Parte 3
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 20

Parte 3 PowerPoint PPT Presentation


  • 71 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Economia Internacional CEAV. Parte 3. Prof.: Antonio Carlos Assumpção. Teoria da Política Comercial. Quotas de Importação

Download Presentation

Parte 3

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Parte 3

Economia Internacional

CEAV

Parte 3

Prof.: Antonio Carlos Assumpção


Teoria da pol tica comercial

Teoria da Política Comercial

  • Quotas de Importação

    • Medida quantitativa imposta sobre o volume de importações. A restrição de oferta provoca elevação do preço dos bens domésticos, como no caso das tarifas. Os lucros recebidos pelos detentores de licenças de importações são conhecidos como renda de quotas.

  • Controles cambiais

    • Restrições administrativas sobre as transações que envolvam divisas (licenças para importação), taxas múltiplas de câmbio ou taxa real de câmbio desvalorizada.

  • Proibição de Importação

    • Brasil – lei do similar nacional – proteção à indústria nascente


Parte 3

Teoria da Política Comercial

  • Monopólio Estatal

    • O próprio governo centraliza a importação de determinado bem, impedindo a atuação de outros agentes nesse mercado (Brasil – importação de petróleo)

  • Depósito Prévio à importação

    • Antes da importação de determinada mercadoria seu valor total ou parcial deve ser recolhido pelo banco central ou órgão responsável

  • Barreiras Não-Tarifárias

    • Em geral, regulamentos sanitários e de saúde ou normas técnicas


Parte 3

Teoria da Política Comercial

  • RestriçãoVoluntáriaàsExportações

    • É uma variante das cotas, porém é imposta pelo país exportador e não pelo importador.

    • Essa imposição é, geralmente, por imposição do importador no sentido de evitar outras restrições ou retaliações.

    • Uma restrição desse tipo é sempre mais cara para o país importador do que a imposição de uma tarifa, pois o que seria receita tarifária se torna uma renda recebida pelos países estrangeiros sob restrição.

    • De acordo com o Artigo 6 do Acordo de Salvaguardas da OMC, os acordos voluntários de restrição às exportações (AVRE) são proibidos.


Parte 3

Teoria da Política Comercial

  • Necessidades de RequisitosLocais

    • Regulamentação que exige que uma fração específica de um bem final seja produzida domesticamente: índice de nacionalização do produto.

    • O efeito final é equivalente ao de uma cota de importação.

  • AquisiçãoNacionalde Bens

    • Compras do governo, de estatais ou de empresas fortemente regulamentadas são direcionadas aos bens produzidos localmente (mesmo que mais caro que os importados).

  • Subsídios de Crédito à Exportação

    • Equivale a um subsídio à exportação, porém sob a forma de crédito subsidiado ao importador.


Medidas de grau de prote o

Medidas de Grau de Proteção

  • Imposto de Importação (Tarifa)

    • Vimos anteriormente que a tarifa é um imposto sobre a importação cujo efeito imediato é elevar o preço do produto.

    • Se a diferença entre o preço doméstico e o preço mundial for causada somente por restrições tarifárias, a própria alíquota do imposto será a medida do grau de proteção oferecida ao produto, denominada de taxa de proteção nominal (TPNP)


Parte 3

Medidas de Grau de Proteção

  • Na prática os governos utilizam , além das tarifas, quotas, proibições, subsídios, controles cambiais, que também provocam diferenças entre esses preços.

  • O cálculo da tarifa implícita engloba o efeito conjunto da todas essas medidas e consiste em estimar a diferença entre P e Pw.


Parte 3

Medidas de Grau de Proteção

  • A tarifa de proteção nominal para o produto doméstico é dada por:

  • Note que, quanto mais distante o resultado acima estiver de zero, maior é a proteção ao produto doméstico e maior o incentivo para se consumir o produto doméstico.


Parte 3

Medidas de Grau de Proteção

  • Suponha, por exemplo que o preço mundial do trigo seja de US$ 1600 e que o preço no mercado doméstico seja de US$ 1680. Logo, temos:

  • O resultado é maior que zero, pois o produto doméstico é oferecido a um preço superior ao preço mundial.

  • Note que, se ele continua sendo oferecido a esse preço, é porque existe uma proteção de 5%.


Parte 3

Medidas de Grau de Proteção

  • Esse método de cálculo é útil pela facilidade, mas desconsidera uma possível proteção aos insumos importados necessários para a produção do trigo; se os insumos fossem protegidos o produtor poderia pagar menos por eles sob livre comércio.

  • Portanto, para conhecermos a proteção efetiva recebida pelo trigo há de se estimar o seu valor adicionado.


Parte 3

Medidas de Grau de Proteção

  • Podemos ter um caso onde, para produzir o trigo, vendido a US$ 1680 seja necessário comprar matérias primas (sementes, adubos,etc) no valor de US$ 670. logo, o valor adicionado pelo produtor de trigo é igual a US$ 1010.

  • Observe que, dependendo da política comercial adotada para as matérias-primas, sua cotação pode ser maior, menor ou igual a US$670. Mas como queremos conhecer a real dimensão do protecionismo sobre o mercado de trigo e não de seus insumos, devemos calcular a Taxa de Proteção Efetiva


Parte 3

Medidas de Grau de Proteção

  • TPNP = Taxa de proteção nominal do produto P

  • TPNi = taxa de proteção nominal do insumo i necessário para produzir P

  • wi = participação do insumo i no custo de produção de P


Parte 3

Medidas de Grau de Proteção

  • Se o processo de produção exigir o emprego de mais de um insumo importado, , teremos:

  • Note que, da mesma forma que fizemos anteriormente, se TPEP for maior que zero o produtor doméstico estará protegido; se for menor que zero, estará desprotegido


Parte 3

Medidas de Grau de Proteção

  • No exemplo anterior a taxa de proteção nominal do produto era de 5%. No entanto, para produzir o trigo é necessário empregar máquinas, defensivos e adubo.

  • Se esses insumos forem protegidos com uma tarifa de importação mais elevada que 5%, a proteção efetiva do trigo seria menor que a nominal, podendo, inclusive, ser negativa.


Parte 3

Medidas de Grau de Proteção

  • Exemplo:

  • Supondo que os insumos necessários para produzir algodão representem 40% dos custos de produção e estejam protegidos por uma tarifa de 15%:


Parte 3

Medidas de Grau de Proteção

  • Quadro Comparativo : Fixando Wi


Parte 3

Medidas de Grau de Proteção

  • Logo, temos (com Wi constante):

  • Logo, se a tarifa de proteção nominal ao insumo for maior que a tarifa nominal de proteção ao produto teremos uma tarifa de proteção nominal maior que a efetiva. Lembre-se do nosso exemplo (15%>5%) temos a tarifa nomina para o produto= 5% e a efetiva igual a -1,67%.


Parte 3

Medidas de Grau de Proteção

  • Variando Wi

    • Se TPNP > TPNi  Wi aumenta a TPEP

      • Com uma tarifa menor para o insumo, o produtor doméstico estará em uma situação melhor quanto maior a participação dos insumos importados no processo produtivo (maior a TPNP).

    • Se TPNP < TPNi  Wi reduz a TPEP

      • Com uma tarifa maior para o insumo, o produtor doméstico estará em uma situação pior quanto maior a participação dos insumos importados no processo produtivo (menor a TPNP).

Experimente fazer algumas simulações com a planilha “TPEp”


Parte 3

Medidas de Grau de Proteção

  • É interessante notar que, para o consumidor, o que importa é o preço final do produto, que é dado pela proteção nominal. Quando ela é positiva, ele paga mais pelo produto do que pagaria em um mercado livre de tarifas. Isso não significa que o produtor nacional está sendo favorecido, pois mesmo podendo cobrar um preço mais alto, seus custos também são onerados pelas tarifas impostas sobre os insumos.


Parte 3

Medidas de Grau de Proteção


  • Login