Planos de enfrentamento da epidemia de Aids e DST - PowerPoint PPT Presentation

bernard-casey
planos de enfrentamento da epidemia de aids e dst n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Planos de enfrentamento da epidemia de Aids e DST PowerPoint Presentation
Download Presentation
Planos de enfrentamento da epidemia de Aids e DST

play fullscreen
1 / 17
Download Presentation
Planos de enfrentamento da epidemia de Aids e DST
130 Views
Download Presentation

Planos de enfrentamento da epidemia de Aids e DST

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Secretaria de Vigilância em Saúde Planos de enfrentamento da epidemia de Aids e DST

  2. Secretaria de Vigilância em Saúde

  3. Secretaria de Vigilância em Saúde Agenda 2008 • Divulgação e articulação do Plano nas Conferências Estaduais e Nacional LGBT. • Realização de Fórum no VII Congresso Brasileiro de Prevenção - Florianópolis, 26 de junho. • Estudo multicêntrico RDS (Comportamento, Atitudes e Práticas) – em andamento. • Edital de Redes. • Oficinas Macro Regionais - agosto a fevereiro 2008 • Elaboração dos planos estaduais –até março de 2008 • Em elaboração avaliação da metodologia de prevenção adotada por ONG’s que trabalham com a população LGBT.

  4. Secretaria de Vigilância em Saúde Oficinas sobre o Plano de Enfrentamento da Epidemia de AIDS e outras DST entre Gays, HSH e Travestis • Objetivos: • Definir estratégias para implementação do Plano em âmbito estadual, a partir de diagnóstico, demandas e experiências locais. • Contribuir para a execução de metas e ações em DST/Aids para os diferentes segmentos (Gays, HSH e Travestis) apresentadas no Plano Nacional. • Promover a integração local dos diferentes programas e políticas na construção de uma agenda comum para enfrentamento da epidemia entre Gays, HSH e Travestis.

  5. Secretaria de Vigilância em Saúde Estado da arte • 11 estados participaram das 3 oficinas já realizadas. • Há 3 oficinas confirmadas a serem realizadas até o final deste ano, nestas participarão 5 estados. • Alguns estados apresentaram dificuldades quanto a sediar a oficina ou a deslocar sua delegação para outros estados.

  6. Secretaria de Vigilância em Saúde Desafios • Concluir o agendamento das oficinas até fevereiro de 2009. • Dificuldade do movimento social para articular com antecedência sua agenda referente ao Plano e apresentá-la para discussão nas oficinas. • Aumentar a articulação inter e intrasetorial no nível estadual. • Aumentar o diálogo entre as áreas que representam localmente Justiça e/ou Segurança Pública, Forças Armadas, Educação, Previdência Social, Conselhos Empresariais, Sistema “S” entre outras.

  7. Secretaria de Vigilância em Saúde Desafios • Fortalecer a participação das áreas voltadas para tratamento do HIV, DST e hepatites virais  do âmbito local.    • Para que as metas do Plano sejam executadas dentro do prazo, é importante que todas as oficinas sejam realizadas até março de 2009. • Pouca familiaridade dos participantes governamentais e não governamentais com o tema da Prevenção Positiva • Necessidade de ampliar as pesquisas com a população prioritária deste Planos.

  8. Secretaria de Vigilância em Saúde Agenda

  9. Plano Integrado de Enfrentamento da Feminização da Epidemia de Aids e outras DST

  10. Secretaria de Vigilância em Saúde AGENDA 2008 • Realização do Fórum no VII Congresso Brasileiro de Prevenção/ 2008 • Realização da Oficina sobre monitoramento e avaliação no VII Congresso Brasileiro de Prevenção/ 2008 • Realização das Oficinas Macro-Regionais para operacionalização do Plano nas regiões: Norte, Centro Oeste, Sul e Sudeste (Exceto no Amapá, esta acontecerá em dezembro de 2008).

  11. Secretaria de Vigilância em Saúde AGENDA 2008 • Pesquisa multicentrica RDS (Comportamento, Atitudes e Práticas) com profissionais do sexo – em andamento; • O Grupo de Trabalho Nacional de Acompanhamento do Plano Integrado tem se reunido a cada 15 dias para garantir o andamento e avaliação das ações propostas no Plano;

  12. Secretaria de Vigilância em Saúde • Estados que concluíram a elaboração do Plano. • Paraíba, Alagoas, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Sergipe, Maranhão, Pará, Paraíba, Acre, São Paulo, Roraima, Mato grosso do Sul, Goiás, Rio de Janeiro e Bahia. • Em fase de conclusão. • Amazonas, Mato Grosso, Pernambuco, Ceará, Santa Catarina. Situação dos Planos por Estado:

  13. Secretaria de Vigilância em Saúde Acompanhamento dos Planos Estaduais • Análise dos Planos e acompanhamento. • Qualificação e recomendações. • Contato com os Estados para apoiar a implementação dos Planos.

  14. Secretaria de Vigilância em Saúde Agendas Afirmativas • Para garantir o fortalecimento de ações contextualizadas e de uma política que contemple as especificidades das mulheres e suas formas de expressão estão sendo finalizadas e incorporadas ao Plano Integrado as agendas afirmativas: • Mulheres que vivenciam a transexualidade – agenda finalizada • Prostitutas – agenda finalizada • Mulheres vivendo com HIV/Aids – em fase de consolidação • Lésbicas – em fase de consolidação

  15. Secretaria de Vigilância em Saúde Conquistas: • No campo da intersetorialidade: integração com outras áreas estratégicas; • No Campo da Organização da rede de serviços; • Integralidade e correção das iniqüidades; • No campo da Mobilização Social; • Foco no enfrentamento da feminização por parte dos diferentes movimentos de mulheres.

  16. Secretaria de Vigilância em Saúde Próximos passos: • Apoio a implantação e implementação dos planos estaduais. • Definir estratégia de monitoramento da execução dos Planos Locais. • Fortalecer a agenda de trabalho com homens. • Divulgação da experiência brasileira na reunião da UNGASS • Reunião integrada entre CNAIDS e comissão de política para mulheres do conselho nacional de saúde.

  17. Juny Kraiczyk juny.kr@aids.gov.br www.aids.gov.br