slide1
Download
Skip this Video
Download Presentation
Governo do Estado do Amazonas Secretaria de Estado da Fazenda - SEFAZ

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 21

Governo do Estado do Amazonas Secretaria de Estado da Fazenda - SEFAZ - PowerPoint PPT Presentation


  • 91 Views
  • Uploaded on

Governo do Estado do Amazonas Secretaria de Estado da Fazenda - SEFAZ. PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA 2011. ELABORAÇÃO ORÇAMENTÁRIA 2011. INSTRUMENTOS DO PLANEJAMENTO - PPA - LDO - PLOA. LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS Nº 3.528 DE 03/08/2010.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' Governo do Estado do Amazonas Secretaria de Estado da Fazenda - SEFAZ' - selma-russo


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

Governo do Estado do Amazonas

Secretaria de Estado da Fazenda - SEFAZ

slide3

ELABORAÇÃO ORÇAMENTÁRIA 2011

  • INSTRUMENTOS DO PLANEJAMENTO
  • - PPA
  • - LDO
  • - PLOA
slide5

ELABORAÇÃO ORÇAMENTÁRIA 2011

  • Artigos Importantes da LDO:
  • Art. 8º No exercício de 2011, observado o disposto no artigo 169 da Constituição Federal, e no art. 10 desta Lei, somente poderão ser admitidos servidores se, cumulativamente:
  • I - existirem cargos vagos a preencher;
  • II - houver prévia dotação orçamentária suficiente para o atendimento da despesa; e
  • III - for observado o limite previsto no art. 7º desta Lei.
    • Art.13. Para efeito desta Lei, entende-se por:
  • X - Descentralização de Créditos Orçamentários: operação descentralizadora de crédito orçamentário em que uma unidade orçamentária disponibiliza para outra unidade o poder de utilização dos recursos que lhe foram dotados.
  • § 1ºAs categorias de programação de que trata esta Lei serão identificadas no Projeto de Lei Orçamentária de 2011 por programas e respectivos projetos, atividades ou operações especiais, desdobrados em subtítulos, com indicação do produto, da unidade de medida e da meta física.
  • § 2º O produto e a unidade de medida a que se refere o parágrafo anterior, deverão ser os mesmos especificados para cada ação constante do Plano Plurianual 2008/2011.
  • § 5º Cada atividade, projeto e operação especial identificarão a função e a subfunção às quais se vincula.
slide6

ELABORAÇÃO ORÇAMENTÁRIA 2011

  • Artigos Importantes da LDO:
    • Art. 29. Não poderão ser destinados recursos para atender a despesas com clubes e associações de servidores ou quaisquer outras entidades congêneres, excetuadas creches e escolas para o atendimento pré-escolar.
    • Art. 33. Transferências Voluntárias do Estado para os Municípios dependerão de comprovação, por parte da unidade beneficiada de que :
      • I. Instituiu, regulamentou e arrecadou todos os tributos previstos no art. 156 da CF;
      • II. Se acha em dia quanto ao pagamento de tributos, empréstimos e financiamentos devidos ao Estado,bem como quanto à prestação de contas de recursos anteriormente dele recebidos;
      • III. Cumpre os limites constitucionais relativos à educação e à saúde;
      • IV. Observa os limites das dívidas consolidadas mobiliárias, de operações de crédito por antecipação de receita, de inscrição de restos a pagar e de despesa total com pessoal;
      • V. Existe previsão de contrapartida;
      • VI. Se acha em dia quanto à documentação relativa à regularidade fiscal;
      • VII. Obedece, no que couber, ao disposto na resolução nº03/1998 do TCE
slide7

ELABORAÇÃO ORÇAMENTÁRIA 2011

  • Artigos Importantes da LDO:
  • § 1º A contrapartida será estabelecida em termos percentuais do valor previsto no instrumento de transferência voluntária de modo compatível com a capacidade financeira do respectivo município beneficiado e considerando o seu Índice de Desenvolvimento Humano – IDH, tendo como limite mínimo dois por cento.
  • Art. 37.Os subtítulos, as fontes de recursos e as modalidades de aplicação, aprovados na Lei Orçamentária e em seus créditos adicionais poderão ser modificados, justificadamente, para atender às necessidades de execução, se autorizados por meio de portaria:
  • I - dos dirigentes dos órgãos detentores do crédito, quando as alterações orçamentárias envolverem somente os subtítulos e as modalidades de aplicação;
  • II - do Secretário de Estado da Fazenda, quando as alterações orçamentárias forem referentes à permuta de fontes de recursos.
  • Art. 39.Os recursos alocados na Lei Orçamentária, destinados ao pagamento de precatórios judiciários, somente poderão ser cancelados para a abertura de créditos adicionais com outra finalidade mediante autorização específica da Assembleia Legislativa.
slide8

ELABORAÇÃO ORÇAMENTÁRIA 2011

  • Artigos Importantes da LDO:
  • Art. 42. As alterações orçamentárias de que trata esta Seção, serão processadas no Sistema Integrado de Gestão Orçamentária – SIGO, na forma disposta em ato específico da Secretaria de Estado da Fazenda.
  • Art. 55. São vedados quaisquer procedimentos pelos ordenadores de despesa que viabilizem a execução de despesas sem comprovada e suficiente disponibilidade de dotação orçamentária, ou, ainda, a geração de despesa ou assunção de obrigações que não atendam ao disposto nos arts. 16 e 17 da Lei Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000.
  • Parágrafo único. A contabilidade registrará os atos e fatos relativos à gestão orçamentário-financeira efetivamente ocorridos, sem prejuízo das responsabilidades e providências derivadas da inobservância do caput deste artigo.
  • Art. 58.A arrecadação de todas as receitas realizadas pelos órgãos, fundos, autarquias e fundações integrantes dos Orçamentos Fiscal e da Seguridade Social, inclusive as diretamente arrecadadas, serão devidamente classificadas e contabilizadas no Sistema de Administração Integrada do Estado – AFI, no mês do efetivo ingresso.
slide9

ELABORAÇÃO ORÇAMENTÁRIA 2011

Elaboração do Projeto de Lei Orçamentária 2011

slide10

ELABORAÇÃO ORÇAMENTÁRIA 2011

  • Estimativa da Receita
  • Fixação da Despesa
    • Definição dos Limites
    • Alimentação dos Dados no SIGPLAN
  • Apresentação ao Governador
  • Envio à Assembleia Legislativa
slide11

ELABORAÇÃO ORÇAMENTÁRIA 2011

  • Orientações Importantes:
    • Critérios para Distribuição dos Limites:
      • REGRA GERAL:
      • Pessoal: Folha empenhada em junho/2010 e multiplicada por 13;
      • Despesas Correntes: Dotação inicial de 2010 (Fontes do tesouro) acrescida de inflação (4,5%)
      • Investimentos:
      • Órgão que possuem grandes investimentos – Dotação inicial/2010 acrescida de 10%
      • Demais órgãos – R$10 mil
    • Demais informações sobre Distribuição dos Limites:
      • Poderes: será readequada conforme solicitação, obedecendo limite prudencial de gasto com pessoal - Percentual da RCL;
      • Limites para fontes descentralizadas: poderão ser revistos, se devidamente justificados com memória de cálculo;
      • Uso dos Relatórios de Valores Empenhados ano a ano, por Programa, Ação, Grupo e fonte e de Execução Orçamentária 2010, até a data de 10/09/2010, para subsidiar a alimentação da Proposta no SIGPLAN.
slide12

ELABORAÇÃO ORÇAMENTÁRIA 2011

  • Orientações Importantes:
    • Ação:
      • Caso não seja atribuído valor à ação no exercício de 2011, a mesma não configurará na proposta orçamentária;
      • Na ação de Pessoal deverá constar apenas a fonte 100, salvo as exceções;
      • Na ação de Pessoal deverá constar, obrigatoriamente, os grupos 1 e 3;
      • A meta financeira tem que guardar coerência com a meta física;
      • A ação de Precatórios e Sentenças Judiciais transitadas em Julgado, deverá ser preenchida, pelo menos, com o valor de R$1.000,00 nos órgãos da Administração Indireta;
      • Evitar a pulverização de valores pequenos;
      • Valores de contrapartidas deverão ser inseridos nas ações correspondentes à execução do convênio.
    • Alimentação do SIGPLAN:
      • Utilizar a versão 6.0 Internet Explorer.
    • Fontes de Recursos:
      • 145 – não pode ser atribuída às despesas com pessoal, dívida pública e diárias;
      • 160 – deve ser atribuída somente às ações finalísticas;
      • 170 – deve ser atribuída somente às ações finalísticas, em despesas de capital.
slide13

ELABORAÇÃO ORÇAMENTÁRIA 2011

Previsão da Receita para 2011

R$9,978 bilhões

slide17

ELABORAÇÃO ORÇAMENTÁRIA 2011

  • Receita Corrente Líquida
    • R$7,568 bilhões
      • Poder Legislativo – R$189 milhões – 2,5%
      • Poder Judiciário – R$325 milhões – 4,3%
      • Ministério Público – R$125 milhões – 1,7%
      • Poder Executivo – R$3,292 bilhões – 43,5%
      • TOTAL – R$3,931 bilhões – 51,9%
slide18

ELABORAÇÃO ORÇAMENTÁRIA 2011

  • Avisos:
    • Utilização do SIGO – Sistema Integrado de Gestão Orçamentária – Alteração de Detalhamento da Despesa I e II e Abertura de Créditos Suplementares;
    • Manual Técnico de Orçamento 2011;
    • Ofícios para os Desbloqueios de ND para Licitação.
slide19

ELABORAÇÃO DA PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA

  • DATAS
  • Fixação da Despesa
    • Alimentação dos Dados no SIGPLAN (15 a 23/09)
  • Apresentação ao Governador (05 a 08/10)
  • 3. Ajustes finais (11 a 22/10)
  • 4. Envio à Assembleia Legislativa (25 a 29/10)
slide20

CONTATOS COR

ad