuário do computador, é a ferramenta de trabalho dos programadores, operam amparados por uma plataforma de trabalho definida (S O). Também são conhecidos como linguagens de programação. • Pode ser classificada como: • Linguagem de máquina • Linguagem de baixo nível • Linguagem de alto nível Conceito 05

  6. Softwares – Conceitos • Linguagem de Máquina • Linguagem de programação mais próxima à linguagem utilizada no processador, é a linguagem que consegue enviar e receber instruções do processador. • Linguagem de Baixo Nível • Linguagem próxima à linguagem de máquina, mas com alguns artifícios que a torna mais acessível ao usuário, o programador além do domínio da linguagem deve também conhecer o sistema (equipamento) para o qual estará desenvolvendo o programa para extrair dele o maior benefício possível Conceito 06

  7. Softwares – Conceitos • Linguagem de Alto Nível • Linguagens de programação que utiliza regras e códigos bem próximos da linguagem natural do homem (palavras no inglês básico). O programador não necessita ter alto grau de conhecimento técnico do equipamento, a linguagem não permite uma variedade de instruções pois possuem códigos extremamente padronizados. Utilizam grande quantidade de recursos do hardware se comparadas às outras linguagens. Conceito 07

  8. Softwares – Conceitos • Exemplos de linguagens • Baixo Nível • Assenbler, C, C++, Java • Alto Nível • Visual Basic, Delphi, JBuilder Conceito 08

  9. Softwares – Conceitos • Compiladores e Interpretadores • Interpretadores são programas auxiliares que interpretam comandos para o microprocessador. • A tradução é feita simultaneamente linha por linha quando da execução do programa • Compiladores são programas que criam um novo programa a partir do original • A “tradução” é feita para o programa inteiro de uma só vez gerando um outro programa “similar”, executável, em linguagem de máquina. Conceito 09

  10. Softwares – Conceitos • Sistemas Utilitários • são programas de computadores que tem como publico alvo os usuários comuns dos computadores; • são desenvolvidos por analistas, especialistas e programadores para atender a um nicho específico de clientes, se caracterizam por estarem voltados para um objetivo previamente definido; • podem ser voltados para a edição de texto, para cálculos em planilhas eletrônicas, ou voltados para edição de imagens, voltados para a execução de sons, vídeos e outras mídias, para o uso de bancos de dados, etc. • podem ser de uso geral como os pacotes de aplicativos (Open Office, MS Office, Corel, etc.) ou específico como aqueles softwares que são encomendados por usuários à empresas de programação. Conceito 10

  11. Softwares – Conceitos Exemplos de Sistemas Utilitários. Norton Utilities Ferramentas e Antivírus PhotoShop Editor de Imagem Jogos Conceito 11

  12. Softwares – Conceitos • Sistemas Operacionais • É o conjunto de programas que controla as funções básicas de um computador, ele é responsável pela interpretação dos sinais provenientes dos periféricos de entrada, gerenciamento de memória e do sistema de hardware. Dividido em duas partes, o KERNEL e o SHELL, pode ser classificado em função da interface de relação com o usuário que pode ser: Interface de Linha de Texto e Interface Gráfica. Conceito 12

  13. Softwares – Conceitos • KERNEL – É o coração do S.O., é a parte do S.O. que fica permanentemente instalada na memória do computador quando este é ligado, e é responsável pelo gerenciamento do mesmo. • SHELL – É a parte visível do S.O., responsável pela interface de comunicação com o usuário. Gerencia o fluxo de informações, o interpretador de comandos, compiladores e outros programas auxiliares do S.O. Conceito 13

  14. Interpretação e compilação de comandos • Gerenciamento do fluxo de informações • SHELL • KERNELL • Suporte a programas • Interface com usuário • Gerenciamento de memória • Controle do hardware • Reconhecimento dos dispositivos conectados Esquema de um Sistema Operacional Conceito 14

  15. Softwares – Conceitos • Interface de Linha de Comando • Também conhecida como interface de texto. É a interface que utiliza comandos escritos pelo usuário. Por se tratar de uma interface onde é comum ocorrer erros por digitação ou por se não conhecer a sintaxe dos comandos, é considerada uma interface de uso não amigável. Exemplos: DOS, Linux, Uniux, etc. Conceito 15

  16. Interface de Linha de Comando Conceito 16

  17. Softwares – Conceitos • Interface Gráfica – • É o modo Shell que alguns S.O. utilizam para interagir com o usuário. Utilizam elementos gráficos como ícones, janelas e caixas de diálogo para disponibilizar serviços e ferramentas do S.O. ao usuário. Por utilizar esses recursos, é considerada uma interface amigável pois o usuário não precisa se preocupar em digitar comandos, basta clicar nos ícones. Exemplos: Windows, OS/2, Alto, etc. Conceito 17

  18. Interface Gráfica Conceito 18

  19. Bancos de Dados • Por Bancos de Dados entende-se que seja um conjunto de registros contendo informações das mais diversas. • Se pensarmos num arquivo onde estejam guardadas várias pastas suspensas cada qual contendo dados sobre um cliente, de um produto desenvolvido, de um fornecedor, etc. temos a idéia do que vem a ser um Banco de Dados. • É o local onde estão armazenados os dados, as informações. Num sistema informático, esses dados ficam armazenados em um dispositivo de memória secundária, dispositivo de armazenamento. • Um Banco de Dados representará sempre aspectos do Mundo Real Conceito 19

  20. Bancos de Dados • Propriedades de um Banco de Dados: • é uma coleção lógica coerente de dados com um significado inerente; • uma disposição desordenada dos dados não pode ser referenciada como um banco de dados; • um banco de dados é projetado, construído e populado com dados para um propósito específico; • um banco de dados possui um conjunto pré definido de usuários e aplicações; • um banco de dados representa algum aspecto do mundo real, o qual é chamado de "mini-mundo" ; qualquer alteração efetuada no mini-mundo é automaticamente refletida no banco de dados. Conceito 20

  21. Bancos de Dados • SGBD • Um SGBD - Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados é uma coleção de programas que permitem ao usuário definir, construir e manipular Bases de Dados para as mais diversas finalidades. Conceito 21

  22. Banco de Dados • Características Gerais de um SGBD • Controle de Redundâncias – A redundância consiste no armazenamento de uma mesma informação em locais diferentes, provocando inconsistências. • Compartilhamento dos Dados – O SGBD deve incluir software de controle de concorrência ao acesso dos dados, garantindo em qualquer tipo de situação a escrita/leitura de dados sem erros. • Controle de Acesso – O SGDB deve dispor de recursos que possibilitem selecionar a autoridade de cada usuário. Conceito 22

  23. Banco de Dados • Interfaceamento – Um Banco de Dados deverá disponibilizar formas de acesso gráfico, em linguagem natural, em SQL ou ainda via menus de acesso. • Esquematização – Um Banco de Dados deverá fornecer mecanismos que possibilitem a compreensão do relacionamento existentes entre as tabelas e de sua eventual manutenção. Conceito 23

  24. Banco de Dados • Usuários de um Banco de Dados • Administrador de Banco de Dados (DBA) - responsável pela autorização de acesso ao banco de dados e pela coordenação e monitoração de seu uso. • Projetista de Banco de Dados - responsável pela identificação dos dados que devem ser armazenados no banco de dados, escolhendo a estrutura correta para representar e armazenar dados. • Analistas de Sistemas e Programadores de Aplicações - Os analistas determinam os requisitos dos usuários finais e desenvolvem especificações para transações que atendam estes requisitos, e os programadores implementam estas especificações como programas, testando, depurando, documentando e dando manutenção no mesmo. Conceito 24

  25. Bancos de Dados • Usuários Finais • Existem basicamente três categorias de usuários finais: • usuários casuais: acessam o banco de dados casualmente, mas que podem necessitar de diferentes informações a cada acesso; utilizam sofisticadas linguagens de consulta para especificar suas necessidades; • usuários novatos ou paramétricos: utilizam porções pré-definidas do banco de dados, utilizando consultas preestabelecidas que já foram exaustivamente testadas; • usuários sofisticados: são usuários que estão familiarizados com o SGBD e realizam consultas complexas. Conceito 25

  26. Sistemas CAD • Computer Aided Design • Os sistemas CAD se propõem a auxiliar a manipulação e criação destas informações, sistematizando os dados de projeto envolvidos, possibilitando uma rápida reutilização de informações quando necessário. Conceito 26

  27. Sistemas CAD • A dimensionalidade se refere ao tipo de geometria processada e armazenada num sistema CAD. • Os primeiros sistemas CAD baseavam-se em representação 2D. Ainda hoje, apesar do desenvolvimento de sistemas 3D, a representação em 2D é a melhor para realizar as atividades de documentação e detalhamento final de um projeto. Conceito 27

  28. Sistemas CAD • A tendência dos sistemas CAD modernos é a inclusão de características de topologia, além das de geometria. • Os sistemas orientados apenas a geometria(sistemas CAD clássicos) armazenam apenas a geometria final. • Os sistemas paramétricostrabalham com topologia, armazenando os comandos usados pelo usuário para definir a geometria. • Os sistemas variacionaissão ainda mais avançados, pois armazenam a topologia tanto quanto a geometria. Conceito 28

  29. Sistemas CAD • O CAD é apenas uma mostra de um conjunto de sistemas que tem sido desenvolvido para tratar informações no meio industrial e no meio da engenharia, há outros sistemas auxiliares como o CAE (Computer Aided Engineering), CAM (Computer Aided Manufacturing), CAPP (Computer Aided Process Planning), e sistemas de gestão da produção (PCP, MRP, ERP). Conceito 29

  30. Fim • ALCALDE, GARCIA, PENUELLAS; Informática Básica; Makron Books. São Paulo, 1991 • CORNACHIONE JR., Edgard B.; Informática Aplicada às Áreas de Contabilidade, Administração e Economia. Atlas. • HORTA, L. C.; ROZENFELD, H. CAD (Computer Aided Design). Disponível no endereço eletrônico: http://www.numa.org.br/conhecimentos/conhecimentos_port/pag_conhec/cadv2.html , Acessado em 22/10/05 • NORTON., Peter; Introdução a Informática; Makron Books. São Paulo, 1997