slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
DESADEF PowerPoint Presentation
play fullscreen
1 / 147

DESADEF

189 Views Download Presentation
Download Presentation

DESADEF

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. DESADEF CURSO SOBRE DEPENDÊNCIA QUÍMICA 2009 33 ANOS DE LUTA...

  2. Não sou CARETA: Faço prevenção do uso indevido de drogas!

  3. “Quem salva uma vida salva o mundo” Desconheço o Autor

  4. CAUSAS DA DEPENDÊNCIA QUÍMICA COMO AGIR COM O DEPENDENTE QUÍMICO DEPENDÊNCIA FÍSICA O QUE É DEPENDÊNCIA QUÍMICA? POR QUE DO USO ? ALCOOLISMO O TAMANHO DO PROBLEMA TABAGISMO O USO DE DROGAS AS MELHORES ARMAS SÍNDROME DE ABSTINÊNCIA DEPENDÊNCIA PSICOLÓGICA OS EFEITOS DANOSOS DO ÁLCOOL

  5. O TAMANHO DO PROBLEMA

  6. O que representa a matemática das Drogas hoje: O comércio ilegal de Drogas envolve no mundo todo em US$ 800 Bilhões por ano, segundo a ONU e US$ 1.5 Trilhões outras fontes. Segundo o SOS criança, em 1999, 62% dos menores de rua em São Paulo admitiu o uso de inalantes e 19% de Crack.

  7. O tráfico internacional de drogas cresceu espetacularmente durante os anos 80, até atingir, atualmente, uma cifra anual superior a US$ 800 bilhões. Este cifra supera os proventos do comércio internacional de petróleo; o narcotráfico é o segundo item do comércio mundial, só superado pelo tráfico de armamento.

  8. A cocaína gera “Dependência” nãoapenas em indivíduos, mastambémem grupos econômicos eaté mesmo nas economias de alguns países, como por exemplo, nos Bancos da Flórida, em algumas ilhas do Caribe ou nos principais países produtores como Peru, Bolívia e Colômbia.

  9. DÚVIDAS ?

  10. V Levantamento Nacional Sobre o Consumo de Drogas Psicotrópicas Entre Estudantes do Ensino Fundamental e Médio da Rede Pública de Ensino nas 27 Capitais Brasileiras 27 Capitais Estudantes ensino fundamental e médio 48.155 entrevistas 1.942.820 perguntas

  11. Drogas mais utilizadas por 48.155 estudantes do ensino fundamental e médio das redes municipal e estadual do Brasil; dados expressos em porcentagem, levando-se em conta os tipos de usos e as diferentes drogas individualmente. * Drogas Lícitas ** Drogas Ilícitas

  12. Drogas mais utilizadas (uso na vida) por 48.155 estudantes do ensino fundamental e médio das redes municipal e estadual do Brasil; dados expressos em porcentagem, levando-se em conta sexo, idade e as diferentes drogas individualmente.

  13. Drogas mais utilizadas(uso na vida) por 48.155 estudantes do ensino fundamental e médio das redes municipal e estadual do Brasil; dados expressos em porcentagem, levando-se em conta sexo, idade e as diferentes drogas individualmente.

  14. Comparação de características familiares entre não – usuários e os que fizeram uso pesado de Álcool,dados coletados na região Sul do Brasil

  15. Drogas: Abuso e Dependência

  16. Abuso de Drogas •Uso de drogas que ferem normas legais (ilícitas), ou sociais (trabalhador bêbado). •Uso de medicamentos sem prescrição / orientação de um profissional habilitado.

  17. Dependência Uso repetido e compulsivo de uma droga, com a finalidade de receber os efeitos químicos compensatórios ou para evitar os efeitos punitivos da abstinência da droga. (Page et al. “Farmacologia Integrada”)

  18. ALCOOLISMO SÍNDROME DE ABSTINÊNCIA ALCOOLISMO E OBSESSÃO ALCOOLISMO E DESENCARNAÇÃO OS EFEITOS DANOSOS DO ÁLCOOL

  19. Fases do Alcoolismo •Bebedor Esporádico •“Um gole me deixa tonto” • Dificilmente recusa a bebida Primeira Fase •Bebedor Freqüente •“Festa sem bebida, não é festa” •Prefere bebidas alcoólicas a refrigerantes • Às vezes se excede, fica tonto • Primeiros sintomas de intoxicação Segunda Fase

  20. Fases do Alcoolismo •Bebedor Diário e Compulsivo •“É preciso muita bebida para me derrubar” • Preocupação se vai faltar bebida na festa •Faltas ao emprego •Falta de auto-estima •Brigas conjugais/separação •Troca de bebida •Não aceita que está doente •Passa mal freqüentemente Terceira Fase

  21. Fases do Alcoolismo • Bebe pouco ou até não bebe Quarta Fase MORTE

  22. Tabagismo

  23. Principais Patologias Relacionadas ao Hábito de Fumar • 80% casos de brônquite crônica • 90% casos de câncer de pulmão • 25% casos AVC • Risco 100% maior contrair infecções • Morte Súbita Infantil

  24. Classificação das Drogas • Quanto a legalidade = Lícitas ou Ilícitas • Quanto a origem Naturais (Chás, cogumelos, outros) • Semi-sintéticas (Álcool, maconha, outras) • Sintéticas (LSD, ecstasy, outras) • Quanto aos mecanismos Depressoras- álcool, etc. • de ação Estimulantes- Cocaína, etc. • Perturbadoras- Maconha, etc.

  25. Conceitos O que são drogas psicoativas ? • São substâncias naturais ou sintetizadas que ao serem ingeridas produzem alterações no SNC, modificando, assim, estado emocional e comportamental; • Por serem psicoativas produzem prazer, o que pode induzir ao abuso e dependência.

  26. Ação das Drogasno S.N.C. • DROGAS DEPRESSORAS - diminuem a atividade mental. Afetam o cérebro, fazendo com que funcione de forma mais lenta. Essas drogas diminuem a atenção, a concentração, a tensão emocional e a capacidade intelectual. Ex. tranqüilizantes, álcool, cola, morfina, heroína. • DROGAS ESTIMULANTES - aumentam a atividade mental. Afetam o cérebro, fazendo com que funcione de forma mais acelerada. Ex. nicotina, cafeína, anfetamina, cocaína, crack • DROGAS ALUCINÓGENAS - alteram a percepção, provocando distúrbios no funcionamento do cérebro, fazendo com que ele passe a trabalhar de forma desordenada, numa espécie de delírio. Ex. LSD, ecstasy, maconha.

  27. Conceitos Gerais de Dependência Química O QUE É DEPENDÊNCIA QUÍMICA?

  28. Conceito de Dependência Química Doença crônica bio, psico, social e ESPIRITUAL resultante da interação com substâncias psicoativas que inclui a compulsão repetitiva e intensa de consumo com a finalidade de experimentar efeitos psíquicos e físicos ou evitar o desconforto que sua falta ocasiona. Agrupamento de respostas comportamentais, cognitivas e fisiológicas apesar da presença de problemas significativos relacionados ao abuso.

  29. Tolerância Necessidade do usuário de consumir quantidades cada vez maiores da droga ou recorrer a substâncias cada vez mais fortes para obter o efeito desejado. Síndrome de Abstinência Conjunto de sintomas físicos e psicológicos desagradáveis que se manifestam quando o usuário suspende, total ou parcialmente, o uso da substância consumida.

  30. Conceito Geral de Prevenção • Vir antes; • Lidar com princípios de cidadania, ética educação de pessoas.

  31. NÍVEIS DE PREVENÇÃO PRIMÁRIO: • Objetiva evitar a experimentação de drogas. • Processo informativo para pessoas que não fizeram uso de drogas - educação voltada para a vida saudável. • Escolher o foco para atingir o objetivo.

  32. NÍVEIS DE PREVENÇÃO SECUNDÁRIO: • Voltado a chamada população de risco. • Voltado para indivíduos usuários de drogas de forma eventual ou recreativa. • Estar em parceria com outros programas de prevenção em saúde.

  33. NÍVEIS DE PREVENÇÃO TERCIÁRIO: • Destinado às pessoas dependentes de drogas. a) Conscientizar e orientar pessoas para se manterem em tratamento, para que assim possam reduzir as conseqüências adversas da dependência. b) Promover a reinserção social do dependente.

  34. Ferramentas / Recursos Utilizados • Seminários; • Dinâmicas de Grupo; • Teatro; • Vivências; • Aplicação de Inventários.

  35. PREVENÇÃO EM ESCOLAS E COMUNIDADES QUE TRABALHAM COM AS FAMÍLIAS

  36. CULTURA DA ESCOLA “O aumento das habilidades interpessoais dos alunos e o compromisso com valores positivos – com segurança, respeito e solidariedade – , não só no âmbito da sala de aula, mas em toda a escola e, por extensão, em toda a comunidade”

  37. Fatores de Proteção Comunidade Rede Social Pais Professores amigos diretores da escola vizinhança colega de trabalho outras instituições comércio

  38. AGENTE MULTIPLICADOR NA PREVENÇÃO Papel: • Ser otimista; • Disponibilidade para ajudar; • Ter visão científica da doença; • Não ter visão moralista; • Estar comprometido com políticas públicas; • Ter visão critica de si próprio (modelo); • Estar altamente motivado.

  39. CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO USO DE DROGAS 1ª 2ª 3ª IRRESISTÍVEL NECESSIDADE DO TÓXICO E OBTENÇÃO POR TODOS OS MEIOS TOLERÂNCIA AUMENTO DAS DOSES DEPENDÊNCIA FÍSICA E PSÍQUICA SINAIS GERAIS 1. MUDANÇAS NO COMPORTAMENTO 2. FALTA DE MOTIVAÇÃO 3. QUEDA DO RENDIMENTO ESCOLAR 4. QUEDA DA QUALIDADE DO TRABALHO 5. INQUIETAÇÃO, IRRITABILIDADE, INSÔNIA, DEPRESSÃO 6. ATITUDES FURTIVAS OU IMPULSIVAS 7. DESAPARECIMENTO DE OBJETOS DE VALOR 8. PRESENÇA DE COMPRIMIDOS, FRASCOS, COLÍRIOS 9. DÍVIDAS, COBRANÇAS, AMEAÇAS 10. AUSÊNCIAS EM CASA E NO TRABALHO “AGENTES DA MORTE” - PAULO ROCHA “COMO MANTER SEU FILHO LONGE DAS DROGAS” - JOSÉ ELIAS MURAD

  40. MACONHA EFEITOS PSÍQUICOS EFEITOS FÍSICOS DANOS E DOENÇAS EUFORIA RELAXAMENTO ALTERAÇÕES NA PERCEPÇÃO DO TEMPO E DO ESPAÇO PERTURBAÇÕES DA MEMÓRIA E DO PENSAMENTO AUMENTO DE APETITE ANSIEDADE MEDO PARANÓIA MAL-ESTAR TAQUICARDIA HIPEREMIA CONJUNTIVAL BOCA SECA TREMORES NAS MÃOS PREJUÍZO NA COORDENAÇÃO DIMINUIÇÃO DA FORÇA MUSCULAR PREJUÍZO DA MEMÓRIA SÍNDROME AMOTIVACIONAL INFECÇÕES PULMONARES E RESPIRATÓRIAS DIMINUIÇÃO DA CAPACIDADE PULMONAR PREJUÍZOS HORMONAIS IMPOTÊNCIA INFERTILIDADE CÂNCER (“DROGAS: O QUE É PRECISO SABER” - CONFEN )

  41. COCAÍNA - CRACK EFEITOS PSÍQUICOS DANOS E DOENÇAS EFEITOS FÍSICOS EUFORIA BEM-ESTAR GRANDIOSIDADE IRRITABILIDADE PREJUÍZO DA CAPACIDADE DE AVALIAÇÃO E JULGAMENTO FALA RÁPIDA MOVIMENTOS RÁPIDOS PÂNICO ALUCINAÇÕES PARANÓIA ELEVAÇÃO DA PRESSÃO ARTERIAL E DA FREQÜÊNCIA CARDÍACA ARRITMIAS PUPILAS DILATADAS HIPERTERMIA CONVULSÕES NÃO SENTE SONO, FOME OU FADIGA PERDA DO OLFATO PERDA DO SEPTO NASAL DISTÚRBIOS PSI- COLÓGICOS LESÕES PULMONARES DIMINUIÇÃO DA OXIGENAÇÃO SANGÜÍNEA EMBOLIA E FIBROSE PULMONAR FLEBITE PARADA CARDÍACA E RESPIRATÓRIA COMPLICAÇÕES INFECCIOSAS SÍFILIS, AIDS, ETC O QUE É PRECISO SABER” - CONFEN ) (“DROGAS:

  42. ALUCINÓGENOS EFEITOS PSÍQUICOS EFEITOS FÍSICOS DANOS E DOENÇAS AUMENTO DAS PERCEPÇÕES AGITAÇÃO PSI- COMOTORA ALUCINAÇÕES VISUAIS E AUDITIVAS AUMENTO PUPILAR ROSTO CORADO TREMORES AUMENTO DA PRESSÃO ARTERIAL E DA TEMPERATURA TAQUICARDIA SUDORESE NÁUSEAS VÔMITOS INSÔNIA PERDA DO APETITE PERTURBAÇÕES MENTAIS LOUCURA ACIDENTES FATAIS SUICÍDIO (“DROGAS: O QUE É PRECISO SABER” - CONFEN )

  43. DEPENDÊNCIA DO ÁLCOOL AS CARACTERÍSTICAS

  44. AMIGO QUE DIRIGE NÃO BEBE NÃO DEIXE SEU MELHOR AMIGO DIRIGIR BÊBADO

  45. OS EFEITOS DANOSOS DO ÁLCOOL PROBLEMAS SOCIAIS •  DESAJUSTE NO LAR •  SEPARAÇÃO CONJUGAL •  DESEMPREGO •  ACIDENTES •  DEMANDAS LEGAIS •  EMPOBRECIMENTO DA AUTO-IMAGEM •  PERDA DE MEMÓRIA •  DELÍRIO ALCOÓLICO •  DESESTRUTURAÇÃO DA PERSONALIDADE •  CIÚME PATOLÓGICO •  ALIENAÇÃO •  DEMÊNCIA DISTÚRBIOS PSÍQUICOS •  HEPATITE - CIRROSE HEPÁTICA •  INFLAMAÇÕES DOS NERVOS •  PROBLEMAS DE CORAÇÃO •  DISFUNÇÕES DO PÂNCREAS •  GASTRITES - ÚLCERAS ESTOMACAIS •  IMPOTÊNCIA SEXUAL •  LESÕES CEREBRAIS •  CÂNCER (BOCA, ESÔFAGO, ESTÔMAGO) DOENÇAS FÍSICAS ( TÓXICOS: O QUE SÃO/O QUE CAUSAM/COMO EVITÁ-LOS ALEXANDRE G. DA FONSECA )

  46. EFEITOS DO ÁLCOOL NA GESTAÇÃO •  SÍNDROME DE ALCOOLISMO FETAL •  DEFORMIDADES •  DOENÇAS CARDÍACAS •  RETARDO DO CRESCIMENTO •  PROBLEMAS DE COORDENAÇÃO •  DEFICIÊNCIAS MENTAIS O ÁLCOOL E O JOVEM O ÁLCOOL É O PROBLEMA DE DROGAS NÚMERO UM ENTRE OS JOVENS (ESCOLAS SEM DROGAS - LAURO F. CAVAZOS) COMO PREVENIR NOSSOS FILHOS DO ALCOOLISMO ? NÃO BEBENDO E NÃO ENSINANDO OS FILHOS A BEBER (“RELACIONAMENTO ENTRE PAIS E FILHOS” - UMBERTO FERREIRA)

  47. Tabagismo é uma Doença Crônica uma Dependência Química “Precisamos entender que o fumante não é um sujo, um viciado, um fraco de vontade, um mal educado.... Mas alguém que contraiu uma doença, uma dependência e que precisa de apoio e compreensão. É preciso ter uma postura de empatia e acolhimento”. FONTE: Dicionário da Língua Portuguesa - Aurélio Buarque de Holanda

  48. É preciso reconhecer que: • ...o fumante não é um vilão, mas uma vítima de um contexto social que fez com que ele começasse a fumar, sem ter noção da realidade dos riscos; • ...o tabagismo é uma dependência e que o fumante muitas vezes precisa da nicotina para inibir os sintomas da síndrome de abstinência e para lidar com situações de estresse e ansiedade; • ... o fumante precisa ser estimulado e apoiado na sua decisão de parar de fumar; • ...a restrição do consumo de derivados do tabaco no meio ambiente facilita a cessação de fumar.

  49. PARE DE FUMAR TABAGISMO - CONSTITUI VÍCIO EPIDÊMICO NO MUNDO MODERNO - MAIOR CAUSA DE DOENÇA - EVITÁVEL E DESNECESSÁRIO 100 MIL MORTES DEVIDO AO CÂNCER ESTATÍSTICA DE 1999 ( SÓ NO BRASIL ) 30 MIL MORTES DE CÂNCER DEVIDO AO CIGARRO (JORNAL NACIONAL - TV GLOBO 16/03/99) CARACTERÍSTICAS TOLERÂNCIA SÍNDROME DE ABSTINÊNCIA DEPENDÊNCIA NECESSIDADE DE AUMENTAR O USO PROVOCADA PELA NICOTINA DESCONFORTO DEVIDO AO NÃO USO ( TÓXICOS: O QUE SÃO/O QUE CAUSAM/COMO EVITÁ-LOS ALEXANDRE G. DA FONSECA )