slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Causas das Alterações Climáticas PowerPoint Presentation
Download Presentation
Causas das Alterações Climáticas

play fullscreen
1 / 11
Download Presentation

Causas das Alterações Climáticas - PowerPoint PPT Presentation

ashlyn
164 Views
Download Presentation

Causas das Alterações Climáticas

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Causas das Alterações Climáticas

  2. Causas das Alterações Climáticas Emissões de CO2 por sectores e por países, em 1996. http://www.deh.gov.au/soe/2001/atmosphere/atmosphere02-16.html

  3. Causas das Alterações Climáticas Oscilação do Atlântico Norte É um dos modelos de variabilidade da atmosfera do hemisfério Norte. Interacção entre o oceano e a atmosfera, é particularmente importante no Inverno Um reforço das altas pressões - índice positivo - deflete o fluxo atmosférico de Oeste em direcção ao Norte da Europa, dando invernos húmidos no norte da Europa e secas no Sul.

  4. Causas das Alterações Climáticas Oscilação do Atlântico Norte

  5. Causas das Alterações Climáticas Oscilação do Atlântico Norte

  6. Consequências das alterações climáticas • Aquecimento Global/ aumento da temperatura média da atmosfera: a temperatura média global seria mais baixa 2º se não houvesse actividade humana, com a previsão de aumento de 1ºC a 3,5ºC para os próximos 100anos. • aumento do contraste térmico entre as regiões quentes e frias, alteração dos regimes térmicos Degelo / subida do nível médio das águas do mar, • submersão de áreas fluviais-marítimas ocupadas por fortes densidades populacionais com funções urbanas e industriais

  7. Dos GEE, assumem particular importância o CO2, uma vez que o volume das suas emissões para a atmosfera representa algo em torno de 55% do total das missões de GEE e o tempo da sua permanência na atmosfera é de pelo menos 100 anos. Evolução de CO2

  8. Mudanças na circulação atmosférica (ex: aumento de frequência das situações de bloqueio do Anticiclone dos Açores, aumento de furacões), alteração de localização dos centros de pressão atmosférica e dos ventos, mudanças dos regimes pluviométricos Circulação Geral da Atmosfera

  9. http://www.cpc.ncep.noaa.gov/products/intraseasonal/z500_nh_anim.shtmlhttp://www.cpc.ncep.noaa.gov/products/intraseasonal/z500_nh_anim.shtml

  10. Depressões ou Baixas pressões associadas ao Mau Tempo Anticiclone ou Altas pressões Associadas ao Bom tempo Situações casos: -furacões (depressões tropicais muito acentuadas) - secas (períodos secos prolongados resultantes anticiclones muito espessos e de longa duração)

  11. Anatomia de um Furacão Aumento de furacões (baixas pressões tropicais muito intensas/ciclones tropicais, ex: Katrina, Stan, Vince). Sob o efeito do calor intenso, o ar dilata-se, torna-se mais leve e sobe, formando baixas pressões muito intensas. Quando a humidade transportada pelos alíseos se transforma em chuva, este fenómeno liberta energia e o ar aquece ainda mais. A partir deste momento o ciclone cresce por si mesmo. Ao longo do seu trajecto sobre o oceano, acumula energia e ganha velocidade… até então depois se dissipar no continente com ventos e chuvas arrasadoras causando danos catastróficos