rio sem discurso um poema heraclitiano n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Rio sem discurso Um poema heraclitiano . PowerPoint Presentation
Download Presentation
Rio sem discurso Um poema heraclitiano .

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 19
dima

Rio sem discurso Um poema heraclitiano . - PowerPoint PPT Presentation

115 Views
Download Presentation
Rio sem discurso Um poema heraclitiano .
An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author. While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Rio sem discurso Um poema heraclitiano. Quando um rio corta, corta-se de vez o discurso-rio de água que ele fazia; cortado, a água quebra-se em pedaços, em poços de água, em água paralítica. Em situação de poço, a água equivale a uma palavra em situação dicionária: isolada, estanque no poço dela mesma, e porque assim estanque, estancada; e mais: porque assim estancada, muda, e muda porque com nenhuma comunica, porque cortou-se a sintaxe desse rio, o fio de água por que ele discorria. O discurso de um rio, seu discurso-rio, chega raramente a se reatar de vez; um rio precisa de muito fio de água para refazer o fio antigo que o fez. Por João Cabral de Melo Neto Salvo a grandiloqüência de uma cheia lhe impondo interina outra linguagem, um rio precisa de muita água em fios para que todos os poços se enfrasem: se reatando, de um para outro poço, em frases curtas, então frase a frase, até a sentença-rio do discurso único em que se tem voz a sede ele combate.

  2. Reforma Ortográfica GUIA PRÁTICO Por: Prof. Davi e Carlos

  3. 1 – ACENTO AGUDO O acento agudo desaparecerá em três casos: • a) Nos ditongos (encontros de duas vogais proferidas em uma só sílaba) abertos ei e oi das palavras paroxítonas (aquelas cuja sílaba pronunciada com mais intensidade é a penúltima). • EX: • idéia -> ideia • geléia -> geleia • bóia -> boia • jibóia -> jiboia

  4. Mais exemplos: • alcateia, assembleia, asteroide, celuloide, colmeia, Coreia, epopeia, estreia, heroico, joia, odisseia, paranoia, plateia, etc. • Atenção: Continuam sendo acentuadas as palavras oxítonas terminadas em éis, éu, éus, ói, óis. Exemplos: papéis, herói, heróis, troféu, troféus, chapéu, chapéus, anéis, dói, céu, ilhéu.

  5. b) Nas palavras paroxítonas com i e u tônicos formando hiato (sequência de duas vogais que pertencem a sílabas diferentes), quando vierem após um ditongo. Veja: • baiúca -> baiuca • bocaiúva -> bocaiuva • feiúra -> feiura • Atenção: • se a palavra for oxítona e o i ou o u estiverem em posição final (ou seguidos de s), o acento permanece. Exemplos: tuiuiú, Piauí.

  6. c) Nas formas verbais que possuem o u tônico precedido das letras g ou q e seguido de e ou i. Esses casos ocorrem apenas nas formas verbais de argüir e redargüir. Observe: • argúis -> arguis • argúem -> arguem • redargúis -> redarguis • redargúem -> redarguem

  7. 2 - ACENTO DIFERENCIAL • O acento diferencial é utilizado para auxiliar na identificação de palavras homófonas (que possuem a mesma pronúncia). Com o acordo ortográfico, ele deixará de existir nos seguintes casos: • pára/para; • péla(s)/pela(s); • pêlo(s)/pelo(s); • pólo(s)/polo(s); • pêra/pera. • Observe os exemplos: • Ela não pára de dançar. • Ela não para de dançar.

  8. A mãe péla o bebê para dar-lhe banho. • A mãe pela o bebê para dar-lhe banho. • Este é o pólo norte. • Este é o polo norte. • Os garotos gostam de jogar pólo. • Os garotos gostam de jogar polo. • Meu gato tem pêlos brancos. • Meu gato tem pelos brancos. • A menina trouxe pêra de lanche. • A menina trouxe pera de lanche. Atenção: Existem duas palavras que continuarão recebendo acento diferencial: pôr (verbo) -> para não ser confundido com a preposição por.

  9. 3 - ACENTO CIRCUNFLEXO O acento circunflexo deixará de ser utilizado nos seguintes casos: • a) Em palavras com terminação ôo. Veja: • enjôo -> enjoo • vôo -> voo • magôo -> magoo

  10. Atenção: Os verbos ter e vir (e seus derivados) continuam sendo acentuados na terceira pessoa do plural. Mais exemplos: • abençoo (abençoar), • coo (coar), • coroo (coroar), • doo (doar), • b) Nas terminações êem, que ocorrem nas formas conjugadas da terceira pessoa do plural dos verbos ler, dar, ver, crer e seus derivados. Veja o exemplo abaixo: • Eles lêem. -> Eles leem. Mais exemplos: creem, deem, veem, descreem, releem, reveem. • Eles têm três filhos. -> Eles detêm o poder.

  11. 4 - TREMA • O trema, sinal gráfico utilizado sobre a letra u dos grupos que, qui, gue, gui, deixa de existir na língua portuguesa. Lembre-se, no entanto, que a pronúncia das palavras continua a mesma. Exemplos: • cinqüenta-> cinquenta Atenção: O acordo prevê que o trema seja mantido apenas em nomes próprios de origem estrangeira, bem como em seus derivados. Exemplos: Bündchen, Müller, mülleriano. pingüim -> pinguim Mais exemplos: aguentar, bilingue, consequência, delinquente..

  12. 5 - ALFABETO O alfabeto passará a ter 26 letras. • Além das atuais, serão incorporadas oficialmente as letras: k - w - y • Observe a posição das novas letras no alfabeto: • A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

  13. 6 - HÍFEN O hífen deixará de ser empregado nos seguintes casos: • a) Quando o prefixo terminar em vogal diferente da vogal que iniciar o segundo elemento. • Exemplos: • Estou lendo um livro de auto-ajuda. • Estou lendo um livro de autoajuda. • Ele passou na auto-escola! • Ele passou na autoescola! Mais exemplos: agroindustrial, autoafirmação, autoaprendizagem, autoestrada, contraindicação, extraoficial..

  14. b) Quando o prefixo da palavra terminar em vogal e o segundo elemento começar com as consoantes s ou r. Nesse caso, a consoante será duplicada. Exemplos: - Meu namorado é ultra-romântico. - Meu namorado é ultrarromântico. - Comprei um creme anti-rugas. • Comprei um creme antirrugas. Mais exemplos: antessala, antirreligioso, antissemita, autorretrato, antissocial..

  15. c) Não se utilizará mais o hífen nas palavras que, pelo uso, perderam a noção de composição. Veja: pára-quedas -> paraquedas Mais exemplos: mandachuva, paralama, parabrisa, parachoque, paraquedista..

  16. Uso do Hífen: • Com o novo acordo, o hífen passará a ser utilizado quando a palavra for formada por um prefixo terminado em vogal e a palavra seguinte iniciar pela mesma vogal. Observe o exemplo abaixo: microônibus -> micro-ônibus Atenção: se o prefixo terminar com consoante, usa-se hífen se o segundo elemento começar com a mesma consoante. Exemplos: hiper-requintado, inter-racial, super-resistente, super-romântico, etc.

  17. Cronologia das reformas ortográficas na língua portuguesa • 1911 - Primeira reforma ortográfica em Portugal, publicada no Diário do Governo, n.º 213, 12 de Setembro de 1911. • 1931 - Primeiro Acordo Ortográfico por iniciativa da Academia Brasileira de Letras e aprovado pela Academia das Ciências de Lisboa, em Portugal publicado no Diário do Govêrno, n.º 120, I Série, 25 de Maio de 1931. • 1945 - Convenção Ortográfica Luso-Brasileira de 1945 ou Acordo Ortográfico de 1945, adoptado em Portugal, mas não no Brasil. Em Portugal publicado como decreto n.º 35.228 no Diário do Governo, 8 de Dezembro de 1945. • 1971 - Lei n.º 5765 de 18 de Dezembro, no Brasil, suprimiu o acento circunflexo na distinção dos homógrafos, responsável por 70% das divergências ortográficas com Portugal, e os acentos que marcavam a sílaba subtónica nos vocábulos derivados com o sufixo -mente ou iniciados por -z-. • 1973 - Decreto-Lei n.º 32/73 de 6 de Fevereiro, em Portugal, suprimiram-se os acentos que marcavam a sílaba subtónica nos vocábulos derivados com o sufixo -mente ou iniciados por -z-, como já se havia feito no Brasil.

  18. • 1975 - A Academia das Ciências de Lisboa e a Academia Brasileira de Letras elaboraram um projecto de acordo que não foi aprovado oficialmente. • 1986 - Da reunião de representantes dos, na época, sete países de língua portuguesa (CPLP) no Rio de Janeiro resultaram as Bases Analiticas da Ortografia Simplificada da Lingua Portuguesa de 1945, renegociadas em 1975 e consolidadas em 1986, que nunca chegaram a ser implementadas. • 1990 - De nova reunião, desta vez em Lisboa, resulta um novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, previsto para entrar em vigor em 1 de Janeiro de 1994. • 1998 - Na cidade da Praia, Cabo Verde, foi assinado um Protocolo Modificativo ao Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa que retirou do texto original a data para a sua entrada em vigor. • 2004 - Em São Tomé e Príncipe foi aprovado um Segundo Protocolo Modificativo ao Acordo Ortográfico prevendo que, em lugar da ratificação por todos os países, fosse suficiente que três membros ratificassem o Acordo Ortográfico de 1990 para que este entrasse em vigor nesses países[4]. • 2008 - Presidente Luís Inácio Lula da Silva, do Brasil, assina em 29 de Setembro, as mudanças da ortográfia da língua portuguesa no Brasil, que passará a valer a partir de 1 de Janeiro de 2009.

  19. OBRIGADO ! • Prof. Davi . [ bahianobs@gmail.com ] • Carlos . [ cr.rego@hotmail.com ]