Assistência ao RN na sala de parto
Download
1 / 79

Alimenta - PowerPoint PPT Presentation


  • 103 Views
  • Uploaded on

Assistência ao RN na sala de parto Jefferson G. Resende Unidade de Neonatologia do Hospital Regional da Asa Sul www.paulomargotto.com.br. 16/4/2008. O que diz o ILCOR?. “90% dos RN não requerem qualquer tipo de assistência para iniciar a respiração ao nascer”.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Alimenta' - taite


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Assistência ao RN na sala de partoJefferson G. ResendeUnidade de Neonatologia do Hospital Regional da Asa Sulwww.paulomargotto.com.br

16/4/2008


O que diz o ilcor
O que diz o ILCOR?

  • “90% dos RN não requerem qualquer tipo de assistência para iniciar a respiração ao nascer”.

  • “RN que nasce de termo, tem liquido amniótico claro, e está respirando ou chorando e tem bom tônus deve ser secado e mantido aquecido e não requer ressuscitação”.

  • “10% requerem algum tipo de assistência para iniciar a respiração e 1% dos recém-nascidos necessitarão manobras de ressuscitação intensa”.

    Pediatrics, maio 2006


Assist ncia ao beb rec m nascido mapa did tico
Assistência ao bebê recém-nascido Mapa didático

  • Como a sociedade se organiza para enfrentar o problema

  • O passo-a-passo da assistência

  • As mudanças atuais

  • Propostas para o futuro

  • Debates


Assist ncia ao rn na sala de parto
Assistência ao RN na sala de parto

  • ILCOR

  • Cursos de reanimação neonatal

  • Revalidação

  • Controle


Assist ncia ao rn na sala de parto o beb normal
Assistência ao RN na sala de parto – o bebê normal

  • Manter com a mãe

  • Permitir a adaptação mãe/filho – observe e aprenda....

  • Conservar aquecimento

  • Pedir o bebê para cuidar, se necessário

  • Retornar

  • Encaminhar ao ALCON


Assist ncia ao rn na sala de parto o beb normal1
Assistência ao RN na sala de parto – o bebê normal

  • Unidade de calor irradiante

  • Campos aquecidos

  • Fonte de vácuo, O2 e Ar

  • Profissional de saúde treinado



Entendendo as repercuss es c rdio respirat rias da asfixia no feto e no rec m nascido
Entendendo as repercussões cárdio-respiratórias da asfixia no feto e no recém-nascido.....


1º minuto asfixia no feto e no recém-nascido.....

feto


O rn levemente asfixiado
...o RN levemente asfixia no feto e no recém-nascido.....asfixiado....


Por m o rn gravemente asfixiado
....porém, o RN gravemente asfixiado.... asfixia no feto e no recém-nascido.....


Vai requerer assist ncia altamente especializada
...vai requerer assistência asfixia no feto e no recém-nascido.....altamente especializada...


Para melhorar a asfixia neonatal
Para melhorar a asfixia neonatal asfixia no feto e no recém-nascido.....

  • Promover troca gasosa efetiva:

    - adequada ventilação

    - adequada circulação


  • Campos aquecidos asfixia no feto e no recém-nascido.....

  • Fonte de vácuo, O2 e Ar

  • Termo-umidificador

  • Laringoscópio com lâminas número zero-zero, zero e 1

  • Unidade de calor irradiante

  • TOT 2.0, 2.5, 3.0, 3.5 e 4.0

  • Esparadrapo/micropore; bigode preparado

  • Sondas de aspiração traqueal

  • Peça de aspiração de mecônio



Assist ncia ao rn doente na sala de parto
Assistência ao RN doente, na sala de parto gás-inflável (ILCOR)

  • Aquecimento

  • Via aérea pérvia

  • Ventilação pulmonar efetiva

    máscara facial, TOT

  • Massagem cardíaca externa 3:1

  • Adrenalina 1:10.000

  • Expansão com SF

  • Bicarbonato

  • Naloxone

  • Transporte cuidadoso à UTI neonatal


Assist ncia ao rn na sala de parto1
Assistência ao RN na sala de parto gás-inflável (ILCOR)

  • Aquecimento

  • Via aérea pérvia

  • Ventilação pulmonar efetiva

    máscara facial, TOT

  • Massagem cardíaca externa 3:1

  • Adrenalina 1:10.000

  • Expansão com SF

  • Bicarbonato com acidose metabólica

  • Naloxone

  • Transporte cuidadoso à UTI neonatal


Aquecimento
...aquecimento.... gás-inflável (ILCOR)

  • Evitar hipotermia

  • Evitar hipertermia

  • ....e a hipotermia pós ressuscitação?


Assist ncia ao rn na sala de parto2
Assistência ao RN na sala de parto gás-inflável (ILCOR)

  • Aquecimento

  • Via aérea pérvia

  • Ventilação pulmonar efetiva

    máscara facial, TOT

  • Massagem cardíaca externa 3:1

  • Adrenalina 1:10.000

  • Expansão com SF

  • Bicarbonato com acidose metabólica

  • Naloxone

  • Transporte cuidadoso à UTI neonatal


Assist ncia ao rn na sala de parto3
Assistência ao RN na sala de parto gás-inflável (ILCOR)

  • Aquecimento

  • Via aérea pérvia

  • Ventilação pulmonar efetiva

    máscara facial, TOT

  • Massagem cardíaca externa 3:1

  • Adrenalina 1:10.000

  • Expansão com SF

  • Bicarbonato com acidose metabólica

  • Naloxone

  • Transporte cuidadoso à UTI neonatal


Assist ncia ao rn na sala de parto4
Assistência ao RN na sala de parto gás-inflável (ILCOR)

  • Aquecimento

  • Via aérea pérvia

  • Ventilação pulmonar efetiva

    máscara facial, TOT – PIP 30 cmH2O

  • Massagem cardíaca externa 3:1

  • Adrenalina 1:10.000

  • Expansão com SF

  • Bicarbonato com acidose metabólica

  • Naloxone

  • Transporte cuidadoso à UTI neonatal


Assist ncia ao rn na sala de parto5
Assistência ao RN na sala de parto gás-inflável (ILCOR)


Assist ncia ao rn na sala de parto6
Assistência ao RN na sala de parto gás-inflável (ILCOR)


Assist ncia ao rn na sala de parto7
Assistência ao RN na sala de parto gás-inflável (ILCOR)


Assist ncia ao rn na sala de parto8
Assistência ao RN na sala de parto gás-inflável (ILCOR)


Assist ncia ao rn na sala de parto9
Assistência ao RN na sala de parto gás-inflável (ILCOR)


Assist ncia ao rn na sala de parto10
Assistência ao RN na sala de parto gás-inflável (ILCOR)


FR = entre 30 e 60 cpm gás-inflável (ILCOR)


Ventilação em carneiros prematuros - Resultados - PIP gás-inflável (ILCOR)

  • Mediana do PIP: 39,8 cmH2O

  • (6,1-72,8);

  • PIP < 20 ocorreu em 1,12% das vezes;

  • PIP > 40 ocorreu em 49,15% das vezes.

Resende JG et al. Evaluation of peak inspiratory pressure, tidal volume and respiratory rate during ventilation of premature lambs using a self-inflating bag. J Pediatr (Rio J). 2006;82(4):279-83.


“Pico máximo de pressão obtido com balão auto-inflável com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG


Ventila o pulmonar mec nica manual
Ventilação pulmonar mecânica manual com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG

PIP

FAG

PEEP

ANVISA 10274610005


CFR com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JGResende, JG. J.Pediat(Rio)1994;70(6)354-8.


Neopuff: presente em 48% dos centros de reanimação com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG

neonatal na Austrália e Nova Zelândia e 30% em nível

mundial

O’Donnell et al. J.Paediatr.Child Health (2004)40,208-212.

O’Donnel et al. Acta Paediatr 2004; 93:583-88.


Tom Thumb: 98% no Reino Unido com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG


Dr. Jefferson G.Resende com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG


Ventilação gentil na SP com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG

  • CFR, Neopuff,Tom Thumb

  • PIP 25 a 30 cmH2O (?)

  • PEEP 5 cmH2O

  • FR>40

  • Sob máscara ou intubado

  • Profissional qualificado


Assist ncia ao rn na sala de parto11
Assistência ao RN na sala de parto com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG


Assist ncia ao rn na sala de parto12
Assistência ao RN na sala de parto com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG

  • Aquecimento

  • Via aérea pérvia

  • Ventilação pulmonar efetiva

    máscara facial, TOT

  • Massagem cardíaca externa 3:1

  • Adrenalina 1:10.000

  • Expansão com SF

  • Bicarbonato com acidose metabólica

  • Naloxone

  • Transporte cuidadoso à UTI neonatal


  • Adrenalina – 1 ml=1mg com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG

  • Diluindo 1 ml de Adrenalina + 9 ml de AD, teremos que 1 ml=0,1mg, logo, 0,1ml = 0,01mg

  • Dose – 0,01 a 0,03 mg/kg (0.1 a 0.3 ml/kg) a cada 3 a 5 minutos, EV

  • A dose ET será 3X maior, até 0,1 mg/kg

  • Soro Fisiológico

  • Bicarbonato de Sódio – não tem papel na reanimação


  • Adrenalina – 1 ml=1mg com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG

  • Diluindo 1 ml de Adrenalina + 9 ml de AD, teremos que 1 ml=0,1mg, logo, 0,1ml = 0,01mg

  • Dose – 0,01 a 0,03 mg/kg (0.1 a 0.3 ml/kg) a cada 3 a 5 minutos, EV

  • A dose ET será 3X maior, até 0,1 mg/kg

  • Soro Fisiológico

  • Bicarbonato de Sódio – não tem papel na reanimação


Assist ncia ao rn na sala de parto13
Assistência ao RN na sala de parto com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG

  • Aquecimento

  • Via aérea pérvia

  • Ventilação pulmonar efetiva

    máscara facial, TOT

  • Massagem cardíaca externa 3:1

  • Adrenalina 1:10.000

  • Expansão com SF

  • Bicarbonato com acidose metabólica

  • Naloxone – não tem papel na reanimação

  • Transporte cuidadoso à UTI neonatal


Assist ncia ao rn na sala de parto14
Assistência ao RN na sala de parto com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG

  • RN tinto de mecônio fluido

  • RN tinto de mecônio espesso

  • RN tinto de sangue


Assist ncia ao rn na sala de parto15
Assistência ao RN na sala de parto com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG

  • Situações especiais:

    - Hérnia diafragmática

    - não ventilar sob máscara

    - intubação endotraqueal imediata, se nnnnnecessitar reanimação.

    - descompressão gástrica


Assist ncia ao rn na sala de parto16
Assistência ao RN na sala de parto com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG

  • Imperfuração de coanas

  • Laringomalácia

  • Estenose de laringe

  • Atresia de esôfago

  • Onfalocele e gastrosquise

  • Meningocele e meningomielocele


Assist ncia ao rn na sala de parto17
Assistência ao RN na sala de parto com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG

  • Questões éticas:

  • 10 a 15 minutos se a FC não se sustenta;

  • Prematuridade extrema;

  • Anencefalia;

  • Algumas síndromes genéticas.


Assist ncia ao rn na sala de parto18
Assistência ao RN na sala de parto com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG

  • Prematuridade: uso de PEEP; ventilação gentil.


Assist ncia ao rn na sala de parto19
Assistência ao RN na sala de parto com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG

  • Pneumotórax

  • Pneumomediastino

  • pneumopericárdio


Assist ncia ao rn na sala de parto20
Assistência ao RN com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG na sala de parto

  • Aquecimento

  • Via aérea pérvia

  • Ventilação pulmonar efetiva

    máscara facial, TOT

  • Massagem cardíaca externa 3:1

  • Adrenalina 1:10.000

  • Expansão com SF

  • Bicarbonato com acidose metabólica

  • Naloxone – não tem papel na reanimação

  • Transporte cuidadoso à UTI neonatal


Assist ncia ao rn na sala de parto perspectivas
Assistência ao RN na sala de parto: perspectivas com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG

  • Utilização de FiO2 a 21%;

  • Recomendação do uso da PEEP e PIP controlada;

  • Surfactante na sala de parto;

  • Ventilação e massagem cardíaca concomitante;

  • Resfriamento do pólo cefálico.


NOTA: Dr. Paulo R. Margotto com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de 2006. Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG

Consultem os seguintes artigos:

Novas normas de reanimação neonatalAutor(es): Ruth Guinsburg (SP), Fernanda Branco de Almeida (SP),Realizado por Paulo R. Margotto


Monografia apresentada como Trabalho de Conclusão do Programa de Residência Médica em Neonatologia do Hospital Regional da Asa Sul / Secretaria de Saúde do Distrito Federal: Pico de pressão obtido com balão auto-inflável com e sem válvula de alívio Autor(es): Ana Marily Soriano Ricardo Neto



Reanimação dos recém-nascidos com 21% ou 100% de oxigênio: follow-up de 18-24 mesesAutor(es): Saugstad OD, et al. Apresentação:Marcelle Amorim, Jefferson G. Resende


Enfoque atual do nascimento complicado por liquido amniótico meconialAutor(es): Nestor Vain (Argentina). Realizado por Carlos Alberto Zaconeta e Paulo R. Margotto


Reanima o neonatal 2007 autor es adriana kawaguchi fernandes ara jo

Reanimação Neonatal/2007 amniótico meconialAutor(es): Adriana Kawaguchi Fernandes Araújo


ad