lu s ricardo buss venier paulo victor barsante moreno rafael monteiro mendon a l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Norma Regulamentadora – NR 4 PowerPoint Presentation
Download Presentation
Norma Regulamentadora – NR 4

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 30

Norma Regulamentadora – NR 4 - PowerPoint PPT Presentation


  • 816 Views
  • Uploaded on

Luís Ricardo Buss Venier Paulo Victor Barsante Moreno Rafael Monteiro Mendonça. Norma Regulamentadora – NR 4. Grande parte dos acidentes de trabalho ocorre porque os trabalhadores encontram-se despreparados para enfrentar certos riscos.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Norma Regulamentadora – NR 4' - Olivia


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
lu s ricardo buss venier paulo victor barsante moreno rafael monteiro mendon a
Luís Ricardo Buss Venier

Paulo Victor Barsante Moreno

Rafael Monteiro Mendonça

Norma Regulamentadora – NR 4
slide2
Grande parte dos acidentes de trabalho ocorre porque os trabalhadores encontram-se despreparados para enfrentar certos riscos.
slide6
“Art. 139 - Acidente do trabalho é o que ocorre pelo
  • exercício do trabalho a serviço da empresa, ou ainda,
  • pelo exercício do trabalho dos segurados especiais,
  • provocando lesão corporal ou perturbação funcional
  • que cause a morte, a perda ou redução da capacidade
  • para o trabalho, permanente ou temporária.”
normas regulamentadoras
Normas Regulamentadoras
  • Publicadas pelo Ministério do Trabalho
  • Elaboradas e modificadas por
  • uma comissão tripartite
hist rico
HISTÓRICO
  • CLT de 1943 , art. 164
  • Portaria 3237, de 27/6/72
  • Revogada em 1978
slide10
NR-4
  • Estabelece a obrigatoriedade de empresas públicas e privadas, que possuam funcionários registrados pela CLT (Art. 162), de organizarem e manterem em funcionamento o SESMT.
slide11

SESMT

Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho.

o que o sesmt faz
O que o SESMT faz?
  • Aplica as melhores Práticas Prevencionistas
  • Responde as Entidades de Fiscalização
  • Atua para que as medidas sejam respeitadas
  • Apura os acontecimentos
principais benef cios
Principais Benefícios
  • Desenvolvimento da Cultura Prevencionista
  • Orientações
  • Ampliação
  • Condições Ambientais
  • Clima Organizacional
  • Motivação
  • Otimização
  • Contribui para melhor qualidade de vida
quem comp e o sesmt
Quem Compõe o SESMT?
  • Técnico de Segurança do Trabalho
  • Engenheiros de Segurança do trabalho
  • Enfermeiros do Trabalho e auxiliar de enfermagem do trabalho
  • Médicos do trabalho
principais a es
Principais Ações
  • Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA)
  • Programa de Controle Médico e Saúde Ocupável – (PCMSO)
  • Análises Ergonômicas do Trabalho (AET)
  • Laudos de Periculosidade e Insalubridade
  • Planos de Prevenção e de Emergência
  • Palestras
programa de preven o de riscos ambientais
Programa de Prevenção de Riscos Ambientais
  • Estabelecido pela NR-9
  • Objetivo de definir uma metodologia de ação, afim de preservar a saúde e integridade dos trabalhadores
programa de controle m dico e sa de ocup vel pcmso
Programa de Controle Médico e Saúde Ocupável – (PCMSO)
  • Orientar a realização de exames médicos
  • Orientação educacional sobre saude
an lise ergon mica do trabalho
Análise Ergonômica do Trabalho
  • Entrevista com os trabalhadores;
  • Identificação sistemática de ações técnicas no trabalho;
  • Definição do risco ergonômico;
  • Definição das melhorias necessárias;
plano de preven o e de emerg ncia
Plano de prevenção e de Emergência
  • - Um plano de prevenção e emergência pode definir-se como a sistematização de um conjunto de normas e regras de procedimento, destinadas a evitar ou minimizar os efeitos das catástrofes que se prevê possam vir a ocorrer em determinadas áreas, gerindo, de uma forma optimizada, os recursos disponíveis.
raz es para elabora o de um plano
Razões para elaboração de um plano:
  • • Identifica os riscos e procura minimizar os seus efeitos;• Estabelece cenários de acidentes para os riscos identificados; • Define princípios, normas e regras de actuação face aos cenários possíveis;• Organiza os meios e prevê missões para cada um dos intervenientes; • Permite desencadear acções oportunas, destinadas a limitar as consequências do sinistro;
raz es para elabora o de um plano21
Razões para elaboração de um plano:
  • •  Evita confusões, erros e atropelos e a duplicação de atuações; •  Prevê e organiza antecipadamente a evacuação e intervenção; •  Permite rotinar procedimentos, os quais poderão ser testados, através de exercícios e simulacros.
caracter sticas de um plano de preven o e emerg ncia ppe
Características de um Plano de Prevenção e Emergência (PPE)
  • Simplicidade
  • Flexibilidade
  • Dinamismo
  • Adequação
  • Precisão
objetivos gerais de ppe
Objetivos Gerais de PPE
  • • Adotar um nível de segurança eficaz; • Limitar as consequências de um acidente; • Sensibilizar para a necessidade de conhecer e rotinar procedimentos de autoproteção a adotar, por parte dos intervenientes em caso de acidente; • Co-responsabilizar toda a população no cumprimento das normas de segurança; •  Preparar e organizar os meios humanos e materiais existentes para garantir a salvaguarda de pessoas e bens, em caso de ocorrência de uma situação perigosaNeste momento decorre a elaboração de diversos planos em estabelecimentos de ensino do concelho.
sesmt como dimensionar
SESMT – Como Dimensionar
  • 1º - Identificar o grau de risco
  • 2º - Relacionar o grau de risco com o numero de empregados.
slide25

Quadro 1

Relação da Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE (Versão 2.0)*, com

correspondente Grau de Risco - GR para fins de dimensionamento do SESMT

Códigos Denominação GR

A AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO FLORESTAL, PESCA E AQÜICULTURA

01 AGRICULTURA, PECUÁRIA E SERVIÇOS RELACIONADOS

01.1 Produção de lavouras temporárias

01.11-3 Cultivo de cereais 3

01.12-1 Cultivo de algodão herbáceo e de outras fibras de lavoura temporária 3

01.13-0 Cultivo de cana-de-açúcar 3

01.14-8 Cultivo de fumo 3

01.15-6 Cultivo de soja 3

01.16-4 Cultivo de oleaginosas de lavoura temporária, exceto soja 3

...

97 SERVIÇOS DOMÉSTICOS

97.0 Serviços domésticos

97.00-5 Serviços domésticos 2

...

motivos de fracasso do sesmt
Motivos de Fracasso do SESMT
  • 1 – Selecionar mal a equipe,
  • 2 – Remunerar mal a equipe do SESMT,
  • 3 – Isolar o SESMT
  • 4 - A organização promover o desvio de função
  • 5 – Não existir investimento na atualização do profissional
slide28

Legenda

(*) – Tempo parcial (mínimo de três horas);

(**) – O dimensionamento total deverá ser feito levando-se em consideração o dimensionamento de faixas de 350.1 a 5000 mais o dimensionamento do(s) grupo(s) de 4000 ou fração acima de 2000.

Obs.: Hospitais, ambulatórios, maternidades, casas de saúde e repouso, clínicas e estabelecimentos similares com mais de 500 (quinhentos) empregados deverão contratar um enfermeiro de trabalho em tempo integral.

dificuldades para o exerc cio do sesmt
Dificuldades para o exercício do SESMT
  • Financeiras, por parte das empresas;
  • Desconhecimento das características da Empresa (política, convenção coletiva do trabalho, metas empresariais, etc) ;
  • Despreparo Técnico – Cientifico;