A cidade e as serras 1901 e a de queir s
Download
1 / 44

A cidade e as serras (1901) Eça de Queirós - PowerPoint PPT Presentation


  • 125 Views
  • Uploaded on

A cidade e as serras (1901) Eça de Queirós. Estilo literário: Realismo português. Terceira fase de Eça de Queirós (1888-1900); Três projetos para Portugal: valorização e desenvolvimento da agricultura; resgate da tradição heróica e monárquica de Portugal;

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' A cidade e as serras (1901) Eça de Queirós' - sailor


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

Estilo liter rio realismo portugu s
Estilo literário:Realismo português

  • Terceira fase de Eça de Queirós (1888-1900);

  • Três projetos para Portugal:

  • valorização e desenvolvimento da agricultura;

  • resgate da tradição heróica e monárquica de Portugal;

  • incentivo do neocolonialismo na África.




Narrador deuteragonista: Zé Fernandes

Protagonista: Jacinto de Tormes

Ambos são portugueses radicados em Paris, filhos de famílias abastadas.


Genealogia da fam lia de jacinto

EM PORTUGAL: CASARIO EM TORMES DATADO DE 1410

DOM GALIÃO E ANGELINA FAFES

NA FRANÇA:

“CINTINHO” E TERESINHA VELHO

NASCIMENTO DE JACINTO DE TORMES

Genealogia da família de Jacinto:


Motivo do ex lio na fran a guerra dos dois irm os
MOTIVO DO EXÍLIO NA FRANÇA:GUERRA DOS DOIS IRMÃOS

DOM MIGUEL

DOM PEDRO


Caracter sticas de jacinto na fran a
CARACTERÍSTICAS DE JACINTO NA FRANÇA:

  • DÂNDI POSITIVISTA:

    SUMA POTÊNCIA X SUMA CIÊNCIA =

    SUMA FELICIDADE

  • “PRÍNCIPE DA GRÃ-VENTURA”: SORTE, BELEZA E FORTUNA NA JUVENTUDE

  • AMOR E VENERAÇÃO ABSOLUTOS PELA CIDADE

  • REPÚDIO COMPLETO À NATUREZA, CONSIDERADA PRIMITIVA E BESTIAL

  • SOBRADO Nº 202 NOS CAMPOS ELÍSEOS: MÁQUINAS E LIVROS





Burgueses freq entadores da casa de jacinto caricaturas da podrid o urbana
BURGUESES FREQÜENTADORES DA CASA DE JACINTO :CARICATURAS DA PODRIDÃO URBANA

  • GRÃO-DUQUE CASIMIRO

  • DIANA DE LORGE (CORTESÃ)

  • TODELLE (BON VIVANT)

  • DANJON (HISTORIADOR)

  • JUDEU EFRAIM (BANQUEIRO)

  • DORNAN (POETA)

  • JOVAN (CRÍTICO DE TEATRO)

  • CONDESSA DE TRÈVES

  • DUQUE DE MARIZAC

  • MADAME DE ORIOL


Falhas pat ticas da civiliza o
FALHAS PATÉTICAS DA CIVILIZAÇÃO:

  • ROMPIMENTO DO TUBO DE AQUECIMENTO NO BANHEIRO;

  • APAGÃO DAS LUZES ÀS VÉSPERAS DA FESTA;

  • QUEBRA DO ELEVADOR DA COZINHA;

  • CASO DE ZÉ FERNANDES COM A PROSTITUTA (DECADÊNCIA)


Motivo da ida para portugal
MOTIVO DA IDA PARA PORTUGAL:

  • QUEDA DA CAPELINHA COM OS RESTOS MORTAIS DOS ANTEPASSADOS.

  • RECONSTRUÇÃO DO PASSADO PÁTRIO.


Viagem extravio das malas
VIAGEM: EXTRAVIO DAS MALAS

  • SIMBOLOGIA: ABANDONO DAS INFLUÊNCIAS NEFASTAS DA CIDADE

  • PROVA DE FOGO PARA JACINTO

  • CONTATO ABSOLUTO COM A RUSTICIDADE DO CAMPO


“...E AMBOS EM PÉ, ÀS JANELAS, ESPERAMOS COM ALVOROÇO A PEQUENINA ESTAÇÃO DE TORMES, TERMO DITOSO DAS NOSSAS PRIVAÇÕES.”



“PARA OS VALES, PODEROSAMENTE CAVADOS, DESCIAM BANDOS DE ARVOREDOS, TÃO COPADOS E REDONDOS, DE UM VERDE TÃO MOÇO, QUE ERAM COMO UM MUSGO MACIO ONDE APETECIA ROLAR.”


Admira o das terras portuguesas
ADMIRAÇÃO DAS TERRAS PORTUGUESAS: ARVOREDOS, TÃO COPADOS E REDONDOS, DE UM VERDE TÃO MOÇO, QUE ERAM COMO UM MUSGO MACIO ONDE APETECIA ROLAR.”


O CAMINHO DE JACINTO ARVOREDOS, TÃO COPADOS E REDONDOS, DE UM VERDE TÃO MOÇO, QUE ERAM COMO UM MUSGO MACIO ONDE APETECIA ROLAR.”


A CASA DO LODEIRO ARVOREDOS, TÃO COPADOS E REDONDOS, DE UM VERDE TÃO MOÇO, QUE ERAM COMO UM MUSGO MACIO ONDE APETECIA ROLAR.”


“ATRAVÉS DE MUROS SECULARES, QUE SUSTÊM AS TERRAS LIGADOS PELAS HERAS, ROMPIAM GROSSAS RAÍZES COLEANTES A QUE MAIS HERA SE ENROSCAVA.. EM TODO O TORRÃO, DE CADA FENDA, BROTAVAM FLORES SILVESTRES.”


“NOS CERROS REMOTOS, POR CIMA DA NEGRURA PENSATIVA DOS PINHEIROS BRANQUEJAVAM ERMIDAS. O AR FINO E PURO ENTRAVA NA ALMA, E NA ALMA ESPALHAVA ALEGRIA E FORÇA.”


Reforma do casario reforma de portugal
REFORMA DO CASARIO: REFORMA DE PORTUGAL PINHEIROS BRANQUEJAVAM ERMIDAS. O AR FINO E PURO ENTRAVA NA ALMA, E NA ALMA ESPALHAVA ALEGRIA E FORÇA.”


Traslado dos antepassados atrav s dos campos e colheitas
TRASLADO DOS ANTEPASSADOS ATRAVÉS DOS CAMPOS E COLHEITAS: PINHEIROS BRANQUEJAVAM ERMIDAS. O AR FINO E PURO ENTRAVA NA ALMA, E NA ALMA ESPALHAVA ALEGRIA E FORÇA.”

SIMBOLOGIA:UNIÃO DA TRADIÇÃO E DA AGRICULTURA


Projetos de jacinto
PROJETOS DE JACINTO: PINHEIROS BRANQUEJAVAM ERMIDAS. O AR FINO E PURO ENTRAVA NA ALMA, E NA ALMA ESPALHAVA ALEGRIA E FORÇA.”

  • INSTALAÇÃO DE UM LATICÍNIO (QUEIJARIA)

  • PREPARAÇÃO DE UMA GRANDE HORTA;

  • INSTALAÇÃO DE UM POMBAL;

  • RECONSTRUÇÃO DOS CASEBRES;

  • ASSISTÊNCIA MÉDICA (CARIDADE);

  • CRECHE E ESCOLINHA;

  • SALA DE PROJEÇÕES (CULTURA);


Religiosidade
RELIGIOSIDADE PINHEIROS BRANQUEJAVAM ERMIDAS. O AR FINO E PURO ENTRAVA NA ALMA, E NA ALMA ESPALHAVA ALEGRIA E FORÇA.”

  • MISSA AOS DOMINGOS NA CAPELINHA COM O PADRE JOSÉ MARIA: DOCES PARAS AS CRIANÇAS E VINHO PARA OS HOMENS

  • JOÃO TORRADO (ERVANÁRIO, ERMITÃO E ADIVINHO): “JACINTO É DOM SEBASTIÃO QUE VOLTOU”.


DOM SEBASTIÃO PINHEIROS BRANQUEJAVAM ERMIDAS. O AR FINO E PURO ENTRAVA NA ALMA, E NA ALMA ESPALHAVA ALEGRIA E FORÇA.”


Anivers rio de z fernandes em gui es
ANIVERSÁRIO DE ZÉ FERNANDES EM GUIÃES PINHEIROS BRANQUEJAVAM ERMIDAS. O AR FINO E PURO ENTRAVA NA ALMA, E NA ALMA ESPALHAVA ALEGRIA E FORÇA.”

MEMBROS DA SOCIEDADE VÊEM EM JACINTO UM MIGUELISTA, UM RESTAURADOR; AMBIENTE PESADO

CRÍTICA AO PENSAMENTO RETRÓGRADO DE ALGUMAS ALAS DA BURGUESIA LUSITANA


Ida para a flor da malva casa de joaninha e tio adri o
IDA PARA A “FLOR DA MALVA”: CASA DE JOANINHA E TIO ADRIÃO

  • NO CAMINHO: PARADA NA TABERNA DE MANUEL TORTO E ENCONTRO COM O EREMITA SEBASTIANISTA JOÃO TORRADO:

    “BENDITO SEJA O PAI DOS POBRES!”

    JACINTO = DOM SEBASTIÃO


Casamento com joaninha
CASAMENTO COM JOANINHA ADRIÃO

  • FILHOS:

    JACINTINHO E TERESINHA

  • MANUTENÇÃO DA TRADIÇÃO FAMILIAR



DECEPÇÃOAH, PORTUGAL PEQUENINO, QUE AINDA ÉS DOCE AOS PEQUENINOS!”


ad