TOPOGRAFIA  I   ST 301   A e B                                      ST  513   A e B

TOPOGRAFIA I ST 301 A e B ST 513 A e B PowerPoint PPT Presentation


  • 568 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

. MTODOS DE MEDIES ANGULARES DE CAMPO . 1-MEDIES DE CAMPO POR AZIMUTES.2-MEDIES DE CAMPO POR NGULOS DIREITA. 2a) Caminhamento no sentido horrio: - ngulo externo 2b) Caminhamento no sentido anti-horrio - ngulo interno 3-MEDIES DE CAMPO POR COORDENADAS. 3a) Imposi

Download Presentation

TOPOGRAFIA I ST 301 A e B ST 513 A e B

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


2.

3. 1-MEDIÇÕES DE CAMPO POR AZIMUTES. ATRAVÉS DE BÚSSOLA: Em cada base, é zerada ao norte magnético. É um método não recomendado, devido às variações principalmente devido à instabili-dade da agulha magnética da bússola em decorrência dos materiais metálicos que interferem no direcionamento do ponteiro da bússola.

4. 1-MEDIÇÕES DE CAMPO POR AZIMUTES (esquema)

6. CAMINHAMENTO HORÁRIO O aparelho fornece ângulos à direita

8.

10.

11. 3-ROTEIRO DE CÁLCULO ANALÍTICO 3.1- CLASSIFICAÇÃO DO LEVANTAMENTO . QUANTO AO FECHAMENTO ANGULAR: ÂI = 180° x ( N - 2 ) CAMINHAMENTO POLIGONAL HORÁRIO ÂE = 180° x ( N + 2 ) CAMINHAMENTO POLIGONAL ANTI- HORÁRIO FA ? 1 x Precisão angular do aparelho BOM LEVANTAMENTO. FA ? 2x Precisão angular do aparelho LEVANT. .REGULAR. FA ? 3 x Precisão angular do aparelho LEVANT. RUIM. FA > 3 x Precisão angular do aparelho VOLTAR AO CAMPO

12. 4 – DISTRIBUIÇÃO DO ERRO ANGULAR Em função do Nº de vértices ( bases ) com distribuição por atribuição, proporcional à distância linear horizontal, com maiores atribuições de forma crescente.

13. 5 – CÁLCULO DOS AZIMUTES DETERMINAÇÃO DO AZIMUTE VANTE : Azimute da linha anterior + 180° + Â (ângulo horizontal corrigido) Se ultrapassar 360°, subtrai-se 360°

14. 6– CÁLCULO DAS COORDENADAS PARCIAIS: ( PROJEÇÕES ) PROJEÇÃO EM X (ABSCISSAS) = SENO DO AZ. x DIST. HORIZ. PROJEÇÃO EM Y (ORDENADAS) = COSENO DO AZ. x DIST. HORIZ.

15. 7-VERIFICAÇÃO DO ERRO DE FECHAMENTO LINEAR EL = ?x² + ?y² (PITÁGORAS)

16. 8 – TOLERÂNCIA DO ERRO LINEAR 1- DISTÂNCIA HORIZIONTAL OBTIDA POR ESTADIMETRIA : 2- DISTÂNCIA HORIZONTAL OBTIDA POR TRENA DE FIBRA : 3- DISTÂNCIA HORIZONTAL OBTIDA POR TRENA DE AÇO : 4- DISTÂNCIA OBTIDA ELETRONICAMENTE :

17. 9 – CÁLCULO DAS CONSTANTES DE CORREÇÃO DO ERRO LINEAR Kx e Ky = Constantes majorativo e minorativo para equalizar os valores das projeções X e Y.

18. 10 – CORREÇÃO DO ERRO LINEAR DAS PROJEÇÕES X

19. 11 – CORREÇÃO DO ERRO LINEAR DAS PROJEÇÕES Y

20. 12 – CÁLCULO DAS COORDENADAS TOTAIS

21. 13 – CÁLCULO DA ÁREA

22. 14-CÁLCULO DAS COORDENADAS DOS DETALHES CADASTRAIS Os detalhes cadastrais, são os pontos tomados angularmente e linearmente das bases estratégica-mente cravadas no solo que são as estações bases, onde foram instaladas o teodolito ou goniômetro. Vale lembrar que os detalhes cadastrais não compõe a planilha do cálculo das coordenadas totais das bases, com as devidas correções e ajustes analíticos. Assim sendo, torna-se necessário uma nova planilha, específica para o cálculo dos detalhes.

23.

24. DETALHAMENTOS CROQUI

25. DETALHAMENTOS CROQUI

26. DETALHAMENTOS CROQUI

27. 15 - PLANILHA DOS DETALHES CADASTRAIS MODELO

28. 16 - CONTINUAÇÃO DA PLANILHA

29. 17 - PARTE FINAL Após calculadas as coordenadas dos detalhes cadastrais, deve-se selecionar numa nova planilha para efetuar o cálculo da área, quando no caso de levantamento de divisa. Há situações, em que outras planilhas são montadas para, para os devidos fins, principalmente para facilitar o lançamento tanto em folhas coordenadas, como em casos de lançar no programa como autocad.

30. 18 - CONSIDERAÇÕES FINAIS Há que se levar em consideração que atualmente, existem vários softwares, específicos para aplicação e desenvolvimento da planilha de cálculo analítico, bem como para gerar projetos e outras resoluções específicas aplicativas

31. 19 - CONSIDERAÇÕES FINAIS Os modernos instrumentos topográficos são eletrônicos, e se compõe de sistemas de coletores internos de dados, ao quais são diretamente compilados nos softwares, onde cabe ao profissional ser ou não eficiente e competente nos trabalhos topográficos.

32. Essa evolução tecnológica de forma geral, em todas as áreas, deve ser acompanhado e seguido, porém, para o discente, é muito importante aprender com muito empenho a trabalhosa analítica topográfica. Assim, nós docentes, cumprimos a nossa missão !!! Seja O PROFISSIONAL !!!! Não seja jamais MAIS UM !!!!!! 19 - CONSIDERAÇÕES FINAIS

33. A EVOLUÇÃO DOS TEODOLITOS

34. TEODOLITO TRÂNSITO

35. TEODOLITO ÓPTICO MECÂNICO

36. TEODOLITO ÓPTICO MECÂNICO

37. TEODOLITO OPTICO MECÂNICO

38. ESTAÇÃO TOTAL ¨NIKON¨

40. ESTAÇÃO TOTAL

41. Estação Total com GPS integrado SmartStation

42. F I M ! Prof. Hiroshi P. Yoshizane

  • Login