portf lio de matem tica
Download
Skip this Video
Download Presentation
PORTFÓLIO DE MATEMÁTICA

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 33

PORTFÓLIO DE MATEMÁTICA - PowerPoint PPT Presentation


  • 85 Views
  • Uploaded on

PORTFÓLIO DE MATEMÁTICA. SÚMARIO. INTRODUÇÃO 1º TRIMESTRE 2º TRIMESTRE 3º TRIMESTRE AUTO-AVALIAÇÃO. INTRODUÇÃO. <- Voltar. Avançar ->. Neste último trimestre mostrarei não só o conteúdo do 3º trimestre, mas de todo o ano.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' PORTFÓLIO DE MATEMÁTICA' - sileas


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
s mario
SÚMARIO
  • INTRODUÇÃO
  • 1º TRIMESTRE
  • 2º TRIMESTRE
  • 3º TRIMESTRE
  • AUTO-AVALIAÇÃO
introdu o
INTRODUÇÃO

<- Voltar

Avançar ->

Neste último trimestre mostrarei não só o conteúdo do 3º trimestre, mas de todo o ano.

No primeiro trimestre tratei e relembrarei sobre: Problemas de Lógica, Conjuntos, Intervalos e Função.

No segundo trimestre tratei e falarei novamente sobre: Função do 1º grau, Gráfico, Coeficiente Angular ou Linear, Raiz da Função, Função Polinomial do 2º Grau, Concavidade, Zeros da uma Função Quadrática, Valor de mínimo e valor de Máximo da Função Quadrática.

No terceiro trimestre mostrarei sobre Função Exponencial, Função Logarítmica...

1 trimestre
1º TRIMESTRE

<- Voltar

Avançar ->

problemas de l gica
PROBLEMAS DE LÓGICA

<- Voltar

Avançar ->

  • Os problemas de lógica são feitos apartir de afirmativas dadas como dicas.

Exemplo:

1- O homem que ocupou o cargo de zelador foi contratado em Abril.

2- Jorge, que não é zelador, tem 34 anos.

3- O homem de 28 anos foi contratado em Junho

4- Lúcio, que não tem 29 anos, é contador.

5- O técnico de computadores tem 38 anos.

6- Renan foi contratado em Maio.

7- O homem de 32 anos é desenhista de edificações.

8- Milton, que não tem 38 anos, foi contratado em Março.

conjuntos
CONJUNTOS

Avançar->

<- Voltar

  • Conjuntos: Integram um conjunto de objetos. Os objetos podem ser qualquer coisa: números, pessoas ou até mesmo outros conjuntos, etc.

Exemplo: Numa pesquisa de mercado verificou-se que 2.000 pessoas usam os produtos A ou B. O produto B é usado por 800 pessoas, e 320 pessoas usam os dois produtos ao mesmo tempo. Quantas pessoas usam o produto A?

Para fazer este cálculo nós iremos usar círculos como desenvolvimento para se chegar no resultado.

exemplo
Exemplo:

<-Voltar

Avançar->

intervalos
INTERVALOS

<- Voltar

Avançar->

  • Intervalo: é um espaço de um número ao outro e que escrevemos em forma de conjunto e podem ser representadas em uma reta.
simbolos dos intervalos
SIMBOLOS DOS INTERVALOS

<- Voltar

Avançar->

  • ≥ - Maior ou igual.
  • < - Maior.
  • ] - Quando este símbolo está virado para o número, significa que está fechado e na reta é representado como uma bolinha pintada.
  • [ - Quando este símbolo está virado para o número significa que está aberto, e na reta é representada por uma bolinha vazia.

Exemplo de um Intervalo dado como conjunto:

{X € R|-3 ≤ x < 10}

uni o
União ♥

<- Voltar

Avançar->

  • União: nada mais é do que um casamento entre intervalos.

Exemplo: A U B (A união com B) ou A ♥ B

A= ]-2,5[

B= [-1,6]

A U B= ]-2,6]

intersec o
INTERSECÇÃO

<- Voltar

Avançar ->

* Intersecção: São elementos de um intervalo que contem no outro.

A= {-1,0,1,2,3,4,5,6,7,8,9,10}

B= {0,3,6,9,12,15}

A B = {0,3,6,9}

fun o
FUNÇÃO

<- Voltar

Avançar ->

  • Para ser uma função todos de A tem que estar ligados em B.
  • O Domínio é o A.
  • O Contra Domínio é o B.
  • A Imagem é todos de B que recebem A.

A € X

B € Y

* Para fazer uma função precisamos de uma formula, que muda de acordo com a função. Exemplo: F (x) = x³

* É uma função, por que todos de A estão ligados ao B.

2 trimestre
2º TRIMESTRE

<- Voltar

Avançar ->

fun o de 1 grau
FUNÇÃO DE 1º GRAU

<- Voltar

Avançar ->

  • Chama-se função de 1° grau a função definida por Y= ax + b onde A e B são números reais e A ≠ 0.
  • A função do 1º grau é também chamada de função afim.
  • B = 0, a função também é dita linear.
tipos de fun o
TIPOS DE FUNÇÃO

<- Voltar

Avançar ->

  • Função Linear -> y = ax (a ≠ o) e (b = 0)

Exemplo: y = -4x

  • Função Afim -> y = ax + b (a ≠ 0)

Exemplo: y = -x + 5

  • Função Constante -> y = b (não tem a ou a = 0)

Exemplo: y = -x

gr fico
GRÁFICO

<- Voltar

Avançar ->

  • Fazer um gráfico de uma função é a maneira de representar essa função no plano cartesiano.
  • Sabemos que cada valor de x tem o seu correspondente valor de y pela função; marcamos então no plano cartesiano (x,y). Dessa maneira, obtemos um conjunto de pontos e esse conjunto é chamado gráfico da função.
  • Como o gráfico de uma função do 1º grau é sempre uma reta, basta localizar dois de seus pontos para traçá-lo.
  • Eixo x: é o eixo das abscissas (eixo horizontal)
  • Eixo y: é o eixo das ordenadas (eixo vertical)
coeficiente angular ou linear
COEFICIENTE ANGULAR OU LINEAR

<- Voltar

Avançar ->

  • Na função y=ax+b, A representa o coeficiente angular e B o coeficiente linear.
  • Exemplo¹: y=-x+5 Função C.A=-1 C.L=5 Função Afim
  • Exemplo²: y=-4x C.A= -4 C.L= 0 Função Linear
  • Exemplo³: y= -x C.A= -1 C.L= 0 Função Constante
  • O coeficiente Linear de uma função indica onde a reta vai cortar o eixo y (ordenadas).
  • O coeficiente Angular mostra se a função é crescente ou decrescente... continua. U.ú
coeficiente angular ou linear1
COEFICIENTE ANGULAR OU LINEAR

Avançar ->

<- Voltar

  • Função Crescente

a>0

  • Exemplo: y=3x+1

y=2x

  • Função Decrescente

a<0

  • Exemplo: y=-3x+1

y= -2x

raiz da fun o zeros da fun o
RAIZ DA FUNÇÃO (zeros da função)

<- Voltar

Avançar ->

  • A raiz da função mostra onde a reta corta o eixo x (abscissas)
  • Para se encontra a raiz da função basta igualar a zero a equação dada.
  • Para determinar os zeros ou raízes de uma função f(x)=ax²+bx+c, temos que analisar a equação ax²+bx+c=0.
  • Se Δ > 0, então a função possui dois zeros reais distintos.
  • Se Δ = 0, então a função possui um zero real duplo.
  • Se Δ < 0, então a função não possui zeros reais.
fun o polinomial de 2 grau
FUNÇÃO POLINOMIAL DE 2º GRAU

<- Voltar

Avançar ->

  • Uma equação do 2º grau com uma variável tem a forma: a x² + bx + c (a≠0)

Sendo:

X a incógnita -> letras

A, B, C, números reais (R), chamados coeficientes.

  • Exemplos:
  • Exemplo¹: x² - 7x + 10 = 0, onde: a = 1 , b = -7 , c = 10
  • Exemplo²: 5 x² - x – 3 = 0, onde: a = 5, b = -1, c = -3
fun o polinomial de 2 grau1
FUNÇÃO POLINOMIAL DE 2º GRAU

<- Voltar

Avançar ->

  • Observando os exemplos você vê que:
  • A representa o coeficiente de x²;
  • B apresenta o coeficiente de x;
  • C representa o termo independente.

OBS: Para você ver de que grau é a equação, você sempre deve cuidar a potencia do x, sempre grau vai ser aonde o x tiver o maior numero em sua potencia, olhe os exemplos abaixo:

Exemplo¹: y = 5x - x² <- é uma função de 2º grau.

Exemplo²: y = x³ - x⁶ + x⁹ <- é uma função de 9º grau.

Exemplo³: y = 1 + x <- é uma função de 1º grau.

Exemplo₄: y = <- Não é uma função.

fun o polinomial de 2 grau2
FUNÇÃO POLINOMIAL DE 2º GRAU

<- Voltar

Avançar ->

  • Importante:
  • A fórmula de Bháskara (Bascara) permite achar as raízes de qualquer equação do 2º grau completa ou incompleta.
  • A expressão b²-4.a.c, chama-se discriminante e é indicada pela letra grega Δ (delta).
  • Δ = b² - 4 . a . c
  • O gráfico de uma função de 2º grau ou quadrática é uma curva aberta chamada parábola.
  •  Concavidade;
  • Posição em relação ao eixo x;
  • Localização do seu vértice.
concavidade
CONCAVIDADE

<- Voltar

Avançar ->

  • A concavidade de uma parábola representa uma função quadrática f(x) = a² + bx + c do 2º grau depende do sinal do coeficiente A:
zeros de uma fun o quadratica
ZEROS DE UMA FUNÇÃO QUADRATICA

<- Voltar

Avançar ->

  • Vimos que os zeros ou raízes de uma função f(x) são os valores do domínio para os quais f(x) = 0.
  • Assim, os zeros ou raízes da função quadrática f(x)=ax²+bx+c são as raízes da equação do 2º grau ax²+bx+c=0.
  • Para determinarmos as raízes de uma função f(x)=x²-7x+6, fazemos:

f(x) =0 -> x²-7x+6=0

Equação do 2º grau

  • Δ=25
  • X= x₁=6 x₂=1
  • Então, os números 1 e 6 são os zeros da função f(x)=x²-7x+6.
vertice de uma parabola
VERTICE DE UMA PARABOLA

<- Voltar

Avançar ->

  • Para a construção do gráfico da função quadrática e outras aplicações que veremos mais adiante, é importante determinar as coordenadas do vértice da parábola.
  • Analisando por exemplo a função y = x² -2x -3
  • Nessa função, temos que o gráfico é uma parábola com concavidade voltada para cima (a = 1 > 0) e as raízes ou zeros são x₁= -1 e x₂ = 3.
  • Para determinar as coordenadas Xv = e Yv do vértice (V), sabemos que toda parábola possui um eixo de simetria que passa por esse ponto. No caso em estudo, o eixo de simetria é paralelo ao eixo y.
  • Assim, pontos (-1, 0) e (3, 0) são equidistantes do ponto (Xv, 0), onde o eixo de simetria corta o eixo x, e Xv é a média aritmética dos números -1 e 3.
v rtice de uma parabola
VÉRTICE DE UMA PARABOLA

Avançar ->

<- Voltar

  • Xv=
  • Se Xv = 1 podemos calcular Yv:
  • Yv= (1)² - 2 (1) – 3 = 1 – 2 – 3 = -4
  • Então, V(1, -4).
  • Existe outra forma de se determinar as coordenadas do vértice da parábola que apresenta a função de 2º grau f(x) = ax² + bx + c.
  • Basta aplicar as formulas:
conjunto imagem da fun o quadr tica
CONJUNTO IMAGEM DA FUNÇÃO QUADRÁTICA

<- Voltar

Avançar ->

  • A partir das coordenadas do vértice da parábola, podemos determinar o conjunto imagem da função associada a essa parábola.
  •  O conjunto-imagem (Im) da função y = ax2 + bx + c,  a  0, é o conjunto dos valores que y pode assumir. Há duas possibilidades:
  • 1ª - quando a > 0
  • 2ª – quando a < 0.
valor de minimo e valor maximo da fun o quadratica
VALOR DE MINIMO E VALOR MAXIMO DA FUNÇÃO QUADRATICA

<- Voltar

Avançar ->

  • Pelo esboço dos gráficos das funções quadráticas podemos perceber que, dependendo da posição da parábola (concavidade para cima ou para baixo), a função pode ter um valor mínimo ou um valor Maximo, e que esses valores correspondem à ordenada do vértice da parábola.
  • a > 0

Pelo esboço, você observa que a função y = ax² + bx+c apresenta um valor mínimo Yv, que a ordenada do vértice. Nesse caso, a abscissa do vértice é chamada ponto de mínimo da função.

valor de minimo e valor maximo da fun o quadratica1
VALOR DE MINIMO E VALOR MAXIMO DA FUNÇÃO QUADRATICA

<- Voltar

Avançar ->

  • a < 0

Pelo esboço, observamos que a função y=ax²+bx+c apresenta um valor Maximo Yv= , que é ordenada do vértice. Nesse caso, a abscissa do vértice é chamada de ponto Maximo da função.

Então:

*Se a>0, Yv= é o valor mínimo da função

*Se a<0, Yv= é o valor máximo da função

3 trimestre
3º TRIMESTRE

<- Voltar

Avançar ->

fun o exponenciais
FUNÇÃO EXPONENCIAIS

<- Voltar

Avançar ->

  • A função exponencial é a definida como sendo a inversa da função logarítmica natural, isto é:
  • Podemos concluir, então, que a função exponencial é definida por:
auto avalia o
AUTO-AVALIAÇÃO

<- Voltar

Neste último trimestre, achei o conteúdo fácil, mas por falta de exercitar acabei esquecendo um pouco, e agora como é último trimestre tenho muitos trabalhos para entregar e provas para estudar e como nunca fui boa em ciências exatas, acabei me dando mal. Tentei fazer o máximo por essa matéria, mas a única solução foi tentar fazer um portfólio melhor. A nota da minha auto-avaliação é 7.8, eu poderia ter me esforçado bem mais, mas é essa minha nota, apesar de precisar mais que 7.8. Muito Obrigada, e um beijo no rim! Hihi *-*

ad