Mecanismos
Download
1 / 21

Mecanismos gen ticos de determina o do sexo em insetos - PowerPoint PPT Presentation


  • 107 Views
  • Uploaded on

Mecanismos genéticos de d eterminação do sexo em insetos. Alexandre dos Santos Cristino [email protected] Instituto de Matemática e Estatística -USP Programa de Pós-graduação em Bioinformática http://www.ime.usp.br/ ~alexsc. São Carlos 2003. Reprodução Biológica.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Mecanismos gen ticos de determina o do sexo em insetos' - stan


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

Mecanismos genéticos de determinação do sexo

em insetos

Alexandre dos Santos Cristino

[email protected]

Instituto de Matemática e Estatística -USP

Programa de Pós-graduação em Bioinformática

http://www.ime.usp.br/~alexsc

São Carlos

2003


Reprodução Biológica

Assexuada - não há reorganização de genes;

Sexuada - há reorganização de genes de dois indivíduos;

Chlamydomonas


O custo da reprodução sexuada é mais alto que na reprodução assexuada (redução de 50% fitness).


Porque a reprodução sexuada é tão comum? reprodução assexuada (redução de 50% fitness).

- permite maior taxa de evolução, sob certas condições.


Os reprodução assexuada (redução de 50% fitness).Mecanismos de Determinação do Sexo (MDS) podem ser divididos em duas categorias:

- determinação do sexo via ambiente (ESD);

- determinação do sexo via genética (GSD);

Uma complexa via de regulação gênica parece ocorrer em organismos sexuados. O MDS melhor estudado é o de Drosophila.

A determinação do sexo em Drosophila melanogaster e Caenorhabditis elegans possuem diferenças regulatórias


No entanto, mantém duas caracteríticas organizacionais em comum:

- sinal primário é a razão X:A;

- uma particular razão X:A dispara uma de duas possibilidades com resultados alternativos.


Como tal via regulatória poderia ter evoluído? comum:

- seleção sucessiva dos passos da via, onde cada passo deve ter apresentado valor seletivo positivo em algum momento.

Esta hipótese é sustentada mediante duas suposições:

- que já exista um maquinário genético capaz de fazer machos e fêmeas;

- que ocorra uma variação ótima da razão sexual.

A evolução dos passos na via de determinação do sexo parece ocorrer da base para o topo.


Aspectos genético-moleculares da determinação do sexo comum:

O MDS é regulado por um importante sistema de processamento genético pós-transcricional, conhecido como splicing alternativo.

O que é splicing?

- remoção de sequências não codificadoras de proteínas (introns), produzindo um RNA que é traduzido em uma proteína funcional.


O comum:splicing alternativo ocorre em uma grande variedade de processos celulares:

- sistema imunológico;

- determinação do sexo;

- expressão gênica diferencial em diferentes tecidos;

O splicing alternativo pode ser dividido em três grupos:

- o final 5´ do trancrito processado é diferente;

- o final 3´ do trancrito processado é diferente;

- ambos final 5´ e 3´ do transcrito são idênticos.


A presença de fatores de comum:splicing (snRNA, proteínas, microRNA) são necessários para que determinados padrões de splicing ocorram.

Estes fatores podem promover ou inibir o splicing do RNA.


Splicing comum: alternativo na determinação do sexo em Drosophila.


Algumas características do MDS são preservadas ao longo da evolução dos metazoários:

- o doublesex (dsx) é o principal gene do MDS, codificando proteínas que possuem motivos de ligação de DNA (DM domain);

- o dsx está na base da via regulatória de determinação do sexo e conserva sua estrutura e função em muitas espécies de grupos taxonômicos distantes (Drosophila, Caenorhabditis, Megaselia, Bombyx).


O MDS em Himenópteros evolução dos metazoários:

Os insetos da Ordem Himenóptera se reproduzem por Partenogenese (Arrenotoquia), isto é, os machos são produzidos por ovos não fertilizados, enquanto as fêmeas, se desenvolvem de ovos fertilizados.

Os quatro modelos genéticos propostos são:

- um loco multialélico;

- multiloco multialélico;

- balanço gênico;

- imprinting genômico.


Um loco multialélico evolução dos metazoários:

Multiloco multialélico

A1A2 B1B2

A1A1 B1B2

A1

A1 A2

A1 A1

A1 B1

A1A1 B1B1

Macho

Fêmea

Macho

Macho

Fêmea

Macho

Balanço gênico

Imprinting genômico

Macho (n)

m=M; f=F

M>F

Fêmea (2n)

m´m=M; f´f=2F

2F>M


Heteropolímeros evolução dos metazoários:

Fêmea

Hipótese para o sistema um loco multialélico

Alguns Himenópteros utilizam um mecanismo de complementação intragênica para determinar o sexo (CSD).

Porque estudar MDS em Himenópteros?

- entender como sistemas de cascata ou regulação gênica podem evoluir;

- a determinação do sexo constitui a base de todo o desenvolvimento biológico dos organismos sexuados;

- lançar novas idéias sobre a evolução da socialidade, endocruzamento e haplodiploidia em Himenópteros.


  • Estado da arte dos modelos genético moleculares de MDS em evolução dos metazoários:Apis mellifera (Himenóptera)

  • - O loco sexual foi mapeado em Apis mellifera;

  • O gene csd codifica uma proteína da família das ligadoras de RNA e apresenta homologia com o gene tra de Drosophila.

  • Quantidade de trabalhos com MDS:

  • - Drosophila (590);

  • - Caenorhabditis (259);

  • - Apis (14);

  • - Megaselia (10);

  • - Bombyx (9).


Perspectivas da bioinformática na modelagem do MDS em evolução dos metazoários:Apis mellifera (Himenóptera).

Os sistemas biológicos podem ser considerados sistemas dinâmicos complexos e será necessário estudá-los de forma integrada e dinâmica (i.e., redes gênicas complexas, equações diferenciais).

Já possuímos grande quantidade de informações biológicas e ferramentas computacionais úteis e disponíveis na internet para gerar conhecimento a partir de dados biológicos primários.


+ evolução dos metazoários:

Expressão constitutiva de genes X e autossômicos

Produto gênico maternal (ovo)

Sinais primários poligênicos

=

Estudos recentes com equações diferenciais ordinárias e MDS de Drosophila.

O MDS apresenta um interessante paradigma para o sistema genético regulatório que toma decisões com base nas diferenças quantitativas na concentração de moléculas sinalizadoras.


A1 evolução dos metazoários:

A1A2

A1A1

Sinais primários

(polímeros)

DSXM

DSXF

DSXM

Macho

Macho

~

Fêmea

LOCO SEXUAL = TRANSFORMER

Hipótese de MDS em Apis mellifera

Apis mellifera

MDS um loco multialélico

Drosophila melanogaster


evolução dos metazoários:Nos organismos com mecanismo GSD, o destino do desenvolvimento biológico deve estar relacionado a determinadas concentrações de sinais primários (i.e., fatores de transcrição) presentes no zigoto ou ovo, determinando o desenvolvimento biológico característico de cada sexo.”


Projeto de Doutorado em Bioinformática: evolução dos metazoários:

“Modelagem de dois hormônios morfogenéticos e da expressão de dois genes sexo específicos no desenvolvimento sexual de Apis mellifera usando equações diferenciais ordinárias.”

Alexandre dos Santos Cristino (IME-USP)

Profa. Dra. Zilá Luz Paulino Simões (FFCLRP-USP)

Prof. Dr. Luciano da Fontoura Costa (IFSC-USP)


ad