uni o homoafetiva n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
UNIÃO HOMOAFETIVA PowerPoint Presentation
Download Presentation
UNIÃO HOMOAFETIVA

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 15

UNIÃO HOMOAFETIVA - PowerPoint PPT Presentation


  • 204 Views
  • Uploaded on

UNIÃO HOMOAFETIVA. “ O afeto merece ser visto como uma realidade digna de tutela” Maria Berenice Dias Alunos: Alfredo Ferreira Diane Rossini Luiz Gustavo Figueiredo Mirian Breda Victor Contrera. Slide 01/15. União Homoafetiva.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'UNIÃO HOMOAFETIVA' - ezra-wynn


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
uni o homoafetiva

UNIÃO HOMOAFETIVA

“ O afeto merece ser visto como uma realidade digna de tutela”Maria Berenice Dias

Alunos: Alfredo Ferreira

Diane Rossini

Luiz Gustavo Figueiredo

Mirian Breda

Victor Contrera

Slide 01/15

slide2

União Homoafetiva

A Homossexualidade

A homossexualidade é integrante da natureza do homem;

Nasceu com a humanidade e segue a história e o desenvolvimento da sociedade.

No decorrer da história, foi vista como SATISFAÇÃO SEXUAL, PECADO, CRIME e DOENÇA;

Devidamente reconhecida e em trâmite de integração e aceitação da sociedade de forma geral, a discussão está acerca do reconhecimento pleno da união.

Slide 02/15

slide3

Slide 01/21

União Homoafetiva

  • Princípios Constitucionais
  • Embasam-se pelo reconhecimento dos direitos homoafetivos e da união homoafetiva:
  • Princípio da Isonomia;
  • Princípio da Liberdade;
  • Princípio da Dignidade da Pessoa Humana
  • Princípio da legalidade.

Slide 03/15

slide4

União Homoafetiva

A Busca pelo Direito

  • Desenvolvimento do instituto da família;
  • Entidades Familiares tuteladas pelo Estado;
  • Os posicionamentos do Judiciário;
  • A discussão e o reconhecimento da união homoafetiva.

Slide 04/15

slide5

União Homoafetiva

O Instituto do Casamento e União Estável

Casamento:

Contrato/Segurança. Direitos e Deveres. Efeitos Imediatos.

É garantido direito real de habitação (art. 1831)

Partilha de Bens que pode ser na integralidade dos bens, dependendo do regime – discussão sobre sucessão;

Beneficiado em caso de adoção, dependências, visitas.

Disposto no Código Civil e Constituição Federal.

União Estável:

Declaração. Período para comprovação e efeitos. Direitos e Deveres discutíveis. Não são aplicados todos os efeitos e nem garantidos todos os direitos.

Direito real de habitação não é garantido pelo Código Civil.

Partilha de bens adquiridos na constância da união, com comprovação.

Regulada por lei própria. Disposição na Constituição e Código Civil.

Slide 05/15

slide6

União Homoafetiva

União Estável entre iguais e a discussão acerca do casamento

A Constituição Federal só reconhecia a união estável entre homem e mulher;

Com a vedação, os casais homoafetivos buscaram o Judiciário para alcançar direitos pertinentes;

Com a demonstração da necessidade de reconhecimento da união entre homossexuais como entidade familiar, o STF julgou a ADIN e ADPF equiparando a união homoafetiva a união estável;

Com o reconhecimento, passou-se a discutir a conversão em casamento e a habilitação.

Slide 06/15

slide7

União Homoafetiva

Discussão acerca do Casamento

Reconhecimento como entidade familiar, que advém de situação diversa do casamento;

A Constituição Federal dispõe que deve haver facilitação para conversão da união estável em casamento;

Não há disposição acerca do casamento entre iguais, que é visto como impedimento para celebração do casamento;

Já foram realizadas diversas conversões em todo o País;

Em Hortolândia houve conversão e em Campinas uma habilitação direta.

Slide 07/15

slide8

União Homoafetiva

  • Com o reconhecimento como entidade familiar:
  • Comunhão parcial de bens;
  • Pensão Alimentícia;
  • Pensões do INSS
  • Planos de Saúde;
  • Imposto de Renda;
  • Sucessão;
  • Licença Gala;
  • Adoção.

Slide 8/15

slide9

União Homoafetiva

Países que reconhecem a união estável homoafetiva:

Andorra, Alemanha, Áustria, Brasil, Colômbia,

República Checa, Dinamarca, Equador, Eslovênia,

Finlândia, França, Hungria, Irlanda, Luxemburgo,

Nova Zelândia, Reino Unido, Suíça, Tasmânia,

Uruguai, algumas regiões do México e dos Estados Unidos.

Slide

9/15

slide10

União Homoafetiva

Países que legalizaram o casamento homoafetivo:

África do Sul, Argentina, Bélgica, Canadá, Espanha, Islândia, Noruega, Países Baixos, Portugal, Suécia, nos Estados Unidos, os Estados de Connecticut, Iowa, Massachusetts, Nova Hampshire, Vermont, Washington e New York e no México, a Cidade do México.

Países em que há discussão sobre a legalização:

Brasil, na Albânia, Finlândia, França, Luxemburgo, Nepal, Nova Zelândia e no Reino Unido.

Slide 10/15

slide15

União Homoafetiva

CONCLUSÃO

Não há discussão quanto a existência das uniões homoafetivas, que há muito são existentes, gerando efeitos pessoais e jurídicos na sociedade;

Não devemos discutir a questão da moral e da religião, que são questões subjetivas, que não interessam ao direito;

Com respaldo nos princípios constitucionais, desenvolvimento da sociedade e evolução da família, assim como na evolução dos homossexuais, que em liberdade buscam o reconhecimento de suas uniões advindas do afeto, o STF as reconheceu como entidade familiar;

Não há legislação que direcione para o casamento, tanto que este tem se estabelecido por conversões em diversos cartórios do País;

Contudo, devemos pensar na segurança e igualdade jurídicas, com a aplicação do mesmo direito para todos.