Literatura no brasil
Download
1 / 35

LITERATURA NO BRASIL - PowerPoint PPT Presentation


  • 89 Views
  • Uploaded on

LITERATURA NO BRASIL. CONTEXTO HISTÓRICO IDADE MÉDIA : ALTA IDADE MÉDIA : Sec V / Sec XI-XII BAIXA IDADE MÉDIA : Sec XI-XII / XV - QUEDA DE ROMA (476) ( Fim do Império Romano / Ocidente ) - EXPANSÃO DO CRISTIANISMO - Entre o MOSTEIRO (Papa) e a CORTE ( Rei )

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' LITERATURA NO BRASIL' - trista


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Literatura no brasil

LITERATURA NO BRASIL

CONTEXTO HISTÓRICO

IDADE MÉDIA: ALTA IDADE MÉDIA: Sec V / Sec XI-XII

BAIXA IDADE MÉDIA: Sec XI-XII / XV

- QUEDA DE ROMA (476) (Fim do Império Romano /Ocidente)

- EXPANSÃO DO CRISTIANISMO

- Entre o MOSTEIRO (Papa) e a CORTE (Rei)

 “Os príncipestêm o poderna Terra, ossarcerdotes, sobre a Alma. E assimcomo a alma é muitomaisvaliosaque o corpo, assimmaisvalioso é o clero do que a monarquia […] Nenhumreipodereinar com acerto a menosquesirvadevotamenteaovigário de Cristo.”

- RELIGIÃO E CULTURA:Textossagrados, tradução dos filósofosquenãocontradiziam a Igreja, Latimcomolíngualiterária …


A era medieval era cl ssica
A ERA MEDIEVAL  ERA CLÁSSICA


Tro vadorismo
TROVADORISMO

IDADE MÉDIA: Nova Organização Social

  • FEUDALISMO: Rei, Senhoresfeudais, Nobreza, Cavaleiros, Camponeseslivres e Servos  Suserano,Vassalos, Exército do Senhor Feudal.

  • TROVADORISMO: Poesia e Cortesia

    ProjetoLiterário: Literatura Oral (entreterimento)

    Cavaleiros (novo papel), Vassalagem (amorosa), Teocentrismo e Amor Cortês*.

     Agentes do Discurso: TROVADORES: Autores

    JOGRAIS: Recitadores, Cantores e Músicosambulantes.


Literatura portuguesa
LITERATURA PORTUGUESA

PORTUGAL

  • 1140 – Estado Independente

  • 1o. Rei: D. Afonso Henrique

  • Língua: Galego-português

  • A Literatura Portuguesa nasce com o própriopaís. Os trovadoresgalego-portuguesessão, inicialmente,influenciadospelaliteraturaprovençal.

  • Primeirotexto: CantigadaRibeirinha, 1189.


Cantiga da ribeirinha
CantigadaRibeirinha


O trovadorismo
O TROVADORISMO*

  • PRIMEIRAS MANISFESTAÇÕES LITERÁRIAS

    - PROSA - TEATRO

    - POESIA – memorizada e difundidaoralmente

     CANTIGAS ( Trovas, rimas, cançõespopularesnosgêneroslírico e satírico)

  • CANCIONEIROS (coletâneas de poemas):

    - CancioneirosdaAjuda (Sec XIII)

    - CancioneirodaVaticana (Sec XV)

    - CancioneirodaBibliotecaNacional (Sec XIV)


Cantigas
CANTIGAS

  • CARACTERÍSTICAS: Eulírico, Assunto, Estrutura, LINGUAGEM (funções, figuras)  4 Tipos:

  • GÊNERO LÍRICO: Cantigas de Amigo*

    - tema central: Saudade

    Cantigas de Amor*

    - Coita de amor

  • GÊNERO SATÍRICO: Cantigas de Escárnio*

    - Crítica (duplosentido)

    Cantigas de Maldizer*

    - Críticadireta (baixocalão)


2a poca medieval humanismo
2a. Época Medieval – HUMANISMO

RENASCIMENTO (Séc XVI)

  • Transição medieval para o MundoModerno

  • ConsolidaçãodaProsaHistorigráfica e do Teatro

  • Poesiaafasta-se damúsica e ganhaformalidade

    POESIA PALACIANA

  • MelhorelaboraçãoemrelaçãoàsCantigas

  • Sensualidade e Intimidade # Visãoidealializada e platônicadamulheramada

  • Figuras de Linguagem (metonímia)


Prosa historiogr fica
PROSA HISTORIOGRÁFICA

  • Crônicas Acontecimentoshistóricos de Portugal

  • FERNÃO LOPES – principal cronista

  • Importância do Povo no processohistórico

    TEATRO

  • Ligado à Igreja / Datasreligiosas

  • PassagensdaBíblia / Histórias de santos

  • GIL VICENTE – início do Teatroleigoportuguês,

    livredainfluênciadaIgreja – “pai do TeatroPortuguês” – Teatro, crítica e humor.


Gil vicente
GIL VICENTE

  • Séc XVI – laicizaçãodaculturaportuguesa

  • Diversidade de classes e grupossociais

  • GIL: Missãomoralizante e reformadora

  • Nãoatingia as Instituições, masosinescrupulosos.

  • Objetivo:- Demonstrarcomo o ser humano, independentemente de classe social, sexooureligião; é egoísta, falso, mentiroso, orgulhoso e frágildiante dos apelosda carne e do dinheiro.

  • Produçãorica e variada.


Classicismo ou quinhentismo
CLASSICISMO ou QUINHENTISMO

RENASCIMENTO

  • Movimentoartístico, cultural e científico / Séc XVI,

    Inspiradonaculturagreco-latina;

  • DANTE ALIGHIERE: Divinacomédia, Medida nova;

  • PETRARCA: Cancioneiro com 350 poemas (sonetos) – amorplatônicoespiritualizadopor Laura;

  • BOCCACCIO: Decameron – críticarealidade / época;

     TRANSFORMAÇÕES DE TODA ORDEM:

  • Fé medieval => Razão; Cristianismo => Culturagreco-latina;

  • Antropocentrismo; Domínio e transformação do mundo


Contexto hist rico
CONTEXTO HISTÓRICO

RENASCIMENTO: IdadeMédia Era Moderna:

  • GrandesNavegações e Descobrimentos;

  • Formação dos EstadosModernos;

  • ReformadaIgrejaCatólicaRomana (1517);

  • RevoluçãoComercial (inícioSéc XV);

  • FortalecimentodaBurguesiacomercial;

  • TeoriaHeliocêntrica de Copérnico;

  • Inflênciasestenderam-se ao Sec XVII;

     Era Clássica: Classicismo, Barroco, Arcadismo.


Projeto liter rio do classicismo
PROJETO LITERÁRIO DO CLASSICISMO

  • RETOMAR MODELOS DA ANTIGUIDADE CLÁSSICA (GRECO-LATINA);

    - Nega a antiguidade medieval (teocentrismo)

  • ADOTAR A RAZÃO PARÂMETRO DE OBSERVAÇÃO E INTERPRETAÇÃO DA REALIDADE;

    - Impériodarazão

  • AFIRMAÇÃO DA SUPERIORIDADE HUMANA (ANTROPOCENTRISMO);

    - A belezadaperfeiçãohumana

  • VALORIZAÇÃO DO ESFORÇO INDIVIDUAL.

    - Participação social # Buscadafelicidade


Imp rio portugu s culmin ncia
IMPÉRIO PORTUGUÊS - Culminância

PORTUGAL

  • Um dos paísesmaisimportantes do Mundo, Séc XV e XVI, lidera a expansãomarítima e comercial;

  • AmadurecidocomoPovo, Nação, Estado, Língua, e Cultura; falta-lheumaEpopeia.

    LUÍS DE CAMÕES (1525-1580)

  • Estudiosodaculturaclássica, cortesão, militar, literato, filósofo – integrasuavivência a conhecimentos de História, Geografia e Política – produz, alémdasuaprimorosaobralírica, a maiorepopeia do Renascimento: OS LUSÍADAS.


L rica amorosa de cam es
LÍRICA AMOROSA DE CAMÕES

  • POESIA PALACIANA: Poemasnamedidavelha (redondilhas) e namedida nova (decassílabos), Sonetos, Odes, Éclogas, Oitavas, Elegias;

  • TEMAS: neoplatonismo amoroso, reflexãofilosófica (sobreosdesconcertos do mundo) e a natureza (confidente amoroso do amantequesofre);

  • LÍRICA AMOROSA: o Amor comoabstraçãopura e perfeita X realizaçãofísica do Amor; (p. 86)

  • LÍRICA FILOSÓFICA: queixas dos rumos de seu tempo e insatisfação com a transiçãopara o mundoburguês. (p. 87)


Poesia pica
POESIA ÉPICA

  • EXALTAÇÃO AOS FEITOS HEROICOS;

  • IMORTALIZAÇÃO DAS GLÓRIAS DE SEU POVO, A EXEMPLO DA ILÍADA E DA ODISSEIA DE HOMERO.

  • LUÍS VAZ DE CAMÕES: OS LUSÍADAS

  • REINVENÇÃO ÉPICA DA HISTÓRIA DE PORTUGAL;

  • EPOPEIA DE IMITAÇÃO, CUMPRIU O PAPEL DE

    RELEMBRAR A GRANDIOSIDADE DE PORTUGAL, JÁ EM DECADÊNCIA (1572);

  • CRÍTICA À COBIÇA, À TIRANIA, À CORRUPÇÃO E À SEDE DE PODER DESMEDIDO.


Os lus adas
OS LUSÍADAS

  • ESTRUTURA:10 CANTOS, NUM TOTAL DE 1.102 ESTROFES (OITAVAS REAIS = RIMA: ABABABCC), PERFAZENDO 8. 816 VERSOS DECASSÍLABOS.

  • TEMA: CANTAR A GLÓRIA DO “POVO NAVEGADOR PORTUGUÊS” E A MEMÓRIA DOS REIS QUE “FORAM DILATANDO A FÉ, O IMPÉRIO”.

  • DIVISÃO DOS CANTOS:

    - Proposição: apresentação do poema

    - Invocação:Tágides (musas, ninfas do Rio Tejo)

    - Dedicatória: D. Sebastião

    - Narração: episódiosdaviagem de Vasco da Gama

    - Epílogo: encerramento – desilusão com a decadência do Império.


As grandes navega es e descobrimentos
AS GRANDES NAVEGAÇÕES e DESCOBRIMENTOS



Senhor falta cumprir se portugal
SENHOR, FALTA CUMPRIR-SE PORTUGAL!

5o. IMPÉRIO – Daniel

SONHO DE NABUCODONOSOR

  • Dimensão material e geopolítica:

  • BABILÔNIA

  • MEDO-PERSA

  • GRÉCIA

  • ROMA

  • INGLATERRA

    (E U A: Nova Inglaterra)

5o. IMPÉRIO – F. Pessoa

DIFUSÃO DA LÍNGUA E CULTURA PORTUGUESAS

  • PoderdaPoesia e do Sonho:

  • GRÉCIA

  • ROMA

  • CRISTANDADE

  • EUROPA (pós-renascença)

  • PORTUGAL …

     Ressurgimento de PORTUGAL:

    * “MINHA PÁTRIA É A

    LÍNGUA PORTUGUESA”.



C p l p membros efetivos
C P L P – MembrosEfetivos

EFETIVOS


C p l p membros observadores e candidatos
C P L P – MembrosObservadores e Candidatos

  • GUINÉ EQUATORIAL MAURÍCIA SENEGAL

  • ANDORRA MARROCOS

  • FILIPINAS GALIZA

  • MACAU MALACA

  • GOA CROÁCIA

  • ROMÊNIA UCRÂNIA

  • INDONÉSIA VENEZUELA


Cplp minha p tria a l ngua portuguesa
CPLP – MinhaPátria é a Língua Portuguesa





Literatura no brasil colonial
LITERATURA NO BRASIL COLONIAL

AINDA NÃO HAVIA OS PRÉ-REQUISITOS:

  • PRODUÇÃO CULTURAL INDEPENDENTE (?)

  • FLORESCIMENTO DA LITERATURA (condições):

    - PÚBLICO LEITOR ATIVO E INFLUENTE;

    - GRUPOS DE ESCRITORES ATUANTES;

    - VIDA CULTURAL RICA E ABUNDANTE;

    - SENTIMENTO DE NACIONALIDADE;

    - LIBERDADE DE EXPRESSÃO;

    - MEIOS DE COMPOSIÇÃO GRÁFICA E IMPRESSÃO.

     MANIFESTAÇÕES LITERÁRIAS


Ecos da literatura no brasil
“ECOS DA LITERATURA NO BRASIL”

BRASIL-COLÔNIA: 1500 a 1808

REINO UNIDO BRASIL, PORTUGAL e ALGARVES: I808 a 1821

Século XVI:

  • Garantia do domíniosobre a terra descoberta;

  • OrganizaçãoemCapitaniasHereditárias;

  • EscravosnegrosdaÁfrica;

  • Padres jesuítaspara a catequizaçãoosíndios.


Ecos da literatura no brasil1
“ECOS DA LITERATURA NO BRASIL”

 A PRODUÇÃO LITERÁRIA CONTRIBUIU PARA:

- AMADURECIMENTO DO ESPÍRITO NACIONALIDADE;

  • VALORIZAÇÃO DO HOMEM, DO ESPAÇO E DA LÍNGUA;

  • FUNDAÇÃO DE CIDADES;

  • ESTABELECIMENTOS DE CENTROS COMERCIAIS;

  • AFLORAMENTO DE MANIFESTAÇÕES IMPORTANTES:

  • JOSÉ DE ANCHIETA

  • GREGÓRIO DE MATOS

  • “ÁRCADES”

  • IDEALISTAS E REVOLUCIONÁRIOS


Ecos da literatura no brasil2
“ECOS DA LITERATURA NO BRASIL”

Século XVII:

  • Salvador-BA  centro de decisõespolítico-comerciais (virtual capital);

  • Aventureiros, náufragos e degredados;

  • Brancos, Índios, Negros  Mestiços;

  • Ciclo do pau-brasil

  • Ciclodacana-de-açucar


Ecos da literatura no brasil3
“ECOS DA LITERATURA NO BRASIL”

Século XVIII:

  • Ciclo do Ouro  Minas Gerais: Exploração do ouro e Revoltaspolíticas contra a colonização;

  • InconfidênciaMineira (1789).

    PRINCIPAIS MANIFESTAÇÕES LITERÁRIAS

  • LITERATURA DE INFORMAÇÃO

  • LITERATURA DE CATEQUESE

  • BARROCO

  • ARCADISMO


A literatura de informa o
A LITERATURA DE INFORMAÇÃO

  • CARTAS DE VIAGEM, DIÁRIOS DE NAVEGAÇÃO e TRATADOS DESCRITIVOS (PROSA);

  • NARRAR E DESCREVER OS PRIMEIROS CONTATOS COM A TERRA E SEUS NATIVOS;

  • DIRIGIDAS ÀS AUTORIDADES PORTUGUESAS;

  • PEQUENO VALOR LITERÁRIO;

  • GRANDE VALOR HISTÓRICO;

  • REGISTRO DO CHOQUE/INTERAÇÃO CULTURAL;

  • TEMAS: Índios, belezasnaturais, origenshistóricas, diferenteslinguagens.


A literatura de informa o1
A LITERATURA DE INFORMAÇÃO

PRINCIPAIS PRODUÇÕES NO BRASIL-COLÔNIA:

  • Carta, de PeroVaz de Caminha;

  • Diário de Navegação, de Pero Lopes de Sousa;

  • Tratadoda terra do Brasil e a HistóriadaProvíncia de Santa Cruz (Brasil), de Pero de MagalhãesGândavo;

  • Tratadodescritivo do Brasil, de Gabriel Soares;

  • Diário das grandesas do Brasil, de AmbrósioFernandesBrandão;

  • Cartas dos missionáriosjesuítas.


A literatura de catequese
A LITERATURA DE CATEQUESE

  • INTENÇÃO CATEQUÉTICA DOS JESUÍTAS;

  • CARTAS, TRATADOS, CRÔNICAS E POEMAS;

  • MANUEL DA NÓBREGA, FERNÃO CARDIM, …

  • JOSÉ DE ANCHIETA (qualidadesliterárias):

    * IlhasCanárias, 1534 + Reritiba (ES), 1597

    - Poesiareligiosa, Poesiaépica, Crônica,

    Gramáticadalínguamaisusadanacosta do Brasil

  • Teatro: Autos, Peçasteatraispolilíngues, Festas/ Dogmas católicos Indígenas, Soldados, Colonos, Marujos, Comerciantes


ad