quedas no idoso n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
QUEDAS NO IDOSO PowerPoint Presentation
Download Presentation
QUEDAS NO IDOSO

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 34

QUEDAS NO IDOSO - PowerPoint PPT Presentation


  • 332 Views
  • Uploaded on

IV ENCONTRO ESTADUAL DA SAÚDE DA PESSOA IDOSA. QUEDAS NO IDOSO. Newton Luiz Terra. QUEDAS EM IDOSOS. Quedas e fraturas representam um problema de saúde pública relevante em função da longevidade da população gaúcha.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'QUEDAS NO IDOSO' - chandler-nelson


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
quedas em idosos
QUEDAS EM IDOSOS
  • Quedas e fraturas representam um problema de saúde pública relevante em função da longevidade da população gaúcha.
  • Associadas a elevados índices de morbimortalidade, redução da capacidade funcional, aumento da fragilização e institucionalização e óbito precoce
  • RGS é o primeiro Estado brasileiro em número proporcional de idosos ( 13,6%) = 1.500.000
  • RGS ocupa o segundo lugar em expectativa de vida ( 75,6)
  • Gaúcha vive 79,3 anos
  • Gaúcho vive 71,9 anos
quedas em idosos1
QUEDAS EM IDOSOS
  • Mais idoso > maior tendência a doenças
  • Mais doenças> mais fragilidade
  • Mais fragilidade > mais quedas
  • FRAGILIDADE: síndrome multidimensional que envolve uma interação complexa dos fatores biológicos, psicológicos e sociais no curso de vida individual, que culmina com um estado de maior vulnerabilidade, associado ao maior risco de ocorrências de desfechos clínicos adversos- declínio funcional, quedas, hospitalização, institucionalização e morte
fragilidade quedas no idoso
FRAGILIDADE-QUEDAS NO IDOSO
  • 1- Perda de peso não intencional ( 5% em 1 ano)
  • 2- Performance muscular reduzida
  • 3- Sensação de fadiga ( resistência física diminuída)
  • 4- Velocidade de caminhada lenta ( lentidão)
  • 5- Baixo nível de atividade física
  • DEF:perda da massa muscular esquelética que ocorre devido ao envelhecimento, tendo como conseqüência a redução da força física e a incapacidade para executar as atividades de vida diária
quedas no idoso1
QUEDAS NO IDOSO

OSTEOPOROSE

  • Um dos maiores problemas de saúde pública que afeta cerca de 12 milhões de brasileiros
  • DEF: distúrbio osteometabólico caracterizado pela diminuição da densidade mineral óssea com deterioração da microarquitetura óssea levando a uma aumento da fragilidade esquelética e do risco de fraturas
epidemiologia
EPIDEMIOLOGIA
  • São comuns em idosos e podem levar a lesões e declínio das funções além da hospitalização e institucionalização.
  • Consequência mais temida: fratura (colo fêmur, punho, vértebras, costelas, úmero, tornozelo)
epidemiologia1
EPIDEMIOLOGIA
  • 30-40% dos idosos sofrem quedas
  • Idoso saudável: 15% ao ano
  • Pacientes institucionalizados: 50% caem a cada ano.
  • 60% com história de queda no ano anterior poderá sofrer nova queda
defini o
DEFINIÇÃO
  • Evento não esperado, no qual o idoso cai de um nível superior para um inferior, ou no mesmo nível, de forma involuntária, com ou sem perda de consciência e com ou sem lesão
consequ ncias
CONSEQUÊNCIAS
  • Lesões de partes moles : 40 a 60%

Fraturas

1% resulta em fratura de fêmur.

25% morrem em 6 meses.

60% tem mobilidade restringida.

25-75% dos idosos da comunidade não recuperam o estado funcional anterior

Incapacidade

consequ ncias1
CONSEQUÊNCIAS
  • Hematoma cerebral
  • Imobilidade
  • Hospitalização
  • Institucionalização
  • Perda da independência
  • Ansiedade: isolamento, medo, diminuição das suas atividades
  • Morte
fatores de risco
FATORES DE RISCO
  • Idade > 85 anos
  • Sexo feminino
  • História de queda prévia
  • Déficit cognitivo
  • Fraqueza das extremidades
  • Problemas de equilíbrio
  • Uso de medicamentos psicotrópicos
  • Osteoartrose
fatores de risco1
FATORES DE RISCO
  • AVC ( Derrame) prévio
  • Hipotensão ortostática
  • Tonturas
  • Anemia
  • Polipatologias (Alzheimer, artrose, depressão, psicose, doença cardiovascular, cerebrovascular, diabete, osteoporose, Parkinson)
  • Fragilidade
causas
CAUSAS
  • Fatores intrínsecos ( condições clínicas,visão e audição diminuídas, modificações do envelhecimento)
  • Fatores extrínsecos ( medicamentos, doença aguda, ambiente, uso inapropriado de órteses)
comunidade
COMUNIDADE
  • Acidentes/ambiente 37%
  • Fraqueza desequilíbrio 12%
  • Drop attak 11%
  • Tontura/vertigem 8%
  • Hipotensão ortostática 5%
  • Doença aguda,confusão, drogas, visão 18%
  • Desconhecida 8%
institui es
INSTITUIÇÕES
  • Fraqueza generalizada 31%
  • Problemas ambientais 27%
  • Hipotensão 16%
  • Doença aguda 5%
  • Problemas de equilíbrio 4%
  • Drogas 5%
  • Desconhecida 10%
quedas
QUEDAS
  • Problemas de visão:redução da acuidade visual por causas diversas
  • Problemas de audição : baixa acuidade auditiva, excesso de cerúmen, Doença de Meniere
  • Doenças neurológicas: Doença de Parkinson, AVC, convulsões,doenças do cerebelo, demências, Drop attak, insuficiência vértebro basilar, síncope
  • Doenças músculo esqueléticas : artrose de joelho e de coluna, fraqueza muscular, deformidades nos pés (joanetes), doenças da coluna, osteoporose
quedas1
QUEDAS
  • Doenças do coração: infarto do miocárdio, angina, hipotensão, arritmias cardíacas, estenose aórtica, prolapso de válvula mitral,pressão alta
  • Doenças respiratórias: bronquite crônica, enfisema
  • Doenças psiquiátricas: depressão, pânico, neurose, psicose
  • Doenças digestivas: sangramentos digestivos, diarréia
  • Doenças metabólicas: hipotireoidismo,hipoglicemia,hiponatremia
quedas2
QUEDAS
  • Doenças hematológicas: anemia
  • Causas urológicas: incontinência urinária
  • Medicamentos: drogas sedativas, indutores do sono, antiinflamatórios, drogas para depressão e pressão alta
evitar
EVITAR

Causas ambientais

  • Pouca iluminação
  • Desníveis dentro da residência
  • Tapetes soltos
  • Assoalhos escorregadios
  • Carpetes espessos
  • Falta de corrimão em escadas e áreas de circulação
  • Uso de chinelos
evitar1
EVITAR
  • Sapatos desamarrados
  • Degraus altos
  • Banheiros sem barra de apoio,
  • Cordas, cordões e fios no chão
  • Móveis deslizantes
quedas3
QUEDAS
  • Degraus da escada com altura ou largura irregular
  • Degraus sem sinalização de término
  • Escadas com piso muito desenhado dificultando a visualização de cada degrau
  • Assentos sanitários baixos
  • Banheira escorregadia
  • Cama alta
  • Cadeiras com altura inadequada e sem apoio lateral
  • Prateleiras muito altas
  • Animais soltos pela casa
quedas4
QUEDAS
  • Brinquedos espalhados pelo chão
  • Entulhos e lixos em locais inapropriados
  • Cortinas pesadas e muito compridas
  • Colchas e lençóis muito compridos nas camas
  • Roupas compridas arrastando pelo chão
  • Calçamentos com pisos irregulares
  • Raízes de árvores expostas nas calçadas
quedas5
QUEDAS
  • Prédios públicos e espaços abertos sem acessibilidade adequada ( rampas, escadas, pisos)
  • Ambientes mal planejados e mal construídos com barreiras arquitetônicas.
  • 50% dos idosos que caem relatam ter tropeçado e caído em meios fios, calçadas irregulares ou em escadas
envelhecimento
ENVELHECIMENTO
  • Mais de 80 anos
  • Marcha lenta
  • Passos curtos
  • Imobilidade
  • Equilíbrio diminuído
  • Debilidade
  • Fragilidade
envelhecimento1
ENVELHECIMENTO
  • Deterioração dos mecanismos de equilíbrio
  • Instabilidade postural
  • Baixa aptidão física
  • Diminuição da força muscular
  • Diminuição da visão e audição
  • Álcool
  • Tontura/vertigem por causas diversas
avalia o
AVALIAÇÃO
  • Realizada por um geriatra
  • Queda prévia
  • Fatores de risco
  • Onde ?
  • Como?
  • Quando?
  • Sintomas
  • Perda da consciência
  • Uso de medicamentos
  • Ambiente
avalia o1
AVALIAÇÃO
  • Avaliação do equilíbrio e marcha através de testes (comprimento e altura do passo, simetria e continuidade do passo, caminho, tronco, postura da caminhada, posição dos calcanhares, etc)
  • Avaliação da audição e visão
  • Avaliação ortopédica ( pés, coluna, joelhos)
  • Dificuldade de levantar
  • Instabilidade em pé
preven o
PREVENÇÃO
  • Buscar a causa: complexa e nem sempre descoberta com facilidade
  • Prevenção e tratamento:causa neurológica, hipotensão,arritmia cardíaca, ambiental, etc.
preven o1
PREVENÇÃO
  • Reforço muscular
  • Treino da marcha e equilíbrio
  • Modificação do ambiente
  • Retirada de medicamentos culpados
  • Intervenção nos fatores de risco ambientais e de saúde
  • Exercícios
  • Alimentação adequada
  • Melhora da visão e audição
preven o2
PREVENÇÃO
  • Intervenções multidisciplinares
  • Atividade física regular. Idoso que se exercita regularmente tem menos chance de queda. Aumenta a força muscular, melhora o equilíbrio, melhora a flexibilidade, a coordenação motora e a propriocepção.
  • Estabelecer um ambiente seguro
quedas6
QUEDAS
  • CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • São a principal causa de morte por trauma em idosos
  • Além das seqüelas físicas pode haver comprometimento familiar
quedas7
QUEDAS
  • ABORDAGEM
  • Especificar contexto envolvido
  • Detectar problemas visuais, fraqueza muscular,doençasortopédicas, reumáticas, neurológicas que dificultem a marcha e o equilíbrio. Medicamentos novos
  • Perda de consciência ( arritmia, doença valvulares, transtorno neurológico)
  • Pode ser manifestação inicial de doença aguda
  • Polifarmácia
  • Diagnosticar precocemente a osteoporose através da Densitometria óssea. Minimizar conseqüências.