OS SINDICATOS, A VELHA MÍDIA, E  A BLOGOSFERA
Download
1 / 12

OS SINDICATOS, A VELHA MÍDIA, E A BLOGOSFERA - PowerPoint PPT Presentation


  • 78 Views
  • Uploaded on

OS SINDICATOS, A VELHA MÍDIA, E A BLOGOSFERA. Democratização da mídia. Os trabalhadores são os mais prejudicados pela falta de acesso à mídia e também por sofrerem o bombardeio ideológico promovido por ela.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' OS SINDICATOS, A VELHA MÍDIA, E A BLOGOSFERA' - schuyler


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

Democratiza o da m dia
Democratização da mídia

  • Os trabalhadores são os mais prejudicados pela falta de acesso à mídia e também por sofrerem o bombardeio ideológico promovido por ela.

  • As matérias sobre sindicatos e a luta dos trabalhadores são sempre pejorativas e apresentam a visão dos donos do grande capital.

  • Os sindicatos, federações, confederações e centrais devem promover uma luta contra-ideológica. O grande instrumento que temos é a internet, redes, blogs, sítios.


Estrat gia
Estratégia

  • A comunicação, especialmente através da internet (meio barato, rápido, e que atinge um grande número de pessoas), deve ser olhada como estratégia prioritária por nossas entidades.

  • A secretaria de comunicação (se não existir na estrutura da diretoria, deve ser criada) deve ter espaço, lugar e importância prioritária.

  • Nossa comunicação deve ter como objetivo primeiro atingir a nossa base, mas também a sociedade. O que queremos dizer a ela?


Forma e conte do
Forma e conteúdo

  • O CONTEÚDO é o que queremos comunicar, nossas lutas, bandeiras, ideias, propostas, ações.

  • Mas a FORMA é o como queremos comunicar. Os nossos jornais, páginas na internet e nas redes sociais não comunicam bem, são pesadas, desorganizadas, com cores inadequadas, sem os links necessários, poluídas de informações obsoletas ou sem importância?


A imagem do sindicato
A imagem do sindicato

  • Como seu sindicato é visto pela categoria?

  • A imagem que a base tem corresponde com a visão que diretoria tem da entidade? É um sindicato combativo, de luta? Um sindicato que negocia? Um sindicato pelego? Um sindicato que é indiferente na vida da base, do tipo órgão público de despacho?

  • Os resultados da ação sindical são devidamente comunicados à base? Há uma interatividade entre base e direção? Isso ocorre com rapidez, com agilidade?

  • Como é a comunicação com a sociedade? Qual a visão da sociedade sobre seu sindicato?

  • Há uma necessidade de se contar com a assessoria de profissionais de comunicação, marketing, para otimizar nosso trabalho de comunicação. E isso requer investimento.


Forma o
Formação

  • Os sindicatos devem formar lideranças para a comunicação.

  • É preciso produzir informação, uma imprensa sindical.

  • Ir além do realese, da matéria paga no rádio ou no jornal. Ir além do jornalzinho da entidade.

  • Devemos contar com os parceiros que temos, como é o caso do Diário de Goiás, organizado pelo Altair Tavares.

  • Mas avançar na criação de um jornal ou TV virtual, com matérias dos diretores e dos ativistas da base.


Quais s o as grandes lutas que tamb m s o nossas
Quais são as grandes lutas que também são nossas?

  • Luta contra o capital especulativo (o caso das elétricas).

  • Política de elevação dos salários (crescimento gradativo do mínimo).

  • Redução da jornada de trabalho. Garantia e gozo dos direitos garantidos na Constituição, CLT e em outras normas.

  • Reajustes conforme o crescimento da produtividade.

  • Fim do fator previdenciário.

  • Igualdade de gênero e igualdade racial no mercado de trabalho.

  • Exigir que a justiça do trabalho, ministério público do trabalho e o ministério do trabalho sejam de fato instrumentos de justiça e de defesa dos direitos fundamentais do trabalhadores.

  • A blogosfera, sob um olhar dos trabalhadores, deve produzir matérias sobre o dia a dia dos tribunais, divulgando nossas conquistas, e denunciando as injustiças. Um exemplo interessante nesse sentido foi a Conferência do Trabalho Decente para Docentes.

  • Exigir o cumprimento da Constituição. Hoje ela é descumprida pelas grandes empresas que fazem um monopólio cruzado: rádio, jornal impresso, TV, blogs. Definir um marco regulatório como fez a Argentina.

  • Não admitir o assassinato da honra, a morte política e social, de nossas lideranças.

  • Redução progressiva da selic e dos juros em geral que massacram os trabalhadores.

  • Comissão da verdade.

  • Código florestal. Desenvolvimento sustentável.


A superestrutura ideol gica
A superestrutura ideológica

  • A mídia é um instrumento poderoso de reprodução das ideias e das relações sociais dominantes do sistema capitalista.

  • Sua força é impressionante. Ela divulga essas ideias, atinge milhões, convence, naturaliza e justifica, o que a rigor, não poderia ser naturalizado ou justificado: a injustiça, a mentira, a difamação de quem está lutando por justiça.


O comportamento da m dia diante do julgamento do mensal o
O comportamento da mídia diante do julgamento do “mensalão”.

  • Cobertura da Globo, 24 h, como final de copa do mundo.

  • Pressão da mídia sobre os magistrados.

  • Julgamento da Era Lula.

  • Tentativa de eleger o Serra em São Paulo.

  • Depois da eleição de São Paulo, a mídia se acomodou.

  • O ministro Marco Aurélio, que havia dito que ditadura é um mau necessário, concedeu dias atrás uma liminar relâmpago para que Marconi não seja convocado na CPI que investiga as ligações de políticos com o Bicheiro Carlos Cachoeira.


O esmorecimento e a acomoda o
O esmorecimento e a acomodação!

  • A força da ideologia difundida pela mídia também atinge nossos líderes sindicais.

  • É necessário estar ligado nos blogs independentes, nas produções de gente como Altamiro, Eduardo Guimarães, Altair Tavares, Stanley Burburinho, Vermelho, Marcus Vinicius, Carta Maior, Leandro Fortes, Mamede, Renato Rovai, Emir Sader, Luiz Parayba,Túlio Vianna, Rodrigo Viana, Cloaca News, Coversa Afiada, Luis Nassif, Barão de Itararé que abriga inúmeros links.

  • Muitos sindicalistas estão se deixando formar pela velha mídia, reproduzindo discursos contra líderes progressistas da América Latina (Chaves, Fidel, Rafael Corrêa do Equador, Cristina kirchner, Evo Morales, Lula, Dilma...). Discursos conservadores, moralistas.

  • Quando só vemos notícias da velha mídia e lemos seus jornais, gradativamente corremos o risco de concordar com eles.


Como garantir liberdade de express o para todos
Como garantir liberdade de expressão para todos?

  • Há uma confusão entre liberdade de empresa, de imprensa/monopólio, e liberdade de expressão.

  • A velha mídia não dá liberdade de expressão quando monopoliza a opinião, apresentando somente o ponto de vista do grande capital, do agronegócio, bancos, especuladores e das grandes empresas.

  • Nós trabalhadores também queremos liberdade para expor nossas ideias, pontos de vista, perspectivas.


Uni o de todos os trabalhadores
União de todos os trabalhadores

“Trabalhadores do mundo todo, uni-vos!” Diziam Marx e Engels no Manifesto do Partido Comunista.

  • Devemos nos articular melhor. Nossas lutas comuns devem se configurem numa luta maior, unificada. Negros, mulheres, trabalhadores do campo, da cidade, professores, metalúrgicos, trabalhadores da saúde, todos unidos numa mesma luta da classe trabalhadora.

  • Nas nossas páginas, jornais, devemos dar notícias, links dos sítios e matérias dos outros sindicatos, das federações, confederações e centrais. Abaixo a concorrência sindical!

  • Nossa base deve entender que nosso sindicato não é um barquinho perdido no tenebroso oceano do mundo do trabalho do Brasil, mas somos uma grande frota, organizada, articulada, que caminha rumo à conquistas, conquistas que se somam, que constroem um outro Brasil mais justo, mais socialista!


ad