Par frase e par dia
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 20

PARÁFRASE E PARÓDIA PowerPoint PPT Presentation


  • 200 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

PARÁFRASE E PARÓDIA. Conceito e características. intertextualidade. A intertextualidade se dá através do diálogo estabelecido entre dois ou mais textos . . Bring me to life - evanescence. Traga-me Para a Vida Como pode olhar dentro dos meus olhos como portas abertas?

Download Presentation

PARÁFRASE E PARÓDIA

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Par frase e par dia

PARÁFRASE E PARÓDIA

Conceito e características


Intertextualidade

intertextualidade

  • A intertextualidade se dá através do diálogo estabelecido entre dois ou mais textos. 


Bring me to life evanescence

Bring me tolife- evanescence

Traga-me Para a Vida

Como pode olhar dentro dos meus olhos como portas abertas?

Guiando você até o meu interior

Onde me tornei tão insensível?

Sem uma alma, meu espírito está dormindo em algum lugar frio

Até você encontrá-lo ali e guiá-lo de volta pra casa

(Acorde-me)

Acorde-me por dentro

(Eu não consigo acordar)

Acorde-me por dentro

(Salve-me)

Chame o meu nome e salve-me da escuridão


Bring me to life evanescence1

Bring me tolife- evanescence

(Acorde-me)

Faça o meu sangue correr

(Eu não consigo acordar)

Antes que eu me desfaça

(Salve-me)

Salve-me do nada que eu me tornei

Agora que eu sei o que me falta

Você não pode simplesmente me deixar

Dê-me fôlego e me faça real

Traga-me para a vida


Bring me to life evanescence2

Bring me tolife- evanescence

(Acorde-me)

Acorde-me por dentro

(Eu não consigo acordar)

Acorde-me por dentro

(Salve-me)

Chame o meu nome e salve-me da escuridão

(Acorde-me)

Faça o meu sangue correr

(Eu não consigo acordar)

Antes que eu me desfaça

(Salve-me)

Salve-me do nada que eu me tornei


Bring me to life evanescence3

Bring me tolife- evanescence

Todo esse tempo

Não posso acreditar que não pude ver

Mantida na escuridão, mas você estava lá na minha frente

Eu estive dormindo por mil anos, ao que parece

Tenho que abrir meus olhos para tudo

Sem um pensamento, sem uma voz, sem uma alma

Não me deixe morrer aqui

Deve haver algo mais

Traga-me para a vida

Traga-me para a vida

Eu tenho vivido uma mentira

Não há nada por dentro

Traga-me para a vida

Congelada por dentro sem o seu toque

Sem o seu amor, querido

Só você é a vida entre os mortos


Bring me to life evanescence4

Bring me tolife- evanescence

  • Relação com os textos dos ultrarromânticos.


Desconstruindo am lia pitty

Desconstruindo amélia - PITTY

Já é tarde, tudo está certo

Cada coisa posta em seu lugar

Filho dorme ela arruma o uniforme

Tudo pronto pra quando despertar

O ensejo a fez tão prendada

Ela foi educada pra cuidar e servir

De costume esquecia-se dela

Sempre a última a sair...

Disfarça e segue em frente

Todo dia até cansar

Uooh!

E eis que de repente ela resolve então mudar

Vira a mesa

Assume o jogo

Faz questão de se cuidar

Uooh!

Nem serva, nem objeto

Já não quer ser o outro

Hoje ela é um também


Desconstruindo am lia pitty1

Desconstruindo amélia - PITTY

A despeito de tanto mestrado

Ganha menos que o namorado

E não entende porque

Tem talento de equilibrista

Ela é muita se você quer saber

Hoje aos 30 é melhor que aos 18

Nem Balzac poderia prever

Depois do lar, do trabalho e dos filhos

Ainda vai pra nigth ferver


Desconstruindo am lia pitty2

Desconstruindo amélia - PITTY

  • Relação de intertextualidade com “Ai, que saudade da Amélia”, de Ataulfo Alves.


Ai que saudade da am lia ataulfo alves

Ai, que saudade da AméliaAtaulfo Alves

Nunca vi fazer tanta exigência

Nem fazer o que você me faz

Você não sabe o que é consciência

Nem vê que eu sou um pobre rapaz

Você só pensa em luxo e riqueza

Tudo o que você vê você quer

Ai meu deus que saudade da Amélia

Aquilo sim é que era mulher

Às vezes passava fome ao meu lado

E achava bonito não ter o que comer

E quando me via contrariado

Dizia meu filho o que se há de fazer

(Refrão)

Amélia não tinha a menor vaidade

Amélia é que era mulher de verdade

Amélia não tinha a menor vaidade


Par frase

paráfrase

  • Origina-se do grego “para-phrasis” (repetição de uma sentença). Assim, parafrasear um texto, significa recriá-lo com outras palavras, porém sua essência, seu conteúdo permanecem inalterados.

  •  É dizer com outras palavras o que já foi dito.


Exemplo

exemplo

  • ParáfraseMeus olhos brasileiros se fecham saudosos Minha boca procura a ‘Canção do Exílio’. Como era mesmo a ‘Canção do Exílio’? Eu tão esquecido de minha terra… Ai terra que tem palmeiras Onde canta o sabiá! (Carlos Drummond de Andrade, “Europa, França e Bahia”)

  • Texto Original Minha terra tem palmeiras Onde canta o sabiá, As aves que aqui gorjeiam Não gorjeiam como lá. (Gonçalves Dias, “Canção do exílio”). 


Par frase1

paráfrase

  • O poeta Carlos Drummond de Andrade retoma o texto primitivo conservando suas idéias, não há mudança do sentido principal do texto que é a saudade da terra natal.


Par frase2

paráfrase

  • Opoeta modernista Carlos Drummond de Andrade faz somente uma recriação daquilo que Gonçalves Dias já havia criado na era romântica. 


Par dia

paródia

  • Éum exemplo de recriação baseada em um caráter contestador, às vezes até utilizando-se de uma certa dose de ironia e sarcasmo. Este recurso foi muito utilizado pelos poetas modernistas com o objetivo de criticar os “moldes” de outras escolas literárias. 


Par dia1

paródia

  • A paródia é uma forma de contestar ou ridicularizar outros textos.

  • Há uma ruptura com as ideologias impostas e por isso é objeto de interesse para os estudiosos da língua e das artes.

  • Ocorre um choque de interpretação, a voz do texto original é retomada para transformar seu sentido, leva o leitor a uma reflexão crítica de suas verdades incontestadas anteriormente, com esse processo há uma indagação sobre os dogmas estabelecidos e uma busca pela verdade real, concebida através do raciocínio e da crítica.


Par dia2

paródia

  • Os programas humorísticos fazem uso contínuo dessa arte, frequentemente os discursos de políticos são abordados de maneira cômica e contestadora, provocando risos e também reflexão a respeito da demagogia praticada pela classe dominante.


Par dia3

paródia

  • Minha terra tem palmares onde gorjeia o mar os passarinhos daqui não cantam como os de lá. (Oswald de Andrade, “Canto de regresso à pátria”).

O nome Palmares, escrito com letra minúscula, substitui a palavra palmeiras, há um contexto histórico, social e racial neste texto, Palmares é o quilombo liderado por Zumbi, foi dizimado em 1695, há uma inversão do sentido do texto primitivo que foi substituído pela crítica à escravidão existente no Brasil.


Par dia4

Paródia


  • Login