Contabilidade b sica
Sponsored Links
This presentation is the property of its rightful owner.
1 / 130

CONTABILIDADE BÁSICA PowerPoint PPT Presentation


  • 60 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

CONTABILIDADE BÁSICA. Turma GTI 0103. UNIDADE 1. A CONTABILIDADE, O PATRIMÔNIO E AS CONTAS. OBJETIVOS DA UNIDADE 1. Compreender o conceito de Contabilidade, bem como a sua aplicabilidade; Conhecer, compreender e identificar o patrimônio das entidades;

Download Presentation

CONTABILIDADE BÁSICA

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


CONTABILIDADE BSICA

Turma GTI 0103


UNIDADE 1

A CONTABILIDADE, O PATRIMNIO E AS CONTAS


OBJETIVOS DA UNIDADE 1

  • Compreender o conceito de Contabilidade, bem como a sua aplicabilidade;

  • Conhecer, compreender e identificar o patrimnio das entidades;

  • Interpretar as mutaes ocorridas no patrimnio das entidades por diversas operaes contbeis.

Prof Ricardo luiz


CONTABILIDADE


  • Origem Antiga;

  • A contabilidade moderna nasceu na Itlia XII XIV;

  • Consolidou-se pelo frade franciscano, matemtico, telogo e contabilista Frei Luca Pacioli, 1494 descrevendo o mtodo das partidas dobradas.

Prof Ricardo luiz


  • A grande importncia da obra de Frei Luca est em reconhecer o mtodo como o ideal para a escriturao, os conceitos e instrumental contbil para o registro e controle do patrimnio.

Prof Ricardo luiz


  • Assim, dessa poca at o sculo XX a Europa foi o centro dos estudos contbeis.

Prof Ricardo luiz


  • O desenvolvimento da contabilidade foi notrio com a ascenso econmica norteamericana num perodo recente, principalmente aps a grande crise econmica de 1929,

Prof Ricardo luiz


  • Aps esse perodo, com a ascenso cultural e econmica, o crescimento do mercado de capitais, da auditoria, houve a preocupao de tornar a contabilidade um mecanismo til para a tomada de decises

Prof Ricardo luiz


  • Hoje a contabilidade utilizada largamente no meio empresarial, sendo enfatizada como elemento gerador de subsdios essenciais aos gestores no processo de tomada de decises.

Prof Ricardo luiz


  • A profisso de contador foi regulamentada pelo Decreto-Lei n 9.295/1946, com alteraes introduzidas pela Lei n 12.249, de 12 de junho de 2010

Prof Ricardo luiz


  • Criando o Conselho Federal de Contabilidade CFC e definiu as atribuies do contador e do tcnico de contabilidade.

Prof Ricardo luiz


  • O campo de atuao do profissional em contabilidade muito grande, permitindo uma condio abrangente de empregabilidade.

Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


  • Maior atuao do profissional contbil a prestao de servios contbeis, seja em forma de contabilidade terceirizada, assessoria contbil, consultoria contbil (contabilidade tradicional,tributria e a gerencial).

Prof Ricardo luiz


  • O Brasil um pas de muitas empresas. E essas empresas, para obterem sucesso em sua trajetria, necessitam de instrumentos que a contabilidade pode oferecer com eficincia.

Prof Ricardo luiz


  • A partir do momento em que uma empresa nasce, ela comea a interagir com o meio que a cerca.

Prof Ricardo luiz


  • Tem que ganhar dinheiro, conquistar clientes, relacionar-se com fornecedores e bancos, ter um bom relacionamento com os seus colaboradores, estar em dia com suas obrigaes com o governo, ter uma boa relao com a comunidade onde est inserida.

Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


  • A contabilidade pode ser feita por quem? Ou melhor para quem?

Prof Ricardo luiz


  • A contabilidade pode ser feita para Pessoa Fsica ou Pessoa Jurdica. Considera-se pessoa, juridicamente falando, todo o ser capaz de direitos e obrigaes.

Prof Ricardo luiz


PESSOA FSICA

Prof Ricardo luiz


  • Pessoa Fsica a pessoa natural, todo o ser humano, todo o indivduo (sem qualquer exceo). A existncia da pessoa fsica termina com a morte.

Prof Ricardo luiz


PESSOA JURDICA

Prof Ricardo luiz


  • Pessoa Jurdica a unio de indivduos que, atravs de um contrato reconhecido por lei, formam uma nova pessoa, com personalidade distinta da de seus membros.

Prof Ricardo luiz


  • As pessoas jurdicas podem ter fins lucrativos (empresas industriais, comerciais etc.) ou no (cooperativas, associaes culturais, religiosas etc.). Normalmente as pessoas jurdicas denominam-se empresas.

Prof Ricardo luiz


  • A contabilidade, portanto, pode ser feita para um indivduo pessoa fsica (desde que haja necessidade em virtude do volume de negcios) ou para uma empresa com ou sem fins lucrativos pessoa jurdica.

Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


  • Quando se faz contabilidade para pessoa fsica ou jurdica denominado uma entidade contbil.

Prof Ricardo luiz


  • Acima de tudo, entidade contbil uma regra que deve ser observada com muito critrio, para que haja a existncia de uma boa contabilidade.

Prof Ricardo luiz


  • A contabilidade nada mais do que um instrumento que tem a finalidade de planejar e controlar o patrimnio das entidades (pessoas fsicas e jurdicas), com o objetivo de gerar informaes para subsidiar a tomada de decises.

Prof Ricardo luiz


  • Falamos antes em planejamento e controle do patrimnio. Mas o que vem a ser patrimnio?

Prof Ricardo luiz


  • Patrimnio o conjunto de bens, direitos e obrigaes vinculados a uma entidade (pessoa fsica ou jurdica).

Prof Ricardo luiz


  • Bens tudo o que pode ser avaliado economicamente e que satisfaa necessidades humanas e suscetveis de avaliao econmica. Do ponto de vista contbil, bens so todos os objetos que uma empresa possui, seja para uso, troca ou consumo.

Prof Ricardo luiz


  • Bens se divide em tangveis e intangveis;

Prof Ricardo luiz


  • Os bens tangveis so aqueles que possuem forma fsica, so corpreos, so palpveis.

Prof Ricardo luiz


  • Os bens intangveis so aqueles que embora so considerados bens, no possuem existncia fsica, no so palpveis, no so constitudos de matria, porm, representam um bem significativo para as empresas.

Prof Ricardo luiz


  • Direitos constituem direitos para as entidades todos os valores a receber de terceiros. Esses direitos geralmente aparecem seguidos da expresso a receber.

Prof Ricardo luiz


  • Obrigaes so dvidas ou compromissos assumidos perante terceiros, ou bens de terceiros que se encontram em nossa posse, e devero ser pagos ou liquidados em data futura preestabelecida.

Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


  • EXERCICIO

Prof Ricardo luiz


O ATIVO, PASSIVO E O PATRIMNIO LQUIDO

Prof Ricardo luiz


ATIVO

Prof Ricardo luiz


  • Voc j ouviu algum falar: aquela pessoa muito inteligente, trabalhadora, ativa, esperta.

Prof Ricardo luiz


  • So qualidades positivas, de coisa boa. Ento vamos chamar o lado esquerdo do balano patrimonial de Ativo (sinnimo de coisa boa, positiva).

Prof Ricardo luiz


  • Assim, ento, o ativo, em um primeiro momento, compreende o conjunto de bens e direitos de uma entidade.

Prof Ricardo luiz


  • Ativo um recurso controlado pela entidade como resultado de eventos passados e do qual se espera que resultem futuros benefcios econmicos para a entidade.

Prof Ricardo luiz


PASSIVO

Prof Ricardo luiz


  • E quando voc ouve algum falar: aquela pessoa preguiosa, passiva, lenta, sem vontade de nada.

Prof Ricardo luiz


  • So qualidades negativas, de coisa ruim, ento chamaremos o lado direito do balano patrimonial de Passivo (sinnimo de coisa ruim, negativa).

Prof Ricardo luiz


  • Se o Passivo coisa ruim e negativa, ns sempre iremos colocar deste lado as nossas obrigaes (dvidas).

Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


PATRIMNIO LQUIDO

Prof Ricardo luiz


  • O patrimnio lquido igual aos bens mais direitos, menos as obrigaes.

  • PL = ATIVOS(bens + direitos) PASSIVOS(obrigaes)

Prof Ricardo luiz


SITUAO LQUIDA POSITIVA

Prof Ricardo luiz


  • Esta situao ocorre quando a soma dos bens mais os direitos se sobrepe s obrigaes, ou seja, quando o ativo maior que o passivo.

Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


Suponhamos que o dono dessa empresa, a Cia UNI, resolvesse neste momento liquid-la;

Prof Ricardo luiz


SITUAO LQUIDA NEGATIVA

Prof Ricardo luiz


  • A situao lquida negativa ocorre quando o total das dvidas superior soma dos bens e direitos.

Prof Ricardo luiz


  • Pode ser chamada de situao lquida negativa, situao lquida passiva, situao lquida deficitria, ou ainda, passivo a descoberto.

Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


  • Neste caso, se o proprietrio dessa empresa resolvesse liquid-la, conseguir apurar 42.000,00. Para saldar as dvidas precisar de 60.000,00, tendo em mos apenas 42.000,00 faltaro 18.000,00.

Prof Ricardo luiz


  • A situao lquida deficitria, ou seja, o total dos elementos positivos insuficiente para saldar os compromissos assumidos pela empresa. A expresso passivo a descoberto representa a insuficincia do ativo para cobrir o passivo.

Prof Ricardo luiz


SITUAO LQUIDA NULA

Prof Ricardo luiz


  • A situao lquida nula ocorre quando o ativo corresponde ao mesmo valor que o passivo, inexistindo situao lquida.

Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


  • Se houvesse a liquidao da Cia UNI, teramos exatamente o suficiente para quitar todas as dvidas, no restando nada para o proprietrio.

Prof Ricardo luiz


CONTABILIZANDO COM BALANOS SUCESSIVOS

Prof Ricardo luiz


  • Por essa metodologia teremos condies de entender todo o processo das modificaes do patrimnio das entidades.

Prof Ricardo luiz


  • A metodologia leva em conta que a cada operao realizada pela entidade se faz a alterao e a elaborao de um novo balano.

Prof Ricardo luiz


A CONSTITUIO DE UMA EMPRESA

Prof Ricardo luiz


  • As empresas no surgem do nada. Antes de tudo, necessrio que haja uma idia genial de negcio a ser explorado.

Prof Ricardo luiz


  • Num segundo momento necessrio um estudo adequado para verificar se o negcio a ser explorado vivel economicamente.

Prof Ricardo luiz


  • Isso se faz com um projeto de viabilidade, onde se estuda todas as variveis favorveis e desfavorveis ao sucesso do empreendimento

Prof Ricardo luiz


  • anlise dos concorrentes da regio, anlise dos possveis clientes da regio, anlise dos fornecedores de materiais ou produtos, anlise do ponto comercial etc.

Prof Ricardo luiz


  • Um estudo minucioso tambm deve ser feito para avaliar o valor do dinheiro (capital) necessrio para implantar e iniciar as atividades empresariais.

Prof Ricardo luiz


J QUE FALAMOS EM CAPITAL

O QUE ?

Prof Ricardo luiz


  • investimento inicial feito para constituir ou criar uma empresa, e registrado pela contabilidade, denominado de capital nominal ou capital social, que corresponde ao patrimnio lquido inicial.

Prof Ricardo luiz


  • Lembrando que esse capital social colocado disposio da nova entidade (empresa), criada pelos scios (donos) da empresa,

Prof Ricardo luiz


CONTABILIZANDO AS OPERAES

DE UMA EMPRESA

Prof Ricardo luiz


CONTABILIZANDO A CRIAO DA EMPRESA

Prof Ricardo luiz


  • Inicialmente Fulano X e Fulano Y

  • Cia Uni Consertos de Calados

  • Capital de cada Scio para a empresa R$ 30.000,00 totalizando um total de R$ 60.000,00

Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


  • A partir deste momento, a nova empresa passa a ter autonomia para movimentar seus recursos, logicamente com a gerncia dos scios.

Prof Ricardo luiz


  • Cabe destacar que os recursos que esto disposio da nova empresa ficam desvinculados dos scios, pois a propriedade do dinheiro da empresa.

Prof Ricardo luiz


CONTABILIZANDO A AQUISIO DE IMVEL

Prof Ricardo luiz


  • resolve adquirir uma sala comercial para a instalao de sua loja com a finalidade de dar um bom atendimento a seus clientes.

Prof Ricardo luiz


  • A aquisio da sala foi com recursos prprios e se deu pelo valor de 23.000,00 pagos vista.

Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


  • Note que o valor total do ativo permanece o mesmo (60.000), pois esse o recurso que est disposio da empresa.

Prof Ricardo luiz


CONTABILIZANDO A AQUISIO DE MQUINAS

Prof Ricardo luiz


  • A empresa adquiriu algumas mquinas e equipamentos para serem utilizados nos trabalhos.

  • Essas mquinas custaram 32.000,00 e tambm foram pagas vista.

Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


  • Passamos a ter um novo bem nos investimento da Cia UNI. As mquinas (aplicaes de recursos) no valor de 32.000,00 e nosso caixa (origens dos recursos) em menos 32.000,00.

Prof Ricardo luiz


  • O patrimnio da Cia. UNI sofreu modificaes desde a sua constituio?

Prof Ricardo luiz


CONTABILIZANDO A AQUISIO

DE MVEIS E UTENSLIOS

Prof Ricardo luiz


  • Mveis e utenslios (mesas, cadeiras e escrivaninhas) para melhor desenvolver suas atividades. O valor da compra totalizou 7.000,00 e, na falta de recursos no caixa, efetuou a compra a prazo.

Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


  • Notamos que o ativo aumentou em 7.000,00. At ento os recursos usados pela empresa eram os 60.000,00 investidos pelos scios no incio das atividades.

Prof Ricardo luiz


  • O patrimnio da Cia. UNI sofreu alteraes desde a sua criao?

  • E o patrimnio lquido, sofreu alteraes?

Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


CONTABILIZANDO A VENDA DE UM BEM

Prof Ricardo luiz


  • a empresa vendeu sua sala comercial, mudando-se para uma sala alugada. A venda da sala de sua propriedade foi a prazo, pelo valor de 24.000,00. Note que a sala possua um valor registrado pela contabilidade no valor de 23.000,00.

Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


  • Esse aumento corresponde ao aumento na riqueza lquida da empresa.

Prof Ricardo luiz


  • Se a venda fosse feita por 21.000, teramos um prejuzo de 2.000,00. Esse prejuzo de 2.000,00 teria um afeito negativo no patrimnio lquido, provocando uma diminuio na riqueza lquida da empresa.

Prof Ricardo luiz


CONTABILIZANDO O

PAGAMENTO DE UMA DVIDA

Prof Ricardo luiz


  • a empresa efetuou o pagamento parcial da dvida que possua. O pagamento efetuado foi no valor de 3.000,00.

Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


  • Neste caso, vemos os recursos aplicados no caixa (3.000) serem disponibilizados para o pagamento das dvidas da empresa. Aqui, as origens de recursos so o caixa e as aplicaes so as duplicatas a pagar.

Prof Ricardo luiz


CONTABILIZANDO O

RECEBIMENTO DE UM DIREITO

Prof Ricardo luiz


  • a empresa recebeu o valor parcial de 10.000,00 relacionados venda da sala comercial.

Prof Ricardo luiz


  • Notamos, neste caso, a diminuio no valor de duplicatas a receber (origem) em 10.000,00 e a respectiva destinao dos valores para o caixa (aplicao).

Prof Ricardo luiz


CAPITAL

Prof Ricardo luiz


  • O capital, do ponto de vista econmico, todo bem econmico passvel de ser aplicado produo.

Prof Ricardo luiz


CAPITAL SOCIAL

Prof Ricardo luiz


  • Tambm chamado de capital nominal, o valor colocado disposio da empresa pelos proprietrios.

Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


CAPITAL PRPRIO

Prof Ricardo luiz


  • composto pelos elementos que fazem parte do patrimnio lquido e abrange o capital inicial (capital social) investido pelos proprietrios, bem como suas variaes, que so compostas pelos lucros, ou pelos prejuzos.

Prof Ricardo luiz


  • O capital prprio da empresa aumentou para 61.000,00 (Capital social + lucros).

Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


CAPITAL DE TERCEIROS

Prof Ricardo luiz


  • Corresponde a todas as dvidas ou obrigaes exigveis que a empresa possui e, portanto, possui tambm a obrigao de quit-las em um determinado momento, quando do seu vencimento.

Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


CAPITAL TOTAL A DISPOSIO DA EMPRESA

Prof Ricardo luiz


  • O Capital total disposio da empresa corresponde aos capitais prprios, mais os capitais de terceiros, os quais esto disposio (disponveis no ativo) ou investidos no ativo em forma de bens e direitos.

Prof Ricardo luiz


Prof Ricardo luiz


  • Login