neurologia cognitiva n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Neurologia Cognitiva PowerPoint Presentation
Download Presentation
Neurologia Cognitiva

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 53

Neurologia Cognitiva - PowerPoint PPT Presentation


  • 148 Views
  • Uploaded on

Neurologia Cognitiva. Especialidade da Neurologia que estuda a relação entre o cérebro, a cognição e o comportamento nos pacientes que apresentam doenças neurológias diversas: - Demências - Lesões Focais (Vasculares, Tumorais) - Traumatismo Crânioencefálico - Epilepsia

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Neurologia Cognitiva' - bertille


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
neurologia cognitiva
Neurologia Cognitiva
  • Especialidade da Neurologia que estuda a relação entre o cérebro, a cognição e o comportamento nos pacientes que apresentam doenças neurológias diversas:
  • - Demências
  • - Lesões Focais (Vasculares, Tumorais)
  • - Traumatismo Crânioencefálico
  • - Epilepsia
  • - Distúrbios do Movimento (Síndromes
  • Parkinsonianas)
neurologia cognitiva1
Neurologia Cognitiva
  • - Correlação clínico-radiológica: relação de determinada lesão e comprometimento cognitivo observado em um dado paciente
  • - Rastreamento de déficits cognitivos:
  • Teste de figuras (Nitrini), CERAD (Bertolucci),
  • Fluência Verbal
  • - Avaliação de alterações comportamentais:
  • Inventário Neuropsiquiátrico (Cummings)
neurologia cognitiva2
Neurologia Cognitiva

Ambulatório de Neurologia Cognitiva

Perfil cognitivo-comportamental

Diagnóstico e tratamento

slide6

Face Lateral do Córtex Frontal

Giro frontal superior (F1)

Giro frontal médio (F2)

Sulco frontal superior

Giro frontal inferior (F3)

Opérculo frontal

1.pars orbitalis

2..pars triangularis

3. Pars opercularis

Sulco frontal médio

Giro orbital lateral

Sulco frontal inferior

Sulco orbital lateral

(segundo Duvernoy)

mem ria
Memória
  • - Memória não é “uma” “coisa ou estrutura”
  • -Não é única
  • -Processo
  • .Memória de curto prazo (imediata)
  • .Memória de longo prazo
  • - Explícita
  • - Implícita
mem ria de longo prazo
Memória de Longo Prazo
  • .Memória Explícita (Declarativa)
  • - Episódica - refere-se às informações adquiridas em um contexto espacial e temporal
  • - Semântica - refere-se ao conhecimento do indivíduo isento de qualquer referência espaço-temporal
mem ria de longo prazo1
Memória de Longo Prazo
  • .Memória Implícita (Não Declarativa)
  • - Procedural - aquisição de habilidades motoras ou cognitivas
  • - Priming (acionamento por repetição) - descreve uma melhora da reprodução ou reconhecimento da informação que já foi apresentada
slide11

Informações

Análise cortical sensorial

(visual, auditiva, tátil, cinestésica)

Necessita da integridade das

áreas cerebrais específicas

Memória de curto prazo/MT

Importância do lobo frontal

Memória de longo prazo

Episódica

Semântica

Papel essencial do

Circuito de Papez

Atkinson e Shiffrin, 1968

mem ria de longo prazo2
Memória de longo prazo
  • - Permite a conservação durável das informações graças à codificação e estocagem das mesmas
  • - Permite a aprendizagem e as informações armazenadas são objeto de uma consolidação variável em função da importância emocional e da repetição.
mem ria epis dica
Memória Episódica
  • - Permite ao sujeito registrar e lembrar-se de informações referenciadas numcontexto espacial e temporal, portanto permite que ele se recorde de fatos da sua história pessoal, familiar ou social
  • - Memória de acontecimentos, que permite ao sujeito trazer para o presente lembranças que ele reconhece como suas e passadas.
dist rbios da mem ria
Distúrbios da Memória
  • - Amnésia - designa as amnésias anterógradas comumente por lesão bilateral do circuito de Papez; são acompanhads de uma lacuna retrógrada de intensidade variável

Novas memórias

Amnésia Anterógrada

Evento

Memórias Antigas

Amnésia Retrógrada

dist rbios da mem ria1
Distúrbios da Memória
  • - Hipermnésia - capacidade mnésica prodigiosa
  • .Permanentes
  • .Breves
s ndrome amn sica
Síndrome Amnésica
  • Etiologia
  • - Tumores intracranianos
  • - AVE, Ruptura de Aneurismas
  • - Traumatismo Craniano Fechado
  • - Infecções Virais
  • - Distúrbios Nutricionais
  • - Epilepsia
dist rbios da mem ria2
Distúrbios da Memória
  • - Doenças Degenerativas (DA)
  • - Anóxia ou hipóxia (pós PCR ou
  • afogamento)
  • - Drogas
  • - Eletroconvulsoterapia
amn sias hipocampais
Amnésias Hipocampais
  • - Scoville e Milner, 1957 - paciente HM: submetido à ressecção dos 2/3 anteriores do córtex do hipocampo e giro para-hipocampal bilateralmente, uncus, amígdala e poupando o córtex lateral.
  • - Amnésia anterógrada do período pós-operatório e retrógrada (três anos anteriores à cirurgia)
  • - Etiologia: vascular, pós-PCR, traumáticas, infecciosas (encefalite herpética), paraneoplásicas (encefalite límbica)
amn sias diencef licas
Amnésias Diencefálicas
  • - Síndrome de Korsakoff: amnésia anterógrada e retrógrada, desorientação temporal, fabulações
  • -Lesão dos corpos mamilares, núcleo dorso-medial do tálamo
  • - Amnésia talâmica - amnésia anterógrada e retrógrada (problemas com a organização cronológica)
amn sia p s traum tica
Amnésia Pós-traumática

- Definição: Período que segue o traumatismo craniano fechado no qual o paciente é confuso, desorientado, sofre de amnésia retrógrada e é incapaz de registrar novas informações.

- Alguns autores calculam a duração da APT a partir do trauma (incluem o coma) enquanto outros a calculam a partir do despertar

- A duração da APT tende a variar com a duração do coma

mem ria1
Memória

- Déficits heterogêneos

.Episódica

Déficits observados em 50% dos pacientes

pós-TCE grave

-Problemas de codificação (processo no qual

as características de um estímulo ou de um

evento são tratadas e convertidas em um

traço de memória)

-Problemas de recuperação

mem ria2
Memória

.Semântica

-Dificuldade de acesso à memória semântica

(lentidão)

-Teste de vocabulário normal

-Fluência verbal reduzida

.Procedural - alterada com melhora global da performance mas sendo necessário um número maior de tentativas

circuito de papez
Circuito de Papez
  • -Hipocampo -Fórnix -Corpos mamilares -Feixe mamilo-talâmico (Vicq d`Azyr) -Núcleos anteriores do tálamo -Radiações tálamo-corticais -Giro do cíngulo
linguagem
Linguagem
  • - Função que permite a comunicação entre os seres humanos
  • - Afasias .Broca
  • .Wernicke
gnosias
Gnosias
  • - Capacidade de reconhecimento de objetos, cores, faces
  • - Perda da capacidade de reconhecimento: visual, tátil, auditiva
  • Agnosia de faces: prosopagnosia
fun es executivas
Funções Executivas
  • - Córtex pré-frontal
  • - Planejamento, flexibilidade de pensamento, atenção
  • Praxias
  • - Área Pré-motora e área parietal superior
  • - Capacidade de realização de gesto ou ato motor aprendido
caso cl nico 1
Caso clínico 1
  • -Identificação: W.T.S., masculino, 67anos, casado, destro, advogado.- QP: “Ando esquecendo muito”- HMA: Dificuldades de memória progressivas evoluindo há 2 anos com repercussões no trabalho: esquecia de dar recados e esqueceu de comparecer a duas audiências; dificuldades para escrever.
  • - Queixas atuais: esquece rapidamente o que falam com ele; não consegue trabalhar, ligar o computador e nem usar aparelhos eletrônicos em geral.
caso cl nico 11
Caso clínico 1
  • - Queixas da família: além das dificuldades de memória, alterações comportamentais: agitação e agressividade.
  • -AE: O paciente nega sintomas referentes aos demais sistemas orgânicos. Sono satisfatório. Pratica atividade física regular.-HP: Tabagismo: (6 cigarros/dia por 45 anos). Sem outros eventos significativos.- HF: Mãe e tio materno com problemas de memória.
caso cl nico 12
Caso clínico 1
  • Exame Físico: Alerta, fala fluente, compreensão preservada, cooperativo ao exame. PA = 110/70 BNRNF FC = 80bpm FR = 16rpmExame neurológico: .Nervos cranianos: sem déficits. .Força muscular e tônus normais. .Movimentos anormais ausentes. .ROT: diminuídos difusamente. .Coordenação, equilíbrio e marcha normais.
caso cl nico 13
Caso clínico 1
  • - Exames complementares normais (hemograma, glicemia, uréia, creatinina, colesterol total e fracionado, triglicérides, TSH, VDRL).- TCC (2003): sem alterações.- RNM de encéfalo (março/03): redução volumétrica encefálica difusa proporcional à idade.
caso cl nico 14
Caso clínico 1
  • Mini-Mental: - Orientação temporal: 0/5 - Orientação espacial: 5/10 - Registro: 3/3 - Atenção e cálculo: 5/5 - Evocação: 0/3 - Linguagem: 8/8 - Praxia construtiva: 1/1 - Total: 22/30
caso cl nico 16
Caso clínico 1
  • Teste das Figuras:- Nomeação: 10/10 - Memória incidental: 0/10 - Memória imediata I: 4/10 - Memória imediata II: 4/10 - Evocação 5': 0/10
caso cl nico 17
Caso clínico 1
  • Avaliação neuropsicológica em 07/2003:
  • - Desempenho intelectual incompatível com sua
  • formação escolar. - Memória verbal prejudicada. - Comprometimento da capacidade de planejamento, de organização e de síntese.
caso cl nico 18
Caso clínico 1
  • Conclusão:
  • - Exames clínico e neurológico normais. - Testes de função cognitiva: Síndrome amnésica
  • associada a redução da capacidade cognitiva
  • global. - Alterações comportamentais - Perda da autonomia: comprometimento das
  • atividades diárias instrumentais.
  • HD: Síndrome demencial – Doença de Alzheimer provável em fase moderada.
caso cl nico 2
Caso clínico 2
  • Identificação: J.R., masculino, 91 anos, viúvo, destro, médico aposentado.QP: “Dificuldade de memória, aprendizagem e atenção.”
  • HMA: Dificuldades de memória progressivas há aproximadamente 2 anos: esquece os eventos recentes, o que falam com ele, algumas datas . Falta de iniciativa importante. Ausência de alucinações. Outras queixas: lentidão para andar e realizar atividades em geral, enfraquecimento da voz, tremor nos mmss.
caso cl nico 21
Caso clínico 2
  • AE: Sem queixas nos outros sistemas orgânicos. Sono satisfatório. HP: Nega tabagismo, etilismo e doenças crônicas.HF: Positiva para depressão e demência.
  • EF: Exame clínico normal. PA = 130/80mmHg
  • FC = 68bpm FR = 16rpm Alerta, orientado no tempo e no espaço, diálogo coerente, compreensão preservada apesar da dificuldade auditiva. Hipofonia.
caso cl nico 22
Caso clínico 2
  • Exame neurológico .Pares cranianos: sem alterações. .Hipomimia facial. .Força muscular preservada. .Rigidez nos mmss, bradicinesia. .Tremor de mandíbula, tremor de repouso em
  • mmss, assimétrico, que persistia em menor
  • intensidade com a postura e os movimentos
  • (E>D); ausente nos mmii. .Instabilidade postural leve.
caso cl nico 23
Caso clínico 2
  • Mini-Mental .Orientação temporal: 5/5 .Orientação espacial: 3/5 .Registro: 3/3 .Atenção e cálculo: 4/5 .Evocação: 0/3 .Linguagem: 5/8 .Praxia construtiva: 1/1 .Total: 21/30
caso cl nico 24
Caso clínico 2
  • Teste das Figuras:- Nomeação: 10/10- Memória incidental: 5/10- Memória imediata I: 5/10- Memória imediata II: 5/10- Evocação 5': 2/10
  • Avaliação neuropsicológica (12/2003):- Presença de um comprometimento mnêmico devidoà lentificação no processo de pensamento.
caso cl nico 25
Caso clínico 2
  • Conclusões:- Exame clínico normal.- Exame neurológico: alterações motoras típicas de Síndrome Parkinsoniana.- Avaliação neupsicológica caracterizada por lentificação dos processos cognitivos-Perda de autonomia
caso cl nico 26
Caso clínico 2
  • HD: Doença de Parkinson Idiopática com comprometimento cognitivo associado.Cd: Iniciar tratamento específico para Doença de parkinson(Levodopa). Suspender tratamento para Doença de Alzheimer (Rivastigmina).
caso cl nico 27
Caso clínico 2
  • Conclusões:- É importante avaliação clínica detalhada das queixas de memória; apesar da DA ser a causa mais freqüente de demência é importante se fazer o diagnóstico diferencial com outras doenças capazes de levarem a um comprometimento cognitivo. - Comprometimento cognitivo ocorre de forma diferente nas doenças neurológicas; nem toda dificuldade de memória se deve à Doença de Alzheimer.