cita es transcri es e refer ncias n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
CITAÇÕES, TRANSCRIÇÕES E REFERÊNCIAS PowerPoint Presentation
Download Presentation
CITAÇÕES, TRANSCRIÇÕES E REFERÊNCIAS

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 20

CITAÇÕES, TRANSCRIÇÕES E REFERÊNCIAS - PowerPoint PPT Presentation


  • 268 Views
  • Uploaded on

CITAÇÕES, TRANSCRIÇÕES E REFERÊNCIAS. Azevedo, M. (2008). Teses, Relatórios e Trabalhos escolares: Sugestões para Estruturação da Escrita (6ª ed.). Lisboa: Universidade Católica Editora.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'CITAÇÕES, TRANSCRIÇÕES E REFERÊNCIAS' - Thomas


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
cita es transcri es e refer ncias
CITAÇÕES, TRANSCRIÇÕES E REFERÊNCIAS

Azevedo, M. (2008). Teses, Relatórios e Trabalhos escolares: Sugestões para Estruturação da Escrita (6ª ed.). Lisboa: Universidade Católica Editora.

Citação – Utilização das ideias (não triviais) de outrem num texto ou discurso nosso, mesmo que todas as palavras usadas para transmitir essa ideia sejam nossas.

Transcrição – O recurso a expressões verbais de outrem, transpondo para o texto ou discurso nosso não só ideias de outrem, mas também as palavras que exprimiam essas ideias.

Referência – Indicação dum autor ou duma fonte de citação ou de transcrição. A referência ao autor duma ideia (citação) ou duma expressão (transcrição) que usamos em texto nosso faz-se simultaneamente quer no próprio lugar da citação ou transcrição quer numa lista final, designada de lista de referências ou referências bibliográficas.

QUAIS SÃO AS REFERÊNCIAS QUE FAZEM PARTE DA LISTA FINAL?

investiga o em educa o
INVESTIGAÇÃO EM EDUCAÇÃO

CITAÇÕES, TRANSCRIÇÕES

E

REFERÊNCIAS BIBIOGRÁFICAS

Bento 18/10/11

slide3

CITAÇÕES E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁTICAS

  • A utilização de ideias ou palavras de um autor obriga à sua citação, existindo várias formas de apresentar referências ao longo de um texto
  • Baptista (2002), sugeriu que…
  • Em 2002, Baptista referiu que…
  • Carlos e Emílio eram opostos, não só nas personalidades mas nos recursos de inspiração para a escrita (Taylor, 1990)
  • De acordo com Irene Taylor (1990), as personalidades de Carlos....
  • Num artigo de 1989, Gould explica o maior sucesso de Darwin....
  • Alcock & Thornhill (1983) demonstram...
  • O problema foi descrito mas não demonstrado (Douglas et al., 1997).
  • Emile Bronte “exprimiu uma hostilidade feroz “ (Taylor, 1988, p. 11).
slide4

=======

(Gould, 1987, 1989)

(Bloom, 1987a, 1987b)

Quando o mesmo facto é descrito por vários autores, as referências deverão ser efectuadas por ordem alfabética, separando os autores através de ponto e vírgula:

(Gould, 1989; Smith, 1983; Tutwiler, 1989)

Two or more authors:

When a work has two authors, always cite both names every time the reference occurs. For works with three, four, or five authors, cite all authors the first time the reference occurs. In subsequent citations, include only the last name of the first author followed by et al. (Smith et al., 2008)

“e” e “&”

Se os autores estiverem entre parêntesis, dever-se-á utilizar “&”, como ,por exemplo, “Determinado facto (Carlson & Smith, 1972)…” ou “Carlson e Smith (1972)…”

slide5
Citação com mais de 40 palavras deverá ser apresentada num bloco indentado à esquerda, sem aspas e o número da página deverá ser colocado entre parêntesis após o último ponto final.

Citation of a work discussed in a secondary souce

To cite secondary sources, refer to both sources in the text, but include in the Reference list only the source that you actually used. For example, suppose you read Fielder (2008) and would like to paraphrase the following sentence within that article: Braun (2008) defined bat speed as “the ability to catch up to a baseball with a moving bat” (p.11).

In this case, your in-text citation would be “(Braun, 2008, as cited in Fielder, 2008).”

Fielder (2008) would be fully referenced within the list of References.

n meros
Números

A utilização de números ao longo do texto que compõe um artigo científico está também sujeita a regras. Os algarismos de zero a nove devem ser indicados por extenso, excepto nos casos em que designam tabelas ou figuras. Assim, os algarismos devem ser representados numericamente apenas a partir do número 10, capitalizando as palavras que os precedem (por exemplo, “Na Figura 3, do Bloco 4 da Sessão 2 ocorreu…”)

Quando a frase se inicia com um número, este deve ser escrito por extenso (por exemplo, “Trinta e quatro estudantes participaram…”).

refer ncias bibliogr ficas
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Um Autor:

Bell, J. (1997). Como realizar um projecto de investigação. Lisboa: Gradiva.

Dois Autores:

Sears, W., & Thomson, L. (1998). The A.D.D. book. Boston: Little, Brown & Co.

Vários Autores:

Clímaco, M.C., & Rau, M. J. (1988). A gestão no ensino primário e no ensino preparatório. In E.L. Pires et al. (Eds.). Ensino básico em Portugal (pp. 175- 203). Porto: Edições Asa.

Grácio, R. (1981). Perspectivas futuras. In M. Silva, & M.I. Tamen (Eds.). Sistema de ensino em Portugal (pp. 649-697). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

q u e s t o
Q U E S T Ã O...

Investigar a arte de ensinar, de Peter Woods, Porto Editora, 1999.

O papel do gestor intermédio na Supervisão Escolar de M. Oliveira. In Alarcão, Isabel, organizadora. Escola reflexiva e supervisão: Uma escola e desenvolvimento da aprendizagem. Porto Editora, Porto, 2000

refer ncias bibliogr ficas1
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Até seis autores:

Quando o livro tem até seis autores devem ser todos nomeados. Contudo, se há mais de seis, citam-se os seis primeiros e acrescente “et al.”

Caiado, A. P., & Pinto, A. C. (2002). Manual do Plano Oficial de Contabilidade Pùblica (2ª ed.). Lisboa: Áreas Editora.

Roeder, K., Howdeshell, J., Fulton, L., Lockhead, M., Craig, K., Peterson, R., et al. (1967). Nervecellsandinsectbehavior. Cambridge, MA: Harvard UniversityPress.

refer ncias bibliogr ficas2
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Livro com dois organizadores ou editores:

Simões, O., & Cristóvão, A. (Orgs.). (2003). TERN: Turismo em Espaços Rurais e Naturais. Coimbra: Edições do Instituto Politécnico de Coimbra.

Dois ou mais livros do mesmo autor:

  • Se o mesmo autor publicou dois livros em anos diferentes, são ordenados alfabeticamente segundo o título do livro.
  • Se o mesmo autor publicou dois livros no mesmo ano, deve-se ordenar alfabeticamente pelo título e juntar uma letra (a, b, …) depois do ano.
refer ncias bibliogr ficas3
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Livro de uma organização:

Associações, organizações, corporações, agências e departamentos governamentais, são considerados autores, quando não existe um autor nomeado.

Direcção Geral do Turismo. (2001). 2000 – Os Números do Turismo em Portugal. Lisboa: Direcção Geral do Turismo.

Universityof Minnesota. (1985). Social psychology. Minneapolis: Universityof Minnesota Press.

refer ncias bibliogr ficas4
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Livros sem autor identificado:

Manual ofStyle(1993). Chicago: Universityof Chicago Press.

Livro sem data, sem local de edição e/ou sem editor:

Belo, Joaquim (s.d.). O Porto de setecentos. s.l.: s.e..

Livro reimpresso ou republicado:

Freud, S. (1961). The ego andtheid.In J. Srtachey (Ed.andTrans.), The standard editionofthe complete psychologicalworksofSigmund Freud (Vol. 19, pp. 3-66). London: HogarthPress. (Original workpublished 1923).

refer ncias bibliogr ficas5
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Sem Autor:

Merriam-Webster´s collegiate dictionary. (10th ed.). (1993). Springfield, MA: Merriam-Webster.

Publicação Periódica:

Clímaco, M. C. (1991). Indicadores de desempenho de escola na gestão e avaliação da qualidade educativa. Inovação, 4, (2-3), 87-126.

Correia, J. A. (1999). Relações entre a escola e a comunidade: da lógica da exterioridade à lógica da interpelação. Aprender, 22, 129-134.

Grover, R. (1988, September 19). A megawatt power play. Business Week, 34-35.

refer ncias bibliogr ficas6
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Artigo de Jornal/Revista (não científicos):

Newexam for doctoroffuture. (1989, March 15). TheNew York Times, B-10.

Henry, W. M. (1990, April 9). Beyondthemeltingpot. Time, 135, 28-31.

Diário de Coimbra. (2000, 19 de Agosto). Queremos ver os turistas de cebolas às costas, Diário de Coimbra, p. 5.

WWW:

ADHD takingcontrolthroughknowledge (n.d.). RetrievedJune 1, 2000 fromtheWorldWide Web: http://www.adhdnews.com

Vários Volumes:

Bergmann, P. G. (1993). Relativity. InTheNewEncyclopediaBritannica (Vol. 26, pp. 501-508). Chicago: EncyclopediaBritannica.

refer ncias bibliogr ficas7
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Artigos publicados em actas de congressos disponíveis em CDROM:

Fortuna, C. & Peixoto, P. (2002). As novas e as velhas imagens das cidades: um olhar sobre a transformação identitária de cinco cidades portuguesas. Actas do IV Congresso da Associação portuguesa de sociologia: Associação Portuguesa de Sociologia (CDROM).

Artigo de uma revista da Internet:

Pelling, N. (2002, May). The use oftecnologyincareercouseling. JournalofTecnologyinCouseling, 2(2). RetrievedDecember 16, 2007, fromhttp://jtc.colstate.edu/vo2 2/pelling.htm

refer ncias bibliogr ficas8
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Teses publicadas:

Mendes, J. M. (1999). Do ressentimento ao reconhecimento: vozes, identidades e processos políticos nos Açores: 1971-1996, Tese de doutoramento em sociologia. Coimbra: Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra.

Teses não publicadas:

Lee, J. S. (1991). A studyofsleepdeprivationanditseffectsonteenagers, unpublisheddoctoraldissertation, UniversityofNebraska-Omaha. DissertationAbstractsInternational, 50, 4615B.

refer ncias bibliogr ficas9
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Entrevistas:

Archer, N. (1993). [InterviewwithHelenBurns, authorofSenseandPerception]. JournalofSensoryStudies, 21, 211-216.

normas e refer ncias
NORMAS E REFERÊNCIAS

Estas normas para citação e referências de fontes são baseadas na 5ª edição do Publication Manual of the American Psychological Association (APA), publicado em 2001.

  • A bibliografia deve ser apresentada em Times New Roman 12 ou Arial 11, parágrafos pendentes de 1 cm, espaço de 1 linha antes e uma depois.
  • A bibliografia vem no fim do capítulo “Conclusões” e antes do Glossário. A palavra Bibliografia deve ser centrada na página. Trata-se da mesma forma que um capítulo.
  • Todas as referências citadas no corpo do texto têm obrigatoriamente de estar listadas nas “referências bibliográficas” e vice-versa.
normas e refer ncias1
NORMAS E REFERÊNCIAS
  • As referências devem ser listadas por ordem alfabética crescente, a partir do apelido do primeiro autor.
  • As referências dum mesmo autor devem ser ordenadas por ano de publicação do ano mais antigo para o mais recente.
  • As referências bibliográficas devem seguir sempre as mesmas normas
  • Autores com nomes compostos devem ser referidos com o nome composto (Exº Castelo Branco, Amaral Júnior, São José).
slide20

TRABALHO PRÁTICO

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Nome (s)__________________ Data_______

Elaborem uma referência bibliográfica a partir dos elementos bibliográficos dados e de acordo com as normas da APA.