cen culos de ora o mission ria a b blia alimento do esp rito n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Cenáculos de Oração Missionária A BÍBLIA, ALIMENTO DO ESPÍRITO PowerPoint Presentation
Download Presentation
Cenáculos de Oração Missionária A BÍBLIA, ALIMENTO DO ESPÍRITO

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 21

Cenáculos de Oração Missionária A BÍBLIA, ALIMENTO DO ESPÍRITO - PowerPoint PPT Presentation


  • 55 Views
  • Uploaded on

Cenáculos de Oração Missionária A BÍBLIA, ALIMENTO DO ESPÍRITO. COM de …. Introdução.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Cenáculos de Oração Missionária A BÍBLIA, ALIMENTO DO ESPÍRITO' - ban


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
introdu o
Introdução

Anim. – Irmãs e Irmãos, é bom reunirmo-nos, assim, em Cenáculo de Oração Missionária. Queremos sentir-nos em comunhão com os outros Cenáculos e desejamos os bens de Deus para todos os povos. O maior dom de Deus é o Seu Espírito, que é dado especialmente àqueles que escutam e vivem a Sua Palavra, incarnada em seu Filho, Jesus. Aqueles que seguem essa Palavra tornam-se também filhos e herdeiros da vida eterna.

Ao desejarmos estes bens para os povos de todas as raças, línguas e nações, queremos ser nós os primeiros a apreciar a bondade e a beleza da escuta de Deus, através da leitura da Bíblia.

sauda o
Saudação

Anim. – Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Todos: Ámen!

Anim. – A Graça e a Paz de Deus, nosso Pai, pelo Coração Aberto de Cristo, Fonte do Espírito Santo, estejam convosco.

Todos: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo

an ncio do tema
Anúncio do Tema

Hoje vamos tratar da importância da leitura da Bíblia como suporte da nossa oração. Normalmente pensamos que rezar é dizer coisas a Deus: louvá-lo, pedir-lhe ajuda para nós e para os outros, pedir perdão, agradecer os seus dons, etc. Mas a oração não é só isso: a parte mais importante é escutar o que Deus tem para nos dizer’. Antes de começar a falar com Deus é bom sentirmo-nos acolhidos por Ele e escutar as palavras de salvação e de esperança com que nos acolhe, dinamiza e fortalece. Só depois é que podemos ter a confiança, a serenidade e a ousadia de nos dirigirmos a Ele.

invoca o do espirito sobre o cen culo
Invocação do Espirito sobre o Cenáculo

Anim. - Vinde, Espírito Santo, e enchei o coração dos vossos fiéis!

Todos - Vinde, Espírito Santo, e derramai sobre o mundo o vosso amor

Anim. - Abri os nossos ouvidos, àinteligência das escrituras sagradas.

Todos - Vinde, Espírito Santo...

Anim. - Dai-nos o olhar e o sentir do Coração de Cristo, Bom Pastor, por cada pessoa e pelo mundo.

Todos - Vinde, Espírito Santo...

Anim. - Mostrai-nos a vontade do Pai e dai-nos força para a cumprir com prontidão e generosidade.

Todos - Vinde, Espírito Santo...

ora o inicial
Oração Inicial

Anim. – Senhor, quando lemos a Bíblia, nem sempre entendemos bem o que lemos e, sobretudo, nem sempre descobrimos na Vossa Palavra o desígnio de amor, de salvação e de vida que tendes para cada um de nós e para toda a humanidade. Por isso a lemos pouco, preferimos ler outras coisas e rezamos sem ela. Derramai o Vosso Espírito sobre o mundo, para que todas as pessoas descubram o amor que tendes por cada uma, lendo o Evangelho do Vosso Filho, que preparastes ao longo de todo o Antigo Testamento. Ámen.

leitura b blica lucas 24 13 32
Leitura Bíblica( Lucas 24, 13-32)

Nesse mesmo dia iam dois dos discípulos para uma aldeia chamada Emaús, a cerca de onze quilómetros de Jerusalém.Pelo caminho conversavam a respeito de tudo o que sucedera. No meio da conversa, Jesus aproximou-se e pôs-se a caminho com eles. Mas os seus olhos estavam incapazes de o reconhecer.

Jesus perguntou-lhes: «Que é que vão a discutir pelo caminho?» Eles pararam, com ar muito triste. Um deles, que se chamava Cléofas, respondeu: «Serás tu o único visitante que não sabe o que se passou em Jerusalém nestes últimos dias?» E ele: «Mas que aconteceu?» Eles responderam: «Aquilo que se passou com Jesus de Nazaré que era um profeta poderoso em obras e palavras, diante de Deus e de toda a gente. Os nossos chefes dos sacerdotes e as nossas autoridades entregaram-no para ser condenado à morte e pregaram-no numa cruz.E nós esperávamos que fosse ele quem viria libertar Israel! Mas com todas estas coisas, já lá vão três dias desde que isto aconteceu. É verdade que algumas mulheres do nosso grupo nos deixaram em sobressalto, porque foram de madrugada ao sepulcro e não encontraram lá o corpo.

slide9

Depois vieram dizer-nos que tinham tido uma visão de anjos a anunciar-lhes que ele estava vivo. Alguns dos nossos companheiros foram logo ao sepulcro e encontraram tudo como as mulheres tinham dito. Mas a Jesus não o viram!»

Jesus, por fim, disse-lhes: «Mas que falta de entendimento e que lentidão a vossa para acreditar em tudo o que os profetas disseram! Então o Messias não tinha que sofrer tudo isso antes de ser glorificado?» E pôs-se a explicar-lhes o que acerca dele se dizia em todas asEscrituras, começando pelos livros de Moisés e seguindo por todos os livros dos profetas.

Quando chegaram à aldeia para onde iam, Jesus fez como quem ia para mais longe. Mas eles convenceram-no a ficar: «Fica connosco, porque já se está a fazer tarde; já é quase noite.» Jesus entrou e ficou com eles. Quando estavam à mesa, pegou no pão, deu graças a Deus, partiu-o e dividiu-o com eles. Foi nessa altura que se lhes abriu o entendimento e o reconheceram, mas nisto ele desapareceu. Diziam então um para o outro: «Não é verdade que ocoração nos ardia no peito, quando ele nos vinha a falar pelo caminho e nos explicava as Escrituras?»

coment rio
Comentário
  • Os dois discípulos de Emaús conheciam e liam os livros da Bíblia do Antigo Testamento, mas não sabiam que eles já falavam de Jesus. Esses livros tinham previsto o seu sofrimento e a sua morte, mas também tinham anunciado que Deus libertaria o Seu Servo Sofredor das angústias da morte, tal como libertou Isaac da faca de Abraão, Israel das mãos do faraó do Egito, os profetas das mãos dos seus perseguidores, a viúva de Sarepta de morrer à fome, o profeta Jonas de morrer na barriga da baleia, etc.
  • A experiência de muitas personagens da história bíblica é essa: Deus permite que os seus servos entrem na morte, mas não os deixa lá para sempre; permite que passem por momentos de sofrimento, mas depois oferece-lhes um destino feliz e eterno, porque os seus desígnios são de vida e vida em abundância. Antes de ter um povo numeroso, Abraão teve que passar pelo oferecimento de seu único filho, em sacrifício; antes de entrar na terra prometida, o povo de Israel teve que peregrinar 40 anos no deserto; Elias, para ser confortado por Deus, teve que caminhar 40 dias até chegar ao monte Horeb (Sinai).
coment rio1
Comentário
  • Foi isso que Jesus explicou aos dois Apóstolos que iam, desanimados para Emaús. Deu-lhes a luz para entenderem como, ao longo da história de Israel, Deus atuou sempre da mesma maneira e fez a mesma coisa também com Ele: quando tudo parecia perdido, Deus mostrou o seu poder, o seu amor e a sua salvação.
  • Quem recebe este entendimento das Escrituras perde o medo, até da morte, e recupera a esperança, por muito mau que seja aquilo que lhe tenha sucedido. Não admira que os dois apóstolos, depois daquela iluminação, tenham ficado com o coração cheio de força e de entusiasmo, ajudados também pelo sinal eucarístico que Jesus ressuscitado repetiu, tal como tinha feito antes da sua morte. E então, no meio do deserto da dúvida, da incerteza e do desânimo que eles estavam a atravessar, o encontro com Jesus e a chave de interpretação das Escrituras que lhes deu foi como encontrar um oásis de tranquilidade e de paz.
coment rio2
Comentário

Nas suas catequeses sobre a oração, o Papa Bento XVI diz que os monges e monjas de todos os tempos sempre escolheram lugares bonitos, no meio das montanhas ou nas margens dos lagos, para construir os seus mosteiros e se dedicarem à oração. «Esses lugares unem dois elementos muito importantes para a vida de oração: a beleza da criação, que remete para a beleza do Criador, e o silêncio, garantido pela distância em relação às cidades». O grande profeta Elias, quando experimentou as angústias da perseguição e da morte, também fugiu para o monte Sinai e, aí, encontrou a força de Deus. Elias «assistiu a um redemoinho, depois a um tremor de terra e, finalmente, a clarões de fogo, mas não reconheceu neles a voz de Deus: no entanto reconheceu-a numa brisa ligeira (cfr. 1Reis 19, 11-13). Deus fala no silêncio mas é preciso saber ouvi-l‘O. Por isso os mosteiros são um oásis em que Deus fala à humanidade. Neles se encontra o ‘claustro’, lugar simbólico, porque é um espaço fechado pelos lados, mas aberto para o Céu» (A Oração, pag. 46).

preces
Preces

Anim. – Senhor Jesus, nós te louvamos e bendizemos por teres ensinado os dois Apóstolos de Emaús a entender a maneira de atuar de Deus nos momentos difíceis da nossa vida. Quando nos parecer que tudo está a correr mal e que já não há solução humana, leva-nos a confiar no poder do Pai, que salva da morte as nossas vidas.

Todos: Senhor, atendei a nossa prece.

Anim. – - Espírito Santo Consolador, dá-nos a capacidade de transmitir a tantas pessoas que vivem no sofrimento, sem esperança, à nossa volta, a chave interpretativa das Escrituras que Jesus transmitiu aos discípulos de Emaús. Se conseguirmos experimentar em nós a verdade daquilo que dizem as Escrituras, poderemos ser testemunhas da salvação de Deus, perante aqueles que não confiam no seu amor salvador.

Todos: Senhor, atendei a nossa prece

preces1
Preces

Anim. – - Senhor, ensina-nos a rezar com a ajuda das orações que a Bíblia nos oferece, sobretudo no livro dos Salmos, mas também na oração de tantas personagens bíblicas que puseram em Ti a sua confiança e sentiram o Teu poder que vence a morte. Quando não entendermos alguma coisa na nossa leitura da Bíblia, dá-nos o entendimento da fé.

Todos: Senhor, atendei a nossa prece

Anim. – Ó Pai do céu, muita gente fica descrente quando tu lhes mandas o sofrimento e, em vez de os curares, deixas que morram ou, quando acontece alguma catástrofe, acham que tu és mau porque, com o Teu poder, não evitaste que tanta gente morresse. Ajuda-nos a fazer-lhes compreender que a morte, para ti, não é o fim de tudo e que, mesmo depois da morte, o Teu poder se revela em amor e vida. Ajuda-nos, Senhor.

Todos: Amen!

entrega do cen culo
Entrega do Cenáculo

Anim. – Reunidos com Maria para implorar o dom do Espírito Santo sobre a igreja e o mundo, entreguemo-nos a Jesus e confiamos-Lhe todos os Cenáculos:

Todos – Senhor Jesus, pelas mãos de Maria, Mãe e Educadora dos Apóstolos, e junto com todos os santos da missão, nós Vos confiamos os Cenáculos de Oração Missionária.

Anim. – Fazei deles fogueiras do Vosso Espírito. Palpite neles o amor filial e apostólico do Vosso Coração de Bom Pastor:

Todos - Inflamai-nos com as chamas do Espírito, que jorra do Vosso Coração Aberto crucificado e ressuscitado. Fazei que, juntos, comuniquemos Amor, Fé e Esperança, à nossa volta e até aos confins do mundo.

Anim. – Fazei, Senhor, dos Cenáculos de Oração Missionária comunidades fraternas de oração e de testemunho do evangelho da Vossa Graça.

Todos – Que, neles e com eles, se renove um perene Dia de Pentecostes que relance, na Igreja e no mundo, um novo impulso de santidade e missão. Porque Vosso é o Reino, o poder e a glória para sempre. Amen.

iii parte compromissos e atividades
III Parte – Compromissos e Atividades
  • O que fizemos daquilo que

prometemos?

  • Ofertório
  • Acta
  • Revisão dos compromissos
  • Programação de actividades
slide18

Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, Criador do Céu e da Terra, de todas as coisas visíveis e invisíveis. Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigénito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos: Deus de Deus, luz da luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; gerado, não criado, consubstancial ao Pai. Por Ele todas as coisas foram feitas. E por nós, homens, e para nossa salvação desceu dos Céus. E encarnou pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria. e se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras; e subiu aos Céus, onde está sentado à direita do Pai. De novo há-de vir em sua glória para julgar os vivos e os mortos; e o seu Reino não terá fim. Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: Ele que falou pelos Profetas. Creio na Igreja una, santa, católica e apostólica. Professo um só batismo para a remissão dos pecados. E espero a ressurreição dos mortos e vida do mundo que há-de vir. Amém.

ora o conclusiva
Oração Conclusiva

Anim. –Pai Bom, todos nós aqui reunidos Vos agradecemos por todas as Vossa intervenções na história da salvação da humanidade, que a Bíblia nos relata. Por elas nós descobrimos que acabais sempre por encontrar a forma de nos ajudar a vencer as nossas fraquezas humanas e de nos dar, também a nós, a herança que destes ao Vosso Filho, Jesus Cristo. Dai-nos o gosto da escuta das vossas maravilhas, através da leitura e da oração bíblica, que desemboque em preces de louvor e de súplica, por Cristo Jesus que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Todos - Ámen

b n o e despedida
Bênção e Despedida

Anim – Pela intercessão de Nossa Senhora, Rainha das Missões e Estrela da Evangelização, abençoe-nos Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo.

Todos – Ámen.

Anim. – Vamos em paz e que o Senhor, com Maria, nos acompanhe.

Todos – Graças a Deus!