Conselho regional de enfermagem
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 25

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM PowerPoint PPT Presentation


  • 61 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM. MINAS GERAIS. CÂMARA TÉCNICA DE ATENÇÃO BÁSICA COREN MG 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011. ROTEIRO PARA PROTOCOLO ASSISTENCIAL. CAPA FOLHA DE ROSTO FICHA TÉCNICA SUMÁRIO. I- INTRODUÇÃO (Inserir um texto contemplando os aspectos abaixo).

Download Presentation

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Conselho regional de enfermagem

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM

MINAS GERAIS


Conselho regional de enfermagem

CÂMARA TÉCNICA

DE

ATENÇÃO BÁSICA

COREN MG

2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011


Roteiro para protocolo assistencial

ROTEIRO PARA PROTOCOLO ASSISTENCIAL

  • CAPA

  • FOLHA DE ROSTO

  • FICHA TÉCNICA

  • SUMÁRIO


Conselho regional de enfermagem

I- INTRODUÇÃO

(Inserir um texto contemplando os aspectos abaixo)

Características do município, como:

- Localização geográfica e aspectos ambientais;

- Condições socioeconômicas;

- Dados demográficos;

- Dados epidemiológicos (doenças prevalentes, causas de mortalidade mais frequentes, nascidos vivos, cobertura vacinal, principais causas de internações hospitalares, indicadores da atenção básica (SISPACTO), dados do SIAB etc;

- Organização da rede assistencial de saúde:

Unidades de Atenção Primária à Saúde (UAPS), número de equipes de PSF, SB e NASF;

Unidades de Atenção Secundária e outros Serviços de Referência;

Unidades Hospitalares;

Serviços de apoio diagnóstico;

- Outros serviços, equipamentos sociais e parcerias.


I introdu o cont

I- INTRODUÇÃO(cont.)

  • Justificativa para elaboração do Protocolo Assistencial

  • Aspectos Legais (citar apenas o respaldo legal das ações se encontram: na Lei nº. 7.498, de 25 de junho de 1986; Decreto nº. 94.406, de 08 de junho de 1987 que regulamenta a Lei 7498/86; na Resolução COFEN-159/1993; na Resolução do COFEN nº. 358/2009; na Resolução COFEN-195/1997 da Enfermagem. Citar também, a PORTARIA nº. 648, de 28 de março de 2006, que Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica para o Programa Saúde da Família (PSF) e o Programa Agentes Comunitários de Saúde (PACS) e a PORTARIA Nº. 1.625, de 10 de julho de 2007 que Altera atribuições dos profissionais das Equipes de Saúde da Família - ESF dispostas na Política Nacional de Atenção Básica).

  • Objetivos do Protocolo Assistencial (Os objetivos são específicos do Protocolo)

  • Metodologia utilizada para a construção do Protocolo Assistencial


Ii desenvolvimento ii 1 sa de da crian a ii 1 1 crescimento e desenvolvimento

II – DESENVOLVIMENTOII.1 – SAÚDE DA CRIANÇAII.1.1 – CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO

Linha de cuidado – Captação, acolhimento, assistência e acompanhamento.

- Fluxo de Atendimento da Criança.

  • Referencial Teórico (Ações do 5º dia, Avaliação de Icterícia, Aleitamento Materno, Fatores e Classificação de Risco, Suplementação de Ferro, Suplementação Vitamina A, Orientações Alimentares, etc.)

  • Ações Educativas de Promoção à Saúde e Prevenção de Doenças;

  • Serviços de Referência do Município;

  • Parcerias para as ações de vigilância.;

    - Atribuições dos Membros da Equipe.


Conselho regional de enfermagem

II.1.2 – IMUNIZAÇÃO

(Inserir o calendário e informações sumárias sobre os imunobiológicos, ações, controle de faltosos, busca ativa etc.)


Ii 1 3 1 doen as diarreicas e desidrata o

II.1.3.1 – DOENÇAS DIARREICAS E DESIDRATAÇÃO

Captação, acolhimento, assistência e acompanhamento.

- Fluxo de Atendimento da Criança.

- Referencial Teórico (abordar sobre as patologias, planos de tratamento, ações de vigilância etc.).

- Parcerias para as ações de vigilância ambiental.

  • Serviços de Referência do Município.

    - Atribuições dos Membros da Equipe.


Ii 1 3 2 doen as respirat rias agudas

II.1.3.2 – DOENÇAS RESPIRATÓRIAS AGUDAS

Captação, acolhimento, assistência e acompanhamento (captação dos egressos hospitalares por doenças respiratórias)

- Fluxo de Atendimento da Criança.

- Referencial Teórico (abordar sobre as patologias, tratamentos, ações coletivas, ações de vigilância etc.).

  • Serviços de Referência do Município.

  • Parcerias para as ações de vigilância.

    - Atribuições dos Membros da Equipe


Ii 1 3 3 desnutri o

II.1.3.3 – DESNUTRIÇÃO

Captação, acolhimento, assistência e acompanhamento

- Referencial Teórico (abordar sobre as patologias, tratamento, consulta direcionada, ações coletivas de promoção à saúde e prevenção de doenças, ações de vigilância etc.).

- Fluxo de Atendimento da Criança.

  • Serviços de Referência do Município.

  • Parcerias para as ações de vigilância.

    - Atribuições dos Membros da Equipe.


Ii 2 sa de do adolescente

II.2 – SAÚDE DO ADOLESCENTE

Captação, acolhimento, assistência e acompanhamento

- Referencial Teórico. (abordar sobre a adolescência, consulta específica, ações de vigilância, ações coletivas, imunização etc.)

- Fluxo de Atendimento do Adolescente.

  • Serviços de Referência do Município.

  • Parceria com Escolas e outros.

    - Atribuições dos Membros da Equipe.


Ii 3 sa de da mulher ii 3 1 preven o do c ncer de mama e c rvico uterino

II.3 – SAÚDE DA MULHERII.3.1 – PREVENÇÃO DO CÂNCER DE MAMA E CÉRVICO UTERINO

Captação, acolhimento, assistência e acompanhamento

- Fluxo de Atendimento da mulher.

- Referencial Teórico. (abordar sobre as patologias, exames preventivos/ consulta direcionada, ações educativas individuais e coletivas, ações de vigilância etc.).

  • Serviços de Referência do Município.

  • Parcerias.

    - Atribuições dos Membros da Equipe.


Ii 3 2 pr natal e puerp rio

II.3.2 – PRÉ-NATAL E PUERPÉRIO

Captação, acolhimento, assistência e acompanhamento

- Fluxo de Atendimento da Gestante e Puérpera.

- Referencial Teórico. (abordar sobre o período gravídico, alterações, queixas, consultas específicas, ações educativas, ações de vigilância etc.)

- Serviços de Referência do Município.

- Parcerias.

- Atribuições dos Membros da Equipe.


Ii 3 3 climat rio

II.3.3- CLIMATÉRIO

Captação, acolhimento, assistência e acompanhamento

- Fluxo de Atendimento da Mulher.

- Referencial Teórico (Abordar sobre o climatério, consulta específica, ações educativas de promoção à saúde individuais e coletivas, ações de vigilância, etc.)

  • Serviços de Referência do Município.

    - Parcerias.

    - Atribuições dos Membros da Equipe (o enfermeiro não prescreve a reposição hormonal)


Ii 4 direitos reprodutivos contracep o e concep o

II.4 – DIREITOS REPRODUTIVOSCONTRACEPÇÃO E CONCEPÇÃO

Captação, acolhimento, assistência e acompanhamento

- Fluxo de Atendimento.

  • Referencial Teórico (abordar sobre a contracepção – descrever sobre os métodos; abordar também sobre a concepção, ações educativas individuais e coletivas)

    - Serviços de Referência do Município, encaminhamento para os métodos de contracepção definitivos e tratamento de infertilidade).

  • Parcerias.

    - Atribuições dos Membros da Equipe.


Ii 5 doen as sexualmente transmiss veis

II.5 - DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS

Captação, acolhimento, assistência e acompanhamento

- Fluxo de Atendimento.

- Referencial Teórico (citar as patologias, abordagem sindrômica/tratamento, consultas específica, ações educativas individuais e coletivas, ações de vigilância etc.)

  • Serviços de Referência do Município.

    - Parcerias.

    - Atribuições dos Membros da Equipe (para tratamento das DST’s, o enfermeiro tem que ter concluído a capacitação em Abordagem Sindrômica).


Ii 6 doen as cr nicas ii 6 1 hipertens o arterial

II.6 – DOENÇAS CRÔNICASII.6.1 – HIPERTENSÃO ARTERIAL

Captação, acolhimento, assistência e acompanhamento

(rastreamento do grupo de risco)

- Fluxo de Atendimento.

- Referencial Teórico. (abordar sobre a patologia, critérios e classificação tratamento, consulta direcionada, orientação alimentar e nutricional, ações educativas individuais e coletivas, ações de vigilância etc.).

- Serviços de Referência do Município.

  • Atribuições dos Membros da Equipe (o enfermeiro só poderá fazer a manutenção da prescrição médica, mediante consulta de enfermagem).

  • Parcerias.


Ii 6 2 diabetes melitus

II.6.2 – DIABETES MELITUS

Captação, acolhimento, assistência e acompanhamento (rastreamento do grupo de risco)

- Fluxo de Atendimento.

- Referencial Teórico (abordar sobre a patologia, critérios e classificação, tratamento, consulta direcionada, ações educativas individuais e coletivas, orientação alimentar e nutricional, ações de vigilância etc.).

- Serviços de Referência do Município.

  • Atribuições dos Membros da Equipe (o enfermeiro só poderá fazer a manutenção da prescrição médica, mediante consulta de enfermagem).

  • Parcerias


Ii 7 hansen ase

II.7 – HANSENÍASE

Captação, acolhimento, assistência e acompanhamento

- Fluxo de Atendimento.

- Referencial Teórico. (abordar sobre a patologia, tratamento, consulta direcionada, ações educativas individuais e coletivas, ações de vigilância, busca ativa de faltosos, controle dos contatos, etc.).

  • Serviços de Referência do Município.

  • Parcerias.

  • Atribuições dos Membros da Equipe.


Ii 8 tuberculose

II.8 – TUBERCULOSE

Captação, acolhimento, assistência e acompanhamento

- Fluxo de Atendimento.

- Referencial Teórico. (abordar sobre a patologia, tratamento, consulta direcionada, ações educativas individuais e coletivas, busca ativa de faltosos, , controle dos contatos, ações de vigilância etc.).

- Serviços de Referência do Município.

  • Parcerias.

    - Atribuições dos Membros da Equipe.


Ii 9 saude do idoso

II.9 – SAUDE DO IDOSO

Captação, acolhimento, assistência e acompanhamento

- Fluxo de Atendimento.

- Referencial Teórico. (Abordar sobre o idoso, consulta específica, avaliações específicas, alimentação e nutrição, ações de vigilância, ações educativas individuais e coletivas, imunização etc.)

- Fluxo de Atendimento.

  • Serviços de Referência do Município.

  • Parcerias.

    - Atribuições dos Membros da Equipe.


Ii 11 parasitoses instestinais

II.11 - PARASITOSES INSTESTINAIS

Captação, acolhimento, assistência e acompanhamento

- Referencial Teórico (abordar sobre as patologias, tratamento, consulta, ações educativas individuais e coletivas, ações de vigilância ambiental etc.).

- Fluxo de Atendimento.

  • Serviços de Referência do Município.

  • Parcerias.

    - Atribuições dos Membros da Equipe.


Ii 10 saude do trabalhador

II.10 – SAUDE DO TRABALHADOR

Captação, acolhimento, assistência e acompanhamento

- Fluxo de Atendimento.

- Referencial Teórico. (abordar sobre a ST, patologias prevalentes no município, consulta com inclusão de informações sobre as ocupações pregressas e atuais, ações educativas individuais e coletivas, ações de vigilância etc.)

  • Serviços de Referência do Município para acidente do trabalho e doenças relacionadas ao trabalho.

  • Parcerias para vigilância dos ambientes de trabalho e meio ambiente.

    - Atribuições dos Membros da Equipe.


Outros

Outros

  • Saúde Mental,

  • Tratamento de feridas,

  • Doenças endêmicas ...


Conselho regional de enfermagem

III – REFERÊNCIAS

IV – VALIDAÇÃO E APROVAÇÃO DO PROTOCOLO

V – APÊNDICES

VI – ANEXOS


  • Login