guerra fria n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Guerra Fria PowerPoint Presentation
Download Presentation
Guerra Fria

play fullscreen
1 / 18
Download Presentation

Guerra Fria - PowerPoint PPT Presentation

dooley
158 Views
Download Presentation

Guerra Fria

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Guerra Fria

  2. Guerra Fria (1947 - 1991): • O fim da 2º Guerra Mundial deu início à Guerra Fria, um processo que marcou as relações internacionais ao longo da segunda metade do século 20 e significou a bipolarização do mundo, dividido entre os dois países que saíram daquele conflito como potência - a União Soviética (URSS) e os Estados Unidos (EUA). • Foi um conflito de ordem política, militar, tecnológica, econômica, social e ideológica entre as duas nações e suas zonas de influência.

  3. É chamada "fria" porque não houve uma guerra direta, ou seja, bélica ("quente"), dado o equilibrio militar entre as duas superpotências. O medo de uma batalha nuclear esteve presente na maior parte do período.

  4. Em 1947, os EUA aprovaram o Plano Marshall, com o objetivo de prestar ajuda econômica a países da Europa ocidental e aprofundar sua influência na região, criando um bloco de nações a seu favor. Em 1949 os EUA, juntamente com o Canadá e países da Europa capitalista, criaram a OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), aliança militar com o objetivo de proteção internacional em caso de um suposto ataque dos países do leste europeu.

  5. Os soviéticos criaram um plano de ajuda econômica ao bloco de países do leste europeu, o COMECON (Conselho para Assistência Econômica Mútua). A URSS firmou entre ela e seus aliados o Pacto de Varsóvia (1955) para unir forças militares da Europa Oriental. Logo, as alianças militares estavam em pleno funcionamento, e qualquer conflito entre dois países integrantes poderia ocasionar uma guerra nunca vista antes. A tensão na relação das duas superpotências acentuou-se com o início da corrida armamentista.

  6. A tensão entre as duas potências provocou a divisão de Berlim - o Muro de Berlim foi construído em 1961 - e da própria Alemanha (em República Federal Alemã, capitalista, e República Democrática Alemã, comunista).

  7. Guerra da Coréia e Revolução Cubana • Ao longo da década de 1950, a polarização aumentou, resultando num conflito armado na península coreana que acabou dividida em dois países: Coréia do Sul (capitalista) e Coréia do Norte (comunista). Ao mesmo tempo, alguns países europeus rejeitaram a condição de satélites dos EUA.

  8. A URSS rompeu relações com a China (país que se tornara comunista em 1949) e se viu às voltas com contestações da Iugoslávia e da Hungria. Em 1956, tropas do Pacto de Varsóvia invadiram a Hungria.

  9. Em 1959, a vitória da Revolução em Cuba gerou um foco de tensão para os EUA na América Latina. Dois anos depois, os EUA promovem a invasão da ilha por um grupo de mercenários e exilados cubanos, derrotados na Baía dos Porcos. Após este episódio, Cuba aderiu oficialmente ao comunismo. Em 1962, houve crise dos mísseis em Cuba . • Para conter que a América Latina seguisse o mesmo rumo cubano, os EUA interferiram na política interna de diversos países do continente, favorecendo ditaduras militares de direita (por exemplo, no Brasil).

  10. Primavera de Praga e Vietnã • Nos últimos anos da década de 1960, enquanto os países do mundo ocidental explodiam num quadro de contestação à ordem vigente (maio de 68 francês, movimento pacifista nos EUA e etc.), a Tchecoslováquia passou a exigir maior independência da URSS. O movimento recebeu o nome de Primavera de Praga e foi sufocado pelas tropas do Pacto de Varsóvia em agosto de 1968.

  11. Ao fim dos anos 1960, a economia da URSS dava os primeiros sinais de desaquecimento, fruto da ineficiente máquina burocrática e dos gastos militares. No início da década seguinte, os EUA sofriam reveses no plano internacional, sendo derrotados na guerra do Vietnã, que caía sob a influência do comunismo chinês, e perdendo aliados na Nicarágua, com a Revolução Sandinista e no Irã, com a revolução islâmica.

  12. Na URSS, a crise política e econômica se aprofundava. Em 1979, na Polônia, o movimento Solidariedade reivindicava liberdade e melhores condições de vida. Os EUA endurecem relações com a URSS e não só defenderam a instalação de mísseis nucleares na Europa como empreenderam o projeto de levar ao espaço sideral a corrida armamentista. Reagan e Tatcher implementam políticas neoliberais nos EUA e Inglaterra.

  13. Colapso soviético e fim da guerra fria • A economia soviética começou a dar sinais de esgotamento. Diante da situação caótica, capitaneada por Gorbachev, a União Soviética decidiu reduzir despesas com o setor militar e realizar amplas mudanças: a Perestroika (reestruturação econômica) e a Glasnost (transparência, significando fim da censura e do regime de partido único). Além disso, houve um realinhamento com os EUA.

  14. Os efeitos foram imediatos. Entre 1989 e 1991, os países do Leste Europeu passaram por profundas mudanças internas que eliminaram as estruturas soviéticas. Em Berlim, o Muro foi derrubado por populares. A Alemanha foi reunificada.

  15. Na Iugoslávia, lutas nacionais desintegraram o país e geraram uma série de conflitos étnicos e religiosos. • Em agosto de 1991, os comunistas perderam o poder na União Soviética, que se desintegrou, voltando a ser a Rússia e uma comunidade de repúblicas independentes. Os EUA saíram “vitoriosos” da Guerra Fria, introduzindo o mundo na era da globalização neoliberal.

  16. Erick da Silva – Graduando do curso de História da UFRGS. Email: erickdasilva@gmail.com Blog: http://www.aldeiagaulesa.net/