ci ncia religi o e espiritualidade
Download
Skip this Video
Download Presentation
CIÊNCIA, RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 50

CIÊNCIA, RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE - PowerPoint PPT Presentation


  • 57 Views
  • Uploaded on

CIÊNCIA, RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE. Valdemar W. Setzer Depto. de Ciência da Computação da USP Ver esta apresentação e artigo em www.ime.usp.br/~vwsetzer google: valdemar setzer home. TÓPICOS.  1. Introdução   2. Hipótese vs. crença  3. A atitude científica  4. O materialismo

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'CIÊNCIA, RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE' - calder


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
ci ncia religi o e espiritualidade
CIÊNCIA, RELIGIÃO EESPIRITUALIDADE

Valdemar W. Setzer

Depto. de Ciência da Computação da USP

Ver esta apresentação e artigo emwww.ime.usp.br/~vwsetzergoogle: valdemar setzer home

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

t picos
TÓPICOS

 1. Introdução

 2. Hipótese vs. crença

3. A atitude científica

 4. O materialismo

 5. O espiritualismo

 6. Combinações de materialismo e espiritualismo

 7. A ciência moderna

 8. Conclusões

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

1 introdu o
1. Introdução

O SER HUMANO É UMA MÁQUINA?

(favor responder

SIM ou NÃO

no papelzinho)

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

1 introdu o cont
1. Introdução (cont.)
  • Desculpem, mas a pergunta estava ERRADA:
  • Cada máquina é um artefato projetado e construído por seres humanos
    • Eventualmente com a ajuda de outras máquinas
  • QUEM projetou e construiu cada ser humano?
    • Certamente não um outro ser humano

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

1 introdu o cont1
1. Introdução (cont.)
  • Dicionários definem máquina englobando o ser humano:
      • “Sistema que produz trabalho”
      • Aurélio: “Fig. Entidade ou organismo complexo”

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

1 introdu o cont2
1. Introdução (cont.)

Pergunta correta:

O SER HUMANO

É UM

SISTEMA PURAMENTE FÍSICO?

A pergunta é relevante para o tema, pois se ele é um sistema puramente físico, religião e espiritualidade não fazem sentido

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

t picos1
TÓPICOS

 1. Introdução

2. Hipótese vs. crença

3. A atitude científica

4. O materialismo

5. O espiritualismo

6. Combinações de materialismo e espiritualismo

7. A ciência moderna

8. Conclusões

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

2 hip tese vs cren a
2. Hipótese vs. crença

Qual a capacidade que o ser humano mais desenvolveu no decorrer da história?

O INTELECTO

Hoje em dia estamos rodeados de resultados de nosso pensamento

Resultado:

  • Queremos compreender tudo, e não

aceitar algo sem compreender

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

2 hip tese vs cren a cont
2. Hipótese vs. Crença (cont.)

A base para a compreensão é a

HIPÓTESE DE TRABALHO

  • Formulada claramente, por meio de conceitos
  • Baseada em
    • uma visão de mundo
      • que deveria ser consciente e coerente
    • evidências observáveis
      • interior e exteriormente
  • Sempre sujeita a
    • comprovação
    • revisão
  • Base para uma teoria
    • Conjunto de hipóteses e deduções a partir

delas

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

2 hip tese vs cren a cont1
2. Hipótese vs. Crença (cont.)

CRENÇA

  • É sempre baseada em
    • sentimentos
      • são sempre semi-conscientes
  • Não está sujeita a
    • comprovação
    • revisão
  • Não é a base para uma teoria
  • Não é a base para compreensão
  • Fecha as portas para a compreensão

e a comprovação experimental

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

2 hip tese vs cren a cont2
2. Hipótese vs. Crença (cont.)

Exemplos de crenças

  • Criacionismo bíblico
    • Claramente, são símbolos
      • “Dias” da “criação” não são de 24 horas
      • Evidência: Parábola do Semeador (Mateus 13)
      • Dever-se-ia estudar quais realidades estão representadas nesses símbolos
  • Deus
    • Perdeu-se a vivência e a noção dessa entidade
    • Virou mera abstração
    • Eu não uso

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

t picos2
TÓPICOS

 1. Introdução

 2. Hipótese vs. crença

3. A atitude científica

4. O materialismo

5. O espiritualismo

6. Combinações de materialismo e espiritualismo

7. A ciência moderna

8. Conclusões

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

3 a atitude cient fica
3. A atitude científica

Uma das maiores conquistas dahumanidade. Características:

  • Uso de hipóteses de trabalho e não de crenças
  • Curiosidade constante (procurar compreender o não compreendemos) Ex: por que um avião voa?
  • Observação objetiva do mundo (exterior e interior) – abertura
  • Sentimentos não são usados para a cognição
    • Mas não devem ser ignorados

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

3 a atitude cient fica cont
3. A atitude científica (cont.)

Características (cont.)

  • Descrição de fenômenos e formulação de conceitos exclusivamente dirigida para a compreensão, e universais
  • Não ter absolutamente nenhum preconceito
  • Visão de mundo adotada é coerente; não contém contradições
  • Há interesse permanente por opiniões e fatos contrários às próprias
  • Observação de fenômenos e descrição dos mesmos deve ser feita em plena consciência de vigília

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

3 a atitude cient fica cont1
3. A atitude científica (cont.)

Qualquer atitude contrária a essas características será denominada de

ATITUDE ANTI-CIENTÍFICA

Atenção:

  • Estamos tratando apenas da cognição
  • A atitude científica não engloba toda a atividade humana:
    • Atividades sociais
    • Atividades artísticas

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

t picos3
TÓPICOS

 1. Introdução

 2. Hipótese vs. crença

 3. A atitude científica

4. O materialismo

5. O espiritualismo

6. Combinações de materialismo e espiritualismo

7. A ciência moderna

8. Conclusões

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

4 o materialismo
4. O materialismo

Universo é composto apenas de matéria e energia físicas. Só existem fenômenos físicos.

Dois tipos:

  • Materialismo científico
    • Emprega uma atitude científica
  • Materialismo-crença
    • Adota atitudes anti-científicas
      • Ex: preconceito de não examinar outras cosmovisões

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

4 o materialismo cont
4. O materialismo (cont.)

Exemplos de materialismo-crença:

  • “É óbvio que o pensamento é gerado pelo cérebro, como poderia ser diferente”?
  • “É óbvio que a teoria da evolução de Darwin é verdadeira, como poderia ser diferente?”

A maneira como uma pessoa pensa e sua visão de mundo é que a classificam como

MATERIALISTA

  • Não adianta ficar falando em “Deus” a todo o momento

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

4 o materialismo cont1
4. O materialismo (cont.)

Outras denominações:

  • ATEU (Grécia, ἄθεος, sec. V A.C.)
    • Nega a existência de Deus ou deuses
      • É preciso caracterizá-los!
  • CÉTICO (sofistas da Grécia, séc V A.C.)
    • Não acredita em nada
      • Nem em sua própria existência?
  • POSITIVISTA (A. Comte, 1830)
    • Baseado na experiência física (empirismo)
  • AGNÓSTICO (T. Huxley, 1860)
    • Só usa a razão e fatos demonstráveis; contra a metafísica e realidades (físicas) incognoscíveis

A denominação “MATERIALISTA” parece ser melhor!

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

4 o materialismo cont2
4. O materialismo (cont.)

Conseqüências do materialismo:

  • Deve negar o livre arbítrio e a liberdade
    • A matéria e a energia físicas estão inexoravelmente sujeitas às “leis” e condições físicas
  • A individualidade humana deve ser devida somente a
    • hereditariedade
    • influências do meio-ambiente
  • Deve negar a responsabilidade individual e coletiva
    • Caso de Einstein (determinista, spinozista)

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

4 o materialismo cont3
4. O materialismo (cont.)

Conseqüências do materialismo (cont.)

  • Deve negar a existência de moral
    • Não confundir com ética
      • Regras e leis estabelecidas por um grupo
        • por exemplo, profissional
  • Deve negar o amor altruísta
    • O ser humano deve ser regido por
      • Egoísmo
      • Ambição
      • Instintos
      • Medo
      • Condicionamentos
  • Deve negar um sentido para o universo e para a vida humana

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

4 o materialismo cont4
4. O materialismo (cont.)

Estamos na era do materialismo!

  • Foi necessário passar por ele para adquirirmos
    • Livre arbítrio, liberdade
    • Individualidade superior
      • que transcende a hereditariedade e o meio- ambiente
    • Auto-consciência

Mas agora é necessário suplantá-lo, sem

abandonar tudo de bom que ele nos deu

  • Além dos itens acima, a

ATITUDE CIENTÍFICA

  • MAS COMO?

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

t picos4
TÓPICOS

 1. Introdução

 2. Hipótese vs. crença

 3. Conseqüências da hipótese de trabalho

 4. O materialismo

5. O espiritualismo

6. Combinações de materialismo e espiritualismo

7. A ciência moderna

8. Conclusão

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

5 o espiritualismo
5. O espiritualismo

Admite, além da existência da matéria e da energia físicas e processos físicos, também “substâncias” não-físicas e seus processos.

  • Evidência universal remota no tempo:
    • Origem da matéria e da energia físicas
  • Evidência universal remota no espaço:
    • Limites do universo
  • Evidências locais e atuais
    • Formas dos seres vivos, simetrias
    • Aparentemente, é seguido um “modelo”
      • Mas modelos mentais não são físicos!

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

5 o espiritualismo1
5. O espiritualismo

Modelos seguidos por seres vivos

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

5 o espiritualismo cont
5. O espiritualismo (cont.)
  • Evidências interiores (pessoais!)
    • Liberdade do pensamento
      • Concentração mental
      • Escolha do próximo pensamento
        • Exercício das lâmpadas
        • Exercício do mostrador com números vermelhos
          • Visualizar o mostrador e “falar” interiormente os números de 100 a 0
    • Portanto,

Máquinas jamais vão pensar como o ser humano

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

5 o espiritualismo cont1
5. O espiritualismo (cont.)
  • Evidências interiores (pessoais!)
    • Individualidade e subjetividade das sensações e dos sentimentos
      • Máquinas não têm individualidade
      • Portanto,

máquinas jamais vão ter sensações e sentimentos

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

5 o espiritualismo cont2
5. O espiritualismo (cont.)

Uma de minhas hipóteses fundamentais é de que

  • pensamento
  • sensação e sentimento
  • vontade

não são fenômenos puramente físicos

  • Mas dependem do organismo físico para termos consciência deles (cf. Rudolf Steiner)
    • “Pensar” = “refletir”
      • O cérebro “reflete” os pensamentos para a consciência

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

5 o espiritualismo cont3
5. O espiritualismo (cont.)

Nessa hipótese, também não são fenômenos puramente físicos

  • O crescimento
  • A regeneração dos tecidos e órgãos
  • A forma nos seres vivos
  • A consciência
  • A reprodução
  • Sono, sonho, morte
  • etc.

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

5 o espiritualismo cont4
5. O espiritualismo (cont.)

Como no caso do materialismo, há doistipos de espiritualismo:

  • Espiritualismo científico
    • Baseado em atitudes científicas
      • Hipóteses de trabalho
      • Falta de preconceitos
      • ...
  • Espiritualismo-crença
    • Baseado em atitudes anticientíficas
      • Crença, fé
      • Dogmas
      • Preconceitos
      • Estrutura hierárquica
        • Vai contra a tendência moderna de todos quererem ser tratados como adultos responsáveis

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

5 o espiritualismo cont5
5. O espiritualismo (cont.)

As religiões instituídas são em geral espiritualistas-crentes

  • É por isso que não atraem pessoas com uma certa cultura que
    • procuram compreensão
    • não se satisfazem com
      • dogmas
      • rituais incompreensíveis
        • até pelos oficiantes
        • tinham um profundo significado na antiguidade, mas o ser humano mudou
          • Ex: o batismo de adultos (como o que fazia João Batista – experiência de quase-morte)
  • Espiritualismo-crença = misticismo

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

5 o espiritualismo cont6
5. O espiritualismo (cont.)

Só de um ponto de vista espiritualista pode-se investigar e falar de

  • Liberdade
  • Moral
  • Responsabilidade
  • Dignidade
  • Individualidade superior
  • Sentido para a vida humana e para o universo
  • ...

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

5 o espiritualismo cont7
5. O espiritualismo (cont.)

O que pode ser investigado e compreendido por meio de um espiritualismo científico:

  • A origem e o passado da humanidade
    • Para o materialismo, os mitos, a Bíblia, os escritos antigos são meras “historinhas” inventadas, sem realidade subjacente
  • A origem e o significado das religiões antigas
    • Somente compreendendo as religiões pode-se ter tolerância para com elas

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

5 o espiritualismo cont8
5. O espiritualismo (cont.)

Por meio de um espiritualismo científicopodem ser investigados e compreendidos (cont.):

  • A constituição humana antiga e moderna
    • Para o materialismo, ela não mudou
  • As razões das diferenças entre seres humanos, animais, plantas e minerais

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

5 o espiritualismo cont9
5. O espiritualismo (cont.)

Por meio de um espiritualismo científicopodem ser investigados e compreendidos (cont.):

  • Qual o sentido da vida humana
    • Conhecimento → Liberdade → Amor altruísra
      • Só a aquisição de conhecimento pode levar, p.ex., a se fazerem bombas para matar pessoas
  • Nascimento, morte
    • Se ambos são acasos, a vida não tem sentido
  • Sono, sonho

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

5 o espiritualismo cont10
5. O espiritualismo (cont.)

Por meio de um espiritualismo científicopodem ser investigados e compreendidos (cont.)

  • Destino (carma)
    • Não vai contra a liberdade
      • Coloca-nos em certa situação; o que nela fazemos, pode ser feito em liberdade
  • Significado das doenças
  • ...

Por meio dele podem ser dados impulsos para toda a vida humana:

  • Educação, saúde, auto-desenvolvimento, agricultura, artes, arquitetura, organização social e empresarial, ciência, etc.

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

t picos5
TÓPICOS

 1. Introdução

 2. Hipótese vs. crença

 3. Conseqüências da hipótese de trabalho

 4. O materialismo

 5. O espiritualismo

6. Combinações de materialismo e espiritualismo

7. A ciência moderna

8. Conclusão

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

6 combina es dos tipos
6. Combinações dos tipos
  • Materialismo pode ser científico em certas áreas, e ser materialismo- crença em outras
    • Ex: atitude científica no laboratório e ter preconceito contra qualquer espiritualismo
  • Idem para o espiritualismo
    • Ex: acreditar no criacionismo bíblico e adotar atitude científica (sem crenças) quanto a fatos científicos da Física

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

6 combina es dos tipos cont
6. Combinações dos tipos (cont.)
  • Combinações de materialismo e de espiritualismo
    • Ex: cientistas religiosos

Todas essas combinações são incoerentes.

Visão de mundo coerente só pode ser

  • Materialismo científico

ou

  • Espiritualismo científico

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

t picos6
TÓPICOS

 1. Introdução

 2. Hipótese vs. crença

 3. Conseqüências da hipótese de trabalho

 4. O materialismo

 5. O espiritualismo

 6. Combinações de materialismo e espiritualismo

7. A ciência moderna

8. Conclusão

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

7 a ci ncia moderna
7. A ciência moderna

É essencialmente materialista-crente

  • Explicações apenas físicas
  • Baseadas em medidas (tudo quantificado)
  • Reducionista (perde a noção holística)
  • A crença (“má ciência”) levou, p.ex.:
    • Aos desastres ecológicos
      • Contaminação das explosões nucleares
      • “Talvez” do aquecimento global
    • Aos transgênicos
      • J.Smith: “Talvez um desastre maior do que os resíduos nucleares e o aquecimento global”
      • Ver meu artigo “Desmistificação da onda do DNA”

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

7 a ci ncia moderna cont
7. A ciência moderna (cont.)

Paradoxo:

  • “Na era do materialismo e da ciência materialista, estamos destruindo a matéria da Terra!” (J. Lutzenberger)
  • Materialismo e egoísmo levam à destruição, pois para eles não há valores realmente humanos
    • Pois a matéria não tem valor moral

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

7 a ci ncia moderna cont1
7. A ciência moderna (cont.)

Exemplos de ciência ampliada por um espiritualismo científico:

  • Ciência qualitativa
    • Já houve no passado,
      • P. ex. a Sistemática da Botânica
  • Admitir fenômenos não-físicos. Exs:
    • Nem toda mutação e nem toda seleção natural foram casuais
      • Extensão do darwinismo!
    • A forma dos seres vivos é devida à atuação de modelos não-físicos
    • A atividade neuronal não produz pensamentos, sentimentos e vontade

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

7 a ci ncia moderna cont2
7. A ciência moderna (cont.)

Exemplos de ciência ampliada por um espiritualismo científico (cont):

  • Ciência mais holística
    • Partir do geral para o particular
      • Método científico de Goethe
    • Admitir fenômenos primordiais, não redutíveis
      • Idem, p.ex. a luz
      • A matéria não faz sentido do ponto de vista material!
  • Ciência mais humana
    • O ser humano não é reprodutível, pois incorpora todas as suas vivências

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

t picos7
TÓPICOS

 1. Introdução

 2. Hipótese vs. crença

 3. Conseqüências da hipótese de trabalho

 4. O materialismo

 5. O espiritualismo

 6. Combinações de materialismo e espiritualismo

 7. A ciência moderna

8. Conclusão

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

8 conclus o
8. Conclusão
  • Grande parte dos cientistas e religiosos acham que
    • Ciência e religião devem ser totalmente separadas
      • pois tratam de assuntos e atitudes diferentes
      • Stephen Jay Gould:

NOMA (non-overlapping magisteria)

    • Religião e Deus são assuntos científicos (do ponto de vista materialista):

Richard Dawkins (The God Delusion)

(Ver minha resenha em meu site)

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

8 conclus o1
8. Conclusão

O espiritualismo científico

  • Pode (e deve) unir as duas, isto é,

Ciência

Espiritualismo científico

Religião

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

8 conclus o cont
8. Conclusão (cont.)

A MELHORIA DA SOCIEDADE E DA NATUREZA SÓ PODERÁ OCORRER A PARTIR DE UMA MUDANÇA PARA UMA MENTALIDADE ESPIRITUALISTA CIENTÍFICA:

O SER HUMANO

NÃO É UMA MÁQUINA

E NEM UM ANIMAL!

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

8 conclus o fim
8. Conclusão (FIM!)
  • Existem correntes espiritualistas científicas
  • Eu adoto uma, que considero a mais satisfatória
    • Teoria abrangente
    • Coerente
    • Com aplicações práticas em todas as áreas da atividade humana
  • Ver qual é no artigo

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

ci ncia religi o e espiritualidade1
CIÊNCIA, RELIGIÃO EESPIRITUALIDADE

Valdemar W. Setzer

Depto. de Ciência da Computação da USP

Ver esta apresentação e artigo emwww.ime.usp.br/~vwsetzergoogle: valdemar setzer home

Valdemar W. Setzer – Ci. Rel. e Esp.

ad