Semiologia do Sistema hematopoetico - PowerPoint PPT Presentation

semiologia do sistema hematopoetico n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Semiologia do Sistema hematopoetico PowerPoint Presentation
Download Presentation
Semiologia do Sistema hematopoetico

play fullscreen
1 / 43
Semiologia do Sistema hematopoetico
550 Views
Download Presentation
bambi
Download Presentation

Semiologia do Sistema hematopoetico

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Semiologia do Sistema hematopoetico Dr. Vinicius Vasconcelos Teodoro

  2. Anamnese • Queixa Principal/Motivo da Consulta • História da Doença Atual • História Patológica Pregressa • História Fisiológica • História Social • História profissional/Exposição a fármacos, produtos químicos • Revisão de Sistemas

  3. Queixa principal/Motivo da Consulta • Encaminhamento • Exame de sangue alterado • Sangramento • Genito-Urinário: hematúria, colúria,, menstruações • Outros: febre, cansaço, icterícia, adenomegalias, sudorese, prurido, história familiar +, odinofagia, diarréia • alimentação, hepatopatias, melena Cardio-pulm:válvulas, dispnéia

  4. Anamnese H.Patologica Pregressa e Fisiologica Glossite mediana: Def. ac. fólico • gravidezes prévias • Pele e fâneros: sangramentos (petéquias, equimoses), • glossite • Osteo-articular: dores, artrite, hemartoses, fraturas patológicas,   • Lesões, cirurgias, traumas: sangramentos e transfusões

  5. Sintomas • Constitucionais: anorexia, perda de peso, febre, suores, calafrios, prurido • SNC: cefaléia, parestesias, confusão mental, etc • Pele e fâneros: icterícia, equimoses, petéquias . • TGI: odinofagia, melena etc • Genito-Urinário: hematúria, colúria, menstruações • Osteo-Articular: dores, alterações articulares, fraturas • Cardio-Pulmonar: dispnéia, tosse. dores, palpitações

  6. Exame Físico Ulcera de mucosa (leucemia) • Pele, cabelos, unhas e escleróticas • Cavidade oral, mucosas, gengivas • Pescoço, tireóide • Tórax, sopros, ritmo, pulmão • Abdômen, visceromegalias • Cadeias linfáticas

  7. Cadeias linfaticas.

  8. Exame Físico: Linfonodos • distribuição • tamanho • consistência e fixação • dor • temperatura

  9. Exame Físico: Abdômen • Baço: esplenomegalia • Fígado Circulação Colateral Ascite • Dor • Baço: esplenomegalia

  10. LABORATÓRIO • Hemograma (elementos celulares) • Coagulograma • Medulograma e Biópsia de osso • Ferritina, B12, folato • Imunofenotipagem • Cariotipagem • Técnica Manual • Microhematócrito • Capilar

  11. Hemograma • Eritrograma • Leucograma • Plaquetograma • Avalia os elementos celulares do sangue • Quantitativamente • Qualitativamente

  12. ERITROGRAMA • É a parte do hemograma que avalia a massa eritróide circulante • Qualitativa • Morfologia Eritrocitária • Tamanho: normo, macro, microcítica • Cor: hipocromia, policromatófilo • Forma:aniso, pecilo, gota, fragmentação,alvo, foice, esferócito, eliptócito, • Inclusões: parasitas, pontilhado basofílico, • Howel-Jolly

  13. Contagem de Eritrócitos • Avaliação : quantitativa • * contagem de eritrócitos • * dosagem da hemoglobina • * hematócrito • * índices hematimétricos VCM • HCM • CHCM • Contagem de Eritrócitos/Hemaceas • Contadores eletrônicos – princípio de Coulter (contagem de pulsos de impedância) mais exata e confiável • Coeficiente de variação <2% • Valores normais : • ♂: 5,3 ± 0,8 • ♀:4,7 ± 0,8 • >70 a: 4,6 ± 0,7

  14. Diminuição da contagem • eritrocitopenia quando acompanhado de diminuição da Hb- ANEMIA • Aumento da contagem • Eritrocitose , quando acompanhado do aumento do Ht e Hb- POLIGLOBULIA

  15. Dosagem da Hemoglobina • Causas de erro: • Lipemia alta contagem de leucócitos • sujeira na parede de leitura • Valores normais: • ♂ - 15,3 ± 2,5 • ♀: 13,6 ± 2,0

  16. HEMATÓCRITO • É o volume de massa eritróide de uma amostra de sangue , expressa em percentagem do volume desta • Correlaciona-se melhor com a viscosidade sangüínea que os eritrócitos • Valores normais: • ♂: 47±7 • ♀:42 ±6

  17. Índices Hematimétricos • VCM- volume corpuscular médio determina o volume médio de cada eritrócito • VCM= Ht x10 / E • Correlaciona-se inversamente com o número de E. • Valores normais: 89±9 • Através do VCM classifica-se as anemias como: • MACROCÍTICAS • Def. vit.B12 • NORMOCÍTICAS • Anemia de doença crônica • Deficiência combinada de vit.B12 e /ac.fólico com def.ferro, IRC • MICROCÍTICAS • Def. Ferro

  18. HCM –Hemoglobina corpuscular média é o conteúdo médio de hemoglobina por eritrócito • HCM=Hb x 10÷E (pg/dl) • Valores normais – 24-33 • CHCM - Concentração de hemoglobina C. Média é a percentagem de hemogobina em 100 ml de hemáceas • CHCM= Hb / Ht x 100 • Valores normais 31-36%

  19. Macrocitos Hepatopatias,alcolismo,esplenectomia Microcitos Def. ferro, talassemia ,

  20. RETICULÓCITOS • É a hemácea jovem após a perda do núcleo • Valores normais • 0,5-1,0% • 25000-50.000/mml

  21. Formas de eritrocitos • Esferócitos - são eritrócitos de biconcavidade e diâmetro reduzidos, forma esferocítica devido a diminuição da superfície de membrana • Podem ser encontrados na esferocitose hereditária, anemias hemolíticas • Ovalócitos ou eliptócitos - são eritrócitos com forma oval ou elíptica decorrente de defeitos genéticos que afetam as membranas do citoesqueleto. • Visto nas anemias microcíticas e megaloblásticas e nas síndromes mieloproliferativas • Drepanócitos – caracteriza-se pela presença de hemáceas em foice ou forma de banana . Decorrente da presença da hemoglobina S , presente em indivíduos portadores do gen da anemia falciforme

  22. Esquizócitos/ Hemáceas Fragmentadas • Quando a fragmentação é mais intensa como em microangipatias hemolíticas , geram pedaços de eritrócitos em meia-lua, triângulo , ou outras formas denominados esquizócitos

  23. Inclusões Eritrocitárias Corpos de Howell-Jolly • são restos nucleares remanescentes , vistos quando há hipofunção esplênica , pela falta de função filtrante do baço. Vistos também em doenças com ( anemias megaloblásticas , mielodisplasias )

  24. Centrifugação do sangue total

  25. LEUCOGRAMA • É a parte do hemograma onde são avaliados os leucócitos • quantitativamente • Valores normais: 3.600-11.000/ µl • Contagem feita ao final da manhã ou entre as 15 e 18 horas é a preferida , sem exercício físico prévio ou trabalho braçal • Qualitativamente

  26. Leucograma • % /µ • Leucócitos -------- 3600-11000 • Neutrófilos 40-70 1500-7000 • Linfócitos 20-50 1000-4000 • Monócitos 2-10 100-1000 • Eosinófilos 1-7 50-500Basófilos 0-3 0-200 neutrófilos totais são a soma de : • * bastonetes ( 0-5%) *segmentados • * e formas mais jovens mielóides como metamielócito e mielócito

  27. Leucograma • Morfologia Leucocitária • Tamanho: formas gigantes • Maturidade: desvio a esquerda • Núcleo: hipo ou hipernucleação • Granulações: hipo, tóxica • Tipo: número absoluto • Vacúolos

  28. Linfopenia Linfocitose • É a diminuição do número de linfócitos abaixo de 1000/µl • Causas : • *Linfopenia passageira- estresse agudo (eixo hipófise –supra-renal) • *Após radioterapia • *Drogas imunossupressoras(globulina anti-linfocítica, corticóides em alta dose) • *Linfoma de Hodgkin • *LES • *AIDS • É o aumento no número absoluto de linfócitos no sangue • Causas : • *Esplenectomia • *Hemopatias malignas • *Sífilis • *Mononucleose infecciosa EBV,geralmente acompanhado de monocitose • *CMV • *HIV após incubação , com linfócitos atípicos

  29. Leucograma • Citopenias e citoses relativas nada significam se não acompanhadas de citopenias ou citoses absolutas. • A única exceção em que o valor percentual tem significado interpretativo é no número de neutrófilos bastonetes. • Neutrofilia • É o aumento do número absoluto de neutrófilos no sangue ( acima de 7000 e 10-20% menos nas populações negras) • Descargas adrenérgicas podem causar neutrofilia rápida e fugaz pela mobilização do pool marginal

  30. Neutrofilia • A neutrofilia é a expressão hematológica da resposta defensiva do organismo • Pode ocorrer : • *doenças infecciosas • *doenças inflamatórias agudas e crônicas • *IAM – neutrofilia com eosinopenia • * fármacos- lítio, corticóide • * após trauma severo • *pós operatório • *neoplasias

  31. Desvio à Esquerda • É a quebra da hierarquia na liberação dos neutrófilos da reserva granulocítica medular para o sangue • É a única eventualidade em que o valor percentual é o parâmetro a ser julgado na interpretação

  32. Neutropenia • É a diminuição do número absoluto de neutrófilos • Valores inferiores a 1500 são anormais em pacientes brancos , mas em pacientes negros apenas inferiores a 1200/ µl • Neutropenias entre 500-1000 são ditas moderadas , < 500-severas

  33. Causas de Neutropenia • Uso de fármacos: fenotiazinas, antitireoideos, clozapina, quimioterápicos • Neoplasias ( invasão de M.O.) • Doenças infecciosas • Neutropenias crônicas: neutropenia cíclica, neutropenia crônica benigna.

  34. Eosinófilos • Eosinofilia – é o aumento do número absoluto de eosinófilos, >500/µl • Causas : • *Parasitoses • *Doenças alérgicas e da pele • *Radioterapia • *Síndrome hipereosinofílica • *Leucemias • *Eosinofilia discreta pode ocorrer em: colagenoses, serosites, TBC • Eosinopenia • <50/ µl • Causas : • *todos os casos de estímulo do eixo hipófise/supra-renal ( estresse, dças infecciosas) • *uso de corticóide

  35. Alterações Reacionais • Granulações Tóxicas • Quando a granulopoiese é continuadamente exigida , pela extensão e duração de um foco inflamatório, há encurtamento do estágio intermitótico e diminuição dos prazos de maturação das células precursoras; sendo asssim , os neutrófilos chegam ao sangue periférico com granulações primárias, própria dos pró-mielócitos. São grânulos grandes, ricos em enzimas e coram-se em roxo-escuro. Quando tais granulações estão presentes em neutrófilos são ditas granulações tóxicas.

  36. LEUCOGRAMA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS • O leucograma das doenças infecciosas varia com: • A localização e a extensão do processo • A magnitude das manifestações sistêmicas • O agente etiológico • O grupo etário • As condições imunológicas do paciente

  37. LEUCOGRAMA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS Há neutrofilia nas pneumonias, meningites, peritonites , artrites infecciosas, osteomielite, septicemia e quando há coleções purulentas teciduais, intra-cavitárias ou serosas Os cocos G+ causam neutrofilia com maior constância, mas processos similares por G- também costumam fazê-lo Pode não ocorrer neutrofilia quando as doenças infecciosas acometem recém-nascidos , lactentes desnutridos, pacientes muito idosos, debilitados, alcoolistas, pacientes sem reserva granulocítica (por radio ou quimioterapias prévias) e pacientes imunossuprimidos

  38. Plaquetas • Alterações Plaquetárias • Número • TROMBOCITOSE – é o aumento na contagem de plaquetas(Doenças primárias da M.O) • TROMBOCITOPENIA- é a diminuição na contagem de plaquetas(Infecções virais e PTI aguda(idiopática ou não) • Tamanho: macroplaquetas: • Grumos

  39. Plaquetograma • Os contadores contam e medem as plaquetas pelo princípio de Coulter no mesmo canal de eritrócitos ,através do limiar de volume ,plaquetas<20 fl e eritrócitos>30 fl • Os contadores medem as plaquetas e fornecem um resultado médio do volume plaquetário ( VPM ) valores em torno de 7-10 fl • Valores de referência da contagem plaquetária 130.000- 400.000/ µl

  40. Plaquetas normais

  41. Medulograma • Estudo citomorfológico detalhada • Avaliação semiquantitativa • Reações citoquímicas • Técnica: aspiração esternal, crista ilíaca,

  42. Medulograma • Blastos: <5% • Pro-mielócitos • Mielócitos • Metamielócitos • Bastonetes/bastões • Segmentados • Linfócitos • Monócitos • Eritroblastos • Plasmócitos • Megacariócitos • Elementos estranhos • Alterações morfológicas

  43. Exame complementar • Biópsia de Osso • Agulha especial: Jamshid • Crista ílica • Estudo histomorfológico (aspectos quantitativos e de localização)