Conselho nacional de justi a
Download
1 / 54

Tabelas processuais unificadas do poder judici rio Uniformiza o taxon mica - PowerPoint PPT Presentation


  • 99 Views
  • Uploaded on

Conselho Nacional de Justiça. Tabelas processuais unificadas do poder judiciário Uniformização taxonômica. 1. Introdução.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Tabelas processuais unificadas do poder judici rio Uniformiza o taxon mica' - tamitha


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Conselho nacional de justi a

Conselho Nacional de Justiça

Tabelas processuais unificadas do poder judiciárioUniformização taxonômica

1


Introdu o
Introdução

  • A Resolução nº 12/2006, do CNJ criou o Banco de Soluções do Poder Judiciário, com o objetivo de reunir e divulgar a todos os interessados, de forma mais completa e ampla possível, os sistemas de informação implantados ou em desenvolvimento que visam à melhoria da administração da Justiça ou da prestação jurisdicional.

  • Definiu padrões de interoperabilidade a serem utilizados no Poder Judiciário, entre eles a padronização das “tabelas básicas”

2


OPERACIONALIZAÇÃO

Celebração de Termos de Cooperação Técnica para o desenvolvimento de padronização e uniformização taxonômica e terminológica a ser empregada em sistemas processuais entre o CNJ e os seguintes órgãos da Justiça:

1. STJ;

2. CJF;

3. TST/CSJT;

4. Tribunais de Justiça de SP, MG, RS, ES eSE.

3


ÓRGÃO EXECUTOR

Comitê Técnico composto por representantes da área jurídica e da tecnologia e gestão da informação do Conselho Nacional de Justiça, da Justiça Estadual, Federal, do Trabalho e do STJ.

4


O PROJETO

  • Tabelas de classes, assuntos e movimentação;

  • Glossário;

  • Manual básico;

  • Padronização do cadastramento de partes;

  • Projetos Piloto (Ex.: Projudi);

  • Acompanhamento e suporte à implantação;

  • Sistema de gestão compartilhada.

5


FINALIDADE

Possibilitar a extração de dados estatísticos mais precisos e maximizar o uso da informação processual, essenciais à melhoria da prestação jurisdicional e ao planejamento estratégico do Poder Judiciário.

6


OBJETIVOS

  • Melhorar a gestão de pauta;

  • Incrementar o Processo Virtual;

  • Racionalizar o fluxo do processo (encadeamento dos atos processuais);

  • Melhorar o controle de prevenção e distribuição processual por competências em razão da matéria.

7


  • Publicou do conteúdo das tabelas;

  • Definiu os órgãos destinatários e o prazo de implantação;

  • Estipulou critérios de utilização e aperfeiçoamento;

  • Padronizou o cadastramento de partes;

  • Previu o acompanhamento da implantação.

RESOLUÇÃO Nº 46 DO CNJ

8


9





ÓRGÃOS DESTINATÁRIOS

Justiça Estadual;

Justiça Federal;

Justiça do Trabalho;

Superior Tribunal de Justiça.

13


PRAZO DE IMPLANTAÇÃO

30 de Setembro de 2008

14


CRITÉRIOS DE UTILIZAÇÃO

Tabelas de classes e assuntos:

Processos novos;

Processos recebidos em grau de recurso.

Tabela de movimentos:

Todos os andamentos lançados a partir da data da implantação (processos não-baixados);

15


Crit rios de aperfei oamento
CRITÉRIOS DE APERFEIÇOAMENTO

Tabela de classes:

  • NÃO pode ser alterada ou complementada sem anuência prévia e expressa do Comitê Gestor.

16


Crit rios de aperfei oamento1
CRITÉRIOS DE APERFEIÇOAMENTO

Tabela de assuntos:

  • Pode ser complementada pelos tribunais a partir do seu último nível (detalhamento);

  • Os assuntos incluídos devem ser encaminhados ao CNJ para análise da adequação e eventual aproveitamento na tabela nacional.

17


Crit rios de aperfei oamento2
CRITÉRIOS DE APERFEIÇOAMENTO

Tabela de movimentos:

  • Pode ser complementada pelos tribunais;

  • Movimentos devem refletir o andamento processual ocorrido (e não expectativa de movimento futuro);

  • Os movimentos incluídos devem ser encaminhados ao CNJ para análise da adequação e eventual aproveitamento na tabela nacional.

18


GESTÃO DAS TABELAS

  • Sistema eletrônico de gestão;

  • Comitê Gestor nacional;

  • Gestão compartilhada, observados os ramos da Justiça.

19


CADASTRAMENTO DE PARTES

  • Prioritariamente, pelo nome ou razão social do CPF/CNPJ (artigo 6º da Resolução nº 46 do CNJ);

    Artigo 15 da Lei 11.419/2006 - “Salvo impossibilidade que comprometa o acesso à justiça, a parte deverá informar, ao distribuir a petição inicial de qualquer ação judicial, o número no cadastro de pessoas físicas ou jurídicas, conforme o caso, perante a Secretaria da Receita Federal”.

20


A implanta o das tabelas no tjmg
A IMPLANTAÇÃO DAS TABELAS NO TJMG

  • SISCOM E SIAP

  • INEXISTÊNCIA DE TABELAS DE ASSUNTO

  • ADEQUAÇÃO DOS SISTEMAS

  • DIVULGAÇÃO E TREINAMENTO

21


A es para implanta o

Ações para implantação

22


De para

  • IDENTIFICAR QUAIS OS CÓDIGOS EXISTENTES NO SISCOM TÊM EQUIVALÊNCIA NA TABELA DO CNJ

  • IDENTIFICAR QUAIS AS CLASSES E MOVIMENTOS EXISTENTES NO CNJ NECESSITAM SER CRIADOS NO SISCOM

  • IDENTIFICAR QUAIS OS CÓDIGOS DO SISCOM DEVAM SER DESATIVADOS, POR NÃO ESTAREM PREVISTOS NAS TABELAS DO CNJ

  • IDENTIFICAR QUAIS ALTERAÇÕES SERÃO NECESSÁRIAS (PARÂMETROS) NOS CÓDIGOS DO SISCOM, SEGUNDO A DETERMINAÇÃO DO CNJ

“DE > PARA”

23


24 EQUIVALÊNCIA NA TABELA DO CNJ


25 EQUIVALÊNCIA NA TABELA DO CNJ


26 EQUIVALÊNCIA NA TABELA DO CNJ


27 EQUIVALÊNCIA NA TABELA DO CNJ


Desafios e dificuldades

Desafios e dificuldades

28


Aplica o pr tica de classes e assuntos

APLICAÇÃO PRÁTICA DE CLASSES E ASSUNTOS EQUIVALÊNCIA NA TABELA DO CNJ

TABELAS PROCESSUAIS

29


Tabelas processuais aplica o pr tica

  • CLASSE EQUIVALÊNCIA NA TABELA DO CNJX ASSUNTO

    • CLASSE = tipo de procedimento adotado pela parte na petição inicial.

    • ASSUNTO= matéria/tema/pedido(s) discutido(s) nos processos.

TABELAS PROCESSUAISAPLICAÇÃO PRÁTICA

30


Crit rios de utiliza o

  • CLASSE EQUIVALÊNCIA NA TABELA DO CNJX ASSUNTO

    • Processos novos.

    • Processos recebidos em grau de recurso.

CRITÉRIOS DE UTILIZAÇÃO

31


CLASSE (Regra geral): EQUIVALÊNCIA NA TABELA DO CNJ

exige autuação e cadastramento próprios.

ASSUNTO (Regra geral):

atribui-se 1 ou + assunto(s) da Tabela de Assuntos, ao processo, de acordo com o tema ou pedido(s) enfocados na petição inicial.

32


Tabela de classes processuais estrutura

  • Processo cível e do trabalho EQUIVALÊNCIA NA TABELA DO CNJ

  • Processo criminal

  • Juizados da infância e da juventude

  • Procedimentos Administrativos

  • Superior Tribunal de Justiça

TABELA DE CLASSES PROCESSUAISeSTRUTURA

33


Classes

  • PROCESSO CÍVEL E DO TRABALHO EQUIVALÊNCIA NA TABELA DO CNJ

    • Processo de Conhecimento

      • Procedimento de Conhecimento

        • Procedimentos Especiais de Jurisdição Contenciosa Consignação em Pagamento

CLASSES

34


Classes regras espec ficas

CLASSESRegras específicas

35


Classes regras espec ficas1

  • As classes embargos à execução, embargos à adjudicação, embargos à arrematação, incidente de falsidade, impugnação ao valor da causa e exceção de incompetência não são obrigatórias nos Juizados Especiais. Registrar como movimentos.

  • Embargos de declaração - classe facultativa: quem não usa registra como movimento.

CLASSESRegras específicas

36


Classes regras espec ficas2

  • Procedimentos de adoção (duas classes): adjudicação, embargos à arrematação, incidente de falsidade, impugnação ao valor da causa e exceção de incompetência não são obrigatórias nos Juizados Especiais. Registrar como movimentos.

    • Adoção: simples e de jurisdição voluntária

    • Adoção c/c destituição do poder familiar.

  • Execução Hipotecária do Sistema Financeiro Nacional: somente para cobrança de crédito hipotecário vinculado ao Sistema Financeiro da Habitação.

CLASSESRegras específicas

37


Classes regras espec ficas3

  • Classe não identificada na Tabela: adjudicação, embargos à arrematação, incidente de falsidade, impugnação ao valor da causa e exceção de incompetência não são obrigatórias nos Juizados Especiais. Registrar como movimentos.

    • após autorização, classificar provisoriamente como “Petição” e encaminhar ao Comitê Gestor.

CLASSESRegras específicas

38


Assuntos

  • DIREITO ADMINISTRATIVO E OUTRAS MATÉRIAS DE DIREITO PÚBLICO

  • DIREITO CIVIL

  • DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

  • DIREITO DO CONSUMIDOR

  • DIREITO INTERNACIONAL

  • DIREITO MARÍTIMO

  • DIREITO PENAL

  • DIREITO PREVIDENCIÁRIO

  • DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO

  • DIREITO PROCESSUAL PENAL

  • DIREITO DO TRABALHO

  • DIREITO TRIBUTÁRIO

  • REGISTROS PÚBLICOS

ASSUNTOS

39


Assuntos1

  • DIREITO PENAL PÚBLICO

    • Crimes contra a Família

      • Crimes Contra a Assistência Familiar

        • Abandono Intelectual

  • DIREITO CIVIL

    • Família

      • Alimentos

        • Revisão

ASSUNTOS

40


Assuntos tarefa espec fica

Registrar ou conferir o(s)assunto(s) de direito material no cadastramento da petição inicial, a partir da análise do pedido com as suas especificações, dos fatos e os fundamentos, identificando o(s) assunto(s) compatíveis na tabela.

ASSUNTOSTarefa Específica

41


Assuntos regras espec ficas

O(s) assuntos cadastrados permanecerão “imutáveis” até o fim do processo podendo ser alterados para correção de equívocos.

Faculdade aos tribunais: destacar somente os assuntos que são objeto do recurso.

ASSUNTOSRegras Específicas

42


Assuntos regras espec ficas1

  • Matérias de Direito Processual: até o fim do processo podendo ser alterados para correção de equívocos.

    • Regra geral: complementam os assuntos de direito material, quando da interposição de recursos dirigidos a tribunal.

    • No 1º grau, usa-se excepcionalmente, quando a natureza do feito tratar de matéria processual. Ex: embargos à arrematação.

ASSUNTOSRegras Específicas

43


Assuntos regras espec ficas2

  • Assuntos com termos ou expressões idênticas: verificar em que área do Direito há melhor adequação ao contexto do processo. Ex:

    • Indenização por Dano Ambiental – Responsabilidade da Administração – Direito Administrativo e outras matérias de Direito Público;

    • Dano Ambiental – Responsabilidade Civil – Direito Civil.

ASSUNTOSRegras Específicas

44


Assuntos regras espec ficas3

ASSUNTOSRegras Específicas

45


Assuntos regras espec ficas4

Incidentes: mesmo assunto do processo principal. onde houver especialização.

Execuções de títulos extrajudiciais: o assunto será o próprio título.

Execução de título judicial: o assunto será o mesmo do processo principal.

ASSUNTOSRegras Específicas

46


Assuntos regras espec ficas5

Ações que tenham relação de dependência: terão mesmo assunto do processo principal ou originário, sendo complementado com o assunto próprio.

HC e MS contra ato judicial: terão mesmo assunto do processo originário, sendo complementado com o assunto próprio.

ASSUNTOSRegras Específicas

47


Assuntos regras espec ficas6

Assunto principal no processo criminal: será o crime de maior pena.

Todos tipos penais constantes da denúncia devem ser classificados.

Crime na forma tentada ou culposa: deve ser usado como complemento ao tipo penal, quando for o caso.

ASSUNTOSRegras Específicas

48


Assuntos regras espec ficas7

  • Processos Previdenciários: maior pena.

    • identificar o tipo de Benefício Previdenciário e complementá-lo juntamente com os assuntos correspondentes às teses e pedidos específicos.

ASSUNTOSRegras Específicas

49


Assuntos regras espec ficas8

  • Processos Tributários: maior pena.

    • Regra Geral: Associar o tipo tributário aos assuntos das subcategorias “limitações ao poder de tributar”, “obrigação tributária” e “crédito tributário”

    • Execução fiscal de tributos: usar o assunto dívida ativa tributária + o(s) tipo(s) tributário(os).

ASSUNTOSRegras Específicas

50


Assuntos regras espec ficas9

A classificação deve se dar nos níveis mais detalhados da tabela, em regra 3º, 4º, e 5º níveis.

Confirmada a ausência de assunto na tabela, o responsável deve autorizar a classificação provisória em nível mais genérico e encaminhar sugestão de aperfeiçoamento ao órgão gestor.

ASSUNTOSRegras Específicas

51


Assuntos2

  • Como identificar o assunto? tabela, em regra 3º, 4º, e 5º níveis.

    • DO QUE trata este processo? Qual a relação jurídica entre as partes? A resposta, geralmente, encontra-se no início da petição, nos fatos, após a identificação das partes.

    • O QUE SE QUER com este processo? QUAL O PEDIDO? Normalmente a resposta está localizada na parte reservada ao pedido. Em petições bem formuladas, em regra, a resposta está ao final da petição.

ASSUNTOS

52


C onte do das tabelas http www cnj jus br
C tabela, em regra 3º, 4º, e 5º níveis.onteúdo das tabelashttp://www.cnj.jus.br


CONTATOS: tabela, em regra 3º, 4º, e 5º níveis.

[email protected]

[email protected] – (31) 3339-7763

[email protected] - (31) 3339-7729


ad