PROJETO 2006-2007 - PowerPoint PPT Presentation

Leo
slide1 l.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
PROJETO 2006-2007 PowerPoint Presentation
Download Presentation
PROJETO 2006-2007

play fullscreen
1 / 100
Download Presentation
PROJETO 2006-2007
124 Views
Download Presentation

PROJETO 2006-2007

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE SEGURANÇA OPERACIONAL UMA VISÃO INTEGRADA EM SEGURANÇA OPERACIONAL E QUALIDADE “SEGURANÇA, QUALIDADE, MEIO AMBIENTE E SAUDE: VALORES DE TODOS ; RESPONSABILIDADE DE CADA UM” PROJETO 2006-2007 Cmte Paulo Tadeu de M. da C. Gama Agente de Segurança de Vôo ASV nº 97 224

  2. SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DE SEGURANÇA OPERACIONAL OBJETIVO Familiarização com os conceitos e técnicas do Sistema de Gerenciamento de Segurança Operacional da SENIOR TAXI AÉREO, ressaltando a importância da INTEGRAÇÃOde todos os envolvidos nas atividades OFF-SHORE / ON-SHORE, como requisito primordial para o sucesso e eficiência na PREVENÇÃO DE ACIDENTES e incremento na SEGURANÇA E QUALIDADE dos serviços prestados.

  3. SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DE SEGURANÇA OPERACIONAL ROTEIRO • BREVE HISTÓRICO SOBRE AS ATIVIDADES PETROLÍFERAS NO BRASIL • INÍCIO DAS ATIVIDADES OFF-SHORE NO PAÍS • CRIAÇÃO DA EMPRESA SENIOR TAXI AÉREO • EVOLUÇÃO DA SENIOR NO CENÁRIO OFF-SHORE – PROJETO 2006 - 2007 • SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE SEGURANÇA OPERACIONAL DA SENIOR • CONCLUSÃO

  4. BREVE HISTÓRICO SOBRE AS ATIVIDADES PETROLÍFERAS NO BRASIL

  5. BREVE HISTÓRICO SOBRE AS ATIVIDADES PETROLÍFERAS NO BRASIL PRIMEIRA TORRE DE PERFURAÇÃO POÇO ARAXÁ – ARQUEADA SÃO PAULO - 1927

  6. BREVE HISTÓRICO SOBRE AS ATIVIDADES PETROLÍFERAS NO BRASIL POÇO BOFETE – 1936 SÃO PAULO

  7. BREVE HISTÓRICO SOBRE AS ATIVIDADES PETROLÍFERAS NO BRASIL POÇO SÃO JOÃO – 1927 ALAGOAS

  8. BREVE HISTÓRICO SOBRE AS ATIVIDADES PETROLÍFERAS NO BRASIL CRIAÇÃO DO CONSELHO NACIONAL DO PETRÓLEO - 1954

  9. INÍCIO DAS ATIVIDADES OFF-SHORE NO PAÍS PETROBRÁS

  10. INÍCIO DAS ATIVIDADES OFF-SHORE NO PAÍS 1974 – DESCOBERTA DA BACIA DE CAMPOS BACIA DE CAMPOS

  11. INÍCIO DAS ATIVIDADES OFF-SHORE NO PAÍS INÍCIO DAS ATIVIDADES AÉREAS

  12. INCREMENTO DA ATIVIDADE OFF-SHORE NO PAÍS

  13. INCREMENTO DA ATIVIDADE OFF-SHORE NO PAÍS AMAPÁ BELEM FORTALEZA PORTO URUCÚ ARACAJÚ SALVADOR VITÓRIA BACIA DE CAMPOS SANTOS NAVEGANTES

  14. CRIAÇÃO DA EMPRESA SENIOR TAXI AÉREO 01 SIKORSKY SK – 76 C+ 12 PASSAGEIROS 1997

  15. INCREMENTO DA ATIVIDADE OFF-SHORE NO PAÍS MACAÉ – ATUAIS INSTALAÇÕES DA PETROBRÁS

  16. INCREMENTO DA ATIVIDADE OFF-SHORE NO PAÍS 100 UNIDADES MARÍTIMAS S. TOMÉ MACAÉ

  17. INCREMENTO DA ATIVIDADE OFF-SHORE NO PAÍS AEROPORTO DE MACAÉ – BACIA DE CAMPOS 50 000 PASSAGEIROS / MÊS 3 000 VÔOS / MÊS

  18. INCREMENTO DA ATIVIDADE OFF-SHORE NO PAÍS 06 EMPRESAS DE TRANSPORTE AÉREO 40 Helicópteros

  19. INCREMENTO DA ATIVIDADE OFF-SHORE NO PAÍS 06 EMPRESAS DE TRANSPORTE AÉREO 40 HELICÓPTEROS

  20. CRIAÇÃO DA EMPRESA SENIOR TAXI AÉREO EVOLUÇÃO DA EMPRESA - 05 ANOS 2007 = 12 Aeron / 04 tipos 04 SK-76 C+ / 04 AS 365 N3 / 01 AS 365 N2 / 03 AW 139 54 Trip 28 Mecânicos 09 Insp DIFERENTES ORIGENS DIFFERENTES CULTURAS DIFERENTES PERFIS Total = 91 01 Ano 2006 = 09 Aeron / 03 tipos 04 SK-76 C+ / 04 AS 365 N3 / 01 AS 365 N2 39 Trip 28 Mec 07 Insp DIFERENTES ORIGENS DIFERENTES CULTURAS DIFERENTES PERFIS Total = 70 04 Anos 2003 = 04 Aeron / 01 tipo 04 SK76 C+ 16 Trip 08 Mec 04 Insp Total = 28

  21. CRIAÇÃO DA EMPRESA SENIOR TAXI AÉREO FROTA ATUAL DA EMPRESA AS 365 N2 DAUPHIN

  22. CRIAÇÃO DA EMPRESA SENIOR TAXI AÉREO FROTA ATUAL DA EMPRESA AS 365 N3 DAUPHIN

  23. CRIAÇÃO DA EMPRESA SENIOR TAXI AÉREO FROTA ATUAL DA EMPRESA SIKORSKY SK – 76 C+

  24. FROTA ATUAL DA EMPRESA CRIAÇÃO DA EMPRESA SENIOR TAXI AÉREO AGUSTA – WESTLAND AW 139

  25. CRIAÇÃO DA EMPRESA SENIOR TAXI AÉREO FROTA ATUAL DA EMPRESA

  26. CRIAÇÃO DA EMPRESA SENIOR TAXI AÉREO BASE OPERACIONAL DE JACAREPAGUÁ – RIO DE JANEIRO

  27. CRIAÇÃO DA EMPRESA SENIOR TAXI AÉREO BASE OPERACIONAL DE MACAÉ – BACIA DE CAMPOS BASES OPERACIONAIS HANGAR DA BASE MACAÉ

  28. REQUISITOS E VALORES DO SISTEMA ESPECIFICAÇÕES CONTRATUAIS DE DESEMPENHO AERONAVES - Modernas, seguras, confortáveis, rápidas e sempre disponíveis. FUNCIONÁRIOS ( Tripulantes, Mantenedores, Pessoal de Apoio ) - - Altamente profissionais, adestrados, treinados, responsáveis, corteses e eficazes. SISTEMAS E PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS - Confiáveis, seguros, atuantes, eficientes, eficazes e evidenciados. ESTRUTURA GERENCIAL • Participativa, comprometida e capacitada a pronta interferência pró-ativa nas possibilidades de desvios • nesses requisitos ( DISCREPÂNCIAS )

  29. SISTEMAS PASSÍVEIS DE FALHAS A MÁQUINA O MEIO O HOMEM A MÁQUINA Não tem vontade própria, discernimento ou livre arbítrio. Nasceu do HOMEM e a ele obedece cegamente. Sua saúde e sobrevivência dele dependem. Mesmo assim é tão leal ao seu Criador que costuma avisar quando está doente. Basta que O HOMEM esteja capacitado a entendê-La, operá-la corretamente e mantê-la sempre saudável. O MEIO OHOMEM não tem domínio sobre ele. Portanto tem que estar capacitado a entender suas mensagens. OHOMEM não pode modificá-lo, más pode e deve administrar os riscos das conseqüências de suas manifestações. O HOMEM tem que estar capacitado a conhecer os seus limites e os de sua Máquina para poder interagir com ele. O HOMEM É o sistema mais completo, complexo e imprevisível dos três, por pensar, escolher e ter livre arbítrio. Por estes “dons” muitos ultrapassam limites por: VAIDADE, ARROGÂNCIA, TEIMOSIA ou INCAPACITAÇÃO. Por suas características de projeto é o mais vulnerável a discrepâncias na interação dos sistemas. O HOMEM é o responsável por mais de 80% dos Fatores Contribuintes a todas as discrepâncias na atividade aérea.

  30. ESTATÍSTICAS DE ACIDENTES NO GOLFO DO MÉXICO 1984 - 2003 239 ACIDENTES 46 ACIDENTES FATAIS 78 VIDAS

  31. ESTATÍSTICAS DE ACIDENTES NO GOLFO DO MÉXICO Fator Humano e/ou Falhas em Procedimentos = 98% Helicopter Safety Advisory Conference (HSAC)

  32. ESTATÍSTICAS DE ACIDENTES NO GOLFO DO MÉXICO FALHAS ATIVAS - CAUSAS DETECTADAS Doutrina / Treinamento / Padronização / CRM = 100% Helicopter Safety Advisory Conference (HSAC)

  33. SISTEMA DE FALHAS 10 % FALHAS ATIVAS 90 % FALHAS LATENTES

  34. ESTATÍSTICA DE OCORRÊNCIAS Acidente Grave / Grandes prejuizos 1 Acidentes leves / prejuizos absorvíveis 10 Incidentes sem prejuizos materiais 30 Ocorrências sem consequências ou prejuizos 600 FALHAS EM PROCEDIMENTOS / ATITUDES / JULGAMENTOS

  35. ESTATÍSTICA DE OCORRÊNCIAS Ocorrências sem consequências ou prejuizos FALHAS EM PROCEDIMENTOS 600 ÁREA DE GERENCIAMENTO DOS RISCOS

  36. ENFOQUE DA FALHA FALHAR é parte normal do comportamento humano. A violação intencional de procedimentos não. O Erro humano é apenas um sintoma cujas causas devem ser pesquisadas.Não se deve combater apenas os sintomas más as Falhas Latentes que possam ter contribuído para a Falha Ativa

  37. DIAGRAMA DA ANÁLISE DE FALHAS FALHAS EM PROCEDIMENTOS CONHECIA O PROCEDIMENTO NÃO CONHECIA O PROCEDIMENTO AÇÃO INTENCIONAL NUNCA SOUBE O PROCEDIMENTO ESQUECEU O PROCEDIMENTO FALHA DE INSTRUÇÃO FALHA DE SUPERVISÃO FALHA DE PADRONIZAÇÃO FALHA DE TREINAMENTO FALHA DE DOUTRINA AÇÃO TOLERADA PRESSÕES INT / EXT PRESÃO DE TEMPO INDISCIPLINA AÇÕES GERENCIAIS PARA CORRIGIR O SISTEMA PADRÕES DE PROCEDIMETOS DOUTRINA OPERACIONAL CULTURA GRUPAL PUNIÇÃO

  38. DIAGRAMA DA ANÁLISE DE FALHAS FALHAS EM PROCEDIMENTOS CONHECIA O PROCEDIMENTO NÃO CONHECIA O PROCEDIMENTO AÇÃO INTENCIONAL NUNCA SOUBE O PROCEDIMENTO ESQUECEU O PROCEDIMENTO FALHA DE INSTRUÇÃO FALHA DE SUPERVISÃO FALHA DE PADRONIZAÇÃO FALHA DE TREINAMENTO FALHA DE DOUTRINA AÇÃO TOLERADA PRESSÕES INT / EXT PRESSÃO DE TEMPO INDISCIPLINA PUNIÇÃO AÇÕES GERENCIAIS PARA CORRIGIR O SISTEMA PADRÕES DE PROCEDIMENTOS

  39. AÇÕES GERENCIAIS para CORRIGIR O SISTEMA AÇÕES GERENCIAIS PADRÕES DE PROCEDIMENTOS PADRÕES DE PROCEDIMENTOS Referenciais estabelecidos com o objetivo de garantir que todas as fases de todas as tarefas planejadas sejam executadas de forma PADRONIZADA e nos níveis de SEGURANÇA e QUALIDADE desejados.

  40. FALHAS NOS PADRÕES DE PROCEDIMENTOS FALHAS DE ELABORAÇÃO Os Padrões não sãoclaros, não sãopráticos ou Simplesmentenão existem EXEMPLOS Vôos VFR obrigatório manter-se afastado de nuvens 1500m horizontalmente e 300 ft verticalmente. Se achar que o Navio está balançando muito, não pouse. Sob chuva forte não abasteça Em caso de dúvidas use o “BOM SENSO”

  41. FALHAS NOS PADRÕES DE PROCEDIMENTOS FALHAS DE INSTRUÇÃO E TREINAMENTOS Os Padrões existem más não são conhecidos ou a maneira de aplica-los não é conhecida. EXEMPLOS Toda Empresa tem MGO, MGM, Normas, etc..., mas a grande maioria não conhece os seus conteúdos. Toda aeronave possui Check Lists de Procedimentos Normais e de Emergência, más nem todos os Tripulantes estão plenamente adestrados na sua utilização. Os métodos de execução de todas as Manobras de Vôo e serviços de Manutenção estão descritos em documentos referentes, más nem todos os conhecem perfeitamente.

  42. FALHAS NOS PADRÕES DE PROCEDIMENTOS FALHA DE SUPERVISÃO Os Padrões são conhecidos, divulgados másnão são cobrados. EXEMPLOS O Check List está a bordo más não é executado porquê O Cmte. da aeronave não exige. A Tripulação tem que estar na aeronave antes dos Passageiros, más o Cmte. não cumpre e não exige o cumprimento. Todos os Pré Vôos / Inter Vôos / Pós Vôos tem que ser efetuados seguindo-se um Check List padronizado, más o cumprimento não é verificado.

  43. DIAGRAMA DA ANÁLISE DE FALHAS FALHAS EM PROCEDIMENTOS CONHECIA O PROCEDIMENTO NÃO CONHECIA O PROCEDIMENTO AÇÃO INTENCIONAL NUNCA SOUBE O PROCEDIMENTO ESQUECEU O PROCEDIMENTO FALHA DE INSTRUÇÃO FALHA DE SUPERVISÃO FALHA DE PADRONIZAÇÃO FALHA DE TREINAMENTO FALHA DE DOUTRINA AÇÃO TOLERADA PRESSÕES INT / EXT PRESÃO DE TEMPO INDISCIPLINA DOUTRINA OPERACIONAL CULTURA GRUPAL PUNIÇÃO

  44. CULTURA ORGANIZACIONAL GRUPAL CRENÇAS VALORES ATITUDES COMPORTAMENTOS EXEMPLOS

  45. CULTURA ORGANIZACIONAL GRUPAL QUEM É A NOSSA EMPRESA? A nossa Empresa é a SOMATÓRIA de cada um de nós, refletido em nossas atitudes, nossos comportamentos, nossa cultura e nosso DESEMPENHO. E QUEM SOMOS NÓS? O que APARENTAMOS SER menos o que REALMENTE SOMOS POSITIVO OU NEGATIVO. Não basta a Mulher de César SER Honesta. Tem que PARECER. Assim como não basta PARECER. Tem que SER.

  46. EVOLUÇÃO DA SENIOR NO CENÁRIO OFF-SHORE PROJETO 2006 - 2007 SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE SEGURANÇA OPERACIONAL

  47. CULTURA ORGANIZACIONAL GRUPAL POLÍTICA DE GESTÃO INTEGRADA • A SENIOR TAXI AÉREO compromete-se na busca incessante da máxima SEGURANÇA e QUALIDADE em seus serviços prestados, disseminado entre todos os seus Funcionários a doutrina de que estas características devem ser consideradas como VALORES FUNDAMENTAIS e RESPONSABILIDADE PARTICIPATIVA de cada integrante da Empresa, pautadas na certeza de que todos os acidentes e incidentes podem e devem ser evitados, através de constante e eficientes procedimentos pró-ativos de prevenção. • No fortalecimento desta Política a SENIOR TAXI AÉREO é uma Empresa que: • Garante o permanente compromisso de seu Diretor Geral, o qual é plenamente consciente de ser o responsável final pela constante manutenção do empenho e responsabilidade de todos os funcionários nos procedimentos de SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE, SAUDE e QUALIDADE em todas as suas atividades de vôo ou de solo, proporcionais aos níveis de competência de cada um, sempre focados nos Valores e Requisitos dos nossos Clientes. • Pratica o estabelecimento de metas de SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE, SAUDE e QUALIDADE claramente descritas, divulgadas e compreendidas por todos os funcionários ne desempenho de suas funções em todos os setores da Empresa e em todos os serviços prestados, ON-SHRE e OFF-SHORE no território Brasileiro. • Estimula a melhoria dos sistemas de comunicação interna, como principal ferramenta de prevenção às ameaças aos objetivos estipulados, promovendo continuamente a motivação para que todo o pessoal permaneça com o foco nas metas de SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE, SAUDE e QUALIDADE. • - Conhece e cumpre todos os requisitos aplicáveis às atividades, processos e produtos, em especial aqueles de caráter legal e normativo e todos os demais subscritos pela organização. • - Porta-se como uma Empresa ambientalmente responsável, usando racionalmente os recursos naturais e buscando prevenir a poluição. • - Busca a melhoria contínua dos processos e do sistema de gestão, através de na´lises críticas periódicas. • “SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE, SAUDE e QUALIDADE: VALORES DE TODOS ; RESPONSABILIDADE DE CADA UM” • Francisco Augusto Prata Ramos Diretor Geral

  48. CULTURA ORGANIZACIONAL GRUPAL A EMPRESA ESTABELECE E DIVULGA INTERNA E EXTERNAMENTE VALORES, RESPONSABILIDADES E COMPROMISSO COM AMBOS A SENIOR TAXI AÉREO compromete-se na busca incessante da máxima SEGURANÇA e QUALIDADE em seus serviços prestados, disseminado entre todos os seus Funcionários a doutrina de que estas características devem ser consideradas como VALORES FUNDAMENTAIS e RESPONSABILIDADE PARTICIPATIVA de cada integrante da Empresa, pautadas na certeza de que todos os acidentes e incidentes podem e devem ser evitados, através de constante e eficientes procedimentos pró-ativos de prevenção.

  49. CULTURA ORGANIZACIONAL GRUPAL A EMPRESA DEFINE E DIVULGA CLARAMENTE INTERNA E EXTERNAMENTE A RESPONSABILIDADE FINAL DO C. E. O. E PARTICIPATIVA DE TODOS OS FUNCIONÁRIOS No fortalecimento desta Política a SENIOR TAXI AÉREO é uma Empresa que: Garante o permanente compromisso de seu Diretor Geral, o qual é plenamente consciente de ser o responsável final pela constante manutenção do empenho e responsabilidade de todos os funcionários nos procedimentos de SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE, SAUDE e QUALIDADE em todas as suas atividades de vôo ou de solo, proporcionais aos níveis de competência de cada um, sempre focados nos Valores e Requisitos dos nossos Clientes.

  50. CULTURA ORGANIZACIONAL GRUPAL A EMPRESA ESTABELECE E DIVULGA INTERNA E EXTERNAMENTE METAS CLARAMENTE DESCRITAS E COMPREENDIDAS POR TODOS OS FUNCIONÁRIOS Pratica o estabelecimento de metas de SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE, SAUDE e QUALIDADE claramente descritas, divulgadas e compreendidas por todos os funcionários no desempenho de suas funções em todos os setores da Empresa e em todos os serviços prestados, ON-SHORE e OFF-SHORE no território Brasileiro.