A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 48

A n á li s e d e C on t e úd o e m P es qu i sa s d e P s i c o l og i a PowerPoint PPT Presentation


  • 39 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

A n á li s e d e C on t e úd o e m P es qu i sa s d e P s i c o l og i a. T h i ag o G o m e s d e C a s t r o , D a n i e l A b s & J o r g e C a s t e ll á S a rr i e r a P S I C O L OG I A : C I Ê NC I A E P R O F I SSÃ O , 2011 , 3 1 ( 4 ) , 814 - 825. R es u m o :

Download Presentation

A n á li s e d e C on t e úd o e m P es qu i sa s d e P s i c o l og i a

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

AnálisedeConteúdoemPesquisasdePsicologia

ThiagoGomesdeCastro, Daniel Abs&JorgeCastelláSarriera

PSICOLOGIA:CIÊNCIAEPROFISSÃO,2011,31(4),814-825


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Resumo:

  • O estudoenfocaasaplicaçõesdométodoanálisede conteúdo(AC)empesquisasempíricasdePsicologia.

  • Apresenta uma breve discussão sobre as variações de AC e uma análise dos critérios de validação científicaqueembasamapráticadométodo.

  • Descreveosmodosmaisrecorrentesdeutilizaçãoda AC,a partirde revisão realizada junto a 83 artigos publicadosentre2004e2009emseisperiódicosde Psicologia no Brasil (Extrato A1 e A2 na avaliação CAPES/2007-2009).


A n li s e d e c on t e do p e r c u r s o s e t e nd n c i as

Análisedeconteúdo: percursosetendências

Em termos gerais,a AC pode ser definidacomo:

Umconjuntodeinstrumentos metodológicos que têm como fator comum

uma interpretação inferência (Bardin,

controlada, baseada na 1977/2010).

3. Visa a obter, por meio de procedimentos sistemáticos, indicadores quantitativos ou qualitativos que permitam a inferência de conhecimentosrelativosàprodução/recepção demensagens.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

4. Levantamento internacional conduzido por Elo e Kyngäs (2008) na base de dados Ovid-Medline,

demonstraram que a AC pesquisa mais populares enfermagem ePsicologia.

é um dos métodos de em ciências da saúde,

5. Aumento significativo de períodode2000a comparados ao período artigos).

pesquisas com AC no 2007(5582artigos),

de 1990 a 2000 (2804

6.SegundoHarwoodeGarry(2003),osucessodaAC podeserexplicadoporsuaflexibilidadedeadaptação adiferentesdelineamentos depesquisa.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

7. No Brasil, apesardadefinição

amplaedos

  • vários modos de operacionalização, a estar associada ao modelo proposto (1977/2010).

  • Segundoaautora,otrabalhoda conteúdo se define por regras lógicas

    • Organização,

AC parece por Bardin

análisede de:


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

estãopresentesao

longo

deum

9. Taisregras processo de:

Preparação,

Elaboração, e

Relato deresultados.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Nouniversovariávele flexielda aplicação da AC ela éorientadaporduas premissas:

    • Organizaçãodasanálisespelas características domateriale

    • Condução da análise conforme os objetivos traçadosnapesquisa.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

11.Para

Bardin(1977/2010),o

primeiro

apré-análise

momentodaACrefere-se quando sãodefinidos:

serem

12.Osdocumentoseprotocolosa analisados,

13.Ashipótesese osobjetivos delineados eos indicadoresdecritério de análise que serão utilizados.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • O segundo momento, chamado de codificação, reporta-seàtransformaçãododadobruto–evidência original– em estrutura traduzidademanifestaçãodo dado.

  • Nessa etapa, a AC vale-se de três índices para a organização daanálise;sãoeles:

    • Recorte,

  • Norecorte,sãodefinidasas unidades de análise como, por exemplo, os recortes semânticos (temas) ou os linguísticos (palavras/frases).


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • 2. Agregação

  • A agregação determina qual a natureza das unidades que serão aglomeradas em torno de categorias distintas.

  • 3. Enumeração.

  • Aregradeenumeração indica o tipo de gradiente e aritmética aplicado aosreferentesdomaterialanalisado.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Emcasosqualitativos, utiliza-seo princípio de enumeração presença/ausência, no qual o

quese

consideraéo teóricoprévio

entendimento

sobre a emergência ou não de significados incrustados em um grupo depalavras.

  • AACquantitativa sustenta

o princípiodeenumeraçãopor

frequência, quando a regra válida é a contagem dos referentes textuais.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • ConformeKeats(2009), há basicamentequatro modelos de análise designificadofaladoouescrito:

    • Ênfasena ordemtemporaldafala,

    • Análisedaestrutura narrativa,conformeos diferentesparadigmas,

    • Análisedefunção dafala(pragmática)e

    • Análise contextual do discurso.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Embora a AC ser definida por Bardin (1977/2010) como um procedimento dedutivo, seu uso pode estar também vinculado a uma epistemologia indutiva.

  • SegundoPoliteBeck(2004),adiferençaentre aAC indutiva e a AC dedutiva está no processo de alocação e aglomeração dos conteúdos em categorias.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Na AC indutiva, os conceitos, significados e categorias derivam dosdados,

    • O uso de uma AC indutiva é feita quando não existem estudos prévios sobre o fenômeno ou quando os dados estão dispersos, dificultando uma lógicadealocaçãopor categorias formais ouprévias.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • NaACdedutivaa

estruturade

com

análiseéoperacionalizada

base em conhecimentos

prévios.

quando se teoriaem

  • A AC dedutiva é útil

pretende diferentes comparar

testaruma

situaçõesoupara

categorias emperíodos

detempodistintos.


C r i t r i o s d e i n c l u s o d e c o n t e do s e m c a t ego r i a s

Critériosdeinclusãodeconteúdos emcategorias.

  • Graneheim eLundman(2004)indicam queunidades deanálisecompostaspormais de uma sentença e com diferentes sentidos podem dificultar a compreensãodofenômeno.

  • Poroutrolado,unidades deanálisemuito restritivas, com poucas palavras, podem levar a uma fragmentaçãodofenômeno investigado.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Éimportantequeessescritériossejamainda definidosnafasede preparaçãoda AC.

  • Robson(1993) relembra queas opções deinclusão de conteúdo devem respeitar ospreceitos daAC:

    • Características domateriale

    • Objetivos dapesquisa.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Fasedeorganizaçãodascategoriasdeanálise

  • Tesch (1990) recomenda aos pesquisadores que utilizamaAC abusca deum sentidode coesão ou dedispersãonosdados.

  • Dey (1993) propõe algumas questões norteadoras paraessa obtençãodesentido:

    • Quemestácontando/relatando?,

    • Ondeestáocorrendo esse relato?,

    • Quandoaconteceuoeventodo


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

conteúdorelatado?,

O que está ocorrendo no relato?,

Porque o conteúdo está narrado?

momento do

assim sendo

  • O objetivo dessas perguntas aproximação experiencial com comunicado peloparticipante.

éalcançaruma o conteúdogeral


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Fase de relato dos resultados

  • Evidenciar as relações estabelecidas entre os conteúdos categorizados e o senso geralobtidona organização das unidades deanálise.

  • Explanar criteriosamente a consistência de seus procedimentos de análise em vista das conclusões elaboradas.

  • Para tanto, a descrição dos indicadores de critério utilizados é essencial para a transparência do método.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Validade e adequação científica: relações entre evidência einterpretação

  • Todapesquisaparte depressupostos de validadee de adequação científica específicos que permitirão entender a mediação entre a evidência bruta e os resultados deuma pesquisa.

  • O processo de mediação entre evidência e resultados deve constar na descrição de uma pesquisa a fim de permitir entendimento sobre as regras que conduziram sua análise (pressuposto teórico que a sustenta).


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Oembasamentoemteoriajustificariaalógica normativa decomposiçãodasinterpretações


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Considerando as variações de mediação entre evidência e resultados, o estudo teve como objetivos específicos:

    • Descrever o estado da arte em análisese deconteúdo (Brasil),

    • Listar as modalidades mais frequentes de AC e

    • sugerir parâmetros descritivos para a publicação científica de artigos que utilizem ométodoAC.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Método

  • Foi realizada uma revisão sistemática (Greenhalgh,1997)juntoaseisperiódicoscientíficos nacionaisdePsicologia:

    • PsicologiaReflexão e Crítica,

    • Psicologia em Estudo,

    • Psicologia:TeoriaePesquisa,

    • Estudosde Psicologia (Campinas),

    • Estudos de Psicologia(Natal)e

    • PsicologiaeSociedade.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

*critérios de inclusão: disponibilidade online de textosnaíntegraapartirdoScielo.orgedosistema

deavaliação Aperfeiçoamento (CAPES), órgão

Qualis da Comissão de de Pessoal de Nível Superior responsável pela avaliação dos

  • periódicoscientíficosnacionais.

  • Os seis periódicos selecionados para a pesquisa encontram-se no extrato A (1, 2) do sistema de avaliação, segundo classificação do triênio 2007- 2009.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Foicriadoumprotocolo com indicadores descritivos distribuiemcincoitens:

Quetécnicasforamutilizadasna dados?

Qualareferênciateóricaparaaanálise?

coletade

técnicade

Osautoresexpressamosprocedimentosdeanálisedosdados?

Osautoresexpressamosindicadoresparaainferênciaderesultados?

Osautoresexpressamosprocedimentosde inferênciautilizados?


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Foramencontrados83artigosqueresponderam aos critérios deinclusão no corpus da pesquisa.

  • Cada um dos itens propostos no protocolo foi verificado segundo os critérios apresentados na Tabela 1 e registrados conforme o índice de referência.

  • Também se registraram as frequências descritivas de artigosrelativasacadaindicador.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Oprimeiroindíciodeconvergênciaentreaspesquisas éaconstataçãode que os trabalhos em AC se baseiam emsuamaioriano modelo proposto por Bardin.

    • Dos 83 artigos, 53 mencionam a autora como referência.

  • A especificação das técnicasempregadasdeACnão éumaconstante entreos trabalhos.

    • Afora a análise categorial, frequentemente mencionada, nenhuma das outras técnicas aparece.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Há casos emque o método é descrito apenas como análise de conteúdo conforme Bardin (1977/2010).

  • Em relação aos instrumentos utilizados na coleta dos dados, há prevalência de entrevistas estruturadas ou semiestruturadas, seguidas de questionárioseescalas.

  • A análise de dados oriunda da combinação de diferentesfontes.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Namaiorpartedosartigosanalisados,asentrevistas priorizam a relação direta entre os conteúdos que serão abordados e os eixos categóricos pré- estabelecidosparaaorganização domaterial.

    • indice da prevalência do modelo dedutivo de análises.

  • Em decorrência da análise em periódicos de Psicologia, as variáveis avaliadas nos artigos são quase em sua totalidade psicológicas.

    • Em alguns casos, é possível observar uma incongruência entre as variáveisconceituadas


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

nosobjetivosdas operacionalizaçãoda referentes no corpo das

pesquisas e a análise de seus mensagens, isto é,

não ficam claros os procedimentos inferenciais

quedeterminado aoeixocategórico

quepermitamafirmar

conteúdocorresponde definidonaanálise.

*Ocuidado comousodavariável deveseampliare estar presente não só nos objetivos mas também nas análises executadas,assim como ser ofocoda conclusão apresentada.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Quanto à presença de descrições dos procedimentos deanálise,ou seja, a relação de dependência entre a descrição da organização dos dados brutos, a descriçãodos indicadores de inferência e o relato dos procedimentos de inferência.

    • Umpadrão de ausência de informações sobre oscritériosdeorganização,osindicadoreseos procedimentos de inferência foi observado em mais da metade dos artigos analisados (55 artigos).


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Esse resultado contrasta transparência metodológica

coma

ideiade

  • Apontam uma desarticulação descritiva entre hipóteses,técnicaseinterpretações dos dados.

  • Um exemplo de clareza encontrado na sequência inferencial é a pesquisa de Panobianco, Mamede, Almeida, ClapiseFerreira(2008).

    • Asautorasdefinirama interpretaçãoglobal dosdadosnapré-análiseporleitura

exaustivadas transcrições,


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • seguindo para a identificação de temas convergentes entre as transcrições (inferênciacomparativa)e

  • culminando com a avaliação da análise temática por um juiz independente (credibilidade das análises).

  • As pesquisadoras informam o embasamento teórico que orientou a inferência na interpretação global dos

conteúdos(Antropologiainterpretativa).


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Na definição dos indicadores de inferência, os estudosanalisadosdemonstramheterogeneidade na condução dosprocessosinferenciais.

    • A maior parte dos artigos foca a produção de temas com base em literatura como recurso inferencial natural (dedução),

    • Outrosbuscam indutivamentecriar categoriasa partirdaleituradomaterial.

  • Oprocessoindutivogeralmentenão deixa claro quais critérios orientaram a montagem das categorias.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Sobreautilização de juízes paraa categorização E

    • Em diversos artigos, esse procedimento aparece como algo que garantefortevalidade aoestudo.

    • No entanto, se não há indicadores claros especificados para serem observados nos registros,e se nãoháumalógicade inferência igualmenteclaraparaseraplicada aoestudo,o

usodejuízesconfere confiabilidadeparcial,

somente exclusiva

uma do

procedimento de categorização e muito mais


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • relativa a umaideia de variação interpretativa do que devalidade doprocedimento.

  • Umbomexemplo da utilização criteriosa de juízes éoestudo de Antloga e Mendes (2009).

    • As autoras lançaram mão dos juízes apenas depois de estabelecer a modalidade de AC que utilizariam na pesquisa, no caso uma AC categorial temática.

    • Além disso, asubsequentelógicadeinferência, nocaso recorrência de temas, orientou

claramenteosjuízessobreoquedeveriamfazer


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • na observação das evidências.

  • Aautodenominação qualitativa doartigo

    • Pesquisasqueutilizamfrequência comocritério são, em alguns casos, descritas como qualitativas.

    • Para ser considerada uma AC qualitativa, o critério correto seria presença/ausência dos indicadores.

    • No estudo,nos artigos quedefinemsua AC

como

quantitativa,

osprocedimentossão


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • descritos detalhadamente e com critérios bem estabelecidos.

  • Nessas pesquisas, são observadas estatísticas de concordância entre juízes (Borges & Alencar, 2006) e construçãode mapasconceituaisa partir dafrequência de conteúdos (Bastos, Souza, Menezes, Neris, Melo, & Brandão, 2007).


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Diante da suposta dispersão da prática,é possível

discutir se a prevalente ausência de discussões metodológicas nas pesquisas fomenta uma preocupaçãoainda maiorsobreapráticadaAC, qual

seja, estaria a análise de conteúdo servindo, em

de em

alguns casos, sustentação de dados?

aospropósitosideológicos resultadosnão fundamentados

  • Adúvidaseimpõenãopelaconstataçãodapráticadedutiva,qualitativaouquantitativa,maspeladificuldadedesecompreenderasregrashermenêuticasimplícitasnainterpretaçãodosignificadodasmensagens.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • São raras as ocasiões de reflexão sobre o processo de análise conferido pela prática de AC,como se o método garantisse de antemão acredibilidadeda pesquisa.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • Considerações finais

  • A descrição do método é um elemento fundamental na comunicação científica, e inclui basicamente toda a ordem de procedimentos adotados relevantes para aconclusão obtida.

  • Dentro do método, encontra-se a descrição da análise, que compreende o conjunto de procedimentosadotadospelopesquisadorparaobter osresultados apresentados.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

  • O que se verifica em AC é que a descrição da análise, para a compreensão dos procedimentos relevantesaoestudo,deveria conter não sóa forma decategorização mas também o conjunto de procedimentos que envolvem a organização do material, a escolha de indicadores e a lógica de inferência dosdados.

  • O procedimento de inferência, especificamente, refere-se à relação entre lógica etécnicanaanálise dosdadosobtidoseconclusões apresentadas.


A n li s e d e c on t e d o e m p es qu i sa s d e p s i c o l og i a

No entanto, é expressiva a quantidade de artigos que não descreveram esses elementos, sendo somente 28 (33,73%) o número de artigos que apresentaram os procedimentos em sua totalidade.


D e pe s q u i s a s

Sugestõesparaapublicação científicas que utilizam AC

depesquisas

Verificaro uso coerente damesmavariável nos objetivos, na análise dos dados e na conclusão doestudo,

Verificarsehádescriçãodecomoosdados foram organizados,dos indicadores utilizados para identificar conteúdos e temáticas e da lógica inferencial para obtenção dos resultados.


  • Login