8 congresso brasileiro de bio tica
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 30

8º. Congresso Brasileiro de Bioética PowerPoint PPT Presentation


  • 88 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

8º. Congresso Brasileiro de Bioética. Ciência como tecnociência : o lugar da ética Búzios,24 de Setembro de 2009. Três modelos éticos. Ética da convicção Ética do poder Ética da responsabilidade. Características fundamentais.

Download Presentation

8º. Congresso Brasileiro de Bioética

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


8 congresso brasileiro de bio tica

8. Congresso Brasileiro de Biotica

  • Cincia como tecnocincia:

  • o lugar da tica

  • Bzios,24 de Setembro de 2009


8 congresso brasileiro de bio tica

Trs modelos ticos

  • tica da convico

  • tica do poder

  • tica da responsabilidade


Caracter sticas fundamentais

Caractersticas fundamentais

  • tica da convico : princpios tm prevalncia sobre os fatos;reino dos absolutos morais

  • tica do poder : converso dos meios em fins em si mesmos;reino das contingncias e da heteronomia

  • tica da responsabilidade : equilbrio entre teleologia e deontologia;reino da prudncia e da deliberao


Tica da convic o

tica da convico

  • O primeiro dado de carter biolgico observvel no desenvolvimento de um indivduo a penetrao de um espermatozide no citoplasma do vulo.Assim,para os fins de nossa reflexo,consideraremos a morte de um embrio como referindo-se queles casos em que o processo vital interrompido depois dessa fase de fertilizao,quando se d o fim de uma vida humana j comeada.

  • Laffite,J. In Identidade e Estatuto do embrio humanoAtas da 3.Assemblia da Pontifcia Academia para a Vida,Edusc,2007


Tica do poder

tica do poder

  • Chegamos assim questo de saber se melhor ser amado ou temido.A resposta que preciso ser ao mesmo tempo amado e temido,mas como isso difcil, muito mais seguro ser temido,se for preciso escolher.

  • Maquiavel,N. O Prncipe e dez cartas,cap.XVII


Rela o m dico paciente

Relao mdico-paciente

  • Os doentes devem,no que concerne ao cuidado das suas enfermidades,obedecer aos cirurgies;no devem opor-se s suas operaes ou aos seus conselhos,pois isto desagrada aos cirurgies e torna-os indiferentes e a operao torna-se mais perigosa.

  • Mondeville,H. Chirurgie(1260/1320)


Tica da responsabilidade

Responsabilidade moral consiste em querer e poder responder pelas consequncias das decises que se toma.

Weber ,M. A tica protestante e o esprito do capitalismo

tica da responsabilidade


Tica e tecnoci ncia

Cincia e tecnologia deram razo um poder desmedido,mas fizeram isso numa condio de profundo vazio tico

Jonas,H. Princpio Responsabilidade

TICA E TECNOCINCIA


Equil brio respons vel

Tanto a recusa obscurantista quanto a glorificao imprudente da tecnocincia podem ter conseqncias nefastas para a qualidade de vida das futuras geraes.

Hottois,G Veritobjective,puissanceetsolidarit:une thiquepourlgetecnhos-cientifique

equilbrio responsvel


8 congresso brasileiro de bio tica

A vida no d nem empresta;

no se comove,nem se apieda,

tudo quanto ela faz

retribuir e transferir

tudo aquilo que ns

lhe oferecemos.

Einstein,A.

Escritos da maturidade


8 congresso brasileiro de bio tica

Cincia como tecnocincia : o lugar da tica

  • Interao: cincia, tcnica e poder

  • Projeto Manhattan( Oppenheimer ,R.)

  • Divrcio: subjetividade humana e objetividade cientfica.

  • Ecologia da ao ( Morin,E. )

  • Dilogo homem-natureza ( Prigogine,I. )


Neutralidade da ci ncia

Neutralidade da cincia?

  • legtimo legislar sobre pesquisa cientfica?

  • (...)a cincia ,em todos os sentidos,um processo social(...)Fazer cincia ser um ator social(...)A negao da interpenetrao de cincia e sociedade ,em si, um ato poltico.

  • Lewontin,L. The dialectical biologist


Controle social da ci ncia

Cincia no o valor maior ao qual todos os outros devam se subordinar.A cincia deve estar inserida em uma ordem de valores sociais.

Beecher,H. Depoimento Comisso de Sade do Congresso norte-americano(1968)

CONTROLE SOCIAL DA CINCIA


Preceito cartesiano para estabelecer o conhecimento cient fico

Preceito cartesiano para estabelecer o conhecimento cientfico

  • Dividir cada problema em tantos problemas particulares como convenha para resolv-los melhor.

  • Descartes,R. (1596-1650) Discurso do Mtodo


Tecnoci ncia e medicina

Tecnocincia e medicina

  • O complementar que torna-se essencial

  • Desprezo pelas variveis biogrficas

  • Equipamento substituindo o raciocnio

  • Medicina defensiva


Procedimentos desproporcionais

Procedimentos desproporcionais

  • Futilidade teraputica ( Distansia)

  • Exames pr operatrios ( Jama, 1985; 253:3576-81)

  • Estudos endoscpicos (Ann Inter Med 1988; 109: 664-670)

  • Indicaes de cateterismo cardaco( B. Lown- A arte perdida de curar)


8 congresso brasileiro de bio tica

Nunca se faz o mal to plenamente e com tanta satisfao como quando feito com convico

Pascal,B. (1623-1662) Pensamentos

Como bem fazer o mal( propsito da distansia )


8 congresso brasileiro de bio tica

Busca-se o mdico com quem

nos sentimos a vontade

quando descrevemos

nossas queixas,

sem sermos submetidos

por causa disso

a numerosos procedimentos.

Acima de tudo,[busca-se]

um semelhante,um ser humano

cuja preocupao

pelo paciente avivada

pela alegria de servir.

Lown,B.A arte perdida

de curar


Aplica o respons vel da tecnologia

Um dilema que deve ser encarado pela tica mdica na atualidade de quando noaplicar toda tecnologia disponvel.

Potter ,VR.Humilitywithresponsibility,a bioethic for oncologist.

Aplicao responsvel da tecnologia


8 congresso brasileiro de bio tica

As trs perguntas

Kantianas:

1.O que devo fazer?

2.O que me lcito

esperar de minhas aes?

3.O que o homem?


Poder e convic o

No h nada de errado com a idia de uma seleo de caractersticas mais ou menos desejveis nos bebs por parte dos pais.

Watson,J. Conferncia Mundial de Cincias da Vida,Lyon,2003

poder e convico


Prometeu desacorrentado

Prometeudesacorrentado

  • A velocidade com que se passadapesquisapurapara a aplicada,hoje,toaltaque a permanncia,mesmoqueporbrevetempo,deerrosoufraudes,podeprovocarcatstrofes.

  • Berlinguer ,G. Questes de vida: tica,cincia e sade


8 congresso brasileiro de bio tica

O lugar da tica na tecnocincia

  • Caso Jaycee

  • Reproduo humana assistida

  • Meritrocacia

  • Herrnstein,R. Murray,C.The bell curve:intelligence and class structure in American Life


Tecnoci ncia e responsabilidade

Tecnocincia e Responsabilidade

  • O bem do nascituro deve ser considerado o critrio central de referncia para avaliao das diversas opinies relativas procriao[artificial]. princpio fundamental que o nascimento de um ser humano seja fruto de uma responsabilidade explicitamente assumida com relevncia jurdica por quem apela para a reproduo assistida

  • Comit Nacional para Biotica da Itlia(1995)


8 congresso brasileiro de bio tica

BMJ

British Medical Journal

Conflito de interesses

BMJ May,05,2003


8 congresso brasileiro de bio tica

TCLE : Como consentir sem entender?Seriam necessrios 11 ou mais anos de estudo para compreenso dos textos e apenas 16,6% da populao estudada dispunha de tal formao. Goldim,JR-O processo de consentimento informado livre e esclarecido em pesquisa:uma nova abordagem,RAMB,2003;49(4):372-4 Durante 2006 e 2007,25 estudos foram conduzidos e aproximadamente 137 pacientes foram includos,sendo que 54,5% tinha apenas oito anos de escolaridadeMiranda,VC-Como consentir sem entender?RAMB,2009;55(3):328-34


Publica o cient fica e seus vi ses

Publicaocientfica e seusvises


Por qu os vi ses de publica o s o importantes

Por qu os vises de publicao so importantes?

  • Confiamos na literatura cientfica publicada para representar a natureza verdadeira do conhecimento (medicina baseada em evidncias)

  • As revises sistemticas, frequentemente, influenciam a poltica de sade e dependem da literatura publicada


8 congresso brasileiro de bio tica

Como tornar mais transparentes e acessveis os estudos realizados?

International Clinical Trial Registration Plataform

Plataforma Brasil :Sistema CEP/CONEP

Projeto de Registro Global OMS (2005)


8 congresso brasileiro de bio tica

A investigao mdica

nos levar,

sem dvida,a

solues extraordinrias,

to custosas,porm,

que ocasionaro

tremendas

dvidas sociais.

Montagnier,L.,1990


  • Login