slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ ICICT - INSTITUTO DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA EM SAÚ PowerPoint Presentation
Download Presentation
MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ ICICT - INSTITUTO DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA EM SAÚ

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 42

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ ICICT - INSTITUTO DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA EM SAÚ - PowerPoint PPT Presentation


  • 160 Views
  • Updated on

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ ICICT - INSTITUTO DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA EM SAÚDE PRESERVAÇÃO DE ACERVOS BIBLIOGRÁFICOS. Preservação de papel. Toda natureza envelhece com o tempo e o papel é de natureza orgânica.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ ICICT - INSTITUTO DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA EM SAÚ


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
    Presentation Transcript
    1. MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ ICICT-INSTITUTO DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA EM SAÚDE PRESERVAÇÃO DE ACERVOS BIBLIOGRÁFICOS

    2. Preservação de papel • Toda natureza envelhece com o tempo e o papel é de natureza orgânica. • Fatores ambientais são decisivos para a degradação do papel : T e UR, Luz, Ventilação, Poeira (poluição), gases, etc. A durabilidade do papel dependerá da estreita relação com a qualidade da fibra e com o processo de acidez. • Principal motivo para a má qualidade do papel, foi a introdução de produtos químicos para branquear e aumentar a produção.

    3. Conceitos • Preservação - É tudo que é feito visando a proteção do patrimônio. Ex. Leis, Campanhas, Congressos etc. • Conservação - É o levantamento, estudo e controle das causas de degradação, permitindo à adoção de medidas de prevenção. É um procedimento prático aplicado na preservação. • Conservação Preventiva- São intervenções diretas, feitas com a finalidade de resguardar o objeto, prevenindo possíveis malefícios. Ex. Higienização, pequenos reparos, acondicionamento etc.

    4. Principais Agentes de Deterioração • Agentes físicos: luz, temperatura e umidade relativa. • Agentes químicos: poluição ambiental e poeira. • Agentes físicos mecânicos: guarda inadequada, manuseio incorreto e desastres. • Agentes biológicos: microorganismos (fungos e bactérias), insetos (baratas, traças, brocas, cupins e piolhos), roedores e o Homem.

    5. Agentes Físicos • Luz: a ação clareadora, causa o desbotamento ou o escurecimento de alguns papéis e algumas tintas e o seu enfraquecimento, ou seja, acelera o processo de envelhecimento do papel. • Temperatura e umidade relativa: provoca a contração e alongamento das fibras do papel e predispõe a ataques biológicos.

    6. Agentes Químicos • Poluição ambiental: o ar dos centros urbanos e industriais, gases, etc. • Poeira: o pó não modifica somente a estética dos documentos, retém excrementos dos insetos, colas e poluentes atmosféricos

    7. Agentes Físicos Mecânicos • Armazenamento: a colocação nas estantes deve ser na vertical, documentos de grandes formatos na horizontal, porém até no máximo de três exemplares. • Manuseio incorreto:riscar,colar durex,dobrar,clips, etc • Desastres: o fogo, com sua ação rápida causa os danos mais irreparáveis. Nos casos de incêndios a temperatura no interior do edifício costuma chegar a níveis altíssimos e os documentos, quando não são queimados, podem ser afetados de maneira irreversível.

    8. Agentes Biológicos • Microorganismos:fungos e bactérias • Insetos:baratas, traças, brocas, cupins e piolhos. • Roedores • Homem

    9. AgentesBiológicos : microorganismos • Fungos: causam manchas, formam bolores e seus esporos, em grande quantidade, dão a impressão de um pó. • Bactérias: aspecto mais compacto, diferentes cores, que ao final, pela decomposição do suporte se tornam castanho escuro.

    10. Agentes Biológicos: insetos • Baratas: Preferem os locais escuros, quentes e úmidos. Em geral se desenvolvem nos depósitos e nos condutores de instalações hidráulicas e elétricas. São atraídas para os ambientes pelos resíduos alimentares.

    11. Agentes Biológicos : insetos • Traças: desbastam couros, papéis e fotografias pela superfície e se instalam e desenvolvem em locais escuros e especialmente úmidos.

    12. Agentes Biológicos : insetos • Brocas: São vulgarmente denominados de brocas, carunchos ou besourinho. Estes insetos perfuram as folhas compactadas ou de encadernados, até rendilhá-las, impossibilitando a leitura do texto.

    13. Agentes Biológicos : insetos • Cupins: Se alimentam da celulose da madeira e dos papéis. São muito resistentes e vivem em colônias organizadas. Classificam-se em dois grupos: os de solo e os de madeira. Os dois tipos atacam igualmente as coleções documentais.

    14. Agentes Biológicos : insetos • Piolhos: Pequenos insetos de cor amarelo-avermelhado, são freqüentemente encontrados entre as folhas. São insetos que não atacam diretamente o documento, porém alimentam-se dos fungos e de restos de outros insetos mortos, e pode causar danos nos livros, roendo as encadernações.

    15. Agentes Biológicos : roedores • Adaptam-se a quase todas as condições climáticas e alimentam-se de matéria orgânica, geralmente restos de alimentos. Preferem ambientes quentes, úmidos e escuros. Para manterem-se aquecidos utilizam papéis, couro, tecidos, plásticos picados, principalmente na confecção dos ninhos para reprodução, que ocorre até dez vezes por ano.

    16. Agentes Biológicos : O Homem • O simples uso normal é o suficiente para degradar o papel. A acidez e a gordura do suor das mãos em contato com o papel produzem acidez e manchas. Os maus tratos como: rasgar, riscar, dobrar, escrever, marcar, colocar clipes, grampos metálicos, colar fitas etc.

    17. TÉCNICAS DE CONSERVAÇÃO • Higienização • Monitoramento ambiental • Acondicionamento • Vistoria

    18. Técnicas de Conservação:higienização • Os documentos devem ser mantidos limpos. Isto aumenta sensivelmente sua vida útil. Remove-se o pó das lombadas e partes externas dos livros com aspirador de pó com baixa potência, com proteção na sucção e para a limpeza das folhas utilizando trinchas, escovas macias e flanelas de algodão.

    19. Técnicas de Conservação :monitoramento ambiental • Para uma boa conservação do papel, do ponto de vista químico e físico, aconselha-se manter a temperatura entre 18 e 22oC e a umidade relativa entre 50 e 60%. A medição desses índices é feita através da utilização de aparelhos termohigrômetros e deve ser realizada diariamente.

    20. Técnicas de Conservação : reparos • Consiste em reparar pequenos danos causados nos documentos e/ou nas encadernações. Ocorre quando do reparo nas rupturas das páginas ou da capa, reencolagem das encadernações ou folhas soltas.

    21. Técnicas de Conservação :acondicionamento • São embalagens em papel cartão em torno de 300g/m2, utiliza somente o sistema de dobras e encaixe, sem fazer uso de qualquer tipo de adesivo. Caracterizada por uma completa vedação que proporciona um benefício duplo de preservação: primeiro contra agentes externos e ambientais, segundo a favor da manutenção da integridade física da obra.

    22. Técnicas de Conservação : encadernação • Atualmente a encadernação mais utilizada é a cola, ou seja, do tipo capa solta, aquela na qual os cadernos ou folhas soltas, são presas entre si para formar um bloco, utlizando uma camada de adesivo sintético ou cola, que além de serem ácidos, com o manuseio intenso soltam-se com facilidade.

    23. Técnicas de Conservação :vistoria/diagnóstico • Consiste em examinar todo acervo identificando se ocorreu algum ataque de insetos, microorganismos ou outro agente nocivo. Avaliar o estado geral dos documentos e determinar o tratamento, que pode ser: Higienização, pequenos reparos, acondicionamento, reencadernação.

    24. DICAS DE CONSERVAÇÃO PREVENTIVA DE DOCUMENTOS EM PAPEL • 1 )Ao retirar a publicação da estante não a puxe pela borda superior da lombada, o ideal é segurá-la com firmeza pelo meio. A maneira correta é manter os volumes nas estantes com folga entre eles, ou seja, não superlotar as estantes para que não embloquem e fique mais fácil a retirada e a circulação de ar entre as obras. • 2) Evite fazer anotações em livros e documentos. Caso seja necessário, use lápis sem fazer pressão no papel, nunca utilize caneta. • 3) Nunca faça ou permita que façam “orelhas” para marcar as páginas de um livro, revista ou qualquer tipo de publicação. Esta dobra provoca o rompimento das fibras do papel que, com o tempo, torna-se uma ruptura.

    25. DICAS DE CONSERVAÇÃO PREVENTIVA DE DOCUMENTOS EM PAPEL • 4)Prendedores metálicos e fitas adesivas nunca devem ser usados para marcar ou consertar páginas. Eles deixam manchas irreversíveis nos documentos. • 5)Manuseie as páginas com cuidado, sempre folheando pela borda superior da folha. • 6)Não devemos permitir que as páginas sejam folheadas com os dedos umedecidos com saliva. Além de atrair insetos para o documento, a pessoa estará ingerindo os agentes nocivos que estejam presentes no documento.

    26. DICAS DE CONSERVAÇÃO PREVENTIVA DE DOCUMENTOS EM PAPEL • 7)Mapas plantas ou documentos de grande tamanho não devem ser guardados dobrados ou em pequenas gavetas. • 8) Não apóie os cotovelos sobre os livros. A pressão feita nas folhas irá danificá-las. • 9)Nunca se alimente em salas de leituras ou acervo. Um invisível resto de biscoito pode atrair insetos e até roedores nocivos ao papel, que podem causar danos irreparáveis aos documentos. • 10)Não fumar nas áreas de acervo. A fumaça entra em reação com o papel acelerando o processo de envelhecimento.

    27. MANEIRA CORRETA DE RETIRAR PUBLICAÇÕES DAS ESTANTES

    28. RETIRADA INCORRETA DAS PUBLICAÇÕES DAS ESTANTES

    29. ACONDICIONAMENTO INCORRETO

    30. DANO DE CAFÉ

    31. UTILIZAÇÃO DE FITA GOMADA

    32. PERSERVAÇÃO SUPORTE DIGITAL • É necessário: planejamento, alocação de recursos e aplicação de métodos e tecnologias para assegurar que a informação digital permaneça acessível e utilizável. • Assim como o documento impresso, o documento eletrônico também está ameaçado diante de condições inadequadas de armazenamento, fatores ambientais, desgaste causado pelo ação de agentes biológicos, além das ameaças do próprio Homem. Mas, a conservação não se resume ao armazenamento em condições ideais. Para garantir o acesso contínuo é necessário que haja transferência periódica para outros suportes ou a conversão para outros formatos/sistemas. • O maior problema da preservação dos dados digitais não é a fragilidade dos suportes de armazenamento e sim a rápida mudança de tecnologia. Não basta garantir a sobrevivência e longevidade das mídias: é necessário garantir que as informações possam ser recuperadas e entendidas.

    33. PERSERVAÇÃO SUPORTE DIGITAL • CD–ROM e DVD são mais estáveis, porém no futuro pode não haver dispositivos de leitura. • Depende de um equipamento para prover acesso à informação nele registrada, portanto a durabilidade do documento eletrônico esta ainda condicionada à expectativa de vida dos sistemas de acesso. • Portanto, é imprescindível, a migração periódica de acervos digitais para tecnologias atualizadas.

    34. O acidente fúngico na Biblioteca de Ciências Biomédicas/FIOCRUZ- intervenções de biossegurança: relato de caso. Maio de 1995 – Inauguração do prédio da Biblioteca de Ciências Biomédicas para abrigar o acervo corrente (5.600 m²).

    35. CONTAMINAÇÃO FÚNGICA • Outubro 1996 Descontrole da temperatura e da umidade relativa.

    36. Higienização local: aspiração do excesso de fungos • Separação do resíduo > processamento em centrífuga (Departº Microbiologia > descarte.

    37. 1) Higienização em mesa de higienização (capela)

    38. Equipamento de Proteção Coletiva - EPC

    39. Equipamento de Proteção Coletiva - EPC

    40. Higienização do Acervo - EPI • Touca descartável • Óculos de segurança (lentes de policarbonato) • Máscara para gases ( apenas na contaminação - mesa) • Máscara descartável para névoa com respirador (rotina) • Avental descartável de manga comprida • Luva de plástico (mucambo) • Luva de látex descartável • Calçado fechado (tenis)

    41. Marilene Fragas CostaPreservação de Acervos BibliográficosTel. 3865-3234 / 3865-3289Fax. 2270-0914 fragas@icict.fiocruz.br http://www.bibmanguinhos.cict.fiocruz.br/lacopd.htm Obrigada!