ARQUITETURA
Sponsored Links
This presentation is the property of its rightful owner.
1 / 74

ARQUITETURA PowerPoint PPT Presentation


  • 80 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

ARQUITETURA. Verde. VERTICAL. Osvaldo Rui Felix. Gestão Ambiental. Professor Peixoto. Trabalho baseado nas pesquisas de:. * Folha Universal – Ed. 905 – Agosto/2009. * SuperInteressante – Ed. 244 – outubro/2007. * Época Negócios – 04/07/2009. * Isto É Dinheiro - Janeiro/2010.

Download Presentation

ARQUITETURA

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


ARQUITETURA

Verde

VERTICAL

Osvaldo Rui Felix

Gestão Ambiental

Professor Peixoto


Trabalho baseado nas pesquisas de:

* Folha Universal – Ed. 905 – Agosto/2009

* SuperInteressante – Ed. 244 – outubro/2007

* Época Negócios – 04/07/2009

* Isto É Dinheiro -Janeiro/2010

* Site Globo Rural

www.revistagloborural.globo.com/GloboRural

* Portal Terra

www.noticias.terra.com.br/ciencia


Ano 2050

* 9,2 bilhões de habitantes, sendo 80%

vivendo em cidades superpopulosas;

* Temor generalizado do desemprego

e da falta de dinheiro;

* Falta de água e volume de tratamento;

* Escassez de eletricidade;


Consequências


Racionamento hídrico e elétrico

trará conflitos na administração

pública e na sociedade.


Busca por qualificação profissional metropolitana

deixará atividades rurais sem mão-de-obra.


Áreas urbanas dominarão o planeta

e latifúndios serão ocupados legalmente

ou por construções irregulares.


e sem mais espaço...


Áreas urbanas dominarão o

planeta e latifúndios serão

ocupados legalmente ou

por construções irregulares.

Busca por qualificação

Profissional metropolitana

Deixará atividades rurais

sem mão-de-obra.

Racionamento hídrico

e elétrico trará conflitos

na administração

pública e na sociedade.

Construções Verticais serão ainda mais

essenciais para acomodar os urbanos

nessa grande densidade demográfica.


“Os edifícios de 3 ou mais andares consomem

quase metade da energia gerada no mundo,

porém a maioria das pessoas mora, trabalha

e realiza atividades de lazer neles, o que faz

com que o impacto dos edifícios no futuro

seja muito menor.”

Marcelo de Andrade Romero, diretor da

Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP.


Foram com esses alarmes que surgiram as

FAZENDAS

VERTICAIS


Foram com esses alarmes que surgiram as

FAZENDAS

VERTICAIS


FAZENDAS VERTICAIS

Prática agrícola tradicional (na terra):

* Hoje: 40% do solo do planeta.

2050: mais o tamanho do Brasil.

* Em larga escala, devasta ecossistemas,

como florestas e pântanos;

* Riscos de transmissão de infecções,

como a febre amarela e dengue;

* Exposição a agroquímicos tóxicos;

* Traumas pelo trabalho do campo;

* Entre outros.


FAZENDAS VERTICAIS

A agricultura, ocupadora de grandes áreas horizontais,

vem a ser “cortada” em blocos e “empilhada”.


FAZENDAS VERTICAIS

A agricultura, ocupadora de grandes áreas horizontais,

vem a ser “cortada” em blocos e “empilhada”.


FAZENDAS VERTICAIS

A agricultura, ocupadora de grandes áreas horizontais,

vem a ser “cortada” em blocos e “empilhada”.


FAZENDAS VERTICAIS

A agricultura, ocupadora de grandes áreas horizontais,

vem a ser “cortada” em blocos e “empilhada”.

São projetos de prédios inteiramente autossustentáveis,

com alguns destinados a agricultura e até a pecuária.


A principal característica para que as

Fazendas Verticais sejam possíveis e

tão visadas como solução viável é a

HIDROPONIA

Vídeo


Projetistas


DicksonDespommier

Professor de saúde pública da

Universidade de Columbia, Estados Unidos.


PyramidFarm

* Para ser construída em Dubai;

* Abrigaria ecossistemas completos,

com até reprodução de peixes;

* Sistema de aquecimento e pressurização

que converte esgoto em água e carbono;

* Sistema para converter em gotículas

de água o vapor que as plantas exalam.

230 milhões de litros por anoou 315.000.


DicksonDespommier

Vincent Callebaut

Arquiteto franco-belga, de 33 anos, com por volta de

50 projetos autossustentáveis e mais de 300 publicações.


Dragonfly

* Projetado para ocupar a Ilha Roosevelt,

na cidade de Nova York;

* Projetado no formato da asa da libélula;

* 132 andares em 600 metros de altura;

* Estrutura em tubos de aço e vidro;

* 28 diferentes plantações, além de laticínios

e outros produtos alimentícios;

* Caso seja construído, ocupará uma área de 350

mil metros quadrados (35 campos de futebol);


DicksonDespommier

Vincent Callebaut

Cristiana Favretto e AntonioGirardi

Arquitetos italianos de 35 anos, proprietários do

Studiomobile, um escritório com sede em Veneza.


SeawaterGreenhouse

* Desenvolvido para suprir a necessidade de água

“doce” da cidade de Dubai, nos Emirados Árabes;

* Coletores captam a água do mar até um

reservatório que utiliza tecnologia para dessalinizá-la.

* Cada cápsula é destinada a uma cultura.

* Tubos sugam o ar quente e seco do deserto,

que é umedecido e resfriado pela água;

* O vapor d’água é usado para resfriar o ambiente.


DicksonDespommier

Vincent Callebaut

Cristiana Favretto e AntonioGirardi

Gordon Graff

Estudante de Mestrado de Arquitetura da

Universidade de Waterloo, em Ontário, no Canadá.


Skyfarm

*Projeto para a cidade de Toronto, no Canadá;

* 743.200m² de áreaparaplantação “empilhada”,

aprox. 75 campos de futebol, em 59 andares;

* Capacidade de alimentar 35.000 pessoas por ano;

* Consumo de 82 milhões de quilowatts-hora

ao ano, o mesmo que 20.000 famílias;

* Promessa de autossuficiência, com 50% vindos dos

recursos comuns e 50% através do lixo da cidade;

* Retiraria água do Lago Ontário para a hidroponia.


DicksonDespommier

Vincent Callebaut

Cristiana Favretto e AntonioGirardi

Gordon Graff

Jung Min Nam

Arquiteto Coreano


UrbanEpicenter

* Projetado para ser construído em Nova York;

* Abrigará residências, áreas comerciais, um

mercado da plantação e áreas na produção

reservadas para visitação do público;

* A água utilizada nas casas e escritórios será

recolhida, tratada e reutilizada na plantação;

* Braços mecânicos se encarregam da colheita,

através de um aparelho chamado reflectômetro.


DicksonDespommier

Vincent Callebaut

Cristiana Favretto e AntonioGirardi

Gordon Graff

RomsesAchitects

Escritório de arquitetura


Harvest Green Tower

* Para ser construída em Vancouver, no Canadá;

* Possui 3 tipos de geração de energia:

eólica, solar e biogás;

* Na base fica o campo para a produção de

gado um viveiro para pássaros;

* Janelas tratadas com um produto químico

que bloqueia poluentes e as impermeabiliza;


DicksonDespommier

Vincent Callebaut

Cristiana Favretto e AntonioGirardi

Gordon Graff

RomsesAchitects

ValcentProducts

Empresa especializada em soluções ecológicas, com

escritórios nos Estados Unidos, Canadá e Reino Unido.


VertiCrop

* A revista Times elegeu a tecnologia entre

as "50 melhores invenções do ano“;

* Projeto para ser vendido a qualquer investidor;

* A primeira VertiCrop foi comercializada e

instalada num zoológico do Reino Unido;

* Reduz o consumo de água para 5%;

* Custa US$500 para cada 100m²;

* Estão fechando a venda de seis VertiCrop;


Críticas

discutíveis...


Custo elevado

A economia em transporte dos produtos,

outro dos grandes trunfos do conceito, não

seria suficiente para cobrir os gastos extras

com energia, infraestrutura e equipamentos,

o que não traria competitividade econômica

com fazendas tradicionais.


Custo elevado

Variedade de cultivo

Plantação de arroz, milho e trigo, por exemplo,

não seria interessante verticalizada, por suas

características e necessidade de grandequantidade,

o que ocuparia um edifício inteiro, não sendo

tanto um problema, mas talvez perdendo o

conceito, a ideologia.


Custo elevado

Variedade de cultivo

Uso de energia

A iluminação natural dos campos seria

substituída por 30, 50 ou mais andares

de luz complementar. Energia para

aquecedores seria tanta que no inverno

os prédios teriam que parar a produção.


Custo elevado

Variedade de cultivo

Uso de energia

Poluição Luminosa

Fotoperiodismo: iluminação da plantação

durante toda a noite. Áreas horizontais já

causam problemas aos vizinhos pelo

“clarão”. 30 andares “brilhando” em área densamente populosa seria pior ainda.


Custo elevado

Variedade de cultivo

Uso de energia

Poluição Luminosa

Mais argumentos

discutíveis...


Custo elevado

Variedade de cultivo

Uso de energia

Poluição Luminosa

Mais argumentos

discutíveis...

* Poluição sonora


Custo elevado

Variedade de cultivo

Uso de energia

Poluição Luminosa

Mais argumentos

discutíveis...

* Poluição sonora

* Falta de CO2


Conclusão

* Após a Revolução Industrial e o “boom” de

crescimento e destruição, a sociedade iniciou

o pensamento de recuperação ambiental, em

vários casos independentemente do custo.

* A valorização comercial daqueles que praticam

atividades autossustentáveis causará uma

proliferação da conscientização na hora da compra.

* Fazendas Verticais serão sim consideradas,

seguindo fielmente aos projetos ou não,

ainda mais com tecnologia para barateamento.


Fugindo do assunto...

mas dentro do conceito.


  • Login