metodologia do trabalho cient fico n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO PowerPoint Presentation
Download Presentation
METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 166

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO - PowerPoint PPT Presentation


  • 345 Views
  • Uploaded on

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO. Profa. Ms. Erika Bataglia. Conhecimento Verdade Metodologia científica Tipos de conhecimento: empírico, teológico, filosófico, científico Ciência Método indutivo e dedutivo Pesquisa-tipos,questionário, formulário, entrevista, etc.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
    Presentation Transcript
    1. METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO Profa. Ms. Erika Bataglia

    2. Conhecimento • Verdade • Metodologia científica • Tipos de conhecimento: empírico, teológico, filosófico, científico • Ciência • Método indutivo e dedutivo • Pesquisa-tipos,questionário, formulário, entrevista, etc

    3. Construção do conhecimento

    4. A importância da pesquisa • Desenvolvimento do hábito de estudo • Diante da realidade social, o aluno deve: • Observar • Selecionar • Organizar • Criticar

    5. Educação superior: Tríplice competência Técnico-profissional Científica Política

    6. Metodologia Científica • A palavra método vem do grego μέθοδος (méthodos, caminho para chegar a um fim) • Metodologia literalmente refere-se ao estudo dos métodos e, especialmente, do método da ciência, que se supõe universal • O método científico é um conjunto de regras básicas para produzir novo conhecimento ou corrigir e integrar conhecimentos pré-existentes

    7. Metodologia Científica • Em sentido amplo, ciência (do grego episteme e do latim scientia) refere-se a qualquer conhecimento sistemático Em sentido mais restrito, ciência refere-se a um sistema para adquirir conhecimento baseado no método científico, assim como ao corpo organizado de conhecimento conseguido através de tal pesquisa Trataremos com detalhes mais tarde

    8. Construção do conhecimento • Uma capacidade e uma necessidade inerentes ao ser humano • Manifestação da consciência de conhecer • Forma de solução para os problemas da vida • Processo dinâmico e inacabado

    9. O Conhecimento é... • Uma relação que envolve: • O sujeito • O objeto • A imagem da realidade

    10. O Conhecimento SUJEITO OBJETO A função do sujeito consiste em apreender o objeto.

    11. O Conhecimento • Ao captar o objeto, o sujeito pode obter dele uma fiel representação mental • Pode-se afirmar que atingiu um conhecimento verdadeiro, que obteve a VERDADE. (?)

    12. O que é a VERDADE?

    13. O que é a VERDADE? Somos capazes de conhecer a verdade? É possível ao sujeito apreender o objeto?

    14. O que é a VERDADE? • Vamos pensar com um exemplo: • Ao olharmos Fortaleza, vemos muitas coisas: muitas favelas... muitos prédios luxuosos... muita pobreza... muita gente pedindo esmola... muita criança vendendo coisas nos sinais e limpando vidros dos carros... muito carro bonito e caro... homens e mulheres bem arrumados, perfumados...

    15. O que é a VERDADE? • ... e muita gente mal vestida, com roupa velha... pessoas comendo em restaurantes caros e outras catando lixo para encontrar alguma coisa para aproveitar... alguns morando em um apartamento enorme e luxuoso, com piscina, com vagas na garagem e, ainda possuindo outros apartamentos para alugar, terrenos para vender... e uma maioria brigando por um pedaço de chão para morar.

    16. O que é a VERDADE? Tais fenômenos não se explicam por si só, são gerados por uma coisa que não conseguimos ver à primeira vista: O tipo de sociedade que vivemos, o modo como essa sociedade está formada e como esta sociedade está organizada é determinada pelo modo de produção capitalista que privilegia sempre o capital,

    17. O que é a VERDADE? ...aqueles que detêm a riqueza, submetendo aqueles que vivem de seu trabalho, a uma situação de exploração, o que significa para uma maioria uma vida de miséria e desencanto!

    18. O que é a VERDADE? • O que vemos é sempre determinado por uma força que não vemos à primeira vista...e esse algo escondido, essa força que não aparece logo é o que chamamos de ESSÊNCIA • A essência é o miolo da realidade • A REALIDADE É CONSTITUÍDA DE APARÊNCIA E DE ESSÊNCIA.

    19. O conhecimento A realidade é constituída por fatos e coisas que geram, que determinam os fenômenos do mundo Assim, não podemos dizer que a aparência é a mentira e que a essência é real? As duas (aparência e essência) co-existem formando a realidade, se relacionando

    20. O conhecimento A essência determina a aparência, é o que faz com que ela seja o que é E a aparência esconde e, ao mesmo tempo, dá sinais de essência. É como um pisca-pisca... um vaga-lume... esconde e mostra a essência...

    21. O conhecimento • E então, como é que nós, homens e mulheres que fazemos a história da nossa sociedade, pensamos a realidade? • Como nos apropriamos dessa realidade em nosso pensamento?

    22. O conhecimento O senso comum, que é o nosso pensamento comum, que é o pensamento comum de nossa sociedade, fica muito na aparência, fica muito na casca da realidade... pode até desconfiar do miolo, da essência, MAS NÃO CONSEGUE CHEGAR LÁ!... ele não sabe descobrir a luz a partir do que é apresentado pelos fenômenos.

    23. O conhecimento • E, então, o que faz o senso comum? Qual o seu limite? Até onde ele vai? • O senso comum VÊ, SENTE, CONSTATA, PERCEBE os fenômenos... e pronto! Ele não procura explicar e compreender as coisas, os fenômenos.

    24. O conhecimento • E como chegar à essência? • Como é que, segundo o pisca-pisca dos fenômenos, nós podemos chegar à luz do que determina a realidade, do que está por trás das coisas?

    25. O conhecimento Não se sai da aparência das coisas e se chega à essência dessas coisas espontaneamente NÃO É UMA COISA NATURAL!! Como, então, chegar ao conhecimento?

    26. O conhecimento • É preciso seguir um caminho específico, com um esforço específico • É preciso começar a questionar, a procurar uns óculos que nos permitam ver mais longe! • Seguir um percurso, ir desenvolvendo um raciocínio que saia do senso comum.

    27. Como adquirir conhecimento? • Por meio de várias fontes: • Sensação • Percepção • Imaginação • Memória • Linguagem • Raciocínio • Intuição • Por meio da Pesquisa.

    28. TIPOS DE CONHECIMENTO

    29. Conhecimento Empírico • Também chamado de vulgar,intuitivo, de senso comum ou popular • Conhecimento dos fatos sem lhes inquirir as causas • É superficial, acontece por informação ou experiência casual • É não metódico e assistemático • Constitui a maior parte do conhecimento de um ser humano.

    30. Conhecimento Empírico • Conhecimento gerado para resolver problemas imediatamente. Ex. Homem abrigando-se nas cavernas • Elaborado de forma instantânea e instintiva • O sujeito é um expectador passivo • Conhecimento vivencial

    31. Conhecimento Empírico • Tem um caráter utilitarista • Tem objetividade limitada • Muito ligado à vivência, à ação, à percepção • Subordinado a um envolvimento afetivo do sujeito • Incapaz de ser submetido a uma crítica sistemática e imparcial

    32. Conhecimento Empírico • Linguagem vaga: • Difícil determinar o que se encaixa e o que escapa de sua significação • Significado dos termos depende do contexto • Conduz a uma dificuldade de controle e avaliação experimental • O que implica (muitas vezes) na impossibilidade de diálogo crítico

    33. Conhecimento Empírico • Difícil reconhecer os limites de validade • Útil e eficaz quando estamos nos referindo à rotina • Por ser vivencial torna-se impreciso ou mesmo incoerente • Pode gerar inúmeras interpretações.

    34. CONHECIMENTO CIENTÍFICO versusCONHECIMENTO DO SENSO COMUM

    35. O Conhecimento Cientifico • Procura conhecer, além do fenômeno, suas causas e as leis que o regem • Descobrir os princípios explicativos que servem de base para a compreensão da organização, classificação e ordenação da natureza

    36. O Conhecimento Cientifico • Surge da necessidade descobrir princípios explicativos • Resulta da Investigação Científica • Identificação da Dúvida • Conhecimento existente não basta • Precisamos de uma resposta para a dúvida • Resposta tem que oferecer provas de segurança

    37. Características do Conhecimento Científico • É crítico • Busca causas para os fenômenos • É genérico • Divulga resultados

    38. O Método Científico • MÉTODO: conjunto de passos a serem seguidos ordenadamente na busca da verdade • Conduzir à descoberta • Permitir demonstração e prova • Permitir a verificação de conhecimento • TÉCNICA: procedimentos utilizados dentro das etapas do método

    39. Conhecimento Teológico ou Religioso • Mesmo objeto de estudo dos outros conhecimentos. • É valorativo • Inspiracional • Infalível • Exato • Sistemático • Não verificável

    40. Conhecimento Teológico Conhecimento Científico • Exige autoridade divina • Procura rever os ensinamentos para não contradizer o Conhecimento Científico. • Não pressupõe dons especiais para conhecimento da natureza • Estuda fenômenos e se renova com as novas descobertas • Pede entendimento a partir da evidência.

    41. Conhecimento Filosófico • Filósofo : “amigo da sabedoria” • Filosofia: esforço da razão para questionar os problemas humanos e discernir entre o certo e o errado • Mesmo objeto das outras ciências, mas finalidades diferentes

    42. Características da Filosofia • Universalidade – É a reflexão crítica sobre a totalidade do real e os seus problemas dizem respeito a todos os homens. • Radicalidade – A filosofia vai ir à raiz das coisas, aos seus fundamentos, procura a sua origem e essência. • Autonomia – É um saber independente, construído através de um pensamento próprio. A filosofia tem um objecto e um método próprio. • Historicidade - Embora as grandes questões e inquietações da filosofia sejam intemporais, elas são tratadas de modos diferentes consoante as épocas. Também há problemas próprios de uma época

    43. Características do Conhecimento Filosófico • Valorativo • Não verificável • Racional • Sistemático • Infalível e Exato

    44. FUNÇÃO DA CIÊNCIA • “A principal função da ciência é o aperfeiçoamento do conhecimento em todas as áreas para tornar a existência humana mais significativa.” (OLIVEIRA, 2000, pág. 48)

    45. FUNÇÃO DA CIÊNCIA • A Ciência é a esfera da atividade humana responsável por investigar o mundo ao nosso redor e o conhecimento obtido por ela será usado para medicar pessoas, construir fontes de energia, manipular geneticamente alimentos e seres humanos e muitas outras atividades que têm profundo impacto na vida dos humanos.

    46. FUNÇÃO DA CIÊNCIA • Na tarefa de descobrir a verdade, dentro de sua esfera de atuação, a ciência precisa de critérios claros, métodos de investigação precisos que descartem as ilusões dos sentidos, os preconceitos, as crenças pessoais (religiosas ou não), as superstições; • A ciência precisa de um método científico.

    47. Como são aplicados os métodos que proporcionam uma investigação rigorosa e com possibilidade de controle?

    48. MÉTODO Lembrando: Do grego meta (“ao longo de”) e hodós (“via”, “caminho”), é um conjunto de regras que nos orientam para alcançar um determinado objetivo; Na ciência, o método envolve procedimentos para aperfeiçoar o conhecimento e critérios para reconhecer quando uma hipótese ou teoria é melhor que outra; Conjunto de etapas ordenadamente dispostas a serem executadas na investigação de um fenômeno.

    49. PORQUE O MÉTODO É UTILIZADO? • Produzir um conhecimento prático e aplicável, que pode ser usado diretamente para a previsão e/ou controle de fenômenos e ocorrências; • Utilizar uma expressão objetiva e detalhada não apenas do saber que é produzido mas também do modo como se chegou até ele, permitindo um conhecimento: • 1. Amplamente compartilhável e transmissível, independente do conteúdo; • 2. Verificável e passível de quantificação do grau de confiança que se pode ter nele.