Saudades dos Bondes do Rio
Sponsored Links
This presentation is the property of its rightful owner.
1 / 27

Saudades dos Bondes do Rio PowerPoint PPT Presentation


  • 43 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Saudades dos Bondes do Rio. Música: Seu Condutor By Ney Deluiz Cantam: Alvarenga & Ranchinho Ligue o Som. A palavra  bonde  surgiu em 1879 e sua origem se deve a que, como na época as

Download Presentation

Saudades dos Bondes do Rio

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Saudades dos Bondes do Rio

Música: Seu Condutor By Ney Deluiz

Cantam: Alvarenga & Ranchinho Ligue o Som


A palavra bonde surgiu em 1879 e sua

origem se deve a que, como na época as

passagens custavam 200 reis e não existiam moedas ou cédulas deste valor, a empresa americana que explorava o serviço,

a Botanical Garden Railroad, passou a emitir cupons com 5 unidades ao preço de 1.000 reis.

Os coupons eram ricamente ilustrados, impressos nos Estados Unidos, e passaram

a ser chamados de bonds (obrigações em inglês), pois a empresa entendia que eles representavam o compromisso de, em troca de dinheiro, haver o transporte do portador.

Fonte: site www.bondesrio.com


Bonde com 3 carros no Centro do Rio.


Bonde passando pela Central do Brasil. O impressionante era a memória do trocador,

que não deixava ninguém saltar sem pagar, por mais lotado que o bonde estivesse.


Os bondes chamados de bataclã tinham motor maior, cabiam mais gente e a parte superior era arredondada.


Fonte: site www.bondesrio.com

Bonde bataclã passando pelo Largo de São Francisco, no Centro.


Bonde comum da linha Lins de Vasconcellos, lotado no horário do rush.


Fonte: site www.bondesrio.com


Cobertura do Tabuleiro da Baiana, daí o nome

@ Agência O Globo

Bonde no Tabuleiro da Baiana, hoje Largo da Carioca.


Fonte: site www.bondesrio.com

Bonde bataclã em Ipanema.


O problema dos bondes era que, como andavam sobre trilhos, não podiam desviar.


Saída do Túnel Velho, em Copacabana.


Fonte: site www.bondesrio.com

Bonde Bataclã, com reboque bataclã, na entrada do Túnel Novo, em Copacabana.


Como os bondes andavam numa das galerias do túnel novo em mão dupla, os cariocas

mais irreverentes chamavam a parte da mão invertida de Mão Mata Paulista.


Rua Almirante Alexandrino, em Santa Teresa, na direção do Silvestre. O prédio atrás é a antiga escola suíça.


Fonte: site www.bondesrio.com

Bonde passando em frente ao prédio que até 1941 foi o Ministério da Guerra, na Praça da República.


Bonde São Francisco Xavier passando pela avenida Presidente Vargas.


Com um bonde cheio destes em São Cristóvão, como será que o motorneiro conseguia ver o caminho?


Bonde Lins de Vasconcellos no Carnaval. Imaginem a dificuldade do trocador para cobrar de todo mundo.


Fonte: site www.bondesrio.com

No carnaval, andar de bonde era o maior sufoco.


Engarrafamento de bondes na rua Haddock Lobo, na Tijuca.


Fonte: site www.bondesrio.com

O fiscal fiscalizando num ponto da rua Estácio de Sá, no Estácio.


O Taioba era um bonde de segunda classe que, além de carga, também podia carregar passageiros.


Fonte: site www.bondesrio.com

Estes bondes ambulâncias eram usados como ambulâncias e para campanhas de vacinação.


@ Foster M. Palmer

Em homenagem aos 400 anos do Rio de Janeiro em 1965, 10 bondes bataclã foram transformados

nestes bondes fechados e apelidados de Rita Pavone, fazendo o trajeto Usina - Alto da Boa Vista. Isto

até que a terrível enchente de 1966 danificasse as linhas e eles acabassem sendo desativados em 1967.


As linhas de bondes começaram gradativamente a serem desativadas no Rio em 1960, sendo aos poucos

substituídas pelos trolleys. Na Zona Sul, este encerramento ocorreu em 1963 e, na Zona Norte,

entre 1965 e 1967. A partir de 1968, apenas os bondes de Santa Teresa continuaram em circulação.


Fonte: site www.bondesrio.com

Velhos tempos em que o trânsito tranquilo do Rio ainda permitia a existência dos bondes…

Fim


  • Login