Cria o de capivara
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 39

CRIAÇÃO DE CAPIVARA PowerPoint PPT Presentation


  • 70 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

CRIAÇÃO DE CAPIVARA. PARTE I: BIOLOGIA DA ESPÉCIE INSTALAÇÕES DE CRIAÇÃO MANEJO NUTRICIONAL E REPRODUTIVO. LEGISLAÇÃO. Lei 5197/67 – Lei que regulamenta a profissão do médico veterinário.

Download Presentation

CRIAÇÃO DE CAPIVARA

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Cria o de capivara

CRIAÇÃO DE CAPIVARA

PARTE I:

BIOLOGIA DA ESPÉCIE

INSTALAÇÕES DE CRIAÇÃO

MANEJO NUTRICIONAL E REPRODUTIVO


Legisla o

LEGISLAÇÃO

  • Lei 5197/67 – Lei que regulamenta a profissão do médico veterinário.

    • Art. 3º - É proibido o comércio de espécimes da fauna silvestre e de produtos e objetos que impliquem na sua caça, perseguição, destruição ou apanha

  • REGULAMENTAÇÃO FEITA PELO IBAMA

  • PORTARIAS:

    • 102 DE 98 E 118 DE 97 (CRIAÇÃO DE ANIMAIS SILVESTRES)

    • 117 DE 97 E 139 DE 93 (COMERCIALIZAÇÃO)

    • 132 DE 88 (REGULAMENTAÇÃO DO TIPO DE CRIADOURO)

    • Instrução Normativa 002/01 (DETERMINA E REGULAMENTA A IDENTIFICAÇÃO INDIVIDUAL)

  • NECESSIDA DE RESPONSÁVEL TÉCNICO.


Capivaras

CAPIVARAS


Por que criar

POR QUE CRIAR?

  • APROVEITAMENTO DE ÁREAS IMPRODUTIVAS

  • INCLUSÃO DE UMA ESPECIE NATIVA E ADAPTADA

  • MERCADO REGIONAL EXISTENTE

  • ALTO VALOR DE MERCADO – até 4X a @ do boi

  • BAIXOS CUSTOS DE PRODUÇÃO

  • BAIXO CUSTO DE IMPLANTAÇÃO

  • POSSIBILIDADE DE CRIAÇÃO COM OUTROS ANIMAIS.


Capivara hidrochoerus hidrochaeris biologia

CAPIVARA (Hidrochoerus hidrochaeris) - BIOLOGIA

  • É UM ROEDOR

  • EXISTENTE EM TODO O TERRITÓRIO NACIONAL

  • GRANDE POTENCIAL PARA EXPLORAÇÃO ZOOTÉCNICA

  • NA NATUREZA VIVE EM BANDO DE ATÉ 40 ANIMAIS (MÉDIA DE 7 A 10) - gregários

  • OS BANDOS TEM 1 MACHO DOMINANTE

  • HÁBITOS CREPUSCULARES

  • MUITO TERRITORIALISTA E NÃO PERMITE ENTRADA DE INDIVÍDUOS ADULTOS NO BANDO

  • HÁBITO SEMI-AQUÁTICO - ABRIGO

  • VIVE EM VEGETAÇÃO DENSA PRÓXIMO À FONTE DE ÁGUA.


Capivara biologia

CAPIVARA - BIOLOGIA

  • Mede até 1,30m de comprimento, 0,60m de altura e pode pesar até 100Kg (média de 50 a 60kg)

  • Pelo é castanho-escuro

  • Olhos e narinas situados bem em cima da cabeça

  • Patas providas de membrana natatória (4 dedos nas patas anteriores (PA) e 3 nas patas posteriores (PP)

  • Corpo compacto, pernas relativamente curtas, sem cauda.

  • O focinho é alto e obtuso.


Capivara biologia1

CAPIVARA - BIOLOGIA

  • Sem diferenças sexuais marcantes (órgãos genitais recobertos)

  • Machos possuem um intumescimento glandular na parte superior do focinho (oval, de cor preta, brilhante, desprovido de pêlos)

  • CRESCIMENTO CONTÍNUO DO DENTE

  • PREDADORES: ONÇA, JACARÉ E PIRANHA.


Capivara macho

CAPIVARA MACHO


Caracter sticas na natureza

CARACTERÍSTICAS NA NATUREZA

  • RÁPIDA REPRODUÇÃO

  • ALIMENTO PARA PREDADORES

  • DISPERSOR DE SEMENTES

  • VETORES DE DOENÇAS.


Capivara qualidades

CAPIVARA - QUALIDADES

  • GRANDE PORTE

  • BOA CONVERSÃO ALIMENTAR

  • BOA PROLIFICIDADE

  • ANIMAL RÚSTICO

  • CRIA OS FILHOTES EM CRECHES (BANDOS)

  • APROVEITAMENTO DE FIBRA

  • TECNOLOGIA DE CRIAÇÃO EXISTENTE

    • A MAIS CRIADA NO PAÍS.


In cio do plantel

INÍCIO DO PLANTEL

  • COMPRA DE ANIMAIS DE OUTROS CRIATÓRIOS – GUIA DE TRANSPORTE

  • CAPTURA DE ANIMAIS – AUTORIZAÇÃO DO IBAMA (GUIA DE CAPTURA)

    • USO DE UMA CEVA

    • ANIMAIS DO MESMO GRUPO

    • REALIZAÇÃO NA SECA.


Capivara manejo extensivo

CAPIVARA – MANEJO EXTENSIVO

  • VEGETAÇÃO NATIVA

  • PASTAGEM JUNTO COM BOVINOS

  • SEM CERCAS

  • FORNECIMENTO DE ALIMENTO EM COCHOS

  • SELEÇÃO DE 10 A 30% PARA ABATE

  • EXCESSIVA DEGRADAÇÃO DO PASTO

  • CONFRONTO ENTRE GRUPOS.


Instala es manejo semi intensivo

INSTALAÇÕES – MANEJO SEMI-INTENSIVO

  • INSTALAÇÕES PARA + DE 30 MATRIZES

  • PRESENÇA DE LAGO OU AÇUDE DE 100m²

  • VEGETAÇÃO ARBÓREA

  • CERCADOS DE 1,20m DE ALTURA

  • FIO FARPADO ENCIMA

  • MOURÕES A CADA 2 OU 3m (CONCRETO OU MADEIRA TRATADA)

  • CERCADA DE TELA (ÁREA DE 0,5 A 4 ha) – MALHA DE 2,5 A 3,0”

  • BALDRAME OU FIOS ELETRIFICADOS.


Instala es semi intensivo

INSTALAÇÕES – SEMI-INTENSIVO

  • CEVAS – 40 A 100m² (FORNECIMENTO DE SAL MINERAL, MILHO E RAÇÃO)

  • ABRIGO COBERTO DE 1m DE ALTURA

  • COCHO (2m COMPRIMENTO x 0,25m LARGURA x 0,20 A 0,30m DE ALTURA)

  • BRETE.


Manejo dos animais semi intensivo e intensivo

MANEJO DOS ANIMAIS – SEMI-INTENSIVO E INTENSIVO

  • FORMAÇÃO DE GRUPO FAMILIAR

    • 1 MACHO E 5 A 9 FÊMEAS

  • SEXAGEM E MARCAÇÃO DOS FILHOTES – 60 DIAS

  • SEPARAÇÃO DOS FILHOTES MACHOS AOS 6 MESES

  • 15 FêMEAS MAIS 2 MACHOS GERAM 70 A 80 ANIMAIS ABATIDOS/ ANO

  • 1 HOMEM PARA 100 ANIMAIS.


Instala es sistema intensivo

INSTALAÇÕES – SISTEMA INTENSIVO

  • ÁREA CERCADA DE 350 A 400m²

  • ÁREA COBERTA DE 40 A 100m²

  • TANQUE DE ÁGUA (20m²)

    • 0,80m DE PROFUNDIDADE

    • RAMPA EM LEVE DECLIVE

    • REVESTIDO DE ALVENARIA

    • DRENO NO FUNDO - LIMPEZA

  • COMEDOUROS (1,2m comprimento x 0,30m largura x 0,30m altura) – 4 a 5 ANIMAIS

    • FUNDO ARREDONDADO

    • COBERTURA PARA SAL

  • BEBEDOURO (0,30x0,30x0,30)

  • ÁREA COBERTA (ÁRVORES CERCADAS).


Equipamentos

EQUIPAMENTOS

  • GAIOLAS DE TRANSPORTE

  • PUÇAS

  • CAMBÃO

  • BALANÇAS

  • GAIOLA DE CONTENÇÃO

  • ALICATE PARA MARCAÇÃO

  • VEÍCULO PARA TRANSPORTE DE FORRAGEIRAS.


Gaiola de tranporte

GAIOLA DE TRANPORTE


Pu camb o

PUÇÁCAMBÃO


Gaiola de conten o

GAIOLA DE CONTENÇÃO


Manejo nutricional

MANEJO NUTRICIONAL

  • ANIMAL HERBÍVORO

  • ALIMENTA-SE DE GRAMÍNEAS

    • CAPIM ELEFANTE, AVEIA, AZEVÉM, MILHETO, SORGO FORRAGEIRO, CANA-DE-AÇÚCAR

    • MANDIOCA E BATATA DOCE

  • CECO FUNCIONAL – 70% DO CONTEÚDO DO TGI

  • REALIZA CECOTROFAGIA

    • INGESTÃO DOS CECOTROFOS

    • SUPRIMENTO EXTRA DE VITAMINAS E PROTEÍNA

  • 4 a 5 kg DE VOLUMOSO POR DIA.


Manejo nutricional1

MANEJO NUTRICIONAL

  • SELETIVA PARA FENO E SILAGEM

  • COME BEM MILHO COM PALHA E SABUGO + SAL MINERAL (1%)

  • FORNECER RAÇÃO (200 A 300g/dia)

    • 13 a 15% DE PB

    • 4000Kcal/kg

    • MILHO+FLO SOJA+FLO TRIGO+MINERAIS

  • PARA FÊMEAS (gestação e lactação) FORNECER 500g DE RAÇÃO.


Manejo alimentar

Manejo Alimentar

  • SISTEMA EXTENSIVO

    • SOMENTE PASTO

  • SISTEMA SEMI-INTENSIVO E INTENSIVO

    • CORTE E FORNECIMENTO DE VOLUMOSO

    • FORNECER 4 A 5 kg PARA ANIMAIS ADULTOS

    • FORNECER DE 1 A 2 kg PARA ANIMAIS JOVENS

    • FORNECER MILHO OU RAÇÃO.


Ndices de crescimento

ÍNDICES DE CRESCIMENTO

  • PESO DE ABATE – 35 A 45 kg

  • IDADE DE ABATE – 12 A 18 MESES

  • MACHOS DEVEMS ER ABATIDOS COM 35KG NO MÁXIMO

  • GPD – 100g

  • BABY CAPIVARA – 6 MESES (20 kg).


Vantagens do baby capivara

VANTAGENS DO BABY CAPIVARA

  • FACILIDADE DE COMERCIALIZAÇÃO DIRETA

  • MAIOR EFICIÊNCIA ALIMENTAR NESTA FASE

  • PELE DE MELHOR QUALIDADE

  • NÃO NECESSIDADE DE BAIAS DE ENGORDA

  • NÃO PRECISA CASTRAR OS MACHOS.


Caracter sticas reprodutivas

CARACTERÍSTICAS REPRODUTIVAS

  • REPRODUÇÃO:

    • FÊMEAS INICIA-SE ENTRE13 E 24 MESES

    • MACHOS INICIA-SE ENTRE15 E 24 MESES

  • GESTAÇÃO – 150 DIAS (1,3 PARTOS AO ANO)

  • PARIÇÃO MÉDIA DE 4 FILHOTES (3 A 9)

    • 50% DE CADA SEXO

  • PESO AO NASCER – 1,5 KG

  • DESMAME DE 30 A 120 DIAS – ATÉ 5 A 15 KG

  • MÉDIA DE 5,4 FILHOTES DESMAMADOS AO ANO

  • DURAÇÃO DE 5 A 7 E 6 A 8 ANOS (M E F)

  • PODE VIVER ATÉ 12 ANOS.


Caracter sticas reprodutivas1

CARACTERÍSTICAS REPRODUTIVAS

  • LACTAÇÃO 5 SEMANAS A 4 MESES

  • 15 A 20 DIAS APÓS A PARIÇÃO OCORRE OUTRO CIO (24h)

  • CICLO ESTRAL DE 7 A 8 DIAS

  • ESTAÇÃO DE MONTA DEFINIDA – MAIO A JULHO

  • PARIÇÕES CONCENTRADAS NOVEMBRO A JANEIRO – 70%

  • MORTALIDADE DE FILHOTES: 6%.


Cria o de capivara1

CRIAÇÃO DE CAPIVARA

PARTE II:

ASPECTOS SANITÁRIOS

PRINCIPAIS DOENÇAS

ASPECTOS COMERCIAIS

INTERAÇÃO ANIMAL/MEIO AMBIENTE


Asepctos sanit rios

ASEPCTOS SANITÁRIOS

  • CONTROLE DE ECTOPARASITAS:

  • Febre Maculosa ou Doença do Carrapato

    Zoonose

    Rickettsia rickettsi (transmitida pela saliva do carrapato Amblyomma cajennense)

  • CONTROLE DE ENDOPARASITAS:

  • Coccidiose (aglomeração)

  • Controle de verminoses (aglomeração)

  • Fornecimento de vermífugo junto com o alimento = suínos (tipo e dosagem)

  • FREQUÊNCIA:

    • Intensivo a cada 60 dias

    • Semi-extensivo a cada 90 dias

    • Extensivo a cada 120 dias.


Principais doen as

PRINCIPAIS DOENÇAS

  • MAL DAS CADEIRAS OU MAL DOS QUARTOS (transmitida por um protozoário)

  • Sintomas:

    • Febre

    • Corrimentos nas genitálias

    • Pontos de hemorragias nas mucosas

    • Andar cambaleante

    • Paralisia dos membros posteriores.

  • Endoparasitas (Vermes e Coccidias)

  • Ectoparasitas (Moscas, Carrapatos, Sarna, etc)

  • Conjuntivites

  • Pneumonias – secreção nasal

    • Recém nascidos e jovens

  • Desinterias - Dieta

  • Infecções do umbigo.


Principais doen as1

PRINCIPAIS DOENÇAS

  • FEBRE AFTOSA

  • RAIVA – DIFÍCIL OCORRER

  • BACTERIANAS:

    • TUBERCULOSE

    • BRUCELOSE

    • LEPTOSPIROSE

    • BACTERIOSES (ENTEROBACTÉRIAS, AEROMONAS, CAMPILOBACTER)

    • FEBRE MACULOSA.


Aspectos sanit rios

ASPECTOS SANITÁRIOS

  • FORNECER O MELHOR AMBIENTE POSSÍVEL

  • SATISFAZER AS NECESSIDADES COMPORTAMENTAIS

  • CUIDAR PARA MAIOR VARIABILIDADE GENÉTICA

  • CUIDADOS COM ENTRADA DE ANIMAIS E TRÂNSITO DE PESSOAS

    REDUÇÃO DE PROBLEMAS SANITÁRIOS.


Aspetos sanit rios

ASPETOS SANITÁRIOS

  • LIMPEZA DO LOCAL

  • REMOÇÃO DE FEZES

  • REMOÇÃO E INCINERAÇÃO DE ANIMAIS MORTOS

  • QUALIDADE DA ÁGUA

  • CONTROLE DE VETORES DE DOENÇAS - RATOS, POMBOS, BARATAS, MOSCAS

  • EVITAR INTERVENSÕES DESNECESSÁRIAS.


Abate

ABATE

  • ANIMAIS CRIADOS EM CATIVEIRO

  • ABATE CASEIRO

  • ABATE COMERCIAL – ABATEDOURO:

  • Necessário guia de transporte

  • Frigorífico legal (SIF, SIE, SIM) e cadastrado no IBAMA

  • Destino também cadastrado no IBAMA.


Aspectos comerciais

ASPECTOS COMERCIAIS

  • CARNE: Rendimento de carcaça de 53%

  • Excelente qualidade nutricional

  • Baixo teor de gordura

  • GORDURA INSATURADA – ÔMEGA 3

  • Suculenta

  • LINGUIÇA

  • CARNE DEFUMADA

  • CARNE SALGADA

    * ODOR CARACTERÍSTICO: GORDURA E SANGRAMENTO INADEQUADO.


Aspectos comerciais1

ASPECTOS COMERCIAIS

  • OUTROS PRODUTOS:

  • Gordura/óleo: medicamentos

  • Dentes: artesanato

  • Couro: US$ 3 A 4/ UNIDADE/US$ 14,00

    • É elástico

    • Resistente

    • Impermeável

    • Suave

    • Leve

    • PARA: luvas, selas, jaquetas, mocassins, etc.

    • Preço de mercado: 4 A 5 DÓLARES SEM CURTIR, 14 DOLARES CURTIDO

  • Reprodutores.


Aspectos comerciais2

ASPECTOS COMERCIAIS

  • DIFICULDADE DE VENDA DIRETA

  • EXISTÊNCIA DE ATRAVESSADORES

  • DIFICULDADE DE LEGALIZAÇÃO DA CRIAÇÃO

  • SOLUÇÕES:

    • AUMENTO DO NÚMERO DE PRODUTORES

    • CRIAÇÃO DE COOPERATIVAS E ASSOCIAÇÕES

    • FLEXIBILIZAÇÃO DAS NORMAS EXISTENTES.


Intera o animal meio ambiente vis o ecol gica da cria o

INTERAÇÃO ANIMAL/MEIO AMBIENTE (VISÃO ECOLÓGICA DA CRIAÇÃO)

  • VANTAGENS DA CRIAÇÃO EM CATIVEIRO:

  • Diminui a caça ilegal

  • Legaliza a produção

  • Mantém o ecossistema equilibrado..


Bibliografia

BIBLIOGRAFIA

  • www.criareplantar.com.br

  • Tratado de animais selvagens

  • CRIAÇÃO DE CAPIVARA – CPT

  • REVISTA V & Z EM MINAS Nº 111 SITE: www.crmvmg.org.br

  • www.paginarural.com.br/artigo/1181/criacao-e-carne-de-capivara-potencial-inexplorado-de-uma-especie-nativa.


  • Login