slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Intoxicação Natural com Cynodon Dactylon PowerPoint Presentation
Download Presentation
Intoxicação Natural com Cynodon Dactylon

Loading in 2 Seconds...

  share
play fullscreen
1 / 13
Download Presentation

Intoxicação Natural com Cynodon Dactylon - PowerPoint PPT Presentation

chace
209 Views
Download Presentation

Intoxicação Natural com Cynodon Dactylon

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Intoxicação Natural com CynodonDactylon Nome : Cesar Augusto Caproni e Lucas Ferreira Mendonça

  2. Cynodondactylon • Gramínea perene • Rasteira com estolões superficiais • Rizomas profundos • Crescimento dos colmos de até 50 cm • Inflorescência com 4 a 8 espigas de 2-5 cm de largura Introdução

  3. Forragem que adapta-se à solos ácidos como alcalinos • Grande tolerância a restrições ambientais • Rápida recuperação em áreas afetadas por pastejo • Apresenta teor elevado de HCN • Cita-se casos de intoxicação em Uruguai, Brasil, Estados Unidos, Cuba.

  4. Princípio Tóxico • Dois tipos de intoxicação : • Quadro tremorgênico (tremores musculares, ataxia, hipermetria, aumento da base de sustentação, desequilíbrio, atitude de alerta, decúbito e, em raros casos, morte.) • Intoxicação por ácido cianídrico

  5. Sintomas • Afeta bovinos em diferentes idades e categorias , ovinos, equinos e caprinos • Sinais clínicos similares à intoxicações que produzem alterações do sistema nervoso central, assim como o consumo de Paspalumsp. • Manifestação ocorre após o manejo . • Sinais clínicos : movimentos laterias da cabeça, tremores musculares, ataxia, membros rígidos e abertos.

  6. Início dos sinais acontece entre 2 e 15 dias após o começo da ingestão e o retorno a normalidade é semelhante . • Toxicidade pode ocorrer por 3 anos consecutivos • Morbidade : 100 % • Mortalidade : 4 %

  7. Material e Métodos • Fazenda de cria e engorda, localizada no município de Saladillo/Argentina; • Observou-se vacas prenhas com sinais clínicos • Pastagens : 85% de Festuca, Agropiro, Lotus e Azevém . • Manejo rotativo: piquetes de 1,5 ha com ocupação de 2 dias. • 219 vacas prenhas próximas ao parto

  8. Animais foram introduzidos em um piquete com 0,25ha de eucalipto , onde havia grande quantidade de C. dactylon . • No dia seguinte , 35 vacas apresentavam os sintomas nervosos . • Os animais ,então, foram transferidos de piquete e ocorreu a morte de 5 animais e a o decúbito lateral e esternal de 80. • Tratamento a base de minerais e vitaminas , com um retorno a noramlidade de 74 % dos caídos após 24 hrs. • Total de mortes : 14 animais(6,4%)

  9. Necrópsia (3 animais) • Presença de C. dactylon em maior porcentagem no conteúdo gastrointestinal • Presença evidente de sais minerais • Ausência de altereções patológicas • Tabela1.- Valores de Calcio, Fósforo e Magnesio (mg/%.) em3 vacas

  10. Reprodução Experimental : • Vaca 390 kg • Consumo de 10g/Kg durante 48 hrs • Após 2 dia de consumo, houve manifestação clínica • Rejeição total ao C. dactylon após ocorrência dos primeiros sintomas

  11. Discussão • Sintomologia clínica e ausência de alterações patológicas na necrópsia ratifica a literatura existente • Confundível com intoxicação por Paspalumsp parasitado por Clavicepspaspali, por Azevem parasitado por Acremoniumlolli e deficiências minerais , como a hipomagnesemia ; • No Paspalumsp. , a intoxicação é bastante sazonal , ocorrendo durante a inflorescência, que é o momento onde o fungo produz as toxinas . ( Feveireiro – Abril)

  12. A ataxia por azevém ocorre durante o pastejo da porção basal desta (> conc. toxina) e é mais comum no mês de Março; • A hipomagnesemia acontece nos meses de agosto(27%),setembro(24%), julho(16%), junho(13%) e as categorias mais sensíveis são vacas paridas e prenhas . ( <1 mg /100 ml)

  13. Obrigado.