Organizações Sociais: Alternativa para a
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 22

PROGRAMA AVANÇADO EM GESTÃO PÚBLICA CONTEMPORÂNEA junho de 2004 FUNDAP CASA CIVIL PowerPoint PPT Presentation


  • 51 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Organizações Sociais: Alternativa para a Ação Pública de Resultados? (experiência do MCT 1999/2003) Carlos Américo Pacheco - IE/UNICAMP. PROGRAMA AVANÇADO EM GESTÃO PÚBLICA CONTEMPORÂNEA junho de 2004 FUNDAP CASA CIVIL GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO.

Download Presentation

PROGRAMA AVANÇADO EM GESTÃO PÚBLICA CONTEMPORÂNEA junho de 2004 FUNDAP CASA CIVIL

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Programa avan ado em gest o p blica contempor nea junho de 2004 fundap casa civil

Organizações Sociais: Alternativa para aAção Pública de Resultados?(experiência do MCT 1999/2003)Carlos Américo Pacheco - IE/UNICAMP

PROGRAMA AVANÇADO EM GESTÃO PÚBLICA CONTEMPORÂNEA

junho de 2004

FUNDAP

CASA CIVIL

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO


Os institutos federais de c t situa o em 1 999

Os Institutos Federaisde C&T Situação em 1.999

  • 4 Institutos Federais ligados ao MCT (INPE, CenPRA - ex CTI, IMPA e INT)

  • 7 Unidades de Pesquisa do CNPq - IBICT; CETEM; LNA; LNCC; ON, IMPA, MAST

  • 2 Projetos do CNPq - Mamirauá e RNP

  • 1 Organização social – LNLS – ABTLuz

  • em julho de 1.999 – mais 4 Unidades de Pesquisa da CNEN – IPEN, CTDN, IEN, IRD e um Projeto - CRCN


Diagn stico inicial

Diagnóstico Inicial

  • Ausência de definição clara da missão das Unidades de Pesquisa (UP)

  • Controle de meios e não de resultados

  • Falta de flexibilidade na gestão

  • Ausência de estrutura gerencial no MCT

  • Diluição das responsabilidades entre MCT e CNPq

  • Conflito de interesses no CNPq

  • Centralismo e inflexibilidade na CNEN


Reforma gerencial das up do mct

Reforma Gerencial das UP do MCT

  • Transferência das Unidades de Pesquisa do CNPq para o MCT

  • Criação da Secretaria de Coordenação das Unidades de Pesquisa (SECUP):

    • Coordenadoria de Modernização da Gestão

    • Coordenadoria de Avaliação e Acompanhamento

    • Coordenadoria de Orçamento

  • Seleção de diretores através de Comitês de Busca – ‘Search Committee’

  • Avaliação de Missão – Planejamento


Reforma gerencial das up do mct1

Reforma Gerencial das UP do MCT

  • SECUP – Prof. Dr. João Steiner

  • Comissão de Alto Nível para avaliar missão das Unidades de Pesquisa (Comissão Tundisi)

    • Comissão Externa - Comunidade Científica e Tecnológica

    • 72 consultores “ad hoc” (visitas, entrevistas, relatórios)

    • 1 ano e meio de trabalho

    • Sugestões de arranjos institucionais variados (centros de referências, laboratórios abertos, consórcios, etc.)

  • Termos de Compromisso de Gestão c/ Ups


Aspectos institucionais das reformas do sistema de c t

Aspectos Institucionais das Reformas do Sistema de C&T

  • Conferência Nacional de C, T & I de 2001

    • Livro Verde - Capítulo sobre desafios institucionais

    • Sistema Nacional de Inovação – Ênfase na Relação Público- Privado

  • Lei de Inovação

    • Flexibilidade da gestão nas Instituições de Pesquisa (suprimida na versão atual – Termo de Compromisso de Gestão)

    • Maior interação Público-Privado – PPP em C&T

    • Novos arranjos institucionais (parcerias, consócios, SPE, etc.)


Fundos setoriais e o sistema de c t

Fundos Setoriais e oSistema de C&T

  • Fundos Setoriais

    • Aporte adicional de recursos

    • Ênfase na cooperação – novo modelo de gestão compartilhada

    • Apoio institucional – Fundo de Infra-estrutura (exigência de plano institucional)

  • Fundo Verde-amarelo

    • Interação Universidade-Empresa

    • Espaço de experimentação institucional

    • Novos arranjos


Organiza es sociais do mct

Organizações Sociais do MCT

  • ABTLuz - Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron

  • Mamirauá - Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá

  • RNP - Associação Rede Nacional de Ensino e Pesquisa

  • IMPA - Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada

  • CGEE - Centro de Gestão e Estudos Estratégicos

  • LNA - Laboratório Nacional de Astrofísica (processo não concluído)


Crit rios para transforma o em organiza o social

Critérios para Transformação em Organização Social

  • Clareza da missão e foco

  • Liderança acadêmica dos dirigentes

  • Função de Instituto ou Laboratório Nacional

  • Ausências de temas e tecnologias sensíveis

  • Excelência na produção científica e tecnológica

  • Qualidade da gestão e administração


Os contrato de gest o

OS - Contrato de Gestão

  • instrumento para outorgar maior autonomia a organizações públicas e proporcionar um maior e melhor controle destas organizações

  • necessidade de ampliação da autonomia gerencial das organizações públicas, em situações complexas e necessidade de níveis satisfatórios de desempenho

  • assegurar um retorno satisfatório dos recursos alocados e evitar disfunções burocráticas


Contrato de gest o

Contrato de Gestão

  • Desempenho;

  • Accountability

  • Pacto de metas

  • Meios e mecanismos de controle


Contrato de gest o1

Contrato de Gestão

  • Estipulação de Metas

    • missão da instituição - eventual repactuação

  • Prazos de Execução

    • de 3 a 5 anos para contrato - metas anuais

  • Indicadores de Qualidade e Produtividade

    • refinamento a cada ano ao longo da supervisão

  • Critérios de Avaliação de Desempenho

    • metas - avaliação de resultados, não de processos - sistemática de pontuação diferenciada


Supervis o e controle social

Supervisão e Controle Social

  • Controle Interno: Conselho de Administração

    • mais de 50% dos membros do Conselho exteriores à OS

  • Controle Externo: o Órgão Supervisor

    • Comissão e Comitê com membros indicados diretamente pelas instâncias decisórias do MCT

  • Comissão de Avaliação do Contrato de Gestão

  • Comitê Técnico-Científico


Conselho de administra o

Conselho de Administração

  • Órgão Interno de Deliberação Superior:

    • Fixa âmbito de atuação da entidade

    • Aprova Contrato de Gestão e Regulamentos (obras, compras, serviços, plano de cargos e salários etc.)

    • Designa Diretoria

  • Composição (+ 1/2 não pertence à OS):

    • Representantes do Poder Público (MCT, outros Ministérios, CNPq, etc.)

    • Representantes da Sociedade Civil

    • Representantes de notória capacidade profissional e reconhecida idoneidade moral

    • Membros da Organização Social


Fiscaliza o do contrato

Fiscalização do Contrato

  • Relatório de Execução

    • relatório semestral de acompanhamento

    • relatório anual de avaliação

    • Metas, Resultados e Prestação de Contas

  • Avaliação dos Resultados

    • Eficácia (objetivos e metas atingidos - produtos e serviços oferecidos - foco no usuário)

    • Eficiência (utilização dos recursos - produtividade na execução das macrofunções - foco no processo)

    • Efetividade (atendimento das necessidades da clientela - impacto dos produtos - foco na missão)


Comiss o de avalia o

Comissão de Avaliação

  • Composição

    • Coordenada pelo Ministério Supervisor

    • Participação de outros Ministérios e Entidades

    • Especialistas de notória capacidade e qualificação técnica (ênfase no perfil dos membros da comissão)

    • Auditores, quando necessário

  • Missão (analisa resultados, proposta de aditivo e previsão de recursos para ano subseqüente)

    • Supervisão, Acompanhamento e Avaliação do Desempenho

    • Propõe, se necessário, renegociação das metas e indicadores


Organiza es sociais e gest o p blica

Organizações Sociaise Gestão Pública

  • Interfaces Administrativas e Legais

    • Tribunal de Contas da União

    • Advocacia-Geral da União

    • Ministério Público

  • Desenvolvimento Futuro

    • Gestão de Bens e Pessoal

    • Publicidade e Participação da Sociedade Civil Organizada


Lei de inova o vers o 2002 termo de compromisso de gest o

Lei de Inovação (versão 2002)Termo de Compromisso de Gestão

  • Termo de compromisso de gestão c/ órgão supervisor - maior flexibilidade na administração:

    • I - administrar quadro de pessoal de acordo com as necessidades - obedecendo aos limites de contingente e de recursos financeiros previstos em seu orçamento;

    • II - pagar, com recursos financeiros próprios, prêmio à participação no aumento de produtividade e alcance de metas, conforme regulamento;

    • III - adotar, a pedido, redução de jornada;

    • IV - adotar modalidades mais flexíveis de contratação de serviços, compras e alienações (regulamento próprio)


Lei de inova o vers o 2002 termo de compromisso de gest o1

Lei de Inovação (versão 2002)Termo de Compromisso de Gestão

  • Termo de compromisso - objetivos e metas:

  • Recursos humanos, materiais e orçamentários necessários;

  • Responsabilidades, procedimentos para avaliação, condições para revisão, renovação e rescisão

  • prazo de duração de quatro anos, prorrogável mediante aditivo;

  • Avaliação anual de desempenho - metas e resultados;

  • Fiscalização das atividades da ICT pelo órgão supervisor;

  • Princípios da legalidade e de probidade - responsabilidade pessoal e patrimonial dos dirigentes

  • Interveniência dos órgãos competentes


Cgee case especial

CGEE: ‘case’ especial

  • Criado em 2001 – na Conferência Nacional de C&T&I

  • Função – Planejamento e Prospecção em C&T&I

  • Secretaria Técnica dos Fundos Setoriais

  • Estrangulamento financeiro em 2003

  • Dificuldade de sustentação


Conclus es

Conclusões

  • OS como alternativa de modelo de gestão

  • OS como modernização – clareza de missão e qualidade

  • Riscos:

    • Risco ‘regulatório’

    • Risco ‘político’

  • Modelo com garantias sólidas do Setor Público – PPP

  • Futuro promissor


  • Login