Ventila o Mec nica - PowerPoint PPT Presentation

slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Ventila o Mec nica PowerPoint Presentation
Download Presentation
Ventila o Mec nica

play fullscreen
1 / 40
Ventila o Mec nica
341 Views
Download Presentation
Jims
Download Presentation

Ventila o Mec nica

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

    1. Ventilao Mecnica Ft. Ms Pedro Renato Zaros

    2. Definio o mtodo artificial de ventilar pacientes com incapacidade de respirar espontaneamente. A ventilao mecnica assiste ou substitui a respirao espontnea, diminuindo ou substituindo o trabalho respiratrio do paciente.

    3. Mtodo Invasivo

    4. Mtodo No Invasivo

    6. Princpios do Funcionamento vlvulas redutoras blender aquecimento + umidificao (gua destilada) 1- ramo inspirao 2- ramo expirao vlvula exalatria (membrana diafragmtica) 1- fechada na fase insp 2- aberta na fase exp Controlados pelo Ti:Te e FR

    7. Modelos de Respiradores

    8. Modelos de Respiradores

    9. REQUER QUE O ENFERMEIRO (A) TENHA CONHECIMENTO : - BSICO DO EQUIPAMENTO - DAS MODALIDADES A SEREM UTILIZADAS - PARMETROS INICIAIS UTILIZADOS NA VENTILAO MECNICA - POSSVEIS COMPLICAES - CUIDADOS COM O CLIENTE

    10. Princpios de Funcionamento Por presso negativa O respirador aplica uma presso negativa sobre a parede torcica do paciente desta forma o ar inspirado normalmente e a expirao se processa passivamente Ex: tanque ou pulmo de ao

    11. Por presso positiva O gs injetado sob presso para dentro dos pulmes, enquanto a expirao se processa passivamente com a sada do ar por uma vlvula expiratria

    12. Tipos de Respiradores Mecanismos de ciclagem (parmetro que vai ser fixo) - ciclados a tempo - ciclados a volume - ciclados a presso - ciclados a fluxo

    13. Indicaes Insuficincia Respiratria Ventilao alveolar inadequada Aumento do trabalho respiratrio Fadiga do msculo respiratrio Comprometimento do ritmo respiratrio Hipoxemia

    14. Principais Parmetros do respirador Volume Corrente (VC) o volume de gs administrado pelo ventilador a cada ciclo respiratrio, sendo mensurado em litros ou mililitros, est relacionado com o peso corporal e varia de acordo com as necessidades de cada paciente. * 5 a 8 ml/kg de peso

    15. Freqncia Respiratria (FR) a freqncia com que se administra o volume corrente ao paciente, mensurados em ciclos respiratrios por minuto * 12 a 20 rpm

    16. Frao Inspirada de Oxignio (FiO2) O respirador administra a concentrao de O2 que tem seu valor varivel de 21 a 100%. A FiO2 ideal aquela que consegue manter uma PaO2 tima (80 a 90mmHg), sem ultrapassar o valor de 50%

    17. Sensibilidade (S) Tem a finalidade de determinar o quanto mais fcil ou difcil o paciente inicia a respirao ou dispara o ventilador. A sensibilidade mensurada em cmH2O e no pode ser controlada pelo paciente. * -1,5 a 2,0 cm/H2O

    18. Tempo Inspiratrio (TI) o intervalo de tempo durante o qual o ventilador promove insuflao pulmonar * 0,8 a 1,2 seg

    19. Tempo Expiratrio (TE) o intervalo de tempo durante o qual ocorre a desinsuflao pulmonar passiva.

    20. Relao Insp/Exp uma relao muito importante na ventilao mecnica, a relao fisiolgica no adulto de 1:2.

    21. Fluxo (F) Pode se conceituado como a velocidade area com que o gs penetra nos pulmes. * 40 a 60 l/min

    22. Presso (P) a presso com a qual o ventilador mecnico insufla os pulmes e expande a caixa torcica. * 20 a 30 cm H2O

    23. PEEP Ao final da expirao a presso retorna a sua linha de base zero, permanecendo positiva. * 3 a 5 cmH2O

    32. Modos de Ventilao Mecnica Noes Bsicas de Ventilao Mecnica

    33. Ventilao Mecnica Controlada (CMV) Quando o paciente no tem drive respiratrio ajustamos a FR e o VC ou presso de pico e conseqentemente a volume e ventilao alveolar. vantagem: uso em sedao ou paralisia. desvantagem: pode no responder s necessidades do paciente

    34. Ventilao Mecnica Assistida a ventilao com presso positiva disparada pelo paciente. Se o paciente no iniciar um esforo inspiratrio espontneo, o ventilador no fornecer a inspirao mecnica. Indicao: Pacientes que j apresentam esforo respiratrio. Cuidado: A apnia pode ser fatal nesta ventilao.

    35. Ventilao com Presso de Suporte (PSV) - todos os ciclos so espontneos. O paciente respira seu prprio volume corrente e FR. - vantagem: aumento do conforto e diminuio do trabalho ventilatrio - desvantagem: o ventilador no responde s necessidades ventilatrias, principalmente em alteraes da mecnica pulmonar.

    36. Presso Positiva Final da Expirao (PEEP) utilizado para evitar o colapso alveolar causado pelo edema intersticial e queda do surfactante. Contribui para a manuteno de alvolos abertos e abertura de alvolos possivelmente colapsados. Aumenta a complacncia esttica e melhora a distribuio de oxignio.

    41. Obrigado!!!