Diagn stico diferencial entre transtorno mental e mediunidade
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 26

Diagnóstico Diferencial entre Transtorno Mental e Mediunidade PowerPoint PPT Presentation


  • 38 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Diagnóstico Diferencial entre Transtorno Mental e Mediunidade. Alexander Moreira-Almeida Faculdade de Medicina – Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF HOJE - Hospital João Evangelista. Introdução. “Patologização” da Espiritualidade e Dissociação Aumento recente dos estudos

Download Presentation

Diagnóstico Diferencial entre Transtorno Mental e Mediunidade

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Diagn stico diferencial entre transtorno mental e mediunidade

Diagnóstico Diferencial entre Transtorno Mental e Mediunidade

Alexander Moreira-Almeida

Faculdade de Medicina – Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF

HOJE - Hospital João Evangelista


Introdu o

Introdução

  • “Patologização” da Espiritualidade e Dissociação

  • Aumento recente dos estudos

    - Envolvimento religioso associado a saúde física e mental

    - Alta prevalência de alucinações e vivências extra-sensoriais na população geral

    Clinical Psychology Review 21: 1125-41, 2001

    J Nerv Ment Dis 180:357-61, 1992


Diagn stico diferencial

Diagnóstico Diferencial

  • 90% das sociedades têm formas institucionalizadas de EAC (Bourguignon, 1973)

  • Risco de confusão entre vivência espiritual e psicopatologia:

    • “Loucura Espírita” (Almeida, 2007)

    • Abandonar ou postergar tratamento


Diagn stico diferencial1

Diagnóstico Diferencial

  • Problemas Religiosos e Espirituais:

    DSM-IV(V62.89)

    - EQM, questionamento da fé, meditação, emergência espiritual, crise de iniciação xamânica, experiência mística...

  • Dificuldades do diag. diferencial e conduta

  • Estimular pesquisa e melhorar tratamento

J Nerv Ment Dis 180: 673-682, 1992


Mediunidade

Mediunidade

  • Médium: indivíduo considerado ser um canal de comunicação entre o mundo material e o espiritual

  • Mediunidade: comunicação de uma fonte que é considerada existir em uma dimensão espiritual ou não física


Mediunidade1

Mediunidade

  • Presente em 52% de 488 sociedades pelo mundo

  • Impacto mundo ocidental:

    • Moisés, São Paulo, dons do Espírito Santo, Maomé

    • Sócrates, oráculo Delfos

  • Espiritismo, Afro-brasileiras, pentecostais, carismáticos...


Mediunidade2

Mediunidade

Fonte de conflitos e perseguições

  • Europa: Henry Maudsley, Lévy-Valensi

  • EUA: Frederic Marvin, William Hammond

  • Brasil, Porto Rico

  • Úteis para compreender funcionamento da mente

    - William James, Pierre Janet, Frederick Myers, Charles Richet, Carl G. Jung…

  • Ausência de estudos controlados recentes

  • Diagnóstico diferencial (transes, alucinações...)


  • Crit rios propostos para diagn stico diferencial

    Critérios Propostos paraDiagnóstico Diferencial

    • ausência de sofrimento psicológico

    • ausência de prejuízos sociais e ocupacionais

    • duração curta da experiência

    • atitude crítica sobre a realidade objetiva da vivência

    • compatibilidade com o grupo cultural do paciente

    • ausência de comorbidades

    • controle sobre a experiência

    • crescimento pessoal ao longo do tempo

    • atitude de ajuda aos outros

      (Rev Psiq Clín. 36:75-82, 2009.)


    Fenomenologia das experi ncias medi nicas perfil e psicopatologia de m diuns esp ritas

    Fenomenologia das Experiências Mediúnicas, Perfil e Psicopatologia de Médiuns Espíritas

    Doutorando: Alexander Moreira de Almeida

    Orientador

    Prof. Dr. Francisco Lotufo Neto

    Dept. de Psiquiatria FMUSP


    2 objetivos

    2) OBJETIVOS

    • Explorar experiências dissociativas e psicóticas numa população não clínica

      • Definir o perfil sociodemográfico de médiuns

      • Investigar a saúde mental em médiuns

      • Características clínicas e sociodemográficas que ajudem no diagnóstico diferencial


    3 m todos

    3) MÉTODOS

    3.1) População

    • Seleção aleatória de 9 centros espíritas em São Paulo

    • Tipos de mediunidade: incorporação, psicofonia, audiência, vidência e psicografia

    • 115 Médiums


    3 m todos1

    3) MÉTODOS

    1ª etapa:

    • Questionário sociodemográfico e de atividade mediúnica

    • Self-Report Psychiatric Screening Questionnaire - SRQ

    • Escala de Adequação Social - EAS


    3 m todos2

    3) MÉTODOS

    2ª etapa: todos os SRQ+ (12) e 12 SRQ-

    • Dissociative Disorders Interview Schedule – DDIS

    • Schedules for Clinical Assessment in Neuropsychiatry – SCAN


    4 perfil sociodemogr fico

    4) Perfil Sociodemográfico

    n=115

    n=113


    4 escolaridade

    4) Escolaridade

    n=114


    Diagn stico diferencial entre transtorno mental e mediunidade

    4) Atividade Mediúnica

    n=114

    • Média 3,46 ± 1,7 tipos de mediunidade

    • Homem = Mulher


    Diagn stico diferencial entre transtorno mental e mediunidade

    4) Sintomas Psiquiátricos

    • 7,8% SRQ+ (10,4%)

      - 18 a 35% da popul. geral  SRQ+

      - viés de seleção, escolaridade, envolvimento religioso e dissociação ?

    • relação inversa com incorporação: r=-0,19 (p=0,04)


    Diagn stico diferencial entre transtorno mental e mediunidade

    4) Adequação Social

    • Escore médio EAS: 1,85 ± 0,33

      • Deprimidos: 2,55

      • Deprimidos tratados: 2

    • Correlação com atividade mediúnica

      • Incorporação: r=-0,28 (p= 0.026)

      • audiência: r=-0,21 (p=0,028)

      • psicografia: r=-0,18 (p=0,058).


    Diagn stico diferencial entre transtorno mental e mediunidade

    SPO

    N° médiuns (%)

    4) Sintomas Schneiderianos

    Inserção de pensamentos

    20 (87%)

    Inserção de sentimentos

    18 (78,3%)

    Influência externa afetando o corpo

    18 (78,3%)

    Ações controladas por força externa

    16 (69,6%)

    Vozes dialogando

    6 (26,1%)

    Vozes comentando ações

    6 (26,1%)

    Pensamentos que parecem ser de outra pessoa

    5 (21,7%)

    Ouvir pensamentos como se em voz alta

    3 (13%)

    Outras pessoas capazes de ouvir os pensamentos

    1 (4,3%)

    Pensamentos removidos da mente

    0

    Média 4 ± 2,35 SPO

    TID (6), esquizofrenia (4,4), exorcizados (5),

    4,5% popul. geral  4 SPO

    Sem correlação com SRQ, EAS ou abuso na infância


    Diagn stico diferencial entre transtorno mental e mediunidade

    4) Abuso Infantil

    • Abuso físico: 2 dos 24 (8,3%)

    • Abuso sexual: 5 dos 23 (21,7%)

      Abuso na infância:

      - TID: 60 a 90%

      - Popul. Geral: 5 a 40%


    4 sintomas secund rios de tid

    • Média de 2,2 ± 1,8(TID = 10,2)

    • Presentes em >25%:

      • Amnésia infância após 5 anos (7 em 24)

      • Mudança caligrafia (7 em 24)

      • Ouvir vozes (13 em 24)

    • Ausentes:

      - Pertences aparecendo ou desaparecendo

      - Não reconhece pessoas

      - Amnésias lacunares

      - Não se lembrar como chegou em dado lugar

    4) Sintomas Secundários de TID


    Diagn stico diferencial entre transtorno mental e mediunidade

    4) Sintomas Borderline

    • média de 1,2 ± 2 sintomas borderline

      - TID: 5,1

       TID e mediunidade parecem ser entidades distintas


    Diagn stico diferencial entre transtorno mental e mediunidade

    4) Comparação quanto ao diag. de esquizofrenia


    Diagn stico diferencial entre transtorno mental e mediunidade

    CONCLUSÕES

    1.) 76,5% mulheres

    2.) Idade média 48.7 ± 10.7

    3.) 46,5% escolaridade superior

    4) 2,7% desemprego

    5.) Baixa freqüência de sintomas psiquiátricos

    6.) Bons escores de adequação social

    7.) SPO foram muito freqüentes, principalmente as vivências de controle externo. Não se associaram a indicadores de patologia.


    Diagn stico diferencial entre transtorno mental e mediunidade

    CONCLUSÕES

    8.) As experiências mediúnicas foram associadas a bom controle de sua ocorrência e ausência de outros sinais de psicopatologia.

    9.) Diferiram dos portadores de TPM em quase todas as características.

    10.) O surgimento das vivências mediúnicas num ambiente social onde estas não são bem aceitas e a ocorrência apenas num contexto religioso não se mostraram bons critérios de separação entre o normal e patológico


    Diagn stico diferencial entre transtorno mental e mediunidade

    ☻Obrigado! ☻

    Referências:

    Moreira-Almeida, A.; Lotufo Neto, F; Greyson, B - Dissociative and Psychotic Experiences in Brazilian Spiritist Medium. Psychotherapy and Psychosomatics, 2007; 76: 57-8.

    Moreira-Almeida A, Neto FL, Cardeña E. Comparison of brazilian spiritist mediumship and dissociative identity disorder. J Nerv Ment Dis. 2008;196(5):420-4.

    Menezes Júnior A, Moreira-Almeida A. O diagnóstico diferencial entre experiências espirituais e transtornos mentais de conteúdo religioso. Rev Psiq Clín. 36(2):75-82, 2009.

    Moreira-Almeida A. Differentiating spiritual from psychotic experiences. (18 June 2009). E-letter to Br J Psych 2009; 194: 551

    www.hoje.org.br/bves


  • Login