Europa
Download
1 / 19

Prof.Pizzolatto - PowerPoint PPT Presentation


  • 92 Views
  • Uploaded on

Europa Moderna. Prof.Pizzolatto. x. Feudalismo. Monarquia Feudal. +. Burguesia. Estados Nacionais. Baixa Idade Média. Estados Nacionais. Portugal Espanha França Inglaterra. Exceção Itália Alemanha. XIX. Estado Nacional. Estado Absolutista.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Prof.Pizzolatto' - armani


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Prof pizzolatto

Europa

Moderna

Prof.Pizzolatto


Prof pizzolatto

x

Feudalismo

Monarquia Feudal

+

Burguesia

Estados Nacionais

Baixa Idade Média


Prof pizzolatto

Estados Nacionais

Portugal

Espanha

França

Inglaterra

Exceção

Itália

Alemanha

XIX


Prof pizzolatto

Estado Nacional

Estado Absolutista

O absolutismo era uma aparelho de dominação Aristocrático modificado, destinado a fixar as massas em sua posição social e apoiado no capital burguês.


Prof pizzolatto

Pensadores

Maquiavel

Hobbes

Bossuet

Bodin


Prof pizzolatto

A Itália no

Tempo de

Maquiavel

(1469-1527)


Prof pizzolatto

Não deve importar ao príncipe a qualificação de cruel para manter os seus súditos unidos e com fé...porque é mais piedoso que aqueles que por clemência deixam livres assassinos e ladrões...porque estes prejudicam a todo povo e as execuções do príncipe prejudicam apenas um indivíduo.

Deve o príncipe fazer-se temer de maneira que, se não se fizer amado, pelo menos evite o ódio...

Maquiavel, Nicolau. O Príncipe.


Prof pizzolatto

Hobbes para manter os seus súditos unidos e com fé...porque é mais piedoso que aqueles que por clemência deixam livres assassinos e ladrões...porque estes prejudicam a todo povo e as execuções do príncipe prejudicam apenas um indivíduo.

(1588-1679)

Homem x Homem

Contrato Social

Estado = Mal Necessário


Prof pizzolatto

A única forma de conseguir força capaz de defendê-los contra invasões estrangeiras e contra injúrias alheias é conferir todo seu poder e fortaleza a um homem ou a uma assembléia de homens... E que cada um se reconheça naquele que o representa...e que se submetam suas vontades à vontade daquele, seus juízos ao juízo daquele... Feito isto, a multidão , assim unida em uma pessoa se denomina Estado.

Hobbes, T. Leviatã.


Prof pizzolatto

Teoria do Direito Divino contra invasões estrangeiras e contra injúrias alheias é conferir todo seu poder e fortaleza a um homem ou a uma assembléia de homens... E que cada um se reconheça naquele que o representa...e que se submetam suas vontades à vontade daquele, seus juízos ao juízo daquele... Feito isto, a multidão , assim unida em uma pessoa se denomina Estado.

Bodin

(1530-1596)

Bossuet

(1627-1704)

...o trono real não é o trono de um homem, mas o trono do próprio Deus.O rei vê de mais alto e muito longe, deve acreditar-se que ele vê melhor e deve obedecer-se-lhe sem murmurar.

...Nada havendo de maior sobre a terra, depois de Deus, que os príncipes e soberanos...

...Quem despreza seu príncipe despreza a Deus, de Quem ele é a imagem na Terra.


Prof pizzolatto

Estados Nacionais contra invasões estrangeiras e contra injúrias alheias é conferir todo seu poder e fortaleza a um homem ou a uma assembléia de homens... E que cada um se reconheça naquele que o representa...e que se submetam suas vontades à vontade daquele, seus juízos ao juízo daquele... Feito isto, a multidão , assim unida em uma pessoa se denomina Estado.

Expansão Marítima


A crise europ ia dos s culos xiv e xv
A CRISE EUROPÉIA DOS SÉCULOS XIV E XV contra invasões estrangeiras e contra injúrias alheias é conferir todo seu poder e fortaleza a um homem ou a uma assembléia de homens... E que cada um se reconheça naquele que o representa...e que se submetam suas vontades à vontade daquele, seus juízos ao juízo daquele... Feito isto, a multidão , assim unida em uma pessoa se denomina Estado.

  • A GUERRA DOS CEM ANOS – arruinou Inglaterra e França e afetou toda a Europa, pois destruiu as rotas terrestres.

  • MONOPÓLIO DAS IDADES ITALIANAS – as cidades italianas dominavam o comercio das especiarias via Mediterrâneo.

  • ESGOTAMENTO DAS MINAS DE OURO – não havia ouro suficiente para cunhar moedas.

  • FOME – entre 1315 e 1317 matou um número enorme de pessoas.

  • PESTE NEGRA – matou um terço da população européia


A alternativa
A Alternativa... contra invasões estrangeiras e contra injúrias alheias é conferir todo seu poder e fortaleza a um homem ou a uma assembléia de homens... E que cada um se reconheça naquele que o representa...e que se submetam suas vontades à vontade daquele, seus juízos ao juízo daquele... Feito isto, a multidão , assim unida em uma pessoa se denomina Estado.

  • A solução seria trazer um produto que todos quisessem consumir a baixos preços: as especiarias..


O que fazer
O que fazer? contra invasões estrangeiras e contra injúrias alheias é conferir todo seu poder e fortaleza a um homem ou a uma assembléia de homens... E que cada um se reconheça naquele que o representa...e que se submetam suas vontades à vontade daquele, seus juízos ao juízo daquele... Feito isto, a multidão , assim unida em uma pessoa se denomina Estado.

  • Para vendê-las mais barato era necessário um meio de transportá-las em grande quantidade e a baixo custo, evitando os intermediários.

  • A SAÍDA: O OCEANO Atlântico - porém não havia rotas marítimas conhecidas que ligassem Europa e Oriente. Era preciso descobri-las.


Prof pizzolatto

Mercantilismo contra invasões estrangeiras e contra injúrias alheias é conferir todo seu poder e fortaleza a um homem ou a uma assembléia de homens... E que cada um se reconheça naquele que o representa...e que se submetam suas vontades à vontade daquele, seus juízos ao juízo daquele... Feito isto, a multidão , assim unida em uma pessoa se denomina Estado.

  • XV- XVIII

  • Termo criado no XIX

  • Intervenção do Estado na Economia

  • Práticas :

  • Metalismo

  • Balança comercial favorável

  • Monopólio

  • Protecionismo


Prof pizzolatto

Sistemas Econômicos pré-capitalistas contra invasões estrangeiras e contra injúrias alheias é conferir todo seu poder e fortaleza a um homem ou a uma assembléia de homens... E que cada um se reconheça naquele que o representa...e que se submetam suas vontades à vontade daquele, seus juízos ao juízo daquele... Feito isto, a multidão , assim unida em uma pessoa se denomina Estado.

Mercantilismo

entre o XV e final do XVIII

  • originou um conjunto de medidas econômicas diversas de acordo com os estados. É possível distinguir dois modelos principais:

Bulionismo

Colbertismo

  • Termo foi criado pelo economista Adam Smith em 1776, a partir da palavra latina mercari, que significa "gerir um comércio", de merx, produto


Prof pizzolatto

Sistemas Econômicos pré-capitalistas contra invasões estrangeiras e contra injúrias alheias é conferir todo seu poder e fortaleza a um homem ou a uma assembléia de homens... E que cada um se reconheça naquele que o representa...e que se submetam suas vontades à vontade daquele, seus juízos ao juízo daquele... Feito isto, a multidão , assim unida em uma pessoa se denomina Estado.

Mercantilismo

entre o XV e final do XVIII

  • O estado desempenha um papel intervencionista na economia, implantando novas indústrias protegidas pelo aumento dos direitos alfandegários sobre as importações, (protecionismo), controlando os consumos internos de determinados produtos, melhorando as infra-estruturas e promovendo a colonização de novos territórios (monopólio).


Prof pizzolatto

Sistemas Econômicos pré-capitalistas contra invasões estrangeiras e contra injúrias alheias é conferir todo seu poder e fortaleza a um homem ou a uma assembléia de homens... E que cada um se reconheça naquele que o representa...e que se submetam suas vontades à vontade daquele, seus juízos ao juízo daquele... Feito isto, a multidão , assim unida em uma pessoa se denomina Estado.

Mercantilismo

entre o XV e final do XVIII

Bulionismo

Teoria econômica que quantifica a riqueza através da quantidade de metais preciosos possuídos. Baseia-se na crença de posse e acúmulo de ouro e metais preciosos, confundindo estes com capital, não investindo em atividades lucrativas como manufaturas,comercio etc.


Prof pizzolatto

Sistemas Econômicos pré-capitalistas contra invasões estrangeiras e contra injúrias alheias é conferir todo seu poder e fortaleza a um homem ou a uma assembléia de homens... E que cada um se reconheça naquele que o representa...e que se submetam suas vontades à vontade daquele, seus juízos ao juízo daquele... Feito isto, a multidão , assim unida em uma pessoa se denomina Estado.

Mercantilismo

entre o XV e final do XVIII

Colbertismo

  • característico da política econômica francesa.

  • Teorizado por Jean-Baptiste Colbert, controlador geral das finanças do rei Luís XIV

  • Propunha que o volume de exportações fosse maior que o de importações para que se obtivesse uma balança comercial favorável.

  • Em consequência ocorreu um protecionismo que visava ao desenvolvimento da frota nacional e ao incremento da produção de manufaturados