Higiene de m os
Download
1 / 22

HIGIENE DE MÃOS - PowerPoint PPT Presentation


  • 384 Views
  • Uploaded on

I Seminário de Controle de Infecção em Neonatologia Brasília, 6 de maio de 2014. HIGIENE DE MÃOS. FABIANA MENDES NCIH-NSP/HMIB www.paulomargotto.com.br Brasília, 12 de julho de 2014. 6 METAS. 5/5 – DIA MUNDIAL DA HIGIENE DE MÃOS. AS MÃOS.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' HIGIENE DE MÃOS' - yana


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Higiene de m os

ISeminário de Controle de Infecção em NeonatologiaBrasília, 6 de maio de 2014

HIGIENE DE MÃOS

FABIANA MENDES

NCIH-NSP/HMIB

www.paulomargotto.com.br

Brasília, 12 de julho de 2014


6 metas
6 METAS

5/5 – DIA MUNDIAL DA

HIGIENE DE MÃOS


As m os
AS MÃOS...

constituem o veículo mais comum para transmissão de microorganismos de um paciente para outro, de um local do corpo para outro no mesmo paciente, e de um ambiente contaminado para os pacientes.

tornam-se cada vez mais colonizadas com microorganismos bem como com potenciais agentes patogênicos durante o cuidado aos pacientes

Na ausência de ação de higienização das mãos, quanto mais longa a duração do cuidado, maior o grau de contaminação das mãos


Por que observar a higienizac a o das ma os
Por que observar a higienização das mãos?

  • determinar o grau de adesão dos profissionais de saúde às práticas de higienização das mãos

  • promover e aperfeiçoar as práticas de higienização das mãos

  • avaliar as medidas de impacto atingidas pela intervenção.


Proteger o paciente

1.

Antes de tocar paciente

  • Exemplos:

  • Exame físico;

  • Posicionamento do paciente.


Proteger o paciente

2.

Antes de procedimento asséptico

HM imediatamente antes

  • Exemplos:

  • Coleta de Sangue

  • Entubação

  • Manipulação de TOT, CVC

  • Aspiração de VAS


3.

Após risco exposição a sangue e fluidos corporais

Proteger o profissional e o ambiente

  • Exemplos:

  • Após a coleta de Sangue

  • Após a Entubação

  • Após a manipulação de TOT,

  • CVC

  • Após a aspiração de VAS

HM imediatamente após a retirada luvas


Proteger o profissional e o ambiente

4.

Após tocar paciente

  • Exemplos:

  • Após exame físico;

  • Após posicionamento do paciente


Proteger o profissional e o ambiente

5.

Após tocar superfície próxima ao paciente

  • Exemplos:

  • Após contato incubadora do paciente

  • Após contato com ventilador mecânico, bomba de infusão

HM mesmo que não tenha tocado o paciente


Interven o
INTERVENÇÃO

Disponibilização de vários tipos de preparações alcoólicas: espuma em dispensador automático;

frascos de álcool gel do tipo pump para cada leito

e álcool gel de bolso de 100 ml para uso individual para cada membro das equipes de assistência


Interven o1
INTERVENÇÃO

Educação e treinamento utilizada foi a presencial, com uso de aula expositiva e exercícios práticos semanalmente durante as visitas do NCIH nas unidades

foto


Interven o2
INTERVENÇÃO

Distribuição de folders para os profissionais de saúde e lembretes nos locais de trabalho: cartazes de “como fazer” e “dos Cinco Momentos” afixados nas unidades e nas áreas comuns das equipes


Resultados
RESULTADOS

Período pré-intervenção (2010)

812 observações

Período pós-intervenção (2012)

707 observações


Adesão a higienização das mãos – global

(%)


Adesão a higienização das mãos – global

(%)


Adesão a higienização das mãos – profissional

%



Discuss o
DISCUSSÃO

  • Aumento da adesão sobretudo pelo uso do álcool

  • Aumento em todas as categorias profissionais

  • Maior adesão – 3o momento

  • Menor adesão – 2o momento

  • Melhora significativa do 5o momento


MÉDICO RESIDENTE

TÉCNICO DE ENFERMAGEM

obrigatório

obrigatório

x

x

x

x

x

x


Somos o que repetidamente fazemos a excel ncia portanto n o um feito mas um h bito arist teles
Somos o que repetidamente fazemos. A excelência, portanto, não é um feito, mas um hábito. Aristóteles

[email protected]

3445-7552

TERÇAS DE QUALIDADE E SEGURANÇA

ÀS 10H

CENTRO PEDAGÓGICO - HMIB


ad