eicosan ides l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
EICOSANÓIDES PowerPoint Presentation
Download Presentation
EICOSANÓIDES

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 48

EICOSANÓIDES - PowerPoint PPT Presentation


  • 355 Views
  • Uploaded on

ASSOCIAÇÃO DE ENSINO E CULTURA “PIO DÉCIMO” S/C LTDA. FACULDADE “PIO DÉCIMO”. EICOSANÓIDES. BIOQUÍMICA II ERIKA SOUZA VIEIRA. EICOSANÓIDES. Características Gerais Substâncias com 20 átomos de carbono derivadas de ácidos graxos essenciais;

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'EICOSANÓIDES' - farrah


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
eicosan ides

ASSOCIAÇÃO DE ENSINO E CULTURA “PIO DÉCIMO” S/C LTDA.

FACULDADE “PIO DÉCIMO”

EICOSANÓIDES

BIOQUÍMICA II

ERIKA SOUZA VIEIRA

eicosan ides2
EICOSANÓIDES
  • Características Gerais
    • Substâncias com 20 átomos de carbono derivadas de ácidos graxos essenciais;
    • Compostos potentes – desencadeiam ampla faixa de Respostas Fisiológicas;
    • Meia – vida extremamente curta (produção em pequenas quantidades);
    • Comparados a Hormônios, porém são formados em quase todos os tecidos (Ação local);
    • São sintetizados a partir de ácidos graxos essenciais (ácido linoléico, araquidônico e alfa-linoléico);
    • São produzidas pela maioria das células, exceto hemácias.
eicosan ides3

H

COOH

H

OH

EICOSANÓIDES
  • Características Gerais
    • Principal precursor dietético – Ácido Linoléico – Ácido araquidônico.
    • As Prostaglandinas são denominadas PG acrescida de uma terceira letra que designa o tipo e o arranjo dos grupos funcionais da molécula. Número subscrito (número de ligações duplas da molécula) Ex.:PGA2
eicosan ides4
EICOSANÓIDES
  • Síntese
    • 1º Passo: síntese de PGH2
slide5

Precursores dos Eicosanóides

O ácido araquidônico é o principal precursor dos eicosanóides.

Ácido Linoléico

origina

Ácido Araquidônico

é armazenado como

Fosfolipídio de Membrana

(principalmente fosfatidilcolina, fosfatidiletanolamina e PIP2)

slide6

Liberação do Ácido Araquidônico do Fosfolipídio

A fosfolipase A2 libera o ácido araquidônico da fosfatidilcolina por hidrólise da ligação entre este ácido graxo e o C2 do glicerol.

Fosfatidilcolina

PLA2

Mecrapina

Quinacrina

Cálcio

+

-

Ácido Araquidônico +

Lisofosfocolina

slide7

Liberação do Ácido Araquidônico do Fosfolipídio

A fosfolipase C age sobre o fosfatidilinositol 4,5 di-fosfato (PIP2) liberando DAG e IP3. O DAG sofre a ação de lipases que liberam o ácido araquidônico.

DAG

Ácido

Araquidônico

Lipases

o

PIP2

IP3

slide8

Sinais Químicos para a Liberação do Ácido Araquidônico

A histamina, a bradicinina e as citocinas podem ser os estímulos para a liberação do ácido araquidônico.

slide9

Sinais Químicos para a Liberação do Ácido Araquidônico

Síntese de IP3 e DAG

Receptor

Proteína Gq

g

b

a

Ga

PLC

A subunidade Gqaestimula a enzima fosfolipase C (PLC), que degrada o fosfolipídio de membrana denominado PIP2

slide10

Sinais químicos para a liberação do ácido araquidônico

Síntese de IP3 e DAG

Receptor

Proteína Gq

g

b

a

A PLC degrada o PIP2 em diacilglicerol (DAG) e inositol trifosfato (IP3).

slide11

Destinos do Ácido Araquidônico

O ácido araquidônico pode seguir 3 rotas metabólicas, dependendo da célula onde foi produzido.

Ácido Araquidônico

Citocromo

P450

cicloxigenase

lipoxigenase

Epóxidos

HPETE

PGG2

Leucotrienos

diHETE

Prostaglandinas

HETE

HETE

Prostaciclinas

Lipoxinas

Tromboxanas

slide12

Síntese de Prostaglandinas, Prostaciclinas e Tromboxanas

Ácido Araquidônico

Citocromo

P450

cicloxigenase

lipoxigenase

Epóxidos

HPETE

PGG2

Leucotrienos

diHETE

Prostaglandinas

HETE

HETE

Prostaciclinas

Lipoxinas

Tromboxanas

slide13

Síntese de Prostaglandinas, Prostaciclinas e Tromboxanas

Estrutura do ácido prostanóico que é comum às prostaglandinas, prostaciclinas e tromboxanas.

slide14

Síntese de Prostaglandinas, Prostaciclinas e Tromboxanas

A nomenclatura das prostaglandinas

PGF1a

Posição de - OH em C9

Tipo de anel

(família)

Número de ligas duplas

na cadeia linear

(série)

slide15

Síntese de Prostaglandinas, Prostaciclinas e Tromboxanas

Estrutura das principais prostaglandinas

slide16

Síntese de Prostaglandinas, Prostaciclinas e Tromboxanas

Moléculas Precursoras

O ácido eicosatrienóico, derivado do ácido linoléico (18:2w-6), originará os compostos da série 1 (aqueles que possuem uma liga dupla na cadeia lateral).

slide17

Síntese de Prostaglandinas, Prostaciclinas e Tromboxanas

Moléculas Precursoras

O ácido araquidônico, outro derivado do ácido linoléico (18:2w-6), originará os compostos da série 2 (aqueles que possuem duas ligas duplas na cadeia lateral).

slide18

Síntese de Prostaglandinas, Prostaciclinas e Tromboxanas

Moléculas Precursoras

O ácido eicosapentanóico, derivado do ácido a-linolênico (18:3w-3), originará os compostos da série 3 (aqueles que possuem três ligas duplas na cadeia lateral).

slide19

Síntese de Prostaglandinas, Prostaciclinas e Tromboxanas

Envoltório

Nuclear

REL

A enzima cicloxigenase (COX) está presente na membrana do retículo endoplasmático e na membrana nuclear

slide20

Síntese de Prostaglandinas, Prostaciclinas e Tromboxanas

Isoformas de Cicloxigenase

A enzima cicloxigenase (COX) ou prostaglandina sintase (PGS) existe em duas isoformas:

  • COX-1 ou PGS-1:
  • Forma constitutiva;
  • Encontrada na mucosa gástrica, plaquetas, endotélio vascular e, rins.
  • COX-2 ou PGS-2:
  • Forma induzida, gerada em resposta à inflamação;
  • Presente nos macrófagos, monócitos, músculo liso, endotélio, epitélio e neurônios;
  • Inibida por corticóides.
slide21

Síntese de Prostaglandinas, Prostaciclinas e Tromboxanas

Formação das Prostaglandinas da Série 2

Para a formação da PGG2a COX adiciona 4 átomos de oxigênio ao ácido araquidônico

slide22

Síntese de Prostaglandinas, Prostaciclinas e Tromboxanas

Formação das Prostaglandinas da Série 2

A PGG2 se converte emPGH2a partir da oxidação de duas glutationas (GSH), devido à ação de hidroperoxidase da COX

slide23

Síntese de Prostaglandinas, Prostaciclinas e Tromboxanas

Formação das Prostaglandinas da Série 2 e de Prostaciclinas

A PGH2 originará outras prostaglandinas da série 2 ou a prostaciclina PGI2 pela ação de sintases específicas, dependendo do tipo de célula ou tecido.

Endotélio vascular

Coração

Rim

Baço

Endotélio vascular

Coração

Rim

Baço

Coração

slide24

Síntese de Prostaglandinas, Prostaciclinas e Tromboxanas

Formação de Tromboxanas

A PGH2 originará, também, tromboxana (TXA2) através da tromboxana sintase que está presente nas plaquetas e pulmão. A TXB2 é um metabólito da TXA2 sem ação biológica.

slide25

Síntese de Leucotrienos, HETEs e Lipoxinas

Ácido Araquidônico

Citocromo

P450

cicloxigenase

lipoxigenase

Epóxidos

HPETE

PGG2

Leucotrienos

diHETE

Prostaglandinas

HETE

HETE

Prostaciclinas

Lipoxinas

Tromboxanas

slide26

Síntese de Leucotrienos, HETEs e Lipoxinas

Formação de Leucotrienos

O ácido araquidônico irá formar os derivados acíclicos, os ácidos hidroperoxieicosatetraenoicos (HPETEs). Estes originarão os ácidos hidroxieicosatatranóicos (HETEs), que medeiam quimiotaxia de eosinófilos e neutrófilos, a resposta alérgica, a inflamação e o crescimento celular.

5-lipoxigenase

15-lipoxigenase

12-lipoxigenase

slide27

Síntese de Leucotrienos, HETEs e Lipoxinas

Formação de Leucotrienos

Citosol

Membrana

A 5-lipoxigenase está ligada à membrana. As demais lipoxigenases estão solúveis no citosol.

slide28

Síntese de Leucotrienos, HETEs e Lipoxinas

Formação de Leucotrienos

Distribuição das Isoformas da Lipoxigenase

  • 5-lipoxigenase: basófilos, leucócitos polimorfonucleares, macrófagos, e qualquer órgão que responde à inflamação.
  • 12-lipoxigenase: plaqueta, pâncreas, musculatura lisa vascular, células glomerulares)
  • 15-lipoxigenase: reticulócitos, eosinófilos, linfócitos-T e céllulas do epitélio traqueal
slide29

Síntese de Leucotrienos, HETEs e Lipoxinas

Formação de Leucotrienos

Ou, darão origem aos leucotrienos. A maior parte dos leucotrienos é produzida pela via 5-lipoxigenase

(presente nos basófilos, leucócitos polimorfonucleares, macrófagos e mastócitos).

slide30

Síntese de Leucotrienos, HETEs e Lipoxinas

Formação de Leucotrienos

O leucotrieno LTC4 dará origem aos leucotrienos LTD4 e LTE4

slide31

Síntese de Leucotrienos, HETEs e Lipoxinas

Formação de Lipoxinas

As lipoxinas estimulam a produção de superóxido pelos leucócitos, causam quimiotaxia, produzem espasmo na microvasculatura e ativam a PKC

Ácido Araquidônico

15-lipoxigenase

5-lipoxigenase

Reduções

Lipoxina A4 (LXA4)

slide32

Síntese de Epóxidos

Ácido Araquidônico

Citocromo

P450

cicloxigenase

lipoxigenase

Epóxidos

HPETE

PGG2

Leucotrienos

diHETE

Prostaglandinas

HETE

HETE

Prostaciclinas

Lipoxinas

Tromboxanas

slide33

Síntese de Epóxidos

A formação de epóxidos envolve o sistema microssomal do citocromo P450. A função biológica destes compostos não está bem esclarecida, podendo alterar o tonus da musculatura lisa vascular.

eicosan ides34
EICOSANÓIDES
  • Inflamação – Estímulo da produção de eicosanóides
eicosan ides35
EICOSANÓIDES
  • Sintomas da Inflamação
slide36

Mecanismo de Ação dos Eicosanóides

São mediadores locais com sinalização do tipo parácrina (como as prostaciclinas), agindo em múltiplas células-alvo, próximas do local de sua síntese.

Receptor

Receptor

Célula-alvo

Célula-alvo

Célula sinalizadora

Meio

extracelular

Receptor

Célula-alvo

slide37

Mecanismo de Ação dos Eicosanóides

Ou do tipo autócrina (como as tromboxanas TXA2), agindo sobre a célula ao qual o sintetizou .

Meio

extracelular

Receptor

slide38

Mecanismo de Ação dos Eicosanóides

Os eicosanóides possuem receptores ligados às proteínas Gs (PGD2, PGE, PGI) ou Gi (PGE), que agem através da via da PKA.

slide39

Mecanismo de Ação dos Eicosanóides

Outros eicosanóides (PGE, PGFa2, PGH2, TXA2, endoperóxidos, leucotrienos e lipoxinas), possuem receptores associados à proteína Gq que ativam a via da PKC.

Receptor

Proteína Gq

PLC

O cálcio e o DAG ativam a PKC. Esta fosforila diversas proteínas citoplasmáticas.

eicosan ides40
EICOSANÓIDES
  • Corticóides – inibem a atividade da fosfolipase A2 (Ácido araquidônico não disponível);
  • Anti-inflamatório não – esteróide impede a síntese de PGG2 e PGH2, porém não afetam a síntese de Leucotrienos;
  • Esteróides – inibem a produção total de eicosanóides;
  • Aspirina – inibe somente a via da cicloxigenase (em doses mínimas inibe TXA2 e não PGI2). Impede a formação de coágulo
slide41

Inibição da Síntese de Eicosanóides

Fosfatidilcolina

Corticosteróides

(hidrocortisona, prednisona, betametasona)

PLA2

-

-

Ácido Araquidônico

NSAIDs:

Aspirina

Acetaminofen

Ibuprofen

Meclafenamato

Indometacina

Fenilbutazona

-

COX-2

COX-1

Prostaglandinas

Tromboxanas

Leucotrienos

slide42

Inibição da Síntese de Eicosanóides

Glicocorticóides

(como a dexametasona)

+

Síntese de lipocortinas ou macrocortinas

-

PLA2

Leucotrienos

Resposta inflamatória

slide43

Inibição da Síntese de Eicosanóides

A aspirina age como um inibidor irreversível da cicloxigenase. As demais drogas anti-inflamatórias não-esteróides (NSAIDs) ligam-se de forma não covalente à enzima.

slide44

Inibição da Síntese de Eicosanóides

Ácido Araquidônico

Ácidos Graxos

w-3

-

TXA2

  • TXA3
  • Menos trombogênica
  • Menor risco de arteriosclerose
slide45

Principais Funções dos Eicosanóides

  • Prostaglandinas
  • Controle da pressão arterial;
  • Estimulação da contração da musculatura lisa;
  • Indução da resposta inflamatória;
  • Inibição da agregação plaquetária;
  • Tromboxanas
  • Estimulação da contração da musculatura lisa;
  • Indução da agregação plaquetária;
  • Leucotrienos
  • Estimulação da contração da musculatura lisa;
  • Indução da resposta alérgica;
  • Indução da resposta inflamatória.
slide46

Principais Funções dos Eicosanóides

  • Tromboxano A2 (TXA2)
    • Produzido primariamente pela Plaqueta;
    • Diminui a formação de AMPc
    • Mobiliza o cálcio intracelular
    • Promove agregação plaquetária
    • Vasoconstricção
    • Contração do Músculo Liso
  • Prostaglandinas (PGE2)
    • Produzida pela maioria dos tecidos, especialmente o rim;
    • Relaxa a musculatura lisa;
    • vasodilatação;
    • Usada ara induzir o trabalho de parto;
slide47

Principais Funções dos Eicosanóides

  • Prostaglandina F2α (PGF2α)
    • Produzida pela maioria dos tecidos;
    • Estimula as contrações uterinas
    • Vasoconstricção
    • Contração do Músculo Liso
  • Prostaglandinas (PGI2) - Prostaciclina
    • Produzida primariamente pelo endotélio dos vasos
    • Inibe a agregação plaquetária;
    • Vasodilatação;
    • Aumenta a formação de AMPc.
slide48

Principais Funções dos Eicosanóides

  • Leucotrieno A4 (LTA4)
    • Produzido:
      • Leucócitos;
      • Plaquetas;
      • Mastócitos;
      • Tecidos do coração e do pulmão.
  • Leucotrieno B4 (LTB4)
    • Liberação das enzimas lisossômicas;
    • Adesão dos Leucócitos;
    • Aumenta a quimiotaxia dos leucócitos polimorfonucleares.