15 equil brio qu mico n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
15 Equilíbrio Químico PowerPoint Presentation
Download Presentation
15 Equilíbrio Químico

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 32

15 Equilíbrio Químico - PowerPoint PPT Presentation


  • 267 Views
  • Uploaded on

15 Equilíbrio Químico. Nomes: Jucimar 14238 Thiago 14248 Professor: Élcio Barrak. 15.1 Conceito de equilíbrio químico. Haverá equilíbrio químico somente quando as velocidades das reações opostas forem iguais numa reação reversível.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about '15 Equilíbrio Químico' - dahlia


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
15 equil brio qu mico

15 Equilíbrio Químico

Nomes: Jucimar 14238

Thiago 14248

Professor: Élcio Barrak

15 1 conceito de equil brio qu mico
15.1 Conceito de equilíbrio químico

Haverá equilíbrio químico somente quando as velocidades das reações opostas forem iguais numa reação reversível.

A + B  C + D reação direta

C + D  A + B reação inversa

A + B  C + D reação reversível

exemplos
Exemplos:
  • Equilíbrio entre a água líquida e gasosa.
  • O processo Haber para obtenção da amônia.
caracter sticas
Características:
  • Igualdade das velocidades
  • Equilíbrio dinâmico
  • Características macroscópicas e microscópicas
  • Sistema fechado
15 2 equil brios heterog neos
15.2 Equilíbrios heterogêneos

Quando as substâncias de uma reação possuem fases diferentes caracterizamos o equilíbrio como heterogêneo.

Exemplo:

15 3 a constante de equil brio
15.3 A constante de equilíbrio

Em 1864, Cato Maximilian Guldberg (1836-1902) e Peter Waage (1833-1900) postularam a lei da ação das massas, que expressa a relação entre as concentrações dos reagentes e produtos presentes no equilíbrio em qualquer reação.

slide7
Suponha que tenhamos a seguinte equação geral de equilíbrio:

De acordo com a lei de ação das massas, a condição de equilíbrio é expressa pela seguinte equação, quando todos os reagentes e produtos estiverem na fase gasosa:

Quando os reagentes e os produtos estão em solução, a condição de equilíbrio é expressa pelo mesmo tipo de equação, mas com concentrações em quantidade de matéria por litro:

slide8
Exemplo:

Para o processo Haber, a expressão de equilíbrio é:

slide9
A expressão da constante de equilíbrio depende apenas da estequiometria da reação, e não de seu mecanismo.
  • O valor da constante de equilíbrio a certa temperatura não depende das quantidades iniciais de reagentes e produtos. Também não importa se outras substâncias estão presentes, desde que elas não reajam com reagentes ou produtos.
  • O valor da constante de equilíbrio varia apenas com a temperatura.
ordem de grandeza das constantes de equil brio
Ordem de grandeza das constantes de equilíbrio

Produtos

Em geral,

 1: equilíbrio encontra-se à direita; predominam os produtos.

 1: equilíbrio encontra-se à esquerda; predominam os reagentes.

Reagentes

Reagentes

Produtos

o sentido da equa o qu mica e
O sentido da equação química e
  • Uma vez que um equilíbrio pode ser abordado a partir de qualquer sentido, o sentido no qual escrevemos a equação química para um equilíbrio é arbitrário.
slide13
Por exemplo, podemos representar o equilíbrio como:

Para essa equação, podemos escrever:

(a 100ºC)

Poderíamos igualmente considerar esse mesmo equilíbrio em termos da reação inversa:

A expressão de equilíbrio seria dada por:

(a 100ºC)

outras maneiras de manipular as equa es qu micas e os valores de
Outras maneiras de manipular as equações químicas e os valores de

1) Exatamente como os valores de das reações direta e inversa são recíprocos um ao outro, as constantes de equilíbrio das reações apresentadas de outras maneiras também estão relacionadas.

slide15
Por exemplo, se fôssemos multiplicar o equilíbrio original por 2, teríamos:

A expressão da constante de equilíbrio para essa equação é:

slide16
2) Algumas vezes, como em problemas nos quais utilizamos a lei de Hess, devemos usar as equações montadas em duas ou mais etapas. Obtemos a equação líquida somando as equações individuais e cancelando os termos idênticos.
slide17
Considere as duas reações seguintes, e suas constantes de equilíbrio a 100ºC:

A soma dessas duas equações é:

e a expressão da constante de equilíbrio para a equação líquida é:

slide18
Como a expressão da constante de equilíbrio da equação líquida é o produto das duas expressões, sua constante de equilíbrio é o produto das duas constantes de equilíbrio individuais:

0,42 x 7,2 = 3,0

para resumir
Para resumir:
  • A constante de equilíbrio de uma reação no sentido inverso é o inverso da constante de equilíbrio da reação no sentido direto.
  • A constante de equilíbrio de uma reação multiplicada por um número é a constante de equilíbrio elevada à potência igual àquele número.
  • A constante de equilíbrio para uma reação líquida montada em duas etapas é o produto das constantes de equilíbrio para as etapas individuais.
unidades das constantes de equil brio
Unidades das constantes de equilíbrio

Os valores que substituímos na expressão de equilíbrio são na realidade razões entre pressão e pressão de referência, , ou entre a concentração mol por litro e uma concentração de referência, .

Dividindo cada pressão parcial pela pressão de referência (1 atm), ou cada concentração molar por uma concentração de referência (1 mol/L), obtemos uma constante de equilíbrio que é adimensional.

15 4 c lculo das constantes de equil brio
15.4 Cálculo das constantes de equilíbrio

O método é semelhante ao descrito na lei da ação das massas.

  • Tabelamos as concentrações iniciais e no equilíbrio de todas as espécies químicas na expressão da constante de equilíbrio.
  • Calculamos a variação de concentração para as espécies cuja concentração inicial e no equilíbrio são conhecidas.
  • Usando os coeficientes da equação química balanceada, calculamos as variações de concentração para todas as outras espécies no equilíbrio.
  • Calculamos as concentrações no equilíbrio, usando as concentrações iniciais e as variações ocorridas.
15 5 aplica es das constantes de equil brio
15.5 Aplicações das constantes de equilíbrio

Vimos que a ordem de grandeza de indica a extensão na qual uma reação prosseguirá.

A constante de equilíbrio também permite-nos:

  • Determinar o sentido no qual uma mistura de reação prosseguirá para atingir o equilíbrio;
  • Calcular as concentrações de reagentes e produtos quando o equilíbrio foi atingido
determinando o sentido da rea o
Determinando o sentido da reação

Quando substituímos as pressões parciais ou concentrações dos produtos e reagentes na expressão da constante de equilíbrio, o resultado é conhecido como quociente da reação representado pela letra Q.O quociente da reação será igual à constante de equilíbrio, , apenas se o sistema estiver em equilíbrio:

Quando Q > , as substâncias do lado direito da equação química reagirão para formar as substâncias da esquerda.

Se Q < , a reação atingirá o equilíbrio formando mais produtos; ela caminha da esquerda para a direita.

slide24

< Q

> Q

= Q

15 6 princ pio de le ch telier
15.6 Princípio de Le Châtelier

Um sistema em equilíbrio é perturbado pela variação de temperatura, pressão ou concentração de um dos componentes; o sistema desloca sua posição de equilíbrio de tal forma a neutralizar o efeito do distúrbio.

Denominado por princípio de deslocamento de equilíbrio.

slide27
O princípio do deslocamento de equilíbrio se baseia na variação de:
  • Concentração
  • Pressão e volume
  • Temperatura
varia o da concentra o
Variação da concentração

Quando aumentamos a concentração de uma substância num sistema em equilíbrio, deslocamos o equilíbrio no sentido de consumir essa substância.

Quando diminuímos a concentração de uma substância num sistema em equilíbrio, deslocamos o equilíbrio no sentido de produzir essa substância.

varia o de press o e volume
Variação de pressão e volume

Um aumento da pressão no sistema desloca o equilíbrio no sentido da reação que ocorre com contração de volume.

Um diminuição da pressão no sistema desloca o equilíbrio no sentido da reação que ocorre com expansão de volume.

varia o de temperatura
Variação de temperatura

Aumentando a temperatura, o equilíbrio se desloca para o lado endotérmico da reação.

Diminuindo a temperatura o equilíbrio se desloca para o lado exotérmico da reação.

efeito dos catalisadores
Efeito dos catalisadores

Com catalisador, a energia de ativação da reação diminui aumentando a sua velocidade, fazendo com que o equilíbrio seja atingido rapidamente.

Obs.: O catalisador nunca desloca o equilíbrio.

refer ncia bibliogr fica
Referência Bibliográfica
  • QUÍMICA: A CIÊNCIA CENTRAL

9ª Edição (Brown, LeMay, Bursten), Editora Pearson.