Download
slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
AMÉRICA LATINA PowerPoint Presentation
Download Presentation
AMÉRICA LATINA

AMÉRICA LATINA

281 Views Download Presentation
Download Presentation

AMÉRICA LATINA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. AMÉRICA LATINA

  2. CONTEXTO GERAL 1- Guerra Fria – Cuba = socialismo EUA – Aliança para o Progresso América Latina se transforma em berço de ditaduras militares X Ameaça socialista

  3. 2- anos 90 – fim do perigo soviético Avanço do neoliberalismo na América Latina 2.1- Cenário latino-americano Endividamento = Dependência do capital internacional ABERTURA DA AMÉRICA LATINA • Isenção ou baixa cobrança fiscal; • Mão de obra barata; • Privatizações; • Subjugação ao FMI • Cortes de gastos públicos / contenção salarial; • Altas taxas de juros / crescimento desemprego; • Enfraquecimento dos sindicatos; • Fortalecimento tráfico de drogas.

  4. DÉCADA DE 1950- Surgimento da várias organizações econômicas na América Latina – FRACA ATUAÇÃO • Causas: pressões externas ( Aliança para o Progresso); • instabilidade regional. DÉCADA DE 1990 – FENÔMENO DO NEOLIBERALISMO • Queda das barreiras alfandegárias ( 1985 – 56% e 1992 – 16%); • Fortalecimento dos blocos regionais; • Crescimento do comércio regional.

  5. ATENÇÃO: ÁREA DE LIVRE COMÉRCIO UNIÃO ADUANEIRA MEMBROS PODEM FAZER ACORDOS ECONÔMICOS EM SEPARADO COM PAÍSES FORA DO BLOCO PREVALECE A TEC

  6. BLOCOS NA AMÉRICA LATINA • PACTO ANDINO – 1969 1992- início da união aduaneira. • ALALC (Associação latino-americana de livre comércio) - 1960 • 1980 – ALADI (Associação latino-americana de Integração) • Obj.: mercado comum entre os membros. • MCCA (Mercado Comum Centro Americano) – 1960 Tratado de Manágua. cooperação agrícola; integração das bolsas; rede elétrica interligada; liberação de passaporte.

  7. CARIFTA - 1968 1973 - CARICON • 1994 – AEC ( Associação dos Estados do Caribe) • 13 membros + Cuba + Venezuela + México; • prioridade: resolver os problemas sociais. • MERCOSUL – 1991 BRASIL, ARGENTINA, PARAGUAI E URUGUAI JULHO/2006 – VENEZUELA união aduaneira definição da TEC – evitar distorções no custo da produção.

  8. PROBLEMAS DOS BLOCOS LATINO-AMERICANOS PARA SE INTEGRAREM: • Diferentes níveis de desenvolvimento; • Produções semelhantes; • Baixos salários = comprometimento dos mercados consumidores; • Pressões dos empresários sobre os respectivos governos para mantertaxas protecionistas.

  9. ALCA - grande ameaça • 1-Interesse dos EUA: • Garantir mercados para seus produtos; • Enfrentar União Européia. • 1.1- Crise Argentina – EUA tira proveito para pressionar pela ALCA. • 2- Quadro atual • 2.1- Eleições Brasil – Lula • 2002/03 Argentina – Nestor Kirchner • Paraguai – Nicanor Duarte Fortalecimento do MERCOSUL no enfrentamento para criação da ALCA

  10. 2.2- Reação dos EUA – aprovação da TPA – lei que permite ao Presidente dos EUA firmar acordos comerciais sem aprovação do Congresso Neutraliza parte do Congresso. 3- Impasse no MERCOSUL 3.1- 1995 – 90% isenção de impostos sobre os produtos produzidos no bloco. • Aumenta mercado regional; • Crescimento dos investimentos das multinacionais na região. • 3.2- 1999 – Desvalorização do real Produtos brasileiros mais baratos Argentina aumenta taxas alfandegárias.

  11. 4- Perigos da ALCA: • América Latina – invasão de produtos estadunidense • Quebra de empresas da região. • EUA –criação de mecanismos de defesa quando ameaçados interesses nacionais • Embargos sanitários; • Leis antidumping; • Subsídios à produção – lei Farm Bill – serão liberados, no prazo de 10 anos U$ 40 bilhões para agricultores

  12. ALCA – ÁREA DE LIVRE COMÉRCIO DAS AMÉRICAS • Não diferencia entre países grandes e pequenos, entre países com grandes recursos naturais, financeiros, energéticos e os outros, acentuando mecanismos em que ganham os mais fortes - neste caso, os EUA; • Pretende impor aos paises critérios de segurança jurídica que favorecem as grandes corporações multinacionais, não se dispondo a atender aos paises mais fracos; • Deixa tudo entregue às forças que dominam o mercado e as possibilidades financeiras dos grandes agentes econômicos.

  13. UNASUL • ARGENTINA, BOLÍVIA, BRASIL, CHILE, COLÔMBIA, EQUADOR, GUIANA, PARAGUAI, PERU, SURINAME, URUGUAI E VENEZUELA – PAÍSES MEMBROS. • MÉXICO E PANAMÁ - OBSERVADORES

  14. 1- Criação: • Maio/2008 – Brasília; • Objetivos: • Integração, através da coordenação política, econômica e social da região, • Construção de infra-estrutura orientada pelas necessidades locais, nacionais e regionais, garantindo o equilíbrio socio-ambiental e a intangibilidade dos territórios indígenas, dos afro-descendentes e dos povos tradicionais, • Integração física, energética, de telecomunicações e ainda nas áreas de ciência e de educação, • Adoção de mecanismos financeiros conjuntos.

  15. 2- OS PROBLEMAS INICIAIS • Congresso Nacional de cada país membro precisa aprovar texto da criação do bloco; • Criação do Conselho de Defesa da América do Sul – órgão que deverá articular políticas de defesa entre países sul-americanos: • Oposição da Colômbia – dificultaria ações dos EUA contra FARC e na Amazônia colombiana. • Desenvolvimento econômico desigual; • Problemas regionais: • Sec. 19 – Guerra do Pacífico Chile X Peru + Bolívia, • 2008 - Colômbia X Venezuela + Equador (exército colombiano invadiu território do Equador com desculpe de estar perseguindo guerrilheiros da FARC) Presidência do bloco que deveria ser da Colômbia passou para o Chile.

  16. MÉXICO • 1-Conjuntura latino-americana: • 1989 Manem – Argentina • 1990 Carlos Perez – Venezuela • 1990 Fujimori – Peru • eleitos com discurso nacionalista. • após eleições: prática neoliberais • 2- Conjuntura mexicana – década 1980 • Imensa dívida externa, • Inflação crescente.

  17. 2.1-Salinas vence eleições com fraudes - 1990 Integra México ao NAFTA • 2.1.1-CONSEQUÊNCIAS: • EXÉRCITO Zapatista de Libertação Nacional (EZLN) toma Chiapas • - exigências: saúde, educação, comida, paz e autonomia = saída do NAFTA; • Turbulência política – eleições de 1994; • Assassinato de políticos de oposição – governo suspeito; • Corrupção governamental; • Instabilidade econômica; • Vence eleições Ernesto Zedillo.

  18. 3- Governo Zedillo – após 1 ano: • Continuidade das ações zapatistas; • Recessão econômica; • Inflação crescente; • Moeda (peso) desvalorizada; • 3 planos econômicos fracassados; • 900.000 desempregados; • 8.000 empresas falidas; • Governo desacreditado; • Fuga dos capitais especulativos EFEITO TEQUILA

  19. 3.1-Como se deu o EFEITO TEQUILA? • Governo estabelece: - 1 peso = 1 dólar; • - redução das taxas alfandegárias. • Invasão de importados; • Alto consumo da classe média. Balança comercial negativa Baixa das reservas cambiais Fuga do capital especulativo Desvalorização do peso CAOS = EFEITO TEQUILA

  20. 3.2-EFEITO TEQUILA - Crise mexicana Desvalorização dos títulos dos países emergentes • 3.3-Socorro dos Estados Unidos. • Empréstimo de US$ 52,8 bilhões; • 3.3.1- Interesse dos EUA: • México fornecedor de mão de obra e matérias primas baratas; • Garantia do empréstimo: reservas petrolíferas mexicana ( maiores da América.

  21. 4- Quadro seguinte à crise: • Fosso social alargado; • Invasão no México das montadoras estadunidenses; • México porta aberta para os EUA de imigrantes latinos ilegais e narcotráfico; • Partido Revolucionário Institucional perde eleições em 2000 para Partido da Ação Nacional – Vicente Fox.

  22. 2006 • 1- ELEIÇÕES (02/JULHO) • Felipe Calderón é o candidato do PAN, que hoje é governo; • Lopéz Obradoro candidato da oposição com maior força, do Partido da Revolução Democrática (PRD). CALDERÓN VENCE COM 41 milhões, ou 0,58 ponto percentual. OBRADORO REAGE: o processo eleitoral foi "marcado por irregularidades" e voltou a exigir que se faça nova apuração, "voto por voto, urna por urna“.

  23. HAITI Situação geográfica: O Haiti (27.750 km²) está situado no mar das Antilhas, na parte ocidental da ilha de Hispaniola, que divide com a República Dominicana. O país encontra-se a menos de 80 quilômetros do extremo sudeste de Cuba e a cerca de mil quilômetros de Miami

  24. 1- Antecedentes: 1.1- Rica colônia francesa (açúcar) – grandes lucros. 1.2- Luta pela independência – 1791 Negros + Mulatos Mulatos assumem o poder • Oligarquia no poder; • Alianças com capital internacional; • Endividamento (U$ 18 bilhões de indenizações à França); • Ocupação dos EUA – 1915-34; • 13 golpes de Estado desde a independência Ditadura dos Duvalier – 1957-86 perseguições, assassinatos e magia negra.

  25. 1.3- Governo Jean Bertrand Aristides • Eleito 1990 – 7 meses de governo – deposto por traições; • 1994 – intervenção militar dos EUA – Aristides volta ao poder • - Interesse dos EUA – evitar fuga dos haitianos para praias dos EUA. • Ex padre Aristides se afastou dos ideais revolucionários (teoria da libertação). Ditadura, não consolidou instituições, fraudes eleições 2000, corrupção, miséria, aids, formação de gangues paramilitares( soldados do Exército haitiano+traficantes+outros criminosos). Intervenção franco-americana+gangues+aristocracia Deposição de Aristides – 28/02/2004

  26. os Uma delegação internacional vai chegar sábado ao Haiti, que tem sido palco de violentas revoltas,para conversações com o Presidente Aristides, que já disse estar "pronto para morrer" pelo país. 20/02/2004

  27. FORMAÇÃO DE GOVERNO DE TRANSIÇÃO VIOLAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS Comemoração pela independência termina em confrontos

  28. Venda de roupas usadas e/ou doadas por Organismos Internacionais são praticas comuns no HAITI. No Haiti, e normal encontrarmos nas ruas das cidades as pessoas em “salões de beleza” ao ar livre, principalmente fazendo trancinhas.

  29. COLÔMBIA 1- Década 1960 Governo de direita+ paramilitares+Exército X Grupos armados de esquerda (FARC e ELN) Década de 1980 – fortalecimento tráfico de drogas na economia e ligações com FARC

  30. http://vnexpress.net/Vietnam/The-gioi/2003/09/3B9CB7E2/

  31. 2- Governo Pastrana – 1998 PLANO COLÔMBIA (2000) – investimentos de U$ 7 bilhões no país OBJETIVOS: - reduzir produção de coca, - impedir tráfico, - combate à guerrilha INTERFERÊNCIA DIRETA DOS EUA NA AMÉRICA DOS SUL SOBRETUDO NA REGIÃO AMAZÔNICA. Mas o problema real, do ponto de vista da Casa Branca, nunca foram as drogas, e sim a resistência oferecida pela guerrilha aos planos de colonização da Amazônia. resistir.info/.../imagens/ colomb_latuff_60pc.jpg

  32. 3- 2002 – Governo Uribe • Combate à guerrilha, paramilitares e traficantes = prisões e mortes; • Apoio dos EUA – grande objetivo: eliminação da guerrilha de esquerda. LOBBY: COMBATE AO TERROR; • Não aceita possibilidade de negociar com a FARC. • 3.1- Plano Patriota • Pretexto: “blindar” as fronteiras da Colômbia com o Equador, Peru, Bolívia e Panamá; • Instalar bases militares na região Amazônica;

  33. 1999 – Manta - Equador os Estados Unidos instalaram a maior pista de pouso da América do Sul, com capacidade para receber aviões Galaxy, aqueles que podem transportar até tanques de guerra. A base se situa a 20 minutos de vôo das principais zonas de conflito da Colômbia, e situa-se em uma posição estratégica que permite o controle militar do Pacífico Sul, do Canal do Panamá e da América Central; • Outras bases na Amazônia: , na região do Plano Puebla Panamá (sul do México e América Central) e no sul do continente (na região da Tríplice Fronteira e na Terra do Fogo). No Brasil, o objetivo era controlar a base de Alcântara, no Maranhão.

  34. Uso de gás verde (fusarium oxisporum) – obj.: desalojar indígenas e camponeses da região. • fungo transgênico extremamente tóxico para o ser humano, fornecido pela transnacional estadunidense Monsanto, com o pretexto de destruir as folhas de coca. Os ataques produzem uma tremenda catástrofe humana e ambiental, semelhante a que a humanidade foi obrigada a presenciar nas florestas vietnamitas.

  35. 4- março/2008 – Exército colombiano invade território do Equador. • Pretexto: perseguição à FARCs. • Morte de 17 guerrilheiros; • Equador e Venezuela enviaram tropas para a fronteira; • Rafael Correa (presidente Equador) expulsou embaixador colombiano; • Colômbia feriu Convenção de Genebra – o ataque foi classificado como crime de guerra com a caracterização de "perfídia" (deslealdade), o assassinato de um membro de um exército adversário em meio a negociações de paz. "Proíbe-se matar, ferir ou capturar um adversário recorrendo-se à deslealdade.

  36. Mídia: máquina de fazer guerra • Julho/2001 – relatório para Bush – necessidade de garantir para os próximos anos o fornecimento seguro, estável e barato do petróleo. • Golfo Pérsico - Irã e Iraque; • Ásia Central - Afeganistão ; • Arco Amazônico andino - Venezuela, Colômbia e Equador. 

  37. Idéias de soberania, independência, mercados comuns e construção de alternativas energéticas vão ganhando força entre países como Argentina, Brasil, Venezuela, Bolívia, Equador, Nicarágua, Cuba. Cria-se a Telesur, a ALBA (Alternativa Bolivariana para as Américas) em oposição à falecida ALCA, o Banco do Sul, a Petrocaribe, onde países pobres caribenhos podem comprar petróleo da Venezuela a preço mais barato X Interesses dos EUA

  38. Produção de verdades midiáticas: • Chavéz doou 300 milhões de dólares para as FARC; • Correa (Equador) – venderia 50 quilos de urânio às FARC; • Rafael Correa e Chávez tinham acordos secretos com as FARC;

  39. De onde partiram os aviões e helicópteros que participaram da invasão do território equatoriano e que, pela posição dos disparos, vieram do próprio território do Equador? Seriam da base norte-americana de Manta, cujo contrato não será renovado por Rafael Correa no final de 2008? • Quem dispõe de sofisticada tecnologia de satélites para identificar eventuais telefonemas dados pelo líder guerrilheiro Raul Reyes? • O que foi fazer em Bogotá, dois dias antes do bombardeio ao acampamento guerrilheiro, o contra-almirante Joseph Nimmich, comandante da Força Tarefa do Sul dos EUA? • Onde estaria localizado o laboratório das FARC para enriquecimento de urânio nas selvas colombianas? • Os 300 milhões de dólares que Chávez entregou às FARC teriam sido em cheque ou escondidos em caixas de uísque? • Por quê a imprensa não deu o devido destaque à declaração de um dos últimos reféns soltos pelas FARC, em fevereiro, de que Ingrid Bettencourt, uma vez libertada, se candidataria à presidência da Colômbia? • Teriam Uribe e o Departamento de Estado norte-americano interesse na libertação de Ingrid Bettencourt?

  40. EQUADOR 1997 – 2005 – 3 PRESIDENTES DEPOSTOS: Abdlá Bucaram. Gustavo Noboa e LÚCIO GUTIÉRREZ 1- 2003 GUTIÉRREZ ELEITO PRESIDENTE PELAS FORÇAS DE OPOSIÇÃO À ELITE GOVERNISTA. • TRANSITA PARA DIREITA; • POLÍTICA ECONÔMICA AUSTERA • CORTES GASTOS SOCIAIS, • DOLARIZAÇÃO DA ECONOMIA

  41. CRONOLOGIA Novembro de 2004 – A Suprema Corte se alia à oposição no Congresso na tramitação de um processo de impeachment contra Gutiérrez. O processo é arquivado; Dezembro de 2004 – Em reação, Gutiérrez demite 27 dos 31 juízes do Supremo e nomeia substitutos favoráveis ao governo. A oposição considera que Gutiérrez violou a Constituição. Começam protestos contra o governo; Março de 2005 – Os novos juízes anulam os processos contra os ex-presidentes exilados Gustavo Noboa e Abdlá Bucaram, que voltam ao país. Crescem os protestos populares;

  42. 12 de abril – Repressão contra manifestantes com uso de gás lacrimogêneo provoca morte de jornalista 13 de abril – Onda de manifestações pede a renúncia dos membros do Supremo e de Gutiérrez; 16 de abril – Gutiérrez dissolve o Supremo e decreta estado de emergência em Quito e arredores. Forças Armadas se afastam do Presidente. No dia seguinte, levanta a emergência, mas mantém a extinção da corte; 18 de abril – O Congresso ratifica a dissolução da Suprema Corte; 20 de abril – Após intensos protestos populares pela renúncia do presidente, o Congresso destitui Gutiérrez. O vice, Alfredo Palácio, assume a presidência.

  43. GOVERNO RAFAEL CORREA • 1- Eleito – dezembro/2006 • Partido: Alianza PAÍS - partido burguês nacionalista, embora se considere como parte de uma “corrente progressista que está se espalhando pela América Latina e Caribenha que se propõe a libertar o Equador dos 500 anos de exploração”; • Defende neutralidade em relação ao Plano Colômbia; • Propõe que o Equador não renovasse o aluguel da Base Aérea de Manta para os EUA. O contrato expira em 2009; • Se opõe a abertura do país para entrada de produtos agrícolas subsidiados dos EUA. X Interesses dos EUA – petróleo do Equador

  44. BOLÍVIA • 1- Guerra do Pacífico 1879-1883 • 1.1- Antecedentes: • Chile + Inglaterra – exploração de fertilizantes (salitre e guano) • Antofagasta – Bolívia • Tarapacá – Peru • 1879 Bolívia e Peru – cobrança de impostos sobre exploração dos fertilizantes. GUERRA • 2- A Guerra • Chile + ajuda Inglaterra X Bolívia = Chile ocupa Antofagasta – 1880; • Chile + ajuda Inglaterra X Peru = 1883 Chile ocupa Tarapacá e Arica

  45. 1.3- Consequências: • Peru e Bolívia perdem riquezas minerais e parte dos seus territórios; • Bolívia perde acesso ao mar.

  46. 2- Governo Sánchez de Lozada PROPOSTA: Exportar gás para EUA e México por portos chilenos MOBILIZAÇÃO POPULAR ( favelados + COB + camponeses ameríndios [Felipe Quispe] + cocaleros [aymarás que cultivam coca – Evo Morales]). Renúncia de Lozada em 10/2003 Lula envia representante para negociar = assume Mesa AS MUDANÇAS PROMETIDAS NÃO SE CONCRETIZARAM Evo Morales – defende esperar novas eleições 2005 COB e Felipe Quispe ameaçam com novos levantes

  47. ERA EVO MORALES (22/01/2006) • 1- ALIANÇAS EXTERNAS: • CUBA: EXTERMINAR ANALFABETISMO E CONVÊNIOS NA ÁREA DE SAÚDE PÚBLICA; • VENEZUELA: AJUDA PARA REGULARIZAR DOCUMENTOS PARA TODOS BOLIVIANOS E RECEBERÁ DÍSEL EM TROCA DE ALIMENTOS; • ESPANHA: RENEGOCIAÇÃO DA DÍVIDA

  48. “Olhando para o futuro, temos a decisão, a vontade de construir um Estado forte, sólido, do qual nos sintamos orgulhosos, estejamos onde estivermos. Tem que haver um Estado forte na economia, para que não apenas sejam o mercado e a livre competição que distribuam os recursos. Tem que haver um Estado forte que priorize o que é necessário para a pátria, que proteja a todos, mas fundamentalmente aos mais vulneráveis, aos mais esquecidos, que a maioria do nosso país e que hoje, com um Estado forte no plano econômico, encontrarão melhores opções para o desenvolvimento.“ Álvaro Garcia Linera – Vice Presidente AFASTAMENTO DO MODELO NEOLIBERAL