Mec nica dos fluidos
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 27

Mecânica dos Fluidos PowerPoint PPT Presentation


  • 46 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Mecânica dos Fluidos. Análise Dimensional e Semelhança Dinâmica. Análise Dimensional. É um meio para simplificação de um problema físico empregando a homogeneidade dimensional para reduzir o número das variáveis de análise;. Análise Dimensional.

Download Presentation

Mecânica dos Fluidos

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Mec nica dos fluidos

Mecânica dos Fluidos

Análise Dimensional e Semelhança Dinâmica


An lise dimensional

Análise Dimensional

  • É um meio para simplificação de um problema físico empregando a homogeneidade dimensional para reduzir o número das variáveis de análise;


An lise dimensional1

Análise Dimensional

A análise dimensional é particularmente útil para:

  • Apresentar e interpretar dados experimentais;

  • Resolver problemas difíceis de atacar com solução analítica;

  • Estabelecer a importância relativa de um determinado fenômeno;

  • Modelagem física.


An lise dimensional2

Análise Dimensional

  • Dimensões Primárias:


Mec nica dos fluidos

  • Dimensões de Grandezas Derivadas:

  • Dimensões de grandezas derivadas:


An lise dimensional3

Análise Dimensional

  • Parâmetros Adimensionais:

    • São extremamente importantes na correlação de dados experimentais;

    • São cinco:

      • Coeficiente de Pressão;

      • Número de Reynolds;

      • Número de Froude;

      • Número de Weber;

      • Número de Mach.


An lise dimensional4

Análise Dimensional

  • Coeficiente de Pressão:

    • Relação entre Pressão estática e Pressão Dinâmica


An lise dimensional5

Análise Dimensional

  • Número de Reynolds:

    • Relação entre Forças de Inércia e Forças Viscosas;

    • Um número de Reynolds “crítico” diferencia os regimes de escoamento laminar e turbulento em condutos na camada limite ou ao redor de corpos submersos;


An lise dimensional6

Análise Dimensional

  • Número de Froude:

    • Relação entre Forças de Inércia e Peso;

    • Nos escoamentos com superfície livre a natureza do escoamento (torrencial ou fluvial) depende do número de Froude ser maior ou menor que a unidade;

    • É útil nos cálculos de ressalto hidráulico, no projeto de estruturas hidráulicas e no projeto de navios;


An lise dimensional7

Análise Dimensional

  • Número de Weber:

    • Relação entre Forças de Inércia e Forças de Tensão Superficial;

    • É importante no estudo das interfaces gás-líquido ou líquido-líquido e também onde essas interfaces estão em contato com um contorno sólido;


An lise dimensional8

Análise Dimensional

  • Número de Mach:

    • Relação entre Forças de Inércia e Forças Elásticas;

    • É uma medida da relação entre a energia cinética do escoamento e a energia interna do fluido;

    • É o parâmetro mais importante quando as velocidades são próximas ou superiores à do som;


Semelhan a

Semelhança

  • Problemas em Engenharia (principalmente na área de Térmica e Fluidos) dificilmente são resolvidos aplicando-se exclusivamente análise teórica;

  • Utilizam-se com freqüência estudos experimentais;

  • Muito do trabalho experimental é feito com o próprio equipamento ou com réplicas exatas;

  • Porém, a maior parte das aplicações em Engenharia são realizadas utilizando-se modelos em escala.


Semelhan a1

Semelhança

  • Sem planejamento e organização, os procedimentos experimentais podem:

    • Consumir muito tempo;

    • Não ter objetividade;

    • Custarem muito.


Semelhan a2

Semelhança

  • Utilização de Modelos em escala:

    • Vantagens econômicas (tempo e dinheiro);

    • Podem ser utilizados fluidos diferentes dos fluidos de trabalho;

    • Os resultados podem ser extrapolados;

    • Podem ser utilizados modelos reduzidos ou expandidos (dependendo da conveniência);


Semelhan a3

Semelhança

  • Para ser possível esta comparação entre o modelo e a realidade, é indispensável que os conjuntos de condições sejam FISICAMENTE SEMELHANTES;

    O termo SEMELHANÇA FÍSICA é um termo geral que envolve uma variedade de tipos de semelhança:

    • Semelhança Geométrica

    • Semelhança Cinemática

    • Semelhança Dinâmica


Semelhan a4

Semelhança

  • Semelhança Geométrica

    • Semelhança de forma;

    • A propriedade característica dos sistemas geometricamente semelhantes é que a razão entre qualquer comprimento no modelo e o seu comprimento correspondente é constante;

    • Esta razão é conhecida como FATOR DE ESCALA.


Semelhan a5

Semelhança

  • Semelhança Geométrica

    • Deve-se lembrar que não só a forma global do modelo tem que ser semelhante como também a rugosidade das superfícies deveria ser geometricamente semelhante;

    • Muitas vezes, a rugosidade de um modelo em escala reduzida não pode ser obtida de acordo com o fator de escala – problema de construção/de material/de acabamento das superfícies do modelo.


Semelhan a6

Semelhança

  • Semelhança Cinemática

    • Semelhança cinemática é a semelhança do movimento, o que implica necessariamente semelhança de comprimentos (semelhança geométrica) e semelhança de intervalos de tempo;

    • Exemplo de semelhança cinemática: Planetário. O firmamento é reproduzido de acordo com um certo fator de escala de comprimento e, ao copiar os movimentos dos planetas, utiliza-se uma razão fixa de intervalos de tempo e, portanto, de velocidades e acelerações.


Semelhan a7

Semelhança

  • Semelhança Dinâmica

    • É a semelhança das forças;

    • Dois sistemas são dinamicamente semelhantes quando os valores absolutos das forças, em pontos equivalentes dos dois sistemas, estão numa razão fixa;


Semelhan a din mica

Semelhança Dinâmica

  • Origens das Forças que determinam o comportamento dos Fluidos:

    • Forças devido à diferenças de Pressão;

    • Forças resultantes da ação da viscosidade;

    • Forças devido à tensão superficial;

    • Forças elásticas;

    • Forças de inércia;

    • Forças devido à atração gravitacional.


Semelhan a din mica1

Semelhança Dinâmica


Semelhan a din mica2

Semelhança Dinâmica

  • Exemplos de estudos em modelos

    • Ensaios em túneis aero e hidrodinâmicos

    • Escoamento em condutos;

    • Estruturas hidráulicas livres;

    • Resistência ao avanço de embarcações;

    • Máquinas hidráulicas;


Exerc cio 1

Exercício 1

Verificar a homogeneidade dimensional da equação que exprime o teorema de Bernoulli aplicável a fluidos reais ao longo de uma trajetória:

em que p é a pressão a que se processa o escoamento, ν é a sua velocidade, z é a cota geométrica, g é a aceleração da gravidade, γ é o peso volumétrico do fluido, t é o tempo e J é o trabalho das forças resistentes por unidade de peso de fluido e por unidade de percurso.


Exerc cio 2

Exercício 2

Para o ensaio em modelo reduzido de um fenômeno que dependa exclusivamente da gravidade, utilizando-se o mesmo líquido no modelo e no protótipo, determine as escalas das seguintes grandezas, em função da escala dos comprimentos:

a) velocidade;

b) tempo;

c) aceleração;

d) caudal;

e) massa;

f) força;

g) energia;

h) potência.


Exerc cio 3

Exercício 3

A lei de resistência ao escoamento de água sob pressão em regime turbulento, no interior de uma tubagem circular, pode ser expressa pela fórmula de Manning-Strickler:

Os valores de n, dependentes da rugosidade da tubagem, encontram-se numa tabela, devendo, para a sua aplicação, as grandezas da fórmula de Manning-Strickler ser expressas em unidades inglesas.

Apresente esta fórmula de forma a manter-se válida para um sistema genérico, em que as unidades de comprimento e de tempo sejam respectivamente l e t, continuando a utilizar os valores de n da tabela referida. Particularize para o caso de aquelas unidades serem o metro e o segundo.


Exerc cio 4

Exercício 4

Efetuaram-se experiências em laboratório para obter as características de resistência de um navio em relação à onda (depende somente da gravidade) que se vai opôr ao seu deslocamento.

Calcule:

a) a que velocidade se deverá fazer o ensaio no modelo à escala geométrica 1/25 para que a velocidade real correspondente seja de 40 kmh-1;

b) a resistência para o protótipo se, no modelo reduzido, for medido o valor de 5 N;

c) o período da vaga no protótipo sendo o seu valor de 3 s no modelo.


Exerc cio 5

Exercício 5

Para estudar um escoamento variável construiu-se um modelo à escala geométrica de 1/10.

Usa-se água no protótipo e sabe-se que as forças de viscosidade são dominantes. Determine a escala dos tempos e das forças em condições de semelhança hidráulica se:

a) usar água no modelo;

b) usar um óleo cinco vezes mais viscoso que a água e cuja massa volumétrica é 80% da água.


  • Login