A Estrat gia Sa de da Fam lia ESF e sua Operacionaliza o - PowerPoint PPT Presentation

elina
slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
A Estrat gia Sa de da Fam lia ESF e sua Operacionaliza o PowerPoint Presentation
Download Presentation
A Estrat gia Sa de da Fam lia ESF e sua Operacionaliza o

play fullscreen
1 / 35
Download Presentation
A Estrat gia Sa de da Fam lia ESF e sua Operacionaliza o
310 Views
Download Presentation

A Estrat gia Sa de da Fam lia ESF e sua Operacionaliza o

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

    1. A Estratgia Sade da Famlia (ESF) e sua Operacionalizao Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Presidente da SBMFC

    2. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade

    3. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Gatekeeper

    4. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Informe Dowson de Penn: 1920

    5. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade APS X MFC APS = ateno primria sade LUGAR MFC = Medicina de Famlia e Comunidade = Especialidade PSF = Programa Sade da Famlia = Estratgia de estado

    6. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Definio de APS: Ateno de primeiro contato. Continua, global e coordenada que se proporciona populao sem distino de gnero, ou enfermidade, ou sistema orgnico (Brbara Starfield)

    7. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Ateno Primria Sade (APS) = Ateno Bsica (AB) A Ateno Bsica um conjunto de aes, de carter individual e coletivo, situadas no primeiro nvel de ateno dos sistemas de sade, voltadas para a promoo da sade, a preveno de agravos, o tratamento e a reabilitao. (Ministrio da Sade, http://dtr2001.saude.gov.br/bvs/pub_assunto/atencao_bas.htm, acessado em 20/02/04)

    8. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Princpios da APS: Confuses Primeiro nvel do sistema: complexo mas com baixa densidade tecnolgica (cuidado: no se usa mais baixa complexidade) Problemas freqentes (no simples) Problemas no diferenciados/ incertos

    9. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Ecology of Health System: 1961:

    10. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Ecology of Health System: 2001:

    11. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Brasil PNAD 1998

    12. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Ecology of Health System: Mostra discrepncia entre ensino e assistncia Flexner (EUA): reforma do ensino mdico nos EUA 1920 (Relatrio Flexner) Lord Downson: organizao do sistema ingls

    13. Estrutura da UBS Recepo Consultrios (mdico e enfermeiro) Consultrio de acolhimento Sala de coleta de Papanicolau Sala de vacinao Sala de emergncia/ inalao Sala de curativos/ procedimentos Sala de medicao Sala de grupos/ sala de aulas Sala de coleta de exames Farmcia/ almoxarifado SAME Coordenao Biblioteca com livros, internet e revistas cientficas Copa 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade

    14. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade UBS Jardim So Jorge

    15. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade PSF: Governo Collor: 1991: PACS Programa de Agentes Comunitrios de Sade Bicicletas do Alceni

    16. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade PSF: Governo Itamar Franco: Dez 1993: Sade dentro de casa Meta: 2500 equipes 2,5 milho de famlias - Mapa da Fome do Ipea Tentativas que tm origem na dcada de 50 para interiorizar a assistncia sade 1993: World Development Report

    17. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade PSF: Governo FHC: 1998: Transforma o PSF em estratgia para reorganizar a APS Sade da Famlia: uma estratgia para a reorientao do modelo assistencial Ministro Adib Jatene Cria o PITS dentro do PSF para substitu-lo na inteno inicial Plo de Capacitao, Formao e Educao Permanente em Sade da Famlia 1998 - 2009: 3 mil 30 mil equipes = 100 milhes de pessoas = 50% da populao

    18. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Perfil dos Mdicos do PSF Fiocruz 2000 Tempo de formado: At 4 anos: 27% 5-14 anos: 36,5% 16-24 anos: 28% 25-34 anos: 7% > 35 anos: 1,5%

    19. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Perfil dos Mdicos Fiocruz 2000 Residncia Mdica: No tem: 62,8% Tem: 37,2% Tipo de Residncia Mdica: Pediatria: 20,55% Medicina Geral Comunitria: 14,91% Ginecologia-Obstetrcia: 14,18% Medicina Interna: 12.91% Cirurgia Geral: 12,36% Anestesiologia: 4,91% Medicina Sanitria: 4,73%

    20. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade PSF atualmente (2009) 30.000 equipes Cobertura: 100 milhes de pessoas Populao do Brasil: 190.000.000 Cobertura (%): 50%

    21. PNAB - 2006 40 hs 8 hs para hospital de pequeno porte ou atividades de preceptoria em MFC ou multiprofissional 2400 4000 pessoas por equipe com mdia de 3000 400 -750 pessoas por ACS e 12 ACSs por equipe Curso introdutrio at 3 meses aps implantao/ SES ou SMS PAB Fixo e Varivel 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade

    22. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Funcionamento do PSF Equipe de Sade: Mdico (de Famlia e Comunidade/ Generalista) Enfermeiro Auxiliar de enfermagem Agentes comunitrios de sade - vivem na mesma rea que trabalham

    23. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Funcionamento do PSF

    24. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Funcionamento do PSF Territrio: Definido no PSF como rea geogrfica De 2400 a 4000 pessoas

    25. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Funcionamento do PSF

    26. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Funcionamento do PSF

    27. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Funcionamento do PSF ACS: vo nas casas de todos as famlias que se cadastraram; no vo nas que so recusas ou que esto em casa durante o dia apenas nos finais de semana Reunies dirias (1/2 - 1 hora) e/ou semanais ( 2 a 4 horas) para passar os casos e organizar as demandas ACS devem trabalhar para PROMOO DA SADE: nas visitas, nos grupos, nas atividades comunitrias Vigilncia epidemiolgica e sanitria

    28. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Funcionamento do PSF Mdicos: Consultas: agendadas ou acolhimento Visitas Domiciliares (VDs): acamados, famlias disfuncionais, situaes especficas, aprofundamento do caso, etc... Grupos educativos ou de auto ajuda: cuidadores, tabagismo, reeducao alimentar, crianas, hipertensos e diabticos, caminhada, etc... Capacitao permanente da equipe Vigilncia epidemiolgica e sanitria

    29. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Funcionamento do PSF Enfermeiros: Acolhimento Consulta de gestantes e crianas Visitas Domiciliares: RN, acamados, bloqueios Gerenciamento de Recursos Humanos das equipes Coleta de exames Grupos Vigilncia epidemiolgica e sanitria Capacitao constante das equipes

    30. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Funcionamento do PSF Auxiliar de Enfermagem: Papanicolau Acolhimento Curativo, inalao, protocolo de exames/ referncias, vacinas, medicaes, etc... Grupos Visitas Domiciliares: curativos, sondas, presso arterial, glicemia capilar, cuidados gerais Vigilncia epidemiolgica e sanitria

    31. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Funcionamento do PSF 6 prioridades: Tuberculose Hansenase Hipertenso Diabetes Crianas menores de 2 anos Gestantes Porm: risco individual x risco populacional

    32. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Funcionamento do PSF Fichas: A: cadastro da famlia: ACS abre e acompanha B: seguimento das 6 prioridades: mdico abre e ACS acompanha C: carto da criana: ACS copia do carto de seguimento da criana (preenchido pelo mdico) D: produtividade de cada membro da equipe

    33. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Funcionamento do PSF SIAB: Sistema de Informao da Ateno Bsica Relatrios mensais ou por perodos mais longos Consolidado das fichas A e D principalmente

    34. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Novos conceitos trazidos pelo PSF Importncia da Ateno Primria Importncia da Preveno de Doenas / Promoo Sade Contrato por captao (salrio) e no por fee for service (produtividade) Territorializao = rea geogrfica Trabalho em equipe => noo de sistema Insero do Mdico de Famlia e Comunidade no sistema

    35. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade PSF Uma expanso de 10% na cobertura corresponde a uma diminuio de 4,5% da Mortalidade Infantil http://dtr2004.saude.gov.br/dab/

    36. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade PSF Desafios do Processo de Trabalho Particularidades de cada regio ou rea Histrico da Ateno Bsica brasileira desfavorvel: PACOTE DE SERVIOS X Ateno Integral (abrangente) Fora da sade coletiva em detrimento do risco individual

    37. Desafios da Gesto Atender a classe mdia/ romper a cultura do internista + GO + pediatra Formao adequada Estrutura adequada Pagamento por resultado (payment for performance ou P4P) $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$ 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade

    38. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Epistemologia da MFC Epistemologia Bem Definida: Mdicos de Famlia e Comunidade = Mdicos de Pessoas (fundamental: Ian Mc Whinney)

    39. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Prolas Quem sabe UTI sabe trabalhar em posto MF o clinico geral antigo que ia na casa das pessoas MF aquele que no se especializou em nada MF uma nova especialidade no Brasil Voc que residente em PSF? Qualquer um pode ser mdico de posto porque s atende doena simples e comum Ningum pode saber tudo

    40. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade MFC no Brasil Brasil: 1976-1981: Medicina Comunitria, Medicina Social, Medicina Integral - primeiras experincias 1978: Seminrio da Abem: Mdico de Famlia ou Clinico Geral 1981: CNRM aceita a Medicina Geral e Comunitria Cuba: iniciou a Medicina de Famlia em 1984!!!

    41. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade MFC no Brasil Brasil (cont.): 1986: CFM aceita a Medicina Geral e Comunitria 2001: SBMGC muda o nome para Medicina de Famlia e Comunidade (MFC) unificao das especialidades pela AMB e CFM + advento do PSF 2003: AMB aceita a especialidade MFC

    42. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Competncias segundo Ian Mc Whinney A soluo de problemas no diferenciados Competncias preventivas Competncias teraputicas Competncias de gesto de recursos

    43. Grande regulao Desejos >>> Necessidades >>> Recursos 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade

    44. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Competncias segundo Ian Mc Whinney A soluo de problemas no diferenciados Competncias preventivas Competncias teraputicas Competncias de gesto de recursos

    45. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Medicina de Famlia e Comunidade: Cuidado!!! No uma unio de clinica mdica (medicina interna), GO e pediatria acrescida de instrumentos como genograma e grupo Histria da Medicina de Famlia na Austrlia: Family Medicine Programme: The RACGP's Family Medicine Programme, set up in 1974, recognised that general practice was more than an amalgam of bits of internal medicine, paediatrics, obstetrics and surgery, and that it required a rigorous vocational training to fit the undifferentiated medical graduate for independent practice.

    46. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Frases: O MFC do Rei da Espanha sabe menos cardiologia do que um cardiologista, mas o que mais sabe sobre o Rei! (citao dos MFC espanhis)

    47. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Frases: O MFC deve proteger os pacientes dos especialistas inadequados e os especialistas dos pacientes inadequados. (J. Fry)

    48. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Frases: No importa saber apenas que doena a pessoa tem, mas que pessoa tem essa doena (Osler)

    49. 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade Departamento de Medicina de Famlia Universidade de Toronto

    50. Desafios do Processo de Trabalho Conceito de trabalho em equipe: Sermos indivduos uma tarefa rdua, que suscita a nostalgia permanente de uma coletividade em que poderamos, enfim, descansar Contardo Calligaris 28/10/2011 Gustavo Gusso Mdico de Famlia e Comunidade