preparo do solo l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
PREPARO DO SOLO PowerPoint Presentation
Download Presentation
PREPARO DO SOLO

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 65

PREPARO DO SOLO - PowerPoint PPT Presentation


  • 921 Views
  • Uploaded on

PREPARO DO SOLO. Francisco de Assis de Carvalho Pinto Prof. Chico. Por que mecanizar ?. População 1900 a 2000 (17,4 a 168 milhões) 1943: 68,8% no meio rural 2000: 19% no meio rural DEMANDA DA PRODUTIVIDADE DO HOMEM RURAL. Vídeo MF. Finalidade.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'PREPARO DO SOLO' - JasminFlorian


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
preparo do solo

PREPARO DO SOLO

Francisco de Assis de Carvalho Pinto

Prof. Chico

por que mecanizar
Por que mecanizar ?
  • População 1900 a 2000 (17,4 a 168 milhões)
  • 1943: 68,8% no meio rural
  • 2000: 19% no meio rural

DEMANDA DA PRODUTIVIDADE DO HOMEM RURAL

finalidade
Finalidade

Visa propiciar condições favoráveis à semeadura, germinação, desenvolvimento e produção das plantas cultivadas

tipos de preparo de solo
Tipos de Preparo de Solo
  • Preparo Inicial do Solo
    • Área vai ser mobilizada pela primeira vez com máquinas (desmatamento, enleiramento, destocamento, sistematização, aração, gradagem, ...)
  • Preparo periódico do solo
preparo inicial
Preparo Inicial
  • Derrubada
  • Destocamento
  • Enleiramento
derrubada m quinas
Derrubada - máquinas
  • Lâminas
  • Correntão
  • Rolo faca
  • Moto Serra
derrubada m quinas8
Derrubada - máquinas
  • Lâminas
  • Correntão
  • Rolo faca
  • Moto Serra

Lâmina KG

derrubada m quinas9
Derrubada - máquinas
  • Lâminas
  • Correntão
  • Rolo faca
  • Moto Serra

Lâmina KG

derrubada m quinas10
Derrubada - máquinas
  • Lâminas
  • Correntão
  • Rolo faca
  • Moto Serra
derrubada m quinas11
Derrubada - máquinas
  • Lâminas
  • Correntão
  • Rolo faca
  • Moto Serra

Rolo faca IMASA

derrubada m quinas12
Derrubada - máquinas
  • Lâminas
  • Correntão
  • Rolo faca
  • Moto Serra
preparo peri dico do solo m quinas
Preparo Periódico do Solo - Máquinas
  • Arados
  • Grades
  • Subsoladores
  • Sulcadores
  • Enxada rotativa
ara o
Aração

Corta, eleva, esboroa e inverte a leiva

arado
Acionamento

Tração animal

Tração mecânica

Acoplamento à fonte de potência

Arrasto

Montado

Semimontado

Movimentação do órgão ativo

Fixo

Reversível

Tipo de órgão ativo

Aiveca

Discos

Arado
qual a classifica o
Arado de disco

Tração mecânica

Montado

Fixo

Qual a classificação ?
qual a classifica o19
Arado de disco

Tração mecânica

Montado

Reversível

Qual a classificação ?
qual a classifica o20
Arado de 4 aivecas helicoidal

Tração mecânica

Montado

Fixo

Qual a classificação ?

TATU - Marchesan

qual a classifica o21
Arado de 7 aivecas cilíndricas

Tração mecânica

Arrasto

Reversível

Qual a classificação ?

TATU - Marchesan

constitui o arado de aiveca
1 – aiveca

2 – relha

3 – rasto

4 – suporte

5 – coluna

Constituição – Arado de aiveca
tipos de aivecas
Cilíndrica

Helicoidal

Mista

Recortada

Tipos de aivecas

Material menos grudento – “plástico”

suc o lateral e vertical 5 a 13 mm
Sucção Lateral e Vertical (5 a 13 mm)

Instabilidade na profundidade de trabalho36

Instabilidade na largura de corte

caracter sticas t picas dos arados de aiveca
Largura de corte

30, 35, 40 e 45 cm

Profundidade de trabalho

20 - 35 cm

Quanto mais em pé a aiveca – melhor tombamento

Cilíndricas – aração profunda e/ou velocidade menores

Helicoidais – aração mais rasas e/ou velocidades maiores

Características Típicas dos Arados de Aiveca
constitu i o arado de discos
1 – disco

2 – campânula

3 – eixo da campânula

4 – retentor

5 – rolamento de roletes

6 – base da coluna

7 – porca de fixação

8 – tampa do mancal

Constituição – Arado de discos
ngulo horizontal e vertical

Linha

vertical

Sentido

deslocamento

Ângulo Horizontal e Vertical

Largura e velocidade rotação

Profundidade

arado gradeador discos interdependentes
Corte mais superficial

Dependendo do solo: não há necessidade da gradagem

Arado gradeador – discos interdependentes
for a exigida pelos arados
Força exigida pelos arados

F = a + b. v2

  • F = força por unidade da secção da leiva (N/cm2)
  • a, b = constantes que dependem do solo e do tipo de arado
  • v = velocidade de deslocamento da máquina, km/h
grades
Grades
  • Podem ser utilizadas antes ou depois da aração, ou em substituição a mesma
  • Desagregar torrões e nivelar superfície
  • Incorporação de fertilizantes ou defensivos, enterrio de sementes miúdas e eliminação de plantas invasoras
tipos de grades quanto ao movimento do solo
Simples ação

Dupla ação

Tandem – em X

Off-set – em V

Tipos de grades – quanto ao movimento do solo
tipos de grades quanto a fun o
Niveladora (até 50kg/disco)

Niveladora-destorroadora

Aradora (acima de 50kg/disco)

Tipos de grades – quanto a função
for a exigida pelas grades
Força exigida pelas grades

F = a.M

  • F = Força de tração (N)
  • a = constante que depende do solo
  • M = massa da grade (kg)
enxadas rotativas
Enxadas rotativas

LAVRALE

NORTHWEST

subsoladores
Subsoladores
  • Desagregação de camadas compactadas
  • Profundidades de trabalho podem chegar a 80 cm
  • Exige muita potência
constitui o subsoladores
1 – barra porta ferramenta

2 – haste

3 – ponta

4 – rodas de controle de profundidade

Constituição - subsoladores
alguns modelos
Alguns modelos

Subsolador arrasto com desarme e rearme automático

Subsolador montado

alguns modelos52
Alguns modelos

Escarificador de arrasto controle remoto

Escarificador montado

alguns modelos53
Alguns modelos

Subsolador vibratório CEMAG

alguns modelos54
Alguns modelos

Subsolador Alado

Subsolador com torpedo

for a exigida subsolador
Força exigida - subsolador

F = a . d

  • F = força de tração por haste (N)
  • a = constante que depende do solo
  • d = profundidade (cm)
caracter sticas importantes
Não deve ser realizado com o solo úmido

Uma gradagem após a subsolagem pode anular o trabalho

A semeadura após a subsolagem é o ideal

Danoso quando não necessário: perda de estrutura em cama-das profundas – perda de água e nutrientes

Afastamento: 1 a 1,5 da profundidade

Características importantes
sulcadores
Sulcadores
  • Abrir sulcos para plantio, irrigação, controle de erosão, ...
for a exigida
Força exigida
  • F = 21,5 d2
  • F = força (N)
  • d = profundidade (cm)
  • Franco argila siltosa
exerc cio
Exercício
  • http://www.ufv.br/poscolheita/colheita/preparo_solo/index.htm
bibliografia
Bibliografia
  • Máquinas Agrícolas, Luiz Antônio Balastreire, Editora Manole Ltda, 1987.
  • Preparo de Solo: técnicas e implementos, Gastão Moraes da Silveira, Editora Aprenda Fácil, 2001