Conhecer os Projetos Pedagógicos das creches municipais e particulares em Tubarão (SC).
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 1

INTRODUÇÃO PowerPoint PPT Presentation


  • 63 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Conhecer os Projetos Pedagógicos das creches municipais e particulares em Tubarão (SC). (Ciências Humanas/Psicologia e Pedagogia). PEDROSO, Lenemar Nascimento (PUIC); GONÇALVES, Denise Eugênia Zumblick (Orientadora). Curso: Psicologia. Campus: Tubarão. RESULTADOS

Download Presentation

INTRODUÇÃO

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Introdu o

Conhecer os Projetos Pedagógicos das creches municipais e particulares em Tubarão (SC). (Ciências Humanas/Psicologia e Pedagogia).

PEDROSO, Lenemar Nascimento (PUIC); GONÇALVES, Denise Eugênia Zumblick (Orientadora). Curso: Psicologia. Campus: Tubarão.

  • RESULTADOS

  • 58,62% creches utilizam o critério de matrícula ‘mães que trabalham fora com’; 44,83% são as crianças carentes e família de grupo de risco ; 10,35% foram utilizados outros critérios, como determinação da Secretaria Municipal de Educação (SME), particular, livre, crianças da comunidade; 10,35% ter entre 02 e 05 anos de idade; e 10,35% dos pesquisados que não responderam;

  • algumas instituições oferecem duas opções de horário de funcionamento para atenderem às crianças, o integral e o parcial;

  • 41,38% empregam como objetivo e prioridade das creches as categorias do ‘desenvolvimento integral do aluno’ e ‘educar através do conhecer’ com a mesma freqüência cada uma; 6,90% ‘atender a comunidade’; e 10,35% das creches entrevistadas não responderam a essa questão;

  • 75,86% da prioridade das creches em suas metas são as ‘construções, ampliações e reformas’; 24,13% é o ‘ensino com qualidade’; 20,69% não responderam; 3,45% estima por uma ‘formação continuada’; e 6,90% salienta a importância da aquisição de material didático pedagógico. Conclui-se uma dificuldade em diferenciar as metas dos objetivos, pois ensino com qualidade é um objetivo e não uma meta.

  • 17,24% dos professores têm magistério ou nível médio, 55,17% são da categoria do nível superior, e também com 55,17% possuem alguns profissionais com pós-graduação;

  • 62,07% não possuem APP , as que têm correspondem à 34,48%, e não responderam tiveram 3,45% do total;

  • 51,72% das instituições têm crianças que portadoras de necessidades especiais e 48,28% não possuem;

  • 55,17% das instituições não possuem acessibilidade para as crianças portadores de necessidades especiais, apenas 31,03% têm, 10,35% preferiram não responder e 3,45% ressalta que a acessibilidade é limitada;

  • 58,62% das instituições responderam que não possuem infra-estrutura para prática de esporte, 31,03% possuem, 6,90 ressaltaram que depende da prática, e 3,45% não responderam;

  • 44,83% responderam que não possuem infra-estrutura para as práticas culturais; 37,93% afirmam que têm, 10,35% salientaram outros motivos, como: temos pouco espaço, ‘estamos em reforma ‘e ‘adaptamos conforme a necessidade do evento’; e 6,90% não responderam;

  • 31,03% se absteve de responder qual é a forma de avaliação do trabalho realizado, 24,14% afirmam fazerem observações, registros e relatórios, 17,24% responderam que fazem semestralmente uma avaliação por escrito e entregue aos pais; 13,79% ressaltam que são feitos mensalmente, junto com o planejamento escolar; 10,35% realizam avaliação descritiva do desenvolvimento da criança no seu dia-a-dia, 6,90% ficaram com as categorias ‘reuniões pedagógicas’, ‘avaliação institucional’ e ‘auto-avaliação’;

  • 41,38% afirmam que possuem acervo bibliográfico, mas são pouco; 31,03% não têm, e 27,59% apresentam.

  • CONCLUSÕES

  • Através do levantamento de dados, localizou-se 33 creches públicas e particulares, na cidade de Tubarão (SC), sendo provável ter ainda mais, e possivelmente, sem ter seus dados registrados nos órgãos responsáveis.

  • No aspecto positivo, alguns pontos foram identificados como: a participação dos professores na elaboração dos Projetos Políticos Pedagógicos das creches que trabalham (96,55%); o fornecimento de merenda escolar durante a permanência da criança na creche (96,55%); as instituições têm planejamento de ensino (96,55%); a diversidade de atividades culturais propostas; a valorização dos professores é feita por meio de incentivos e cursos de aperfeiçoamento; entre outros.

  • Alguns problemas foram solucionados nas últimas três décadas, mas outros, teimosamente continuam a ser alvo de preocupações e alguns novos surgiram nesse cenário. Um fato que chamou a atenção, foi em relação há inexistência de creches em 17 bairros da cidade, pois surgiu o questionamento: “onde se dá a formação pessoal e social dessas crianças?” Por outro lado, existe uma concentração de creches particulares nos bairros Centro e Vila Moema. Talvez, se justifique pelo poder aquisitivo dos moradores dessa região ser relativamente maior que em outros bairros da cidade.

  • Quando se perguntou sobre metas e objetivos, foi visível a falta de conhecimento para diferenciar esses dois assuntos, ficando os mesmo um tanto quanto confusos. A questão que fala sobre quantos professores há para cada grupo crianças, foi desconsiderada porque não se obteve uma resposta clara e objetiva.

  • Num contexto geral, observou-se que as diretoras das creches têm uma sobrecarga de trabalho e exercem várias funções além da sua, pois era muito difícil conseguir 15 minutos para o preenchimento do questionário. Mas, é importante dizer que todas, com exceção de duas ou três, fizeram um esforço enorme para colaborar com essa pesquisa. Sugere-se aqui, que cada diretora tenha pelo menos uma secretária de confiança, onde possa estar delegando tarefas e focando assim, sua atenção cada vez mais para o desenvolvimento integral da criança.

  • Com este trabalho esperava-se compreender como desenvolver uma pesquisa com caráter preventivo, que beneficie a socialização, a oportunidade de criação e reflexão critica, atendendo as diretrizes pedagógicas, bases da educação, proporcionando um exercício pleno de cidadania e o enriquecimento sociocultural e favorecendo assim uma melhor qualidade de vida.

  • BIBLIOGRAFIA

  • OLIVEIRA, Vitor Marinho. Educação Física Humanista. Rio de Janeiro: Ao livro técnico, 1986.

  • SILVA, E.B.A Educação básica pós-LDB. ed. 2. Pioneira: São Paulo, 1999

  • SOUZA, P.N., SILVA, E.B.Como entender e aplicar: A NOVA LDB (LEI Nº 9394/96). ed. 2. Pioneira: São Paulo, 1997.

  • Apoio Financeiro: UNISUL

INTRODUÇÃO

O trabalho educativo-pedagógico é desenvolvido desde o berçário através da estimulação, estendendo-se às outras faixas etárias, havendo integração entre todas as idades, em atividades lúdicas e educativas buscando a autonomia, socialização, consciência crítica e ampliação do universo cultural da criança.

Antes a creche era um espaço apenas para cuidados e guarda da criança. Hoje cuidar tem duplo sentido: refere-se tanto ao sentido de tomar conta, como o de observar, pensar refletir, planejar. Portanto, entende-se que atualmente a creche é um espaço educativo onde a criança pode vivenciar experiências significativas que contribuam para sua aprendizagem e desenvolvimento. É uma instituição educacional, mas não substitui a família, onde seu maior cuidado é assegurar as melhores condições para que as crianças entrem em contato com as pessoas e coisas do mundo ampliando seu universo cultural.

Sendo assim, esta pesquisa teve como foco descrever as características da instituição de modo sucinto, seu histórico, origem e valores da clientela atendida, objetivo geral, as expectativas educacionais para determinado período.

OBJETIVOS

GERAL

* Conhecer e analisar modelos de projetos pedagógicos que estão sendo utilizados nas creches municipais e particulares, e identificar quais fatores ou situações em que se diferenciam, e tendo como base para esta verificação, o modelo LDB 9394/96 (Lei de diretrizes e bases da educação brasileira).

ESPECÍFICOS

a) Conhecer o que rege a Lei de diretrizes e bases da educação brasileira, LDB 9394/93, onde as creches têm como base esta legislação;

b) Levantar dados dos projetos pedagógicos das creches municipais e particulares de Tubarão (SC), sendo que no mínimo serão coletados dados de 2 creches municipais e 2 creches particulares por bairro;

c) Comparar levantamentos entre creches municipais e particulares de Tubarão (SC) e tendo como base para esta verificação, o modelo LDB 9394/96 (Lei de diretrizes e bases da educação brasileira).

METODOLOGIA

Para ter base de análise foi estudado a Lei de Diretrizes e Bases (LDB 9394/96). O objeto investigado foram as creches municipais e particulares já existentes em Tubarão (SC), sendo que a proposta inicial era coletar dados de no mínimo 02 (duas) creches por bairros, mas pela ausência de creches, municipais e particulares, em muitos bairros e pela falta de interesse ou acúmulo de trabalho de algumas diretorias, foram coletados dados de 29 creches.

A pesquisa foi realizada através de questionários aplicados às diretoras das creches e dos seus projetos pedagógicos e de maneira minuciosa foi feita esta análise. Após esta análise foram levantados dados e realizadas as comparações entre as creches municipais e particulares em funcionamento na cidade de Tubarão (SC).

Tabela 1 - Amostra descritiva das creches pesquisadas


  • Login